Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Nick Quase Sem Cabeça

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Nick-Quase-Sem-Cabeça
  • sexo = masculino
  • cabelos = desconhecido
  • olhos = desconhecido
  • família = desconhecido
  • lealdade = Albus Dumbledore

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

Sir Nicholas de Mimsy-Porpington, mais conhecido como Nick-Quase-Sem-Cabeça é o fantasma residente na Casa Gryffindor em Hogwarts. Ele foi quase decapitado em 31 de outubro de 1492, mas ele não foi decapitado corretamente, embora o machado atingisse o seu pescoço 45 vezes, a cabeça dele ficou pendurada, daí seu apelido.

Papel nos Livros[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


A Pedra Filosofal[editar | editar código-fonte]

Harry e Ron encontram Nick pela primeira vez na Festa de Boas Vindas. Ron o reconhece e diz seu nome, pela descrição feita por Fred e George. Ao perguntar por que "Quase Sem Cabeça", Nick mostra que sua cabeça é segura por apenas um tendão. Nick também diz que não come por mais ou menos uns 400 anos.

A Câmara Secreta[editar | editar código-fonte]

Retornando ao castelo ensopado e enlameado após um treino de Quadribol, Harry encontra Nick muito triste, porque recebeu uma carta de recusa dos Caçadores Sem Cabeça. (Por causa de um pedaço de pele e tendão!)

Depois de ouvir as preocupações de Harry por causa do próximo jogo de Quadribol, contra a Slytherin, Nick vê Mrs. Norris e avisa a Harry que Filch está caçando alunos. Harry tenta evitá-lo mas é pego, e levado para o escritório de Filch, onde este começa a preencher um formulário de castigo pelo “crime” de estar “imundiçando o castelo todo”. Um barulhão o distrai, e ele sai do escritório. Quando volta, Filch percebe que Harry viu alguma correspondência que estava em sua mesa, então, rapidamente o manda embora. Do lado de fora do escritório de Filch, Harry encontra Nick outra vez, que diz que convenceu Pirraça, a jogar um armário pesado na sala sobre o escritório de Filch para distraí-lo, e estava contente porque funcionou. Depois disso, ele convida Harry, Ron e Hermione para sua Festa de Aniversário de Morte, que comemora sua morte no dia 31 de outubro de 1492.

O Trio vai a festa de Nick, e acha um tanto sombria, de repente, Pirraça aborrece a Murta-Que-Geme até ela começar a chorar. Para dar um fim desagradável à noite, quando Nick começa a fazer um discurso agradecendo a todos por comparecerem, os Caçadores Sem Cabeça irrompem através das paredes e começam um jogo selvagem. Harry, Ron e Hermione saem de fininho no meio da confusão.

Assim que saem, Harry ouve uma voz. Seguindo a voz e com Ron e Hermione o seguindo, ele encontra Mrs. Norris ,petrificada e pendurada num suporte de tocha. Chamados para explicar o que faziam antes de encontrar Mrs, Norris, o Trio explica que eles estavam participando da Festa de Aniversário de Morte de Nick.

Logo antes do Natal, Harry encontra Justin Finch-Fletchley petrificado e Nick-Quase-Sem-Cabeça, preto e saindo fumaça ao invés de sua cor branca habitual, e aparentemente também inconsciente. Nick-Quase-Sem-Cabeça é levado à ala hospitalar por Ernie Macmillan usando um grande leque de ar, conjurado por Minerva McGonagall.

Com a ajuda de Hermione, apesar de estar petrificada, Harry e Ron descobrem que o monstro na Câmara Secreta era um Basilisco. Embora essa criatura possa matar com um olhar, ninguém ainda morreu porque não olhou para ele diretamente. Em especial, Justin Finch-Fletchley que olhou para ele através de Nick-Quase-Sem-Cabeça; e Nick não foi morto porque ele na verdade, já estava morto.

Embora não o tivéssemos visto na Festa de Encerramento, somos levados a crer que Nick reviveu, ao mesmo tempo que os alunos petrificados.


O Prisioneiro de Azkaban[editar | editar código-fonte]

Embora Nick não tenha um papel direto nesse livro, ele é mencionado de passagem.

O Cálice de Fogo[editar | editar código-fonte]

Na Festa de Boas Vindas, Nick conta a Harry, Ron e Hermione que quase não houve uma festa esse ano. Pirraça está chateado por não ter sido convidado para a festa, ele entrou na cozinha e estava arrumando um caos entre os elfos domésticos.

Hermione fica espantada ao descobrir que há mais de cem elfos domésticos em Hogwarts, para servir aos alunos. Dizendo que não vai se aproveitar do trabalho escravo, ela empurra seu prato para o lado e se recusa a comer.

A Ordem da Fênix[editar | editar código-fonte]

Nick já está sentado na mesa da Gryffindor quando o Trio e Neville chegam, e eles sentam perto dele. Quando o Chapéu Seletor canta sua canção, Ron pergunta se, alguma vez antes, o Chapéu já fez uma advertência. Nick diz que, com certeza, mas antes que possa completar sua explicação, ele é interrompido pelo inicio da seleção.

Assim que a Seleção termina, e a comida aparece, Hermione pede que ele complete a explicação. Nick diz que, sempre que o Chapéu sente que a escola está em perigo, ele avisa para que todas as Casas devem se unir em face ao perigo. Ron, embora esteja com a boca lotada de comida, consegue perguntar, como o Chapéu sabe que a escola está em perigo, se ele é apenas um Chapéu. Nick comenta que ele fica no escritório do Diretor, e certamente sabe o que se passa lá. Ao ver Harry, descrente de poder se aliar à Slytherin, Nick briga com ele, dizendo que os fantasmas das Casas cooperam uns com os outros. Que ele, por exemplo, não iria discutir com o Barão Sangrento. Ron sugere que Nick tem medo do Barão, Nick fica insultado e vai embora, saindo por baixo da mesa ao lado de Colin e Dennis Creevey.

Quando Harry está a caminho do Corujal para mandar uma mensagem para Sirius, no sábado depois da primeira semana de aulas, ele encontra Nick, que o avisa que Pirraça, está preparando uma surpresa para a próxima pessoa a passar sob o busto de Paracelso. Harry confirma que a surpresa envolve o busto de Paracelso caindo em cima da cabeça da pessoa, então, encontra outro caminho para ir ao Corujal. Nick nesse meio tempo, procura pelo Barão Sangrento, para ver se ele pode fazer Pirraça parar.

Depois da morte de Sirius, Harry resolve arrumar seu malão, ao invés de ir à Festa de Encerramento. Inquieto, ele sai do dormitório para andar pelos corredores. Ele vê Nick passando por uma parede acima dele e o chama, dizendo que precisa dar uma palavra. Nick fica em dúvida, mas diz que quase esperava por isso. Eles vão até uma sala vazia, e Harry pergunta a Nick se existe alguma chance de Sirius se tornar um fantasma. Nick diz que não há chance. È preciso uma certa preparação , assim como deixar negócios sem terminar e ter medo da morte, e Sirius não tinha nada disso o suficiente para querer ficar por aqui.

O Enigma do Príncipe[editar | editar código-fonte]

Quando Harry retorna à Torre da Gryffindor, logo depois de recuperar as lembranças do Professor Slughorn, a Mulher Gorda nega sua entrada. Enquanto ele está decidindo o que fazer, Nick passa por ali. Nick avisa a Harry que Dumbledore já voltou, o Barão Sangrento o viu passar, mas ele parecia cansado. Nick sugere que Dumbledore deve estar em seu escritório.


As Relíquias da Morte[editar | editar código-fonte]

Harry fica convencido que o último Horcrux que ele precisa encontrar e destruir é o diadema perdido de Rowena Ravenclaw. A Professora McGonagall disse que não havia memória de alguém vivo ter visto o diadema. Harry fica pensando em “memória de alguém vivo”, apenas serve para as pessoas vivas, e que os fantasmas estão pelo castelo há muitíssimo tempo. Nick-Quase-Sem-Cabeça está pronto para ajudar, da maneira que um fantasma puder e fica um tanto aborrecido porque Harry não quer sua ajuda, mas sim, a ajuda do fantasma da Ravenclaw. Embora esteja aborrecido, ele ajuda Harry a encontrar a Dama Cinzenta.

Pontos Fortes[editar | editar código-fonte]

Sendo um fantasma ele já está morto, e portanto não pode morrer; até mesmo o monstro da Câmara, que descobrimos ser um Basilisco, não pode matá-lo.

Pontos Fracos[editar | editar código-fonte]

Sendo um fantasma, ele tem uma habilidade limitada de interagir com o mundo comum. No entanto, ele é afetado por alguns objetos do mundo material; como foi mencionado, ele não pode ser morto pelo Basilisco, mas foi petrificado por seu olhar, e depois levado à ala hospitalar, para isso sendo usado um grande leque, indicando que ele pode ser afetado por correntes de ar. Alguém já se perguntou, se o fato de sentir correntes de ar, é a razão de tão poucos fantasmas serem encontrados do lado de fora. Assim como a Murta, Nick não gosta de ser lembrado que está morto. Enquanto a reação da Murta é explodir em lágrimas e fugir, Nick em geral, fica ofendido e procura se distanciar ao máximo de quem o ofendeu.

Relacionamentos com Outros Personagens[editar | editar código-fonte]

Nick, sendo o fantasma da Gryffindor, socializa com todos os Gryffindors. Ele parece gostar especialmente de Harry, embora também goste de conversar com Ron ou Hermione. Ele se sente facilmente ofendido por Ron, que sempre menciona o fato dele estar morto, e então, pelo menos numa ocasião, foi embora para bem longe de Ron, quando isso aconteceu. Nick tem tentado por séculos entrar num grupo especial de fantasmas, os Caçadores Sem Cabeça, mas nunca conseguiu porque sua cabeça ainda está presa ao pescoço.

Análise[editar | editar código-fonte]

De diversas maneiras, Nick-Quase-Sem-Cabeça, parece mesmo ser o estereótipo do nobre do século 15, acreditando nos direitos de nascença da nobreza, e ficando ofendido quando sua dignidade é contestada. No entanto, a verdade é que não temos como saber de que modo a nobreza do século 15 agia, de fato. Será que eles se dignariam a falar com “pessoas comuns” como os alunos de Hogwarts? O leitor comum pode não saber, mas pode acreditar que a nobreza naqueles dias sentia que era inata e imensamente superior àqueles que nasciam sem títulos. A autora teve que escolher entre o realismo histórico, e a história, e notamos que, nesse caso, como em outros, ela escolheu o que melhor se adaptaria à história. Os leitores que não acreditam que Sir Nicholas está descrito acuradamente para a era em que viveu, devem se recordar que ele está há 500 anos, observando como os modos mudaram em Hogwarts, e possivelmente tem conseguido se adaptar a esses modos, de alguma forma, para evitar ser posto de lado pela Casa onde mora.

A razão principal de Nick existir na série, parece ser a prova de que a morte não é o fim. Nick é o primeiro fantasma que encontramos na série, e portanto, é a primeira sugestão de que alguma forma de vida depois da morte pode existir.

Aprendemos com o Professor Snape, que um fantasma é “ a impressão de uma alma que partiu, deixada na Terra”, e Nick, no quinto livro, dirá que “os bruxos podem deixar sua impressão na Terra, para caminhar vagamente onde seus corpos andaram alguma vez.” Notamos a implicação de que, a alma propriamente já partiu, mas a impressão dessa alma permanece, e sugere que um mecanismo similar, pode animar os quadros e fotografias no mundo mágico.

No entanto, a existência da alma sendo um fato comprovado no mundo mágico, é sem dúvida, um meio de conforto para Harry logo após a morte de seus pais, e provavelmente pelo menos lhe traz algum conforto. Nick, nos primeiros quatro livros, é uma manifestação concreta da existência da alma, e mostra a Harry e ao leitor, essa crença antes de ouvirmos mais sobre ela.

No livro cinco, como mencionado, aprendemos que Nick não é uma verdadeira alma, mas, é uma impressão da alma que partiu. A autora, numa entrevista, afirmou que os livros se tornam mais preocupados com a morte, depois da morte de sua mãe. Pode bem ser, que para aceitar a morte da mãe, a autora tenha decidido que deixar uma alma presa a algum lugar, mesmo que seja um lugar enorme como a Terra, seria um destino pior do que a morte, portanto ela alterou a descrição dos fantasmas. Como Nick explicou, entendemos que a alma verdadeira do bruxo já partiu.

Duas coisas a respeito de Nick que fizeram os leitores pensarem: No primeiro livro, ele diz a Harry que não come há 400 anos; no segundo livro, ele convida Harry para a comemoração de seu aniversário de 500 anos de morte. Como não existe um espaço de 100 anos na vida de Harry, nessa altura, temos que achar que, ou Nick contou errado, ou a autora fez um pequeno erro. De fato, a autora, nas edições posteriores, corrigiu o número. No livro dois, Nick é atacado pelo monstro da Câmara, e “não está mais branco perolado e transparente, mas preto e fumacento , flutuando imóvel na horizontal.” Depois, vamos saber que uma poção restauradora baseada em Mandrágora, recupera aqueles que foram petrificados pelo monstro. Isso deixa em aberto uma pergunta, como se pode administrar uma poção restauradora para um fantasma? Essa pergunta nunca foi respondida por completo. Também é necessário comentar os detalhes sobre a morte de Nick. Temos que entender que a figura de um fantasma, toma a forma do corpo que ele tinha no momento de sua morte. Mesmo com risco de sermos macabros, existem algumas notas do tempo da Revolução Francesa, de que cabeças cortadas pareciam continuar a reagir, embora por pouco tempo, de maneira viva. Portanto, os todos os membros dos Caçadores Sem Cabeça, são pessoas que morreram depois que suas cabeças foram cortadas. Um machado de carrasco é pesado, e usado com força normal sobre o pescoço, vai cortar a espinha dorsal e a morte chegará rapidamente; podemos acreditar que Nick tenha morrido pouquíssimos segundos depois da primeira machadada. Se isso ocorreu, de fato, se ele levou 45 machadadas, todas exceto, talvez as primeiras cinco, foram depois da morte. E, com certeza apenas uma, das primeiras deve ter cortado sua cabeça.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]