Português/Figuras Linguísticas/Elipse

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Elipse é a Figura Linguística que anula certa palavra da frase, ocorre quando um termo não é realmente necessário. Existe um caso especial de Elipse chamado de Zeugma, que é bastante comum. Pode também ser considerada um termo não expresso.

Elipse do Sujeito[editar | editar código-fonte]

Crystal Clear app xmag.png Ver também: Sujeito

A Elípse do Sujeito ocorre quando já existe um verbo flexionado na 1ª, 2ª ou 3ª pessoa do plural ou singular :

  • Estava feliz em ir viajar.
  • Não queremos jantar agora!
  • Farei de tudo para você não adoecer.

No primeiro e terceiro exemplo podemos concluir que o Sujeito é Eu, pela analise dos verbos Estava e Farei. No segundo exemplo podemos concluir que o Sujeito é Nós, pela analise do verbo Queremos.

Observações: Não confunda a elipse com a classificação do sujeito, quando o verbo esta na 3ª pessoa e não há sujeito segundo a classificação o sujeito será indeterminado.

Outras Elipses[editar | editar código-fonte]

A elipse também pode ocorrer com palavras de várias classificações como verbos, advérbios e conjunções (nas conjunções a elipse é chamada de Sindética):

  • Ontem, nebulosidade, hoje, sol e amanhã, chuva.
Ontem tinha nebulosidade, hoje tem sol e amanhã terá chuva.
  • Na árvore, flores e frutos.
Na árvore existe flores e frutos.
  • Ela fazia anos de idade.
Ela fazia muitos anos de idade.
  • Fizesse frio eu colocava um agasalho.
Se fizesse frio eu colocava um agasalho.
  • Irei ao cinema, à loja, ao mercado, ao bar.
Irei ao cinema, à loja, ao mercado e ao bar.

Zeugma[editar | editar código-fonte]

A Zeugma que é muito comum é a elipse de um termo já expresso:

  • Daniele queria balas e também doces.
Daniele queria balas e também queria doces.
  • Contratam-se funcionários, de preferência com experiência.
Contratam-se funcionários, de preferência funcionários com experiência.
  • O Amigo-secreto começou com Silvana, foi para Pedro, depois para Gabriel, Geovana, Beatriz, e seguiu.
O Amigo-secreto começou com Silvana, foi para Pedro, depois foi para Gabriel, depois foi para Geovana, depois foi para Beatriz, e seguiu.

O que não é Elipse[editar | editar código-fonte]

Observe este trecho do hino do Brasil:

"...
Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza.
Terra adorada
..."

Como podemos observar, o sujeito nada mais é do que Terra adorada. Observe que não ocorre nenhum tipo de elipse, pois não podemos colocar o termo Terra adorada em nenhum dos versos, a não ser que colocassemos outros termos. Exemplo:

...
A Terra adorada é gigante pela própria natureza,
A Terra adorada és bela, a Terra adorada és forte, impávido colosso,
E o tseu futuro, Terra adorada, espelha essa grandeza.
...

Teríamos que anexar vírgulas, artigos, verbos de ligação, alterar a flexão verbal e ainda alterar o gênero do adjetivo, pois na versão original ocorre a Silepse, ou seja, isso não se trata de elipse.