Paganismo Anglo-Saxão/Introdução

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Paganismo Anglo-Saxão
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Introdução[editar | editar código-fonte]

Durante o século V, novos povos começaram a marcar presença nas Ilhas britânicas. Eles falavam línguas germânicas e não eram simples invasores, sua influência e presença seria tão forte que eles definiriam o nome do local onde habitaram para Inglaterra e começariam a história da língua inglesa: estes povos eram principalmente os anglos, saxões, jutos e frísios, os quais formaram vários reinos dos quais sete se destacaram e foram conhecidos como "Heptarquia".

A partir da metade do século VII, a Inglaterra começou seu processo de conversão à religião oficial de Roma, maior influência cultural e religiosa da época, o que apagou a maior parte dos traços de como era a religião anglo-saxã antes do cristianismo, como a sua mitologia e suas práticas tribais sagradas e animistas.

Assim neste volume tentaremos entender o que nos restou da mitologia e paganismo anglo-saxão, derrubando mitos e estereótipos sobre esse povo. Podemos assim formular um calendário pagão anglo-saxão, uma lista de deidades conhecidas e várias práticas evidenciadas pela história escrita e arqueologia.

O volume se trata da apresentação da cultura de um povo, sem a intenção de ofender qualquer credo de qualquer pessoa¹, aqui o objetivo é mostrar o cotidiano espiritual de um povo, sem inclinações para defender ou atacar certa religião ou forma de paganismo anglo-saxão. Ao meio dos estudos, poderemos citar certos erros e desinformações espalhadas as vezes até por grupos neopagãos, mas sem atacar qualquer fé ou crença. É importante notar também que estes povos cometiam atos como sacrifícios humanos e animais, o que não é necessariamente endossado por esse material, e nem é consenso entre grupos neopagãos que visam reestabelecer práticas do paganismo anglo-saxão na atualidade.

Também consideramos que qualquer tipo de demonstração de racismo e desrespeito "em nome da prática pagã anglo-saxã" não está de forma alguma realmente associada com o pensamento original dos germânicos nem associado ao paganismo anglo-saxão.

E por fim é importante notar que as opiniões expressas neste volume são baseadas em estudos e informações adquiridas através das fontes medievais e estudos acadêmico e não expressam opiniões pessoais sem base alguma em estudos, somente trata alguns pontos com certa dose de incerteza, pois as informações sobre o antigo paganismo anglo-saxão são escassas.

Notas[editar | editar código-fonte]

¹: O volume se trata de um olhar estudioso ao paganismo anglo-saxão, não uma propaganda religiosa ou veiculo para ofender uma crença.