Saltar para o conteúdo

Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Remus Lupin

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.


Remus John Lupin
  • sexo = Masculino
  • cabelos = castanhos claros/grisalhos
  • olhos = desconhecido
  • família = depois do aviso de spoiler
  • lealdade = Albus Dumbledore

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

Remus John Lupin é um bruxo que entra na história no livro três, como o novo professor de DCAT. De acordo com a autora o aniversário de Lupin é dia 10 de março.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A etimologia do nome do personagem:

  • Remus: na lenda romana, Romulo e Remo foram os fundadores de Roma, que foram criados por uma loba.
  • Lupin: derivado do latim "lupinus" de um lobo.

Esse é um exemplo do uso que a autora faz, dos nomes muitíssimo apropriados para seus personagens. Os acontecimentos que tornam esse nome tão correto para Lupin, ocorreram, de fato, depois que ele já tinha recebido esse nome. Embora isso possa trazer um ar de desconfiança aos leitores mais velhos, devemos relembrar que esses livros foram escritos para crianças, de modo que a autora escolheu nomes apropriados às características de cada personagem.

Papel nos Livros[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

O Prisioneiro de Azkaban[editar | editar código-fonte]

Remus J. Lupin nos é apresentado no Expresso de Hogwarts, onde ele passa quase a viagem toda, dormindo. Mesmo adormecido, ele observa Harry e seus amigos; sua presença, impede que Draco faça das suas.

Quando um dementador caçando o fugitivo Sirius Black, entra no compartimento, Lupin acorda e o expulsa com um Feitiço. Depois dá chocolates aos alunos apavorados, como poção restauradora, e manda uma coruja para informar à enfermeira da escola, avisando que Harry talvez precise de cuidados médicos. Madam Pomfrey, mais tarde comenta que, finalmente eles conseguiram um professor de DCAT que conhece remédios mágicos.

Na Festa de Boas Vindas, Dumbledore apresenta o Professor Lupin, o novo professor de DCAT; coisa que Harry, Ron e Hermione já haviam adivinhado. Na sua primeira aula na turma de Harry, Lupin demonstra uma inesperada capacidade de dominar Pirraça. Ele também dá a Neville uma confiança de que ele precisava muito, ao ser o primeiro no exercício de enfrentar o bicho-papão. Os métodos de ensino práticos de Lupin, são imediatamente populares entre os alunos, fazendo com que ele seja o professor preferido.

Quando Harry pergunta a Lupin porque o impediu de dominar o seu bicho-papão, Lupin diz que temeu que ele se transformasse em Lord Voldemort e assustasse a turma. Lupin fica impressionado ao ver que o maior medo de Harry são os dementadores e não Voldemort. A seguir, Severus Snape entrega uma poção a Lupin e vai embora. Harry sugere que Snape, que sempre desejou o lugar de professor de DCAT, e aparentemente não gosta de Lupin, pode ter envenenado a poção, mas Lupin bebe, sem hesitação. Depois que os dementadores fazem Harry desmaiar e cair de sua vassoura durante um jogo de Quadribol, ele pede a Lupin para ensinar-lhe como afastá-los. Lupin mostra a Harry o feitiço Patronus. Durante essas aulas, Harry descobre que Lupin, Sirius e seu pai foram colegas na escola. Durante o jogo de Quadribol seguinte, Harry conjura o feitiço para repelir os dementadores, corretamente, mas na verdade, eram Malfoy e seus camaradas disfarçados. . Lupin dá os parabéns a Harry pelo seu Patronus, mas está um bocado impressionado pela forma que ele tomou.

Lupin tem um papel decisivo nos acontecimentos na Casa dos Gritos. Logo ao entrar na Casa, ele desarma Harry, Ron e Hermione, que dominavam Sirius. Certo de Black é inocente, Lupin devolve as varinhas do Trio e guarda a sua, como um gesto de encorajamento, de que ele confia em todos. Lupin conta a eles sobre a amizade que existia entre ele, James Potter, Sirius Black e Peter Pettigrew, os quatro “Marotos” , que criaram o “Mapa do Maroto”. Severus Snape irrompe na Casa, acusando Lupin de ser cúmplice de Black, mas o Trio o derruba, inconsciente, com um feitiço combinado. Tanto Lupin quanto Black desmascaram Perebas, o rato de Ron, como Peter Pettigrew, em sua forma Animago. James também era Animago e Sirius também é. Foi Pettigrew quem traiu James e Lily para Voldemort. Quando eles se preparam para executar Pettigrew, Harry intervem, dizendo que seu pai não gostaria que seus melhores amigos se tornassem assassinos. Melhor seria entregarem-no aos dementadores. Enquanto estão indo para o castelo, a lua cheia aparece. Lupin, que havia esquecido sua poção, se transforma num perigoso lobisomem. Sirius, em sua forma Animago, um grande cão negro, não consegue dominar Lupin, mas o segue para a Floresta Proibida.

Black é capturado por Snape e preso no castelo; Harry e Hermione o resgatam e ele escapa montado em Bicuço, o Hipogrifo que tinha sido erroneamente condenado à morte. Sem conseguir a fama por ter capturado Black, Snape se vinga, de forma mesquinha, revelando para a escola toda que Lupin é um lobisomem. Lupin pede demissão, sabendo que os pais vão desaprovar que esse tipo de pessoa, seja professor de seus filhos. Quando Lupin arruma as malas para partir, ele conta a Harry que a forma Animago de seu pai, era um cervo, a mesma do Patrono de Harry. Foi por isso, que Lupin ficou tão emocionado quando viu o Patrono de Harry no jogo de Quadribol.

O Cálice de Fogo[editar | editar código-fonte]

Lupin não aparece diretamente nesse livro. Depois do retorno de Voldemort e da partida de Cornelius Fudge, Dumbledore pede a Sirius Black que reúna “a velha turma” citando Lupin como um deles, e explica a Sirius para ficar quieto com Remus, até que ele entre em contato novamente.

A Ordem da Fênix[editar | editar código-fonte]

Lupin reaparece nesse livro, quando chega aos Dursleys para escoltar Harry até Grimmauld Place, o quartel general da Ordem da Fênix. Lupin fica lá com Sirius Black, saindo ocasionalmente para cumprir ordens que não sabemos, para a Ordem. Harry só o vê em Grimmauld durante as férias escolares, ou quando ele se comunica com ele e com Sirius pela Rede do Flu.

Quando Harry vê as lembranças de Severus Snape na Penseira, ele vê seu pai e Sirius atormentando Snape. Perturbado pela situação, ver seu pai maltratando alguém daquela forma, ele usa, secretamente, a lareira do escritório da Umbridge para fazer contato com Sirius e Lupin, e perguntar a eles a respeito do comportamento de seu pai. Lupin diz que James, quando jovem (e Sirius também), faziam bullying (ou seja maltratavam os outros), mas que superaram essa fase. Sua explicação não convence Harry.

Lupin participa da Batalha no Departamento de Mistérios, no final do livro. Quando Harry corre para Sirius, cujo corpo caiu por trás do misterioso arco com um véu, para morte, é Lupin que o segura, impedindo que ele tenha o mesmo fim.

O Enigma do Príncipe[editar | editar código-fonte]

No sexto livro, Lupin age como um espião para a Ordem da Fênix, se infiltrando no perigoso bando liderado por Fenrir Greyback, que Voldemort recrutou. No final, Lupin ajuda na Batalha da Torre, lutando contra os Comensais da Morte, que invadiram Hogwarts para matar Dumbledore. Também ficamos sabendo que Nymphadora Tonks está apaixonada por Remus. No entanto, Lupin diz a Tonks que é muito perigoso se envolver, romanticamente com um lobisomem, que ele é muito velho para ela, e diz que ela merece alguém melhor. Assim mesmo, mais tarde, os dois são vistos de mãos dadas, o que indica que superaram os obstáculos e começaram um relacionamento cuidadoso.

As Relíquias da Morte[editar | editar código-fonte]

Lupin está entre os guardas que escoltam Harry e as cópias de Harry, da casa dos Dursleys até uma casa segura. O plano para a extração é definido na cozinha dos Dursleys, Tonks está usando um anel; descobrimos que ela e Lupin se casaram. O plano da Ordem para mover Harry é descoberto, e Lupin chega na Toca com George Weasley ferido. Enquanto Molly cuida de George, Lupin interroga Harry para confirmar sua identidade. Depois que Harry e seus protetores e suas cópias já chegaram, Lupin sai junto com Bill para procurar Alastor Moody, que não chegou e se presume que está morto.

Lupin e Tonks vão à Toca para o aniversário de Harry, mas partem rapidamente, quando o Patrono de Arthur avisa, que está chegando com Rufus Scrimgeour. No casamento de Bill e Fleur, Lupin diz a Harry que os lobisomens estão numa posição ruim perante o Ministério. Durante a recepção do casamento, enquanto o Ministério cai, e os Comensais da Morte quebram os feitiços de proteção que envolviam a Toca, vemos Lupin e Tonks juntos lançando feitiços protetores.

Dias depois que Harry, Hermione e Ron já estavam em Grimmauld Place, Lupin os visita. Ele reclama com Ron e Hermione por ter baixado a guarda muito rápido, quando ele se identificou. Ele sabe que o Trio tem uma missão secreta e se oferece para ajudar. Ao ser perguntado por Tonks, ele conta que ela está grávida e segura na casa de seus pais. Harry fica zangado porque Lupin se propõe a ir numa aventura, enquanto Tonks e seu filho que ainda não nasceu, são largados na casa dos pais dela. Pais, ele diz, não deveriam abandonar os filhos. A discussão esquenta e jogando uma azaração que derruba Harry, Lupin furioso sai da casa ventando.

Em março, Ron sintoniza o programa pirata "Potterwatch". Lee Jordan, como "River", introduz "Romulus", facilmente identificável como a voz de Lupin, que fornece uma atualização sobre Harry. Lupin diz que tem certeza de que Harry está vivo ainda, porque se tivesse morrido, sua morte seria cantada aos quatro ventos pelo regime, afinal seria o fim de um foco de resistência. Lupin depois diz que, se Harry estiver ouvindo, ele deve seguir seus instintos, que quase sempre estão certos. Harry e Hermione ficam os dois emocionados por essa prova de reconciliação. Lupin prossegue dizendo que Xenophilius Lovegood havia sido preso, e que Hagrid, que tinha dado uma festa “Apoiadores de Harry Potter” em sua casa, escapou de ser preso e está foragido.

Quando Harry foge da Mansão Malfoy e se esconde na Casa das Conchas, Lupin vai visitá-los e anuncia que Tonks deu à luz um menino, a quem eles deram o nome de Teddy. De maneira surpreendente, depois da última vez, Lupin está feliz em ver Harry e pergunta se ele aceita ser o padrinho de Teddy, o que Harry aceita.

Um pouco antes da batalha final com Voldemort, a tensão cresce na Sala Precisa, quando Ginny teimosamente insiste em tomar parte na luta e a chegada inesperada de Percy, pronto a se reconciliar com a família. Fleur tenta acalmar a situação perguntando a Lupin sobre o bebê; Lupin mostra uma fotografia, embora pareça que ninguém está interessado em ver. Finalmente depois que Percy é perdoado e Ginny recebe ordens de ficar dentro da Sala Precisa, Lupin vai ao Grande Salão para comandar as forças que defendem a escola. No entanto, Tonks chega, e a vimos procurando por Lupin , enquanto se envolve na luta. Lupin não é visto novamente até o fim da batalha, e os corpos dele e de Tonks são encontrados entre os mortos.

Depois de liberar as lembranças de Snape na Penseira, Harry percebe que foi, sempre, seu destino, lutar e ser morto por Voldmort. Buscando uma coragem além de suas forças, e sem conseguir produzir um Patronus para passar pelos dementadores na Floresta Proibida, Harry invoca o espírito de Lupin, junto com o de Sirius, James e de Lily. Agindo como Patronos, os quatro espíritos protegem Harry enquanto ele segue pela Floresta até o acampamento de Voldemort. Ao encontrar com os Comensais da Morte, ele joga a Pedra da Ressurreição (que invocou os espíritos), fora, e eles desaparecem.

Pontos Fortes[editar | editar código-fonte]

Remus Lupin é um bruxo poderoso e talentoso, além de extremamente inteligente. Ele é previdente, e tende a pensar na situação antes de agir. Em geral ele demonstra um grande auto controle, permanecendo calmo, mesmo nas situações mais estressantes. Embora Lupin tenha sido mostrado como um banido, ele é carinhoso e extraordinariamente leal aos seus amigos e aliados, expecialmente a Dumbledore e Harry.

Lupin é considerado pela maioria dos alunos e professores como o melhor professor de DCAT que Hogwarts teve durante toda a série. Ele temperou suas aulas com paciência, compreensão e humor e encorajou muito seus alunos, especialmente Harry e Neville.

Lupin é um verdadeiro Gryffindor, que arrisca bravamente sua vida ao se infiltrar no bando de lobisomens de Fenrir Greyback, para agir como espião de Dumbledore e servir lealmente a Ordem da Fênix. Depois que descobriu que Sirius Black era inocente, ele foi imediatamente à Casa dos Gritos onde Pettigrew foi desmascarado como o verdadeiro traídor.

Pontos Fracos[editar | editar código-fonte]

Aos quatro anos, Lupin foi afetado pela licantropia, depois de ser mordido pelo lobisomem Fenrir Greyback. A cada lua cheia, ele se transformava numa criatura como um lobo, e como um cão raivoso, não podia controlar suas ações. Lobisomens transformados, irão mais ou menos sem noção, procurar por humanos não afetados, para morder e infectar. Embora não tenha cura, uma poção (poção de acônito) foi descoberta recentemente, e ela permite que os lobisomens mantenham sua sanidade durante a transformação. Lupin, tomando essa poção, é capaz de ficar quietinho, enroladinho, em seu escritório e descansar, ao invés de No entanto, essa poção tem que ser tomada todos os dias durante uma semana antes da lua cheia, e só funciona durante um ciclo lunar; se a poção for esquecida, o lobisomem se torna perigoso novamente.

Porque são tão perigosos, os lobisomens são geralmente temidos e evitados pela comunidade mágica, tornando-os párias. A despeito disso, Albus Dumbledore deu um jeito para o pequeno Remus frequentar Hogwarts, onde ele era preso, em todas as luas cheias. Embora a condição de Lupin fosse mantida em segredo, ele sempre se sentia medroso e inseguro, e fez poucos amigos, a não ser por Sirius, James e Petter. Como resultado disso, o adulto Lupin, se tornou uma pessoa isolada e teve dificuldades de arranjar emprego; ele sempre esperava ser maltratado.

Relacionamentos com Outros Personagens[editar | editar código-fonte]

Lupin, sendo um lobisomem desde pequeno, viveu uma vida bastante solitária com poucos amigos próximos. Como aluno em Hogwarts, ele era chamado "Moony" ou seja, Aluado (aquele vive no mundo lua). Ele se tornou um dos Marotos, junto com seus amigos da Gryffindor, James (Pontas), Pettigrew (Rabicho) e Sirius (Almofadinhas). Os quatro se tornaram os melhores amigos, e embora a condição de Lupin fosse escondida dos alunos, os outros três descobriram o segredo. Eles se tornaram, ilegalmente, Animagos, a principio para apoiá-lo, e também para acompanhá-lo durante suas transformações em lobisomem, libertando-o de seu confinamente mensal na Casa dos Gritos.

Como a poção de acônito ainda não existia, Lupin era extremamente perigoso quando transformado; os outros três Marotos o protegiam enquanto estavam na forma de animais; eles mantinham Lupin na linha durante a noite na Floresta Proibida e nas redondezas. Lily Evans também se tornou amiga próxima e confidente de Lupin enquanto estavam em Hogwarts, despreocupada e sem julgar seus problemas. Severus Snape, que os outros Marotos detestavam, também era aluno de Hogwarts na mesma época. Depois que James e Lily foram assassinados (como se presumia que Peter Pettigrew também tinha sido) e Sirius foi condenado à prisão em Azkaban, Lupin ficou novamente sem amigos.

Lupin admirava profundamente o Professor Dumbledore, e sempre foi grato por permitir que ele frequentasse Hogwarts, mesmo sendo um lobisomem. Dumbledore continuou ajudando Lupin dando a ele o emprego de professor de DCAT, no terceiro livro. Ele sabia que Lupin era altamente competente como professor, e ele se tornou imediatamente o preferido, exceto dos alunos de Slytherin, que continuamente zombavam de suas roupas velhas. Não eram apenas os alunos que gostavam dele; ele também era apreciado por sua capacidade, por sua personalidade agradável e evidente competência. Apenas Snape não gostava dele, ainda mantendo rancor contra Lupin por sua amizade com suas duas nêmesis em Hogwarts: James e Sirius. Snape também desejava o cargo de professor de DCAT, que Lupin ocupou. Mas, a despeito da implicância de Snape, ele preparava atenciosamente a poção de acônito para Lupin todos os meses, embora tenha ficado furioso porque Lupin ajudou o fugitivo Sirius a fugir, mais tarde contou aos alunos sobre a condição de Lupin, forçando-o a pedir demissão.

Lupin também entrou para a Ordem da Fênix e se tornou amigo de Arthur e Molly Weasley, também membros. Ele mantinha uma amizade com Olho-Tonto Moody, outro membro da Ordem que o via de maneira favorável. Sirius e Lupin se reuniram depois que Sirius escapou de Azkaban, mas ele foi morto dois anos depois, durante a Batalha no Ministério. Nos livros seguintes, Lupin se tornou uma presença firme e protetora para Harry. Embora o padrinho de Harry tivesse mais direito à sua afeição, o garoto ficava as vezes, bem assustado com o comportamento impetuoso e às vezes errático de Sirius. Harry gostaria de ter tido mais tempo para conversar com Lupin, que, na época estava sempre longe por conta dos afazeres da Ordem, portanto não tendo oportunidade de passar mais tempo com Harry.

Lupin já era próximo de Harry, e se tornou ainda mais chegado depois da morte de Sirius, embora nunca da mesma forma como Harry e Sirius eram. Sirius foi para Harry a figura do pai, enquanto Lupin seria como um tio. Lupin continuou a guiar Harry, que ainda estava se desenvolvendo como bruxo. No último livro, eles tiveram uma breve briga, quando Lupin estava deixando Tonks sozinha, acreditando que ele não estava preparado para ser marido e nem pai e achando que ela estaria melhor com outra pessoa. Por ter perdido tantas pessoas queridas, Harry, ficou furioso porque Lupin pensava em abandonar sua esposa e o filho ainda não nascido, em tempos tão perigosos. As palavras duras de Harry, feriram Lupin profundamente, fazendo com que ele partisse furioso, mais tarde ele pensou melhor, e percebeu que Harry estava certo, e voltou para Tonks. Ele e Harry acabaram se reconciliando, e Harry se tornou padrinho do bebê de Lupin e Tonks, Teddy.

A florescente relação entre Lupin e Tonks, começou no final do sexto livro. Embora, Lupin tenha tentado evitar, acreditando que ele não era a pessoa certa e que os tempos eram perigosos para se começar uma família. Isso mostra outro lado de Lupin, que se preocupa mais com o total e não dá atenção aos pequenos fatos. Se recusando a trazer uma criança à bagunça que parecia ser o futuro deles, ele causou muita dor a ele próprio e à Tonks no presente. No final os dois superaram tudo isso e se casaram tendo um filho, Teddy.

Análise[editar | editar código-fonte]

Professor Lupin[editar | editar código-fonte]

Os outros professores de Hogwarts, estão satisfeitos com o Professor Lupin, ao contrário de outros professores anteriores dessa matéria. Poppy Pomfrey, por exemplo, comenta que ele conhece os remédios, e num livro posterior, a Professora McGonagall se refere a ele como “um professor competente” – comentário que, vindo dela, é um grande elogio. A única exceção é Severus Snape, que, além de sempre ter desejado o cargo, ainda mantém profundo ressentimento contra Lupin, por sua amizade com os outros Marotos, durante os anos de Hogwarts, ainda que, quem atormentasse Snape fossem James e Sirius.

Lupin, imediatamente ganha o respeito de toda a turma, primeiro porque botou Pirraça para correr, e segundo, por ensinar, desde a primeira aula coisas de fato úteis e práticas. Sua preocupação e carinho com os alunos se tornam evidentes por causa de diversas pequenas coisas – ele chama os alunos pelos seus primeiros nomes, ao invés dos sobrenomes, como é tradicional no sistema escolar inglês – e também por coisas grandes, ele escolhe Neville para ser o primeiro com o bicho-papão, e também o último, assim incutindo confiança no garoto. Ele também explica claramente, porque evitou que Harry enfrentasse o bicho-papão, e diz a Harry que sua reação aos dementadores não indica fraqueza. O fato de se oferecer para ensinar a Harry como enfrentar os dementadores, reflete sua natureza; ele se preocupa, portanto ajuda.

Lealdade a Dumbledore[editar | editar código-fonte]

Crescer como um lobisomem tornou Lupin um solitário e rejeitado, mas ele sempre foi imensamente leal a seus amigos. Depois de se tornar lobisomem, seus pais acharam impossível que ele pudesse frequentar Hogwarts. No entanto, Dumbledore foi compreensivo, e disse aos Lupins que jamais negaria a Remus uma educação, desde que certas precauções fossem tomadas. Depois que Lupin deixou Hogwarts, ele achou praticamente impossível para um lobisomem encontrar um emprego na comunidade mágica. Dumbledore lhe ofereceu o cargo de professor de DCAT. Pelo fato de Dumbledore sempre ter sido tão bom para ele, Lupin se tornou um aliado fiel do diretor, quando a Ordem da Fênix foi reformada, ele arriscou a vida na missão de se infiltrar no bando perigoso de Fenrir Greyback.

Os Anos Escolares[editar | editar código-fonte]

Quando os três melhores amigos de Lupin, James Potter, Sirius Black e Peter Pettigrew descobriram que ele era um lobisomem, decidiram apoiá-lo e protegê-lo durante as transformações. Porque um lobisomem é perigoso apenas para os humanos, eles secretamente, aprenderam a se tornar Animagos. Um Animago deve ser registrado no Ministério da Magia, mas os três nunca se registraram. Durante a lua cheia, eles corriam pelos terrenos de Hogwarts, e mais tarde pela vila de Hogsmeade, com Lupin em sua forma de lobo. Quando Lupin estava com eles, tinha mais controle sobre seus atos durante as transformações. Ele não era inteiramente inofensivo, no entanto, e seus amigos o protegiam com carinho.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

  1. Por que os lobisomens são temidos pelas pessoas?
  2. Lupin comenta que ele foi monitor da Gryffindor, em parte porque podia controlar os outros três Marotos. Por que então não deu duro nos amigos, para que eles não se metessem em confusão?
  3. Hermione identifica Lupin no Expresso de Hogwarts, pelo nome gravado em letras descascadas na sua maleta, "Professor R. J. Lupin". Como alguém só é chamado de Professor quando começa a lecionar, e Lupin foi escolhido recentemente, por que a gravação é tão velha que está descascando?

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Harry perdeu muitas figuras paternas durante a série. Seu pai, James, foi morto por Voldemort quando Harry tinha apenas um ano. No quinto livro, seu padrinho, Sirius Black é morto por Bellatrix Lestrange; seu corpo flutua através da cortina, chamada o Véu- tanto literária quanto metaforicamente, um véu é algo que você atravessa, nunca para voltar. No livro seis, Dumbledore é morto. Em consequência, HaEm consequência, Harry sente que não pode mais confiar em ninguém como mentor, embora, em menor grau, Mr. Weasley ajudou a preencher esse papel.

Também fica claro, que Harry criou um laço similar com Remus Lupin, desde o terceiro livro. No entanto, Harry passa pouco tempo com Remus nos livros seguintes. Seu relacionamento fica mais forte no quinto livro. No último livro, Harry já superou a necessidade de uma figura paterna e, embora continue a amar e respeitar Lupin, ele não se impede de acusa-lo de covardia por abandonar sua esposa e o bebê ainda não nascido. Embora não tenhamos visto a completa reação de Lupin, a essa acusação verdadeira, quando seu filho nasce, Lupin não apenas perdoou Harry, mas o convida para ser o padrinho da criança. Isso nos leva a crer que, depois de ter refletido sobre as palavras de Harry, Lupin as achou verdadeiras e aceitou a mensagem, sem se importar que elas tenham sido dolorosas.