Moçambique/História

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Moçambique
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gravura da Ilha de Moçambique

Os primeiros habitantes de Moçambique provavelmente foram os Khoisan, que eram caçadores-recolectores. Nos séculos I a IV, a região começou a ser ocupada pelos povos bantu, que eram agricultores e conheciam a metalurgia do ferro. A estrutura social era baseada na linhagem, no qual era reconhecido um chefe. Por causa das novas invasões, crescimento demográfico e a chegada dos mercadores, formaram-se estados na região, como o Primeiro Estado do Zimbábue.

O Primeiro Estado do Zimbábue existiu aproximadamente entre 1250 a 1450 aproximadamente na região da atual República do Zimbábue. O que parece ter sido a capital desse estado foi os amuralhados de pedra que se chamavam madzimbabwe (Grande Zimbábue). Além da área dentro dos amuralhados, também havia uma grande "cidade" de caniço à volta daqueles. Cerca de 1450, o Grande Zimbábue foi abandonado, pela mesma altura, verificou-se uma grande invasão de povos também de língua chiShona que deu origem ao Império dos Mwenemutapas. Não é claro o motivo do abandono do Grande Zimbábue.

O Império dos Mwenemutapas existiu até a chegada dos portugueses, naquela época, na região existia muitos entrepostos comerciais e grande parte da população tinha aderido ao Islão. Até os finais do século XIX, a presença oficial portuguesa em Moçambique limitava-se em poucas capitanias ao longo da costa, só no início do século XX que o governo português pôde organizar a administração do território.

Em 1962, foi fundado o FRELIMO (Frente de Libertação de Moçambique) Em 1964 começou uma luta de guerrilha para obrigar o governo português a dar a independência da região. A guerra terminou com os Acordos de Lusaka, assinados a 7 de Setembro de 1974 entre o governo português e a FRELIMO, na sequência da Revolução dos Cravos. O O primeiro governo de Moçambique, dirigido por Samora Machel, foi formado pela FRELIMO.

Apesar disso, não houve paz no país, por causa da Guerra Civil, entre FRELIMO e o RENAMO (Resistência Nacional Moçambicana). As primeiras eleições gerais multipartidárias foram em 1994.