Introdução à Química/Oxigênio

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O oxigênio é um elemento químico de símbolo O, número atômico 8 (8 prótons e 8 elétrons) com massa atômica 16 u.

Na sua forma molecular, O2, a temperatura ambiente, é um gás incolor, insípido, inodoro, comburente (mas não combustível), e pouco solúvel em água.

Representa aproximadamente 21% da composição da atmosfera terrestre. É um dos elementos mais importantes da química orgânica, participando de maneira relevante no ciclo energético dos seres vivos, sendo essencial na respiração celular dos organismos aeróbicos.

Existe, também, uma forma molecular formada por três átomos de oxigênio, O3, denominada ozônio, cuja presença na atmosfera protege a Terra da incidência de radiação ultravioleta procedente do Sol.

Um átomo de oxigênio combinado com dois de hidrogênio forma uma molécula de água.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

A principal utilização do oxigênio é como oxidante devido a sua elevada eletronegatividade, superada somente pela a do flúor.

A reação instantânea do oxigênio com uma substância é combustão; o fogo é uma reação de oxidação. O oxigênio não é um combustível e sim um comburente; outro comburente importante é o cloro. O oxigênio líquido é usado como comburente nos motores de propulsão dos foguetes.

Outras aplicações industriais são na soldadura, na fabricação de aço e metanol.

A medicina usa o oxigênio administrando-o como suplemento em pacientes com dificuldades respiratórias. Também é engarrafado para ser respirado em diversas práticas desportivas como, por exemplo, o mergulho, ou em atividades profissionais para acessar a locais de pouca ou nenhuma ventilação, ou em atmosferas contaminadas.

Quando inalado em alta concentração, o oxigênio provoca uma resposta de euforia; assim, no século XIX era utilizado, em mistura com o óxido nitroso, como analgésico. Esta mistura ressurgiu recentemente para evitar a dor em tratamentos dentários.

Obtenção[editar | editar código-fonte]

O oxigênio é o elemento mais abundante da crosta terrestre (estimado em 46,7%) e, dos oceanos (em torno de 87%, como componente da água). É o segundo em abundância na atmosfera (cerca de 20%).

Os óxidos de metais, silicatos (SiO44-) e carbonatos (CO32-) são encontrados com frequência em rochas e no solo. Na atmosfera existe como oxigênio molecular, O2, dióxido de carbono (CO2) e, em menor proporção, como monóxido de carbono (CO), ozônio (O3), dióxido de nitrogênio (NO2), monóxido de nitrogênio (NO), dióxido de enxofre (SO2) e outros.

Nos planetas exteriores mais afastados do Sol e em cometas se encontra água congelada e outros compostos de oxigênio. Por exemplo, no planeta Marte há dióxido de carbono congelado.

Ação biológica[editar | editar código-fonte]

O oxigênio respirado pelos organismos aeróbicos, liberado pelas plantas no processo de fotossíntese, participa na conversão de nutrientes em energia intracelular.

A redução do nível de oxigênio provoca a hipoxemia e, a falta total ocasiona a anoxia, podendo provocar a morte do organismo.

A hemoglobina é o pigmento que dá a cor aos glóbulos vermelhos (eritrócitos) e tem a função vital de distribuir o oxigênio pelo organismo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]