Português/Termos acessórios/Aposto

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Aposto (a = próximo; posto próximo) é o termo acessório da oração que se anexa a um substantivo ou pronome substantivo para esclarecer, desenvolver, resumir ou especificar a ideia expressa. Basicamente, em cada caso em que é utilizado, assemelha-se a uma expressão sinônima (termo apositivo). Classifica-se em:

Aposto explicativo[editar | editar código-fonte]

Explica ou esclarece o substantivo ao qual se refere. Vem sempre isolado na frase. Pode ser isolado por vírgulas, travessões, dois pontos ou parenteses. Exemplos:

  • Tiradentes, líder da Inconfidência Mineira, morreu enforcado.
  • A pele dele, muito clara, foi queimada pelo sol.
  • Nosso dia, demasiadamente cansativo, foi bem aproveitado.

Aposto enumerativo[editar | editar código-fonte]

Enumera os elementos citados anteriormente. Exemplos:

  • Comprei tudo: arroz, feijão, batata e cenoura.
  • Introdução, desenvolvimento, clímax e desfecho: a história.
  • Irei a vários lugares: Macau, Galíza, Brasil e Timor-Leste.

Aposto resumitivo[editar | editar código-fonte]

Resume em um substantivo ou pronome substantivo os elementos citados anteriormente. Exemplos:

  • Comprei arroz, feijão, batata, e cenoura, tudo em promoção.
  • Irei a Macau, Galíza, Brasil e Timor-Leste, lugares onde se fala português.

Aposto especificativo[editar | editar código-fonte]

Especifica ou individualiza um substantivo de uso genérico. Normalmente é um nome próprio de pessoa ou lugar. Não é isolado por vírgulas. Exemplos:

  • Visitei a cidade de São Paulo.
  • Gosto do poeta Carlos Drummond de Andrade.
  • Andei lendo mais histórias de terror.

OSSA[editar | editar código-fonte]

Oração Subordinada é toda oração que depende de outra sintaticamente.
Crystal Clear app xmag.png Ver módulo principal: Oração Subordinada Substantiva

OSSA (Oração Subordinada Substantiva Apositiva) é uma oração que possui valor apositivo, isto é, de aposto:

  • Te digo francamente: que tua matéria do jornal não é de bom grado.
  • Falarei mais uma vez: que vá visitá-la no hospital.
  • Peço-lhe apenas uma coisa: que tenha dó de todos!