Introdução ao GNU-Linux utilizando o Linux Educacional/Unidade 2

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Conhecendo a ideia do software livre

O que é código aberto e como isso se relaciona com o software livre?[editar | editar código-fonte]

Código aberto é um termo definido pelo Instituto de Software Aberto (i.e. em inglês: OSI, Open Software Institute). Todo programa de computador tem na sua origem um texto com instruções, como um guia, que descreve o seu funcionamento. O programa ser código aberto permite que você olhe essas instruções, entenda e altere para aprimorar ou personalizar uma funcionalidade ou comportamento. Isso abre a possibilidade que o software faça o que você quiser, da forma que acha necessário.

Então isso é software livre? Quase, esse termo foi cunhado pela Fundação do Software Livre. Todo o software é chamado de livre desde que se garantam as seguintes quatro liberdades:

  • A liberdade para executar o programa, para qualquer propósito (liberdade nº 0);
  • A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade nº 1). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade;
  • A liberdade de redistribuir, inclusive vender, cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade nº 2);
  • A liberdade de modificar o programa, e liberar estas modificações, de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade nº 3). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade;

Todo software livre é código aberto mas nem todo software em código aberto é livre.

Exemplos de licenças Abertas e/ou Livres[editar | editar código-fonte]

GPL
Heckert GNU white.svg
Licença Pública GNU

É a principal licença da Fundação do Software Livre. Derivada do conceito das 4 liberdades já está na sua terceira versão. Associala a um software implica diversos deveres como: qualquer alteração no código também tem que ser livre e devem ser publicadas, o código não poderá ser fechado etc. A principal diferença ocorreu na versão 2 para a 3[1], onde mais uma série de restrições foram introduzidas. Uma brincadeira criada pela comunidade a chama de licença copyleft em contraste com copyright[2] (em inglês left em copyleft é esquerdo, enquanto right de copyright é direito).

GFDL
Heckert GNU white.svg
Licença de Documentação Livre GNU

É a versão de documentação do software da GPL. Acabou sendo utilizada em diversos outros usos (e.g. aqui na Wikilivros). Também garante as 4 liberdades.

BSD
BSD
Licença BSD

Criada na Universidade de Berkeley é chamada de copycenter[3] (em inglês center de copycenter é centro). Ela especifica que você pode fazer o que bem entender com aquele software. É uma outra forma de enxergar a liberdade.

Creative Commons
CC-logo.svg
Licença Creative Commons (i.e. criação comum, também conhecida como CC)

É um novo tipo de licença que surgiu em 2001 com um professor na Universidade de Stanford que permite uma série de opções flexíveis que garantem proteção e liberdade[4]. Variam desde depois que eu ganhar X reais essa música é livre como esse desenho é livre para usuários mas pago para empresas etc.

O que é GNU/Linux?[editar | editar código-fonte]

Linus Torvalds era um aluno finlandês que colocou em curso uma mudança no mundo do software livre. Ele foi o primeiro a fornecer um kernel de código aberto para os computadores i386. Mas o que isso significa? O tipo de computador mencionado é, provavelmente, o computador que você está usando agora.

Nessa época do Linus Torvalds os computadores pessoais estavam começando a aparecer de forma popular e um dos mais baratos era o i386 mas todas as alternativas de software eram caras. O pessoal da área já sabia da existência dos softwares livres que se mostravam muito úteis em diversos contextos mas não podiam usar em casa nos seus computadores, o Linux veio para mudar essa história.

Um sistema operacional é o progama do computador que faz a comunicação entre os componentes eletrônicos do seu hardware com os seus aplicativos (como o navegador da internet, o programa de bate papo etc). O programa mais importante de um sistema operacional é o kernel (vem da palavra inglesa núcleo) porque é o pedaço de software que faz a interação direta com os componentes. Isso significa se qualquer programa tenta fazer qualquer coisa, como escrever um arquivo, ligar na internet, usar a cpu etc. É o kernel que o permite, como um guardião que limita o acesso dos programas aos recursos do seu computador para todos terem a sua vez.

Então porque chamamos de GNU/Linux? Linux, como você já viu, é o kernel do sistema operacional que é o GNU. GNU é um acronímo para GNU não é Unix[5] (em inglês GNU is not Unix, é uma brincadeira, o acrónimo é recursivo). O projeto GNU foi inspirado pelo Unix, um sistema operacional famoso, e recriaram muitos de seus recursos como um software livre. Juntando o útil ao agradável, agora você tinha um sistema operacional livre com um kernel livre que podia ser instalado no computador da sua casa.

O software livre estava entrando em uma nova era. Quanto maior a comunidade que utiliza esse tipo de software maior a sua força e agora qualquer usuário poderia instalar o GNU/Linux e ajudar o sistema a crescer.

Porque usar o Linux?[editar | editar código-fonte]

Eu nunca mexi em um computador, esse negócio de Linux é difícil?

É muito mais fácil que você imagina. Boa parte das pessoas usam Windows (outro sistema operacional mas de código fechado e caro) por uma questão de costume, depois de encontrarmos uma solução é dificil mudar de alternativa a não ser que alguma vantagem seja apresentadas. Isso só significa que você pode experimentar diversos sistemas operacionais e ver do que gosta ao invés de repetir a escolha alheia.

O Linux é cheio de alternativas, com uma comunidade ativa existem milhares de pessoas ao redor do globo sempre fazendo programas novos, interfaces diferentes e diversas funcionalidades. Como o software é aberto, não existem fronteiras nessa contribuição diferentemente do Windows.

O Linux Educacional é uma distribuição de GNU/Linux muito fácil de usar que você pode experimentar mesmo sem instalar no computador! Colocando o cdrom na sua máquina ela vai rodar o sistema e você poderar usar como se estivesse instalado, rodar alguns programas, navegar na internet etc. Dessa forma vai poder olhar a facilidade oferecida e decidir se vai instalar ou não.

Eu já uso o Windows. Porque mudar para o Linux?

Primeiro ponto: sem vírus. Isso mesmo, não existem vírus da mesma forma que existe no Windows.

O leitor criterioso provavelmente vai se questionar agora. A verdade é que existem virus no Linux mas de uma forma bem diferente. Os vírus do Linux são uma raridade (pergunte para qualquer usuário) porque o sistema é criado para ser robústo, uma das heranças do Unix. Isso significa que as famosas falhas de segurança do Windows são bem mais raras no Linux.

Então aqueles vírus de internet do Windows serão passado para você, todos eles não rodam no Linux. Algumas pessoas raciocínam que o Linux só não tem vírus porque não é tão utilizado como no Windows. Esse raciocínio não é valido porque em aplicações de segurança (grandes empresas, serviços famosos como o Google, Wikilivros) essa distribuição Windows/Linux não é como nos computadores caseiros. Quando o assunto é segurança a presença do Linux é expressiva no mercado, crescendo cada vez mais. Se mostrando como uma solução resistente com o tempo.

Se você se interessou ou ainda está curioso essa é uma discussão antiga e cheia de lados a se avaliar, dê mais uma lida nas ligações externas.

Eu sei tudo de Windows, sou quase um Hacker

Então você mais que ninguém deve usar o Linux. Com o código todo aberto as possibilidades são inúmeras. Não precisa mais ficar preso as limitações de um sistema fechado.

A comunidade do Linux é muito forte e você vai poder aprender muito sobre sistemas operacionais e redes. Ou ajudando na correção de bugs no código, na produção de novo código ou com um dos vários de aplicativos de segunça no sistema.

Atividades propostas[editar | editar código-fonte]

  1. Aprofunde sua leitura com um dos links das ligações externas
  2. Assista o vídeo do link http://meulinux.wordpress.com/2007/07/13/porque-usar-linux/
  3. Faça uma sugestão aqui
  4. Edite uma seção desta unidade e deixe a sua contribuição

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. http://www.depijama.com/tech/gplv2-versus-gplv3-um-estudo-comparativo/
  2. http://ramonflores.br.tripod.com/GNU/copyleft.html
  3. http://wiki.centosbr.org/index.php/Licen%C3%A7a_BSD
  4. http://www.creativecommons.org.br/
  5. http://www.gnu.org/home.pt-br.html