História do Brasil/O golpe de Estado em 1964

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tanques na Avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro, em 2 de abril de 1964.

O golpe militar no Brasil em 1964 foi um golpe de Estado que depôs o presidente João Goulart (conhecido como "Jango") em 1 de abril de 1964.

Na época do golpe, acontecia a Guerra Fria (as disputas estratégicas e os conflitos indiretos entre os Estados Unidos capitalista e a União Soviética comunista) que começou com o término da Segunda Guerra Mundial em 1945 e terminou com a extinção da União Soviética em 1991. Durante a Guerra Fria, houve o temor de que o comunismo se espalhasse pelo mundo, o chamado "terror vermelho". Em 1959, houve a Revolução Cubana, apoiada pela União Soviética.

As medidas do presidente brasileiro João Goulart foram consideradas comunistas (como a nacionalização de empresas e coletivização das terras) e houve um temor de que Jango iria implantar o comunismo no Brasil. A chave que deu início ao golpe foi o Comício da Central, em 13 de maio de 1964, e seis dias depois, ocorreu a Marcha Pela Família, com Deus pela Liberdade contra o governo de Jango. Então, os militares (que já achavam que Jango era comunista desde quando era ministro de Getúlio Vargas) depuseram o presidente em 1 de abril de 1964 e provisoriamente Ranieri Mazzilli assume o poder até a posse de Castello Branco em 11 de abril de 1964, mas o poder de fato foi exercido pelo Comando Supremo da Revolução.

Em 1964, direitos políticos de lideranças foram cassados, foram impostas aposentadorias forçadas, houve demissões sumárias, intervenções em sindicatos, fechamento de órgãos operários, estudantis e acadêmicos e julgamentos de civis pela Justiça Militar.