Português/Introdução

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Docas em Lisboa, Portugal.

A língua portuguesa por muitos é considerada a língua mais difícil de ser aprendida. A língua portuguesa originou-se do latim vulgar falado no noroeste da Península Ibérica. Na Idade Média, ela formou uma única língua, conjuntamente com o galego, hoje conhecida nos meios científicos como galaico-português. No reinado de D. Dinis a língua portuguesa, então designada como língua comum, foi tornada oficial em todos os documentos régios, em detrimento do latim. A língua portuguesa, tal como o francês, tem uma herança céltica, visivelmente ouvida através da utilização das vogais nasais.

O Português está classificado na seguinte hierarquia de famílias:

Indo-europeia
 Itálica
  Românica
   Ítalo-ocidental
    Românica ocidental
     Galo-ibérica
      Ibero-românica
       Ibero-ocidental
        Galaico-portuguesa
         Português

Atualmente, ela é falada em todos os continentes, sendo oficial em Portugal, Brasil, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Timor-Leste e em Macau, hoje uma região autónoma chinesa. Existem comunidades falantes de português em todo o Mundo- em territórios que pertenceram a Portugal como por exemplo Goa, Damão, Diu (Índia) e Malaca (Malásia)- e comunidades emigrantes do Brasil, Portugal, Cabo Verde, Angola e Moçambique que se estabeleceram em outros países. A língua portuguesa tem duas variantes: o português europeu e o português brasileiro. No futuro espera-se que o português falado em Angola e em Timor-Leste sejam promovidos a novas variantes do português. Atualmente, o Brasil, pela sua influência econômica, tem desenvolvido um esforço notável na promoção da língua portuguesa.

"Fala, para que eu te escute", diz Sócrates.

Assim enaltecemos claramente o porquê do estudo gramatical, a intrínseca relação do homem e a comunicação. O conhecimento da própria língua não se inclui na categoria de saberes inúteis, o saber independente de utilidade prática. Lembremos que a língua não é morta, parada no tempo; a sociedade está em constante produção desta identidade cultural: a língua portuguesa.