Português/Classificação das palavras/Preposições/Contrações

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Books-aj.svg aj ashton 01f.svg
O wikilivro Introdução à língua portuguesa possui uma versão simplificada deste assunto: Contrações
Contrações compreendem o que palavras sofrem para facilitar sua pronúncia.

As contrações se unem, sendo formadas por aglutinação. Um tipo especial de contração, a combinação, é formada por justaposição. As palavras que podem sofrer contração, são:

  • Preposições essenciais
  • Artigos definidos
  • Artigos indefinidos
  • Pronomes indefinidos
  • Pronomes pessoais
  • Pronomes demonstrativos
  • Conjunções
  • Advérbios

As contrações podem ser obrigatórias ou facultativas:

Contrações obrigatórias[editar | editar código-fonte]

São as formadas por preposição + artigo definido (exceção a preposição de, que pode ser obrigatória ou expressa, dependendo do caso) e por preposição + pronomes demonstrativo:

  • Pelos (por + os);
  • Neste (em + este);
  • À (a + a).

À e flexões é um tipo especial de contração, denominado crase (fusão de vogais idênticas).

Contrações facultativas[editar | editar código-fonte]

Assim como na língua inglesa, é facultativo o uso de certas contrações e das formas expressas (isto é, as formas "naturais"). É o caso de:
  • Em um = Num
  • Em uns = Nuns
  • Em uma = Numa
  • Em umas = Numas
  • De um = Dum
  • De uns = Duns
  • De uma = Duma
  • De umas = Dumas
  • Em algum = Nalgum
  • Em alguma = Nalguma
  • Em alguns = Nalguns
  • Em algumas = Nalgumas
  • De algum = Dalgum
  • De alguma = Dalguma
  • De alguns = Dalguns
  • De algumas = Dalgumas
  • Aquele outro = Aqueloutro
  • Aqueles outros = Aqueloutros
  • Aquela outra = Aqueloutra
  • Aquelas outras = Aqueloutras
  • Àquele outro = Àqueloutro
  • Àqueles outros = Àqueloutros
  • Àquela outra = Àqueloutra
  • Àquelas outras = Àqueloutras
  • Naquele outro = Naqueloutro
  • Naqueles outros = Naqueloutros
  • Naquela outra = Naqueloutra
  • Naquelas outras = Naqueloutras
  • Daquele outro = Daqueloutro
  • Dequeles outros = Daqueloutros
  • Daquela outra = Daqueloutra
  • Daquelas outras = Daqueloutras
  • Nesse outro = Nessoutro
  • Nesses outros = Nessoutros
  • Nessa outra = Nessoutra
  • Nessas outras = Nessoutras
  • Desse outro = Dessoutro
  • Desses outros = Dessoutros
  • Dessa outra = Dessoutra
  • Dessas outras = Dessoutras
  • Esse outro = Essoutro
  • Esses outros = Essoutros
  • Essa outra = Essoutra
  • Essas outras = Essoutras
  • Neste outro = Nestoutro
  • Nestes outros = Nestoutros
  • Nesta outra = Nestoutra
  • Nestas outras = Nestoutras
  • Deste outro = Destoutro
  • Destes outros = Destoutros
  • Desta outra = Destoutra
  • Destas outras = Destoutras
  • Este outro = Estoutro
  • Estes outros = Estoutros
  • Esta outra = Estoutra
  • Estas outras = Estoutras
  • Em outro = Noutro
  • Em outros = Noutros
  • Em outra = Noutra
  • Em outras = Noutras
  • De outro = Doutro
  • De outros = Doutros
  • De outra = Doutra
  • De outras = Doutras
  • De onde = Donde

Contrações proibidas[editar | editar código-fonte]

É incorreto contrair a preposição de com o artigo que inicia o sujeito de um verbo, bem como com o pronome ele(s), ela(s), quando estes funcionarem como sujeito de uma oração. A preposição com deve ser obrigatoriamente contraída com pronomes pessoais oblíquos, exceto na terceira pessoa (comigo, contigo, conosco e convosco), conosco é a exceção, pode estar expressa quando anterior a um numeral cardinal (exemplo: com nós cinco).


Não se usa o artigo nas locuções adverbiais a meu ver e semelhantes, não ocorrendo a contração.

Combinações[editar | editar código-fonte]

Combinação é a junção de algumas preposições com outras palavras, quando não há alteração fonética, como já dito antes, pela justaposição. Exemplo:
  • aonde (a + onde)
  • desde (des + de)
  • porque (por + que)

Sobre o uso do apóstrofo[editar | editar código-fonte]

Deixa-se as palavras da contração expressas (apenas o substantivo se a preposição for de ou por), separando-as com o apóstrofo, o artigo ou o pronome relacionados ao termo de destaque em letra maiúscula. Isto ocorre quando queremos dar ênfase ou quando o nome de uma obra começa com um artigo e a frase exige preposição. Exemplo:

No céu, todos serão felizes. - frase sem ênfase
Em'O Céu, todos serão felizes. - frase com ênfase
Gosto d'Os Lusíadas. - com nome de obra

Sobre a linguagem inapropriada[editar | editar código-fonte]

Na linguagem própria (isto é, a informal) podemos encontrar todo o tipo de contração, não admitidas na norma padrão (algumas delas):

  • cadê ou quedê (onde + está)
  • pra (para + a; ou simplesmente para)
  • pro (para + o)

Elas podem ser evitadas e nunca tevem ser usadas em documentos formais, redações, etc.

Sobre a preposição per[editar | editar código-fonte]

A preposição per era utilizada antigamente na língua portuguesa. Talvez o caso mais conhecido do uso desta preposição se tem na expressão latina per capita, em português, por cabeça. Analisando esta expressão podemos concluir que a preposição latina (que também já fora portuguesa) tem as mesmas funções sintáticas que a preposição portuguesa por. Logo, se pode concluir que, por grande semelhança eufônica e escrita destas preposições, podemos considerar que ambas formam as contrações pelo, pela, pelos, pelas junto a artigos definidos (nas contrações o e pode ser breve e pode haver declinação na pronúncia da última vogal, dependendo da região).