História da Catalunha/Idade antiga

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dólmen (túmulo de pedra) em Girona
Escrito ibérico encontrado em Ullastret

Os primeiros vestígios da ocupação humana na Catalunha são monumentos de pedra que foram construídos entre 2000 e 1500 a.C. em localidades como Alt Empordà, Baix Empordà e Alt Urgell.

No primeiro milênio antes de Cristo, laietanos e iberos ocupavam a Catalunha. Restos de construções ibéricas ainda são visíveis em Ullastret, na Costa Brava.

Evidências arqueológicas indicam que o vinho foi introduzido na futuramente famosa região vinícola catalã de Penedès no século VII a.C. pelos fenícios[1].

Por volta de 550 a.C., comerciantes gregos se fixaram na costa catalã, fundando a colônia de Emporion, atual Empúries, na Costa Brava.

Em 230 a.C., os cartagineses, que já ocupavam o sul da Espanha, fundaram a cidade de Hamil Barca, que seria a origem da cidade de Barcelona. Os cartagineses, em 218 a.C., sob o comando de Aníbal, atravessaram a Catalunha com seu exército em direção a Roma, na Segunda Guerra Púnica.

Com a derrota cartaginesa, os romanos ocuparam a Península Ibérica. No sul da Catalunha, os romanos fundaram a cidade de Tarraco, atual Tarragona, que seria a capital da província romana de Tarraconensis. O latim vulgar trazido pelos soldados romanos tornou-se a língua corrente na Catalunha e deu origem à língua catalã. Os soldados romanos também trouxeram, para a Catalunha, o cristianismo, a partir do século IV, quando o cristianismo tornou-se a religião oficial do Império Romano.

Referências