Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Molly Weasley

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Molly Weasley
  • sexo = Feminino
  • cabelos = Vermelhos
  • olhos = Castanhos
  • família =irmãos – Gideon Prewett e Fabian Prewett
    marido – Arthur Weasley
    filhos – Bill, Charlie, Percy, Fred, George, Ron e Ginny
  • lealdade = Albus Dumbledore


Visão Geral[editar | editar código-fonte]

Molly Weasley (née Prewett) é a esposa de Arthur Weasley, de acordo com a autora no website, ela nasceu em 30 de outubro.

Papel nos Livros[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


A Pedra Filosofal[editar | editar código-fonte]

Na Estação de King´s Cross, Molly Weasley ajuda um garoto com ar perdido, Harry, mostrando a ele como passar na Plataforma 9 e ¾. Depois que as crianças já estão a bordo do trem, Fred e George retornam à Plataforma para contar que, o “garoto de cabelos pretos” é o famoso Harry Potter. Ginny pede a sua mãe para entrar no trem para vê-lo, mas Molly recusa, dizendo que Harry não deve ser observado como um animal no zoológico.

Mrs. Weasley prepara alguns presentes de Natal para Harry. Simples como eles mesmos, ela manda um suéter e alguns doces, esses são os primeiros presentes de Natal verdadeiros que Harry algum dia ganhou. Molly recebe os filhos na estação quando retornam de Hogwarts, e fala rapidamente com Harry. Ela parece um tanto incomodada pela secura com que Vernon Dursley recebe Harry.

A Câmara Secreta[editar | editar código-fonte]

Quando Harry, Ron e os gêmeos chegam à Toca no Ford Anglia voador de Mr. Weasley, Molly está aguardando, para a decepção de Ron e dos gêmeos; eles estavam planejando se esgueirar, libertar Harry e voltar antes que ela acordasse. Ela zanga com os três filhos, mas recebe Harry com carinho, e lhe dá linguiças extras, depois de ouvir que os Dursleys estavam matando ele de fome. Como castigo, Ron e os gêmeos tem que desgnomizar o jardim. Embora ele estivesse dispensado, Harry nunca tinha visto uma desgnomização e quer participar. Mrs. Weasley consulta o livro de Gilderoy Lockhart “Guia de Pragas Domésticas”, para saber a melhor maneira de remover os gnomos, embora Fred diga que eles sabem como desgnomizar um jardim; George sugere que sua mãe é fã de Lockhart.

Quando Mr. Weasley chega em casa, Molly informa que os gêmeos pegaram seu carro e voaram até Londres. Arthur imediatamente pergunta como foi, mas vendo o rosto zangado de Molly, muda de tom e diz que eles se comportaram mal.

A lista de materiais de Hogwarts chega e tem muitos livros de Gilderoy Lockhart. George comenta sobre os preços, mas Molly, embora preocupada, diz a ele que vão resolver. Quando Hermione manda uma coruja sugerindo que eles se encontrem no Beco Diagonal, Molly concorda e eles marcam uma data para as compras da escola.

A família viaja até o Beco Diagonal usando o Pó de Flu. Como Harry nunca viajou dessa forma, Molly manda Ron ir primeiro. Mesmo achando que pode não ser muito seguro, Harry vai em seguida, chegando na lareira errada – o Pó de Flu permite viagens entre lareiras mágicas. Molly fica nervosa e divide sua turma para procurar Harry no Beco Diagonal, torcendo para que ele tenha ido apenas poucas lareiras distante. Ela fica aliviada quando vê Hagrid com Harry ao lado, tendo encontrado o garoto na Travessa do Tranco. Ela acaricia Harry e dispensa as perguntas dos gêmeos sobre a Travessa do Tranco, lembrando que eles não podem ir até lá.

No Banco Gringotes, Harry observa como tem pouco dinheiro no cofre dos Weasley, ao mesmo tempo, em que fica bastante consciente de que existem muitos Galeões e Sickes no seu; Molly checa com cuidado os quatro cantos do cofre, para ver se não ficou nenhuma moeda perdida, depois junta tudo e põe em sua carteira. Uma vez do lado de fora, Molly sugere que o grupo de espalhe para fazer as compras.

Molly é vista de novo na Floreios e Borrões, esperando na fila pelo autógrafo de Gilderoy Lockhart. Quando surge uma discussão entre Mr. Weasley e Lucius Malfoy, que se torna física e é separada por Hagrid, Molly fica envergonhada. Ela continua a zangar com seu marido, mesmo depois dos gêmeos dizerem a ela, que Lockhart não se aborreceu, e apenas gostaria que a briga pudesse servir para chamar mais atenção para si mesmo.

A família viaja para a Estação King´s Cross, no Ford Anglia voador de Mr. Weasley, embora que, sendo dia claro, o carro fique no chão. Molly fica encantada como os Trouxas são habilidosos, uma vez que por dentro, o carro seja muito maior do que pelo lado de fora; Harry, Ron e Hermione, no entanto, entendem que Mr. Weasley usou algum outro feitiço ilegal no carro.

Sem conseguir passar pela barreira da Plataforma 9 e ¾, Harry e Ron, ficam histéricos para não perder o trem e resolvem voar no carro até Hogwarts. Acontece que é dia e os Trouxas os veem, o Profeta Diário relata sua aventura. Furiosa Molly manda um Berrador até Hogwarts dando a maior bronca em Ron, durante o café da manhã no Grande Salão.

É Natal, e novamente Molly manda para Harry um suéter feito por ela, e doces, de presente. Ron não liga muito para seu suéter, mas Harry, adora o seu, afinal ainda é novidade para ele, ganhar presentes.

Quando Ginny é levada para a Câmara Secreta, Harry, com a ajuda de Fawkes, a Fênix de Dumbledore a resgata. Fawkes os leva até o escritório da Professora McGonagall, onde ela, o Professor Dumbledore, Molly e Arthur Weasley estão aguardando. Molly agarra Ginny num abraço, depois Harry e Ron, aparentemente aliviada demais para falar. Os pais levam Ginny para a ala hospitalar, e embora não os vejamos, presumivelmente eles ficaram para a festa de comemoração.

Molly está presente na Estação de King´s Cross quando o Expresso de Hogwarts chega a Londres, e novamente ela fica chocada com a falta de gentileza de tio Vernon para com Harry.

O Prisioneiro de Azkaban[editar | editar código-fonte]

Molly Weasley reaparece na história um dia antes do Expresso de Hogwarts sair para a escola. Harry estava no Caldeirão Furado, no Beco Diagonal, depois da confusão com os Dursleys. Então, ele se junta a Ron e Hermione para comprar os materiais escolares. Arthur, Molly, Ginny, Fred, George e Percy estão lá e também no Caldeirão Furado. Molly não conseguia segurar os gêmeos, que estavam zombando de Percy, imitando suas maneiras formais, tão exageradas, depois de ter se tornado monitor. Mais tarde, quando Harry procura no salão pelo tônico do rato de Ron, ele ouve Arthur e Molly conversando no comodo ao lado, sobre ele e alguém chamado Sirius Black, um bruxo que fugiu recentemente de Azkaban. Black poderia estar indo para Hogwarts para matar Harry. Arthur acha que Harry deveria saber, enquanto Molly discorda completamente.

Na plataforma da estação, no dia seguinte, Arthur puxa Harry para o lado, para avisá-lo sobre Black, embora Harry explique que ouviu a conversa deles. Quando Arthur faz com que ele prometa que não vai atrás de Black, Harry fica pensando porque faria isso, mas o trem parte antes que ele pudesse responder.

Novamente é Natal e ele ganha de Molly outro suéter feito a mão e diversas gulodices de presente; dessa vez o suéter é vermelho forte com o leão da Gryffindor bordado.

Finalmente, Molly recebe o pessoal que chega na Estação King´s Cross, na volta de Hogwarts; novamente ela fica amolada como tio Vernon pode ser tão seco com Harry.

O Cálice de Fogo[editar | editar código-fonte]

Molly volta à nossa história através de uma carta que ela envia pelo correio Trouxa. O envelope está totalmente coberto de selos, fazendo com que o carteiro fique curioso. Previsivelmente, tio Vernon fica irado porque “essas coisas de Harry” chamaram atenção para a casa dos Dursleys. A carta de Molly convida Harry para assistir a Copa do Mundo de Quadribol, com a família Weasley e ficar na Toca até que as aulas recomecem. Harry convence tio Vernon a deixa-lo ir. .

Enquanto estão juntando as coisas de Harry, Fred e George conspiram para jogar uns caramelos incha-língua na sala de estar dos Dursleys; Dudley come um, fazendo sua língua ficar enorme. De volta à Toca, o pai dá-lhes a maior bronca, dizendo que pegadinhas como essa estragam o relacionamento entre os bruxos e os Trouxas. Quando ele ameaça contar a mãe deles, Molly aparece falando, “então conte, querido?” Embora Arthur tente voltar atrás, e a despeito dos esforços de Fred e George para escapar, Molly grita com eles furiosa. Ela também encontrou uma pilha de formulários da Weasleys' Wizard Wheezes (o negócio de brincadeiras mágicas que eles estão desenvolvendo), e fica aborrecida, porque eles estão perdendo tempo com brincadeiras mágicas, ao invés de estarem se preparando para uma carreira “real”.

Mais tarde vemos Molly preparando o jantar, ainda zangada com os gêmeos. Harry e Ron precisam dar um pulo para o lado, quando uma gaveta se abre violentamente, as facas voam para fora e começam a cortar os vegetais. Para aumentar a fúria de Molly, quando ela pega uma varinha, é uma de brincadeira, que vira um enorme rato de borracha quando ela vai usar. Ron e Harry fogem rapidamente, para ajudar Bill e Charlie a arrumar as mesas no jardim. No jantar, Molly reclama com Bill sobre seu cabelo longo e critica seu colar com um canino. Depois ela manda todos para a cama, lembrando a eles que vão ter que levantar muito cedo para ir à Copa. Pela manhã, Ron, Harry, Fred e George encontram Molly na cozinha preparando o café da manhã. Ela, mal humorada avisa aos gêmeos que eles não podem aparatar para a Copa, como Percy, Bill e Charlie, eles são menores de idade e ainda não passaram no teste de Aparatação. Quando o grupo está saindo, ela pergunta se os gêmeos estão levando alguma coisa do Weasleys' Wizard Wheezes; eles negam mas, mesmo assim ela lança o feitiço Accio e pega todos os caramelos que eles estavam escondendo. Os gêmeos partem em silêncio, sem olhar para trás.

As rebeliões na Copa do Mundo saem no Profeta Diário, e deixam Molly nervosa, pensando se sua família pode ter se ferido. Ela fica aliviada quando a turma volta para casa na manhã seguinte, abraçando todo mundo e dizendo que teve medo, de que as suas últimas palavras para os gêmeos, tenham sido broncas por causa de suas brincadeiras mágicas e as notas baixas nos N.O.M.s.

Quando Arthur comenta que ele foi mencionado no artigo do jornal, Molly diz que não viu seu nome, senão já saberia que ele estava bem. Mr. Weasley não foi identificado pelo nome, mas foi chamado de “um porta voz do Ministério”, tornando a situação ainda pior. Quando ele resolve ir ao escritório para resolver as coisas, Molly protesta porque ele está de férias, mas não adianta nada.

O resto do verão passa. Arthur e Percy passam todo o tempo no escritório, inclusive os fins de semana, lidando com as consequências da rebelião. Molly, vendo Fred e George debruçados sobre um pergaminho, quer saber do que se trata. Eles dizem que é dever, ela não acredita, suspeitando de outros formulários. Fred, com cara de infeliz, pergunta, se o Expresso de Hogwarts sofresse um acidente amanhã, ela gostaria que suas últimas palavras para eles fossem uma acusação infundada?

Enquanto Harry e Ron arrumam os malões da escola, Ron encontra uma horrível veste de babados entre suas vestes. Ao perguntar o que é aquilo, Molly diz a ele que é “sua veste formal”, uma exigência da escola para esse ano. Aquela foi a melhor de segunda mão que ela conseguiu. No entanto, para Harry, Molly comprou vestes formais novas sem babados, e de uma cor que combinava com olhos dele. Molly explica que Harry tinha dinheiro para comprar vestes novas, enquanto que eles, não tinham. Depois que Molly sai, Ron se queixa amargamente sobre a pobreza de sua família.

Na manhã seguinte Molly chama Arthur na cozinha, por causa de uma chamada urgente via Rede do Flu. Depois que Arthur termina de falar com Amos Diggory, cuja cabeça estava flutuando na lareira, Molly oferece torradas a Amos. Ele aceita e parte.

Molly, Bill e Charlie acompanham os gêmeos, Harry, Ron e Ginny até Londres em três taxis Trouxas, que Molly tomou coragem de pedir ao correio Trouxa para chamar. Chegando à plataforma, parece que ela sabe sobre um evento secreto que vai acontecer na escola; mas, como Bill e Charlie, se recusa a contar. E antes que o trem sumisse da vista na plataforma, os três já tinham desaparatado.

Depois da Primeira Tarefa do Torneio Tribruxo, Charlie dá parabéns a Harry pela vitória, depois diz que precisa mandar uma coruja para Molly e contar o que Harry fez.

No Natal, Molly manda outra suéter feita a mão para Harry, dessa vez verde com um dragão na frente, e uma grande quantidade de tortas. Mais tarde, no Baile de Inverno, Harry está falando com Percy, quando vê os gêmeos pararem Ludo Bagman. Ludo, mais tarde, diz que os gêmeos queriam conselhos sobre propaganda; Harry tem certeza de que Percy vai contar tudo para sua mãe.

Um artigo de Rita Skeeter aparece no Semanário das Bruxas, logo depois da Segunda Tarefa. Skeeter sugere que Hermione está brincando com os sentimentos de Harry e de Viktor Krum. Na Páscoa, Molly manda ovos de chocolate; os de Ron e Harry são do tamanho de ovos de avestruz, cheios de balas, enquanto o de Hermione é do tamanho de um ovo de galinha. Ron conta para Hermione que sua mãe lê o Semanário das Bruxas.

Logo depois do bizarro desaparecimento de Mr. Crouch e de sua reaparição em Hogwarts, Harry, Ron e Hermione vão até o Corujal para mandar uma carta para Sirius, descrevendo o ocorrido. Eles são interrompidos pelos gêmeos, que chegam discutindo se a carta que vão enviar pode parecer chantagem; eles ficam em silêncio ao ver o Trio. Quando eles saem, Ron comenta que os gêmeos querem de fato, abrir uma loja de logros, eles não estão fazendo isso para aborrecer a mãe deles.

No dia da Terceira Tarefa, a Professora McGonagall diz a Harry, no café da manhã, que os Campeões estão se reunindo com as famílias ao lado do Grande Salão. Harry, sabendo que os Dursley não estarão lá, fica no mesmo lugar, até que Cedric, o outro Campeão de Hogwarts o chama. Entrando na sala, ele encontra Molly e Bill. Amos Diggory também está presente e está aborrecido porque o artigo de Rita Skeeter fala apenas de Harry como Campeão de Hogwarts. Molly então comenta com ele, que Rita Skeeter escreve histórias deliberadamente para criar confusão, mas isso não o acalma. Harry passa a manhã acompanhando Bill e Molly pelos terrenos de Hogwarts, enquanto Molly comenta sobre o tempo que passou na escola. Na hora do almoço, Molly está fria com Hermione, até que Harry explica que a garota não é sua namorada. Molly talvez, lembrando seus próprios comentários sobre Rita Skeeter, se torna mais amigável com Hermione. Hermione, nesse meio tempo, está suspeitando de Skeeter e tem investigado seus métodos de saber de tudo. Mas, ela não pode contar a Harry o que descobriu enquanto Molly e Bill estiverem presentes.

Depois de Harry sair do labirinto, de seu encontro com o Professor Moody, de ver Barty Crouch Jr. desmascarado e de ser questionado por Dumbledore, Harry é levado para a ala hospitalar. Molly, Bill, Ron e Hermione estavam lá perguntando a Madam Pomfrey onde Harry estava. Quando Harry chega com Dumbledore, Molly imediatamente o abraça para confortá-lo. Dumbledore pede que deixem as perguntas para o dia seguinte, porque Harry precisa dormir. Na manhã seguinte, Molly ainda está ao lado da cama de Harry, quando a Professora McGonagall chega com Cornelius Fudge, que deseja interrogar Harry e dar a ele o prêmio do Torneio. Depois que Fudge sai, furioso com a insistência de Harry e Dumbledore afirmarem que Lord Voldemort voltou, Dumbledore pergunta a Molly se ele pode contar com ela e com Arthur. Ela afirma que sim, ele pode, e Bill sai imediatamente, para falar com seu pai. Molly fica chocada e assustada quando o grande cão negro, que tinha ficado a noite toda ao lado da cama de Harry, se transforma em Sirius Black. Depois de mandar Sirius e Snape para suas respectivas missões, Dumbledore diz a Harry para beber a poção do sono, e o deixa com Ron, Hermione e Molly. Quando Harry quer devolver o prêmio do Torneio dizendo que não mereceu, Molly diz a ele para não se preocupar com isso. Um barulhão na janela interrompe o que ela estava dizendo, e Hermione pede desculpas pelo barulho, mas não explica o que estava fazendo.

Ron, mais tarde conta a Harry que sua mãe pediu a Dumbledore para Harry passar o verão inteiro na Toca, mas Dumbledore insistiu em que Harry precisa retornar à Rua dos Alfeneiros. Embora não tenha nenhuma explicação para isso, Ron diz que Dumbledore deve ter seus motivos.

Vemos Molly novamente, muito rápido, na Estação King´s Cross, mas ela só tem tempo trocar poucas palavras com Harry, antes que tio Vernon o arraste embora.

A Ordem da Fênix[editar | editar código-fonte]

Quando Harry é levado ao Number 12, Grimmauld Place, depois do ataque dos dementadores, Molly o recebe no hall de entrada. Pedindo para ele ficar quieto, ela manda que ele suba enquanto os adultos vão se reunir, Ron e Hermione já estão lá, e Fred, George e Ginny logo irão se juntar a eles. Embora já estivessem no quartel general da Ordem da Fênix, os Weasleys e Hermione não sabem muito mais do que Harry, sobre o que está acontecendo com Voldemort. Fred e George mostram sua nova invenção, as orelhas extensíveis. Eles já tinham ouvido os encontros e outras conversas com as “orelhas”, mas sua mãe destrói as “orelhas” sempre que as vê. Os Weasleys avisam Harry para evitar mencionar Percy, que se afastou da família. O pai deles derruba o que estiver segurando e a mãe desata a chorar quando o nome dele é mencionado.

Depois do encontro, Molly leva todos para o jantar, e pede para arrumarem a mesa, embora ela resista a oferta de Harry para ajudar, dizendo a ele para descansar da viagem. Os gêmeos tentando ser úteis, enfeitiçam uma enorme panela de caldo, o pão e a faca, além de uma jarra de cerveja amanteigada até a mesa. Mundungus Fletcher, Sirius, Harry, Ron, Bill, Hermione e Ginny têm que se abaixar para fugir do jantar descontrolado, enquanto Sirius se afasta da mesa, mal evitando que a faca de pão acerte sua mão. Molly dá a bronca nos gêmeos por usarem magia para tudo, mesmo agora que já têm idade.

Depois do jantar, Sirius sugere que Harry pergunte o que quiser sobre a Ordem; Molly não concorda, dizendo que Harry é muito jovem, e afirma que Sirius está confundindo Harry com seu pai. Embora ela defendido seu ponto de vista com toda teimosia, ninguém concorda; Sirius, Lupin e mesmo Arthur sentem que Harry tem direito de saber. Decidindo de outra forma, Molly quer que os gêmeos, Ron e Hermione saiam, mas Harry diz que ele vai contar tudo o que souber para eles; os gêmeos já são maiores de idade e podem ficar. Derrotada em todos os argumentos, Molly carrega uma Ginny gritando em protesto, para cama.

Retornando à cozinha, Molly permanece quieta até que Sirius mencione que Voldemort está procurando uma arma. Ela interrompe dizendo que é informação demais. Lupin concorda e os mais novos são mandados para cama no andar de cima. Os gêmeos se reúnem no quarto de Ron e Harry para discutir o que descobriram; mas, ouvindo Molly se aproximar, eles rapidamente aparatam para seu quarto. Um Harry, exausto, dorme antes mesmo que ela passe de novo em seu quarto indo para o andar de baixo.

Na manhã seguinte, Molly deixa Harry dormindo, mas coloca seus filhos para trabalhar e tornar Grimmauld Place habitável. Quando Harry levanta, encontra Molly e os filhos na sala de estar. Ela diz a Harry para pegar uma máscara e um spray; eles estão usando Doxycida para acabar com as Fadas Mordentes (Doxies), que infestaram as cortinas. Ela tem o antídoto para o veneno delas mas espera não precisar. Fred e George enfiam alguns ovos das Fadas Mordentes nos bolsos; George explica a Harry que são ingredientes para algumas de suas criações para a loja. Quando a campainha toca, Molly atende. Olhando pela janela, Hermione vê Mundungus Fletcher carregando caldeirões, e Harry pode ouvir, tanto Molly quanto o retrato de Walburga Black gritando no hall de entrada. Quando Molly retorna com sanduíches, ela ainda está furiosa com Mundungus e sua tentativa de usar o quartel general para guardar suas mercadorias roubadas. Nos dias seguintes, Molly coloca as crianças para limparem Grimmauld Place. Quando Ron se queixa que ele queria fazer algo de útil para a Ordem, sua mãe diz que tornar o quartel general limpo, é, com certeza muito útil. Fazendo a limpeza, eles encontram coisas de artes das trevas, algumas das quais os gêmeos escondem, quando a mãe deles está distraída.


Na hora do jantar, Molly relembra a Harry que ele precisa acordar cedo para a audiência no Ministério da Magia. Arthur irá acompanha-lo, como o Professor Dumbledore pediu, embora Harry estivesse chateado porque Dumbledore estava no quartel general e não falou com ele. Molly afirma que ele não terá problemas na audiência, mas Harry percebe que sua expressão é preocupada. Ela ainda parece preocupada quando Harry se prepara para ir ao Ministério na manhã seguinte. Ela insiste com Harry para comer algo no café da manhã, mas ele está muito nervoso e não tem apetite. Molly fica aliviada quando Harry retorna satisfeito porque foi absolvido, Fred, George e Ginny fazem a dança da vitória e isso deixa Molly louca ao ponto de gritar para eles ficarem quietos.

A lista de livros para Hogwarts chega finalmente, e Hermione e Ron foram escolhidos como monitores. Molly fica feliz porque Ron recebeu tamanha honra, e quer comprar algo de presente para ele – Percy ganhou uma coruja, mas Ron já tem uma. Ron gostaria de uma vassoura nova, mas Molly diz que é muito caro, mas depois concorda e eles se preparam para ir ao Beco Diagonal. Nessa noite, Molly faz uma festa para Ron e Hermione em homenagem ao titulo de monitores. “Olho-Tonto” Moody está presente, e Molly pede para ele usar seu olho mágico, para inspecionar a escrivaninha e ver se é um bicho-papão que está lá ou algo mais perigoso. Moody confirma que é um bicho-papão, e Molly vai lidar com ele sozinha. Mais tarde, Harry passa na sala de estar a caminho da cama, e vê Ron morto no chão. Ele ouve Molly chorosa, conjurando Riddikulus, e o Ron, morto, vira Arthur morto. Percebendo que é o bicho-papão, Harry vê ele virar, rapidamente os outros Weasleys mortos, e depois ele próprio. Lupin chega e despacha o bicho-papão, depois conforta Molly. Harry segue para o quarto, tendo a certeza de que sua própria morte é uma possibilidade mais concreta, e está dentre os piores medos de Molly.

Quando eles seguem para a escola, no dia seguinte, Molly está furiosa com os gêmeos, que enfeitiçaram seus malões para voar escada abaixo, machucando Ginny. Molly cuida dela mas, depois fica exasperada quando Sirius insiste em ir à Estação em sua forma de cachorro Animago. Ela acaba concordando, mas passa a viagem toda avisando a Sirius para se comportar como cachorro. Eles se despedem na plataforma.

Na próxima situação, Molly não é vista, mas sua presença é sentida, quando Hermione, irritada porque Fred e George estão testando as Fantasias Debilitantes nos alunos do primeiro ano, ameaça contar à sua mãe. Isso é a melhor maneira de controlar os gêmeos, do que qualquer coisa que ela possa fazer como monitora.

Depois que Hermione prepara o primeiro encontro da Armada de Dumbledore, Sirius transmite uma mensagem de Molly para Ron, proibindo o filho de ir, e pede que Harry e Hermione façam o mesmo.

Pouco antes do Natal, Harry tem uma visão de Arthur sendo atacado por uma cobra. Depois de confirmar que a visão é real, Dumbledore prepara tudo para enviar Harry e os Weasleys para Grimmauld Place. McGonagall pergunta se deve contactar Molly, mas Dumbledore diz que isso é trabalho para Fawkes, embora Molly já deva saber, por causa do relógio excepcional na Toca, que indica onde cada Weasley está. Logo depois que a turma chega a Grimmauld Place, Molly avisa que Arthur está seriamente ferido mas, ainda vivo. Isso não ajuda muito a acalmar seus filhos e Harry, no entanto. Quando Molly chega a Grimmauld Place as 5:00 da manhã, ela assegura a todos, que Arthur está dormindo tranquilamente. Harry, se sentindo de alguma forma participante no ataque, imagina se será bem vindo lá, mas Molly diz que Harry, dando o alarme, salvou a vida de seu marido. Mais tarde, nesse mesmo dia, a família inteira, escoltada por “Olho-Tonto” Moody e Tonks, visitam Arthur no hospital. Os adultos discutem particularmente, os acontecimentos que levaram ao aviso de Harry, no entanto, Harry e os outros ouvem tudo com as orelhas extensíveis. Moody sugere que Harry poderia estar possuído por Voldemort.


Harry, com medo de que Voldemort o estivesse possuindo, se isola em seu quarto; Molly manda sanduíches quando ele não aparece na hora das refeições. Depois que Ginny o convence que ele não está possuído, ele se reúne com os outros para os arranjos de Natal.

No dia de Natal, Molly está chorando porque o suéter que ela tricotou para Percy foi enviado de volta sem ter sido aberto. Mais tarde, nesse mesmo dia, Mundungus Fletcher leva a família Weasley, com Harry, Hermione, Moody e Lupin até o hospital. Lá, Arthur pergunta se eles viram sua curandeira. Molly, reparando que seu curativo foi trocado, quer saber o que está acontecendo. Os gêmeos, sentindo as nuvens de tempestade, se mandam para a lanchonete. Arthur, tímido, comenta que a aprendiz de curandeira estava experimentando técnicas de cura dos Trouxas, uma coisa chamada “pontos”. Molly diz que isso parecia costura, e que nem mesmo Arthur, seria estúpido o bastante para tentar tal coisa. Harry e Ron sentindo também, uma explosão muito próxima decidem fugir para a lanchonete e se mandam com Hermione e Ginny.

O Professor Snape visita Grimmauld Place, informando que Harry, que vai estudar Oclumencia com ele. Sirius e Snape começam a discutir e isso acaba com os dois de varinhas em punho. Harry fica entre os dois, tentando impedir um duelo, quando Arthur e Molly e os filhos chegam do hospital. Arthur está totalmente recuperado.

Molly não vai junto com Harry, Hermione e seus filhos no Nôitebus, que os leva de volta para Hogwarts depois do Natal, ela fica no quartel general.

Quando Fred e George abandonam a escola de uma vez, Ron fica preocupado que sua mãe possa culpá-lo por isso. Harry diz a ele que isso é loucura, mas Ron fala que sua mãe de alguma forma, acha que ele, sendo monitor, tem o poder de controlar os gêmeos, e poderia tê-los impedido.

Molly, junto com Arthur, Fred, George, Lupin, Tonks e Moody, estão na estação quando o Expresso de Hogwarts chega a Londres com Harry, Ron, Hermione e Ginny. A turma toda enfrenta a tia, o tio de Harry e seu primo, avisando que exigem que os Dursleys tratem Harry muito bem durante o verão.

O Enigma do Príncipe[editar | editar código-fonte]

Depois de quinze dias, o Professor Dumbledore apanha Harry na casa dos Dursleys e aparata com ele, lado a lado, até uma pequena vila, onde vai procurar um novo professor, depois vão para a Toca. Já passa da meia noite, mas Molly ainda está de pé, esperando, na cozinha, Arthur chegar em casa. Ela está conversando com Tonks, que parece deprimida. Depois que Tonks e Dumbledore vão embora, Molly diz a Harry que Arthur foi promovido, e agora ele é o Chefe da Seção para Detecção e Confisco de Feitiços Defensivos e Objetos de Proteção Forjados. Essa promoção melhorou muito as finanças da família. Quando Arthur chega, ele insiste em usar a técnica recomendada pelo Ministério. É uma verificação, perguntas para comprovar as identidades deles, antes de permitir que ela abra a porta. Molly fica extremamente embaraçada pelas perguntas íntimas, especialmente porque Harry está ouvindo. Uma vez que Arthur entra em casa, conta o que ocorreu durante seu trabalho. Harry está cansado mas interessado, só que não consegue segurar o bocejo; Molly então o manda para cama.

Na manhã seguinte, Fleur Delacour leva o café da manhã de Harry, com Molly resmungando atrás dela. Fleur com seu jeito teatral de ser, anuncia que ela e Bill estão noivos, e depois vai embora. Ginny, Hermione e Molly comentam que Fleur é muito exibida e não imaginam o que Bill viu nela. Ginny a chama de “fleuma”, o que faz Harry e Hermione rirem, embora Molly desaprove. Depois que Molly sai, Harry comenta como Tonks parece triste. Ron comenta que sua mãe está sempre convidando Tonks, provavelmente esperando que ela e Bill gostassem um do outro. Mais tarde, quando Harry vai até a cozinha, encontra Molly aparentemente ignorando Fleur, que comenta sobre os planos para seu casamento.

No dia seguinte ao aniversário de Harry, chega a lista de livros de Hogwarts. Um dia depois, Ron, Ginny, Harry e Hermione, junto com Molly e Arthur vão ao Beco Diagonal. Chegando ao Caldeirão Furado, eles encontram Hagrid, que está ajudando a protegê-los. No Beco Diagonal, Arthur fica aborrecido com os vendedores que ofereciam amuletos anti-artes das trevas e feitiços, dizendo que se ele estivesse a trabalho iria correr com eles. Molly diz a ele para se acalmar. Ginny vai com o pai e a mãe na Floreios e Borrões procurar os livros escolares, enquanto Ron, Harry e Hermione vão à loja Madam Malkin com Hagrid. Os dois grupos se reúnem para visitar a nova loja de Fred e George, e Molly fica espantada com a vitrine berrante que zomba de Voldemort. Dentro da loja, Harry vê Draco Malfoy e, debaixo da Capa da Invisibilidade, ele, Ron e Hermione o seguem até a Travessa do Tranco, ouvindo a transação que ele está fazendo na Borgin & Burkes. Retornando à loja dos gêmeos, eles contam a Molly, que estava preocupada, que eles estavam nos fundos da loja.

No dia anterior da partida para Hogwarts, Molly quer que eles arrumem tudo até a noite, para evitar a confusão da manhã de correr para embarcar. Para sua proteção, o Ministério vai enviar os carros. Na manhã seguinte, espantosamente, todos estão prontos a tempo, e chegam na estação com tudo em ordem. Enquanto Molly se despede de todos, Harry puxa Arthur de lado, e conta a ele sobre Draco, dizendo que devem dar uma busca na Mansão Malfoy novamente. De volta à plataforma, ele recebe um abraço de Molly antes de embarcar no trem.

Harry passa o Natal na Toca. Ele e Ron estão descascando brotos na mão, porque, Molly acha que Ron precisa compreender como os Trouxas vivem, fazendo os trabalhos a mão; Harry se juntou a ele para colaborar, e para conversar em particular sobre o que está acontecendo na escola. Molly entra na cozinha enquanto Fred e George estão lá, explicando aonde todos vão dormir; com Bill e Fleur na casa, assim como Lupin, está bem cheia a Toca. Percy ainda está afastado da família, e não é esperado para o Natal.

Na véspera do Natal, a família se reúne na sala de estar. O rádio está tocando uma seleção da cantora favorita de Molly, Celestina Warbeck, que Fleur evidentemente não gosta e fica tentando falar alto para atrapalhar. Uma pequena batalha ocorre, quando Molly vai aumentando o volume do rádio, enquanto Fleur aumenta o tom de voz em resposta. Quando a música acaba, Fleur zomba, e Arthur e Lupin, usam isso como sinal para dar a noite por encerrada, mandando todo mundo para a cama. No jantar de Natal, o grupo conversa, entre outras coisas, sobre o fato de Tonks ter sido convidada, mas aparentemente resolveu passar o Natal sozinha. Molly culpa Bill pela ausência dela, confirmando o que Ron já tinha dito, que o desejo dela era que Bill e Tonks ficassem juntos, nos levando a crer que a ausência de Tonks é porque Fleur está presente. Todos ficam espantados quando Percy chega na porta, acompanhado do Ministro da Magia, Rufus Scrimgeour. Percy, sem expressão, deseja Feliz Natal a todos. Molly corre para abraçá-lo, mas, ele não retribui o abraço. Scrimgeour leva Harry para o lado, com a desculpa de permitir privacidade para a família, mas, na verdade, é enganação, o que Scrimgeour quer, é recrutar Harry para o lado do Ministério. A reunião termina com Percy saindo rapidamente, todo sujo de creme de pastinaca (raiz usada na Grã Bretanha), que Fred, George e Ginny, todos fazem questão do crédito de ter tacado nele, e Molly chorando.

Quando Ron é acidentalmente envenenado em seu aniversário, Arthur e Molly são chamados à escola. Chegando na ala hospitalar, eles agradecem efusivamente a Harry, por salvar outro Weasley. Harry envergonhado, sai rapidamente da ala hospitalar, com Hermione e Hagrid.

No final, Bill está de sentinela em Hogwarts quando acontece a Batalha na Torre de Astronomia. Ele fica muito ferido por Fenrir Greyback, um perverso lobisomem. Como Fenrir não está transformado, provavelmente Bill não vai se tornar lobisomem, mas Madam Pomfrey diz que o rosto dele ficará com uma terrível cicatriz. Todos crêem que Fleur vai perder o interesse por Bill, mas quando a moça ouve isso, ela fica zangada e ofendida, porque Molly acha que ela só se interessa pela aparência de Bill; Fleur afirma que ela é bonita o bastante para os dois, e que o casamento continua marcado. Ela pede licença a Molly e passa a cuidar de Bill. Molly fica surpresa pela reação de Fleur, então sugere, com jeito, que a tiara feita pelos goblins, de tia Muriel ficará linda sobre os cabelos de Fleur. Ela se oferece para pegar a tiara emprestada, e Fleur aceita. Antes que Harry possa entender o que está acontecendo, as duas mulheres estão chorando e se abraçando.

Nós não vemos Molly novamente, mas é certo que ela tenha ficado em Hogwarts para o funeral de Dumbledore.

As Relíquias da Morte[editar | editar código-fonte]

Durante a fuga coordenada da Rua dos Alfeneiros, Harry e Hagrid chegam à casa de Ted Tonks, depois pegam uma Chave de Portal para a Toca. Molly e Ginny os recebem, aliviadas por ver Harry e Hagrid, mas nervosas porque os outros ainda não chegaram. Quando Hagrid pede um pouco de brandy, Molly vai até a cozinha, ao invés de trazer a bebida por magia. Harry acha que ela está escondendo as lágrimas. Logo depois, Lupin chega com George, que está ferido, Molly imediatamente corre para atendê-lo. Lupin puxa Harry para o lado, e o interroga para confirmar se ele é o verdadeiro Harry. Lupin teme que alguém na Ordem possa os ter traído. As outras duplas chegam, faltando apenas Mundungus Fletcher e “Olho-Tonto” Moody, Fletcher, aparentemente se apavorou e desaparatou; a Maldição da Morte lançada sobre ele, acertou Moody e o matou instantaneamente, embora seu corpo nunca tenha sido encontrado. Harry, convencido de que sua presença coloca a todos em perigo, decide partir, mas Molly pede que ele fique. A Ordem sabia sobre a missão do Trio a pedido de Dumbledore, mas eles não aceitaram sua assistência. Molly, no entanto, é mais insistente e pergunta diretamente a Harry, mas ele gentilmente se recusa a dar qualquer informação.

Molly está, aparentemente, preparando tudo para o casamento de Bill e Fleur, mas o que ela pede a Harry, Hermione e Ron para fazer, é apenas para separá-los e evitar que se preparem para a missão. Harry, irritado com aquilo, pergunta alto, a Molly, se ela espera que outra pessoa enfente Voldemort; Ginny que o está ajudando, aparentemente só agora compreende a missão de Harry e fica chateada, Harry diz que só estava brincando. As tentativas de Molly de separar o Trio acabam falhando, quando Arthur libera Harry do que ele estava fazendo. Harry então, vai ao quarto de Ron, encontrando Hermione lá também. Eles fazem alguns planos, antes de Molly descobrí-los e pedir que façam outras tarefas.

Quando a mãe de Fleur chega, ela acalma imediatamente os nervos de Molly. Tudo está lindo, tudo está perfeito, e Mrs. Delacour se prepara para ajudar, inclusive usando um feitiço que limpa totalmente o fogão, que tinha dado um trabalhão a Ron.

Como o dia seguinte é aniversário de Harry, Molly pergunta o que ele quer fazer. Sentindo que ele já dá bastante trabalho na casa dos Weasleys, durante essa fase de preparativos para o casamento, Harry responde que não precisa de nada, e nem quer muita comemoração. No entanto, no dia do aniversário, Molly dá de presente a Harry, um relógio de ouro, um presente tradicional para um bruxo que chega à maioridade. Molly envergonhada, pede desculpas porque o relógio é usado, dizendo que pertenceu ao seu falecido irmão; Harry entende o significado e a abraça, agradecendo. Mais tarde Harry vê Molly carregando, o que parece, um enorme Pomo Dourado; investigando, ele descobre que é seu bolo de aniversário.

O encontro de Rufus Scrimgeour com Harry, Ron e Hermione mais tarde, para discutir o testamento de Dumbledore, se torna acalorado e os ânimos se exaltam. Os gritos fazem com que Arthur e Molly cheguem na sala, bem a tempo de ver um furioso Scrimgeour indo embora. No casamento de Bill e Fleur, podemos ver que Molly fez um belo trabalho de decoração, mas é só isso, ela praticamente não aparece mais.

Molly não é vista novamente, até que chega na Sala Precisa, respondendo ao chamado da Ordem para defender Hogwarts. Todos os Weasleys estão reunidos na Sala Precisa quando Percy chega. Depois de um momento de estranheza, que Fleur tenta disfarçar, Percy, alto e em bom som, declara que ele tem sido cego, um tolo ambicioso, e pede que a família o perdoe. Arthur e Molly recebem essas novidades com abraços carinhosos e eles partem, todos juntos para a batalha. Vemos Molly, novamente, de passagem, durante uma pausa na batalha, quando Harry leva as lembranças de Snape para a Penseira, no escritório do diretor, ele vê a família Weasley reunida, chorando a morte de Fred.

Próximo do fim da batalha de Hogwarts, Bellatrix Lestrange está duelando com Hermione, Ginny e Luna. Quando uma Maldição da Morte por pouco não acerta Ginny, Molly enraivecida porque sua filha estava sendo atacada, e jurando que não perderia outro Weasley, ela se empenha numa luta feroz contra Bellatrix, matando-a. Vendo Bellatrix cair, Voldemort lança uma Maldição na direção de Molly; Harry, sob a Capa da Invisibilidade, bloqueia a Maldição.

Na comemoração da vitória após a batalha, Harry vê a família Weasley, todos sentados juntos, e Ginny encostada em sua mãe. Harry não se aproxima, para que eles possam sofrer sua perda em particular.

Pontos Fortes[editar | editar código-fonte]

Molly Weasley é uma esposa e mãe devotada, que se preocupa profundamente com sua família; ela é, na verdade, o ponto de apoio em volta de quem, toda a família Weasley gira. Embora suas habilidades mágicas quase não apareçam, até a batalha final em Hogwarts, ela é uma bruxa extremamente poderosa, e uma duelista excelente, capaz de derrotar, sozinha, Bellatrix Lestrange, uma oponente formidável. Além disso, ela criou uma família de bruxos que, especialmente no caso dos gêmeos, é super inventiva e poderosa. Sua posição dentro da Ordem da Fênix também indica que ela possui uma mente mais aguçada do que podíamos supor. Ela é extremamente amigável e agradável, mas sob essa aparência, mora um caráter firme e forte, muito mais do que de seu marido; ela nunca hesita em dizer o que pensa, seja sobre sua família, Harry ou assuntos relativos à Ordem da Fênix. Molly também é generosa com os outros, aceitando Harry na sua família, como se fosse um de seus filhos, se preocupando em mandar presentes para ele, ainda que houvesse pouco dinheiro mesmo para os presentes de seus filhos. Ela se preocupa tanto, que não consegue deixá-lo sem presentes, enquanto seus filhos, não importa a dificuldade sempre recebem um presente nas datas e nos aniversários.

Pontos Fracos[editar | editar código-fonte]

Como vimos no episódio do bicho-papão no livro cinco, o maior pavor de Molly é perder um dos seus filhos, seu marido ou Harry. Vendo esses medos se manifestarem de forma sólida, a tornam fraca e chorosa. É esse medo e seu amor por sua família que a impelem a combater Bellatrix, sozinha, uma decisão muito pouco sábia, uma vez que, estando no mais alto escalão de Voldemort, Bellatrix é uma bruxa extremamente poderosa. Ela termina vitoriosa até porque ninguém esperava que ela fosse tão habilidosa.

Molly adora por demais seus filhos, e ela e seu marido embora sendo pobres, sempre conseguem mantê-los. No entanto ela é muito insensível com relação às suas necessidades emocionais. Quando Ron precisa de vestes formais no quarto ano, a veste pavorosa com babados que ela compra, não apenas deixa Ron envergonhado, mas sem querer o transforma num alvo de ridículo, especialmente para Draco Malfoy e seus capangas. O resultado é que a auto estima de Ron e sua auto confiança que já são baixas, pioram ainda mais. O fato de Molly escolher vestes apropriadas para Harry, pode ele pode pagar, apenas tornam tudo pior, deixando clara a diferença entre os dois amigos, e aumentando os acessos de inveja, ocasionais, de Ron. No entanto, Molly parece não perceber a angústia de Ron, preocupada apenas em cumprir sua obrigação de mãe, que é comprar o que é pedido na lista de materiais da escola, da maneira que a família pode pagar. Esse comportamento melhora quando as finanças dos Weasleys também melhora, e Molly, embora inicialmente hesitante, concorda em comprar uma nova vassoura para Ron, quando ele é escolhido monitor.

Ela também não apoia o plano de Fred e George, de abrir a loja de logros, convencida de que é uma aventura tola e fadada a dar errado; ela acredita firmemente, que eles só serão bem sucedidos se seguirem carreiras tradicionais. No entanto, essa crença, provavelmente se deve aos anos em que ela e Arthur lutaram com suas finanças, ainda que o emprego de Arthur no Ministério fosse estável, era muito mal remunerado.

Relacionamentos com Outros Personagens[editar | editar código-fonte]

Molly Weasley é muito preocupada com seus filhos. Como todos os pais, ela quer ser orgulhosa de sua prole. O resultado disso, é que ela provavelmente é mais ambiciosa com relação a eles, do que eles próprios. Ela fica desapontada porque os gêmeos não têm interesse em trabalhar no Ministério, acreditando que começar uma loja de logros é coisa pequena ou está destinada a não dar certo. Ela fica orgulhosa quando Percy é escolhido para ser assistente de Bartemius Crouch Sr. e deve ter ficado, pelo menos inicialmente, muito orgulhosa por sua ascenção rápida dentro do Ministério. Quando Percy abandonou a família de uma forma radical, Molly ficou profundamente sentida.

Molly se comporta de acordo com cada filho, individualmente, nós vemos uma ação maternal dinâmica com cada um. Por exemplo, ela está sempre implicando com Bill sobre seu cabelo longo, e brigando com os gêmeos por causa de suas notas baixas nos exames. Ela aceita a maneira pomposa de Percy, talvez justificada pelo fato de que ele foi escolhido monitor. Sua interação com Ron é mais variada; talvez porque a gente possa observar mais de perto, uma vez que Ron é um personagem importante na série, mas o que parece é que existe uma irritação mútua, e eles não consigam lidar com isso. Fora a situação protetora que vimos mais tarde, no livro sete, há pouca interação visível entre Molly e Ginny.

Uma aflição constante para Molly deve ser Arthur, seu marido. A fascinação dele por artefatos dos Trouxas e suas técnicas, a deixam exasperada, suas experiências com feitiços nesses artefatos, fazem com que ela se envergonhe, e seu desinteresse em disciplinar os filhos, em especial, os gêmeos, a deixam furiosa. Além disso, embora ela não comente, sua falta de ambição deve aborrecê-la também; com certeza, se ele tivesse mais interesse, poderia conseguir um emprego mais bem remunerado no Ministério. Contudo, o casamento deles parece sólido, carinhoso e que eles se preocupam um com o outro.

A experiência de Harry com Molly, começa de alguma forma estranha. Quando ele chega na Toca pela primeira vez, Molly está detonando com os gêmeos e com Ron, pela aventura deles na noite anterior, ainda que fosse para resgatar Harry. Quando Harry acha que vai sobrar para ele, Molly modera o tom, dizendo que não pode culpá-lo, e, depois de carinhosas boas vindas, ela o chama para o café da manhã. Durante seis anos, começando com o segundo livro, Molly traz Harry para dentro de sua família, cuidando dele como seu próprio filho, mas sempre reconhecendo que, sua autoridade sobre ele, é limitada. Nós ficamos um tanto surpresos porque Molly nunca zanga com Harry por seu comportamento imprudente, considerando que sua possível morte, está entre os piores medos dela.

Análise[editar | editar código-fonte]

Durante a maior parte da série, vemos Molly Weasley, essencialmente, como “a boa mãe”, cuidando de seus filhos, se preocupando com eles, brigando quando se comportam mal, e os protegendo da realidade dura e fria da vida, o melhor que pode. Logo em seguida, ela põe Harry sob sua asa, cuidando dele e o defendendo como se fosse seu próprio filho. Isso fica claro, no quinto livro, onde ela discute, sem sucesso, o fato de deixarem Harry saber tudo sobre a Ordem da Fênix. Nesse caso, ela está contra seu próprio marido, que concorda com os outros membros da Ordem, que Harry tem o direito de saber. Além disso, Arthur acha importante não ser muito rigoroso na disciplina como Molly, especialmente com relação aos gêmeos. Isso é visível no livro dois, quando soube que eles usaram o carro voador sem permissão. Sua primeira reação foi perguntar como foi, ao invés de brigar com eles por terem pegado o carro. Novamente, vemos a reação de Arthur, no livro quatro, quando ele briga com os gêmeos por deixarem os caramelos incha-lingua caírem onde Dudley poderia achar, mas ele rapidamente fica quieto quando Molly aparece.

As tentativas de Molly de proteger Harry chega ao máximo, quando, no último livro, ela continuamente separa Harry de Ron e de Hermione, com diversas tarefas, aparentemente esperando que eles atrasem sua missão para Dumbledore, com medo dos perigos da missão. Como muitos adolescentes, Harry detesta ser super protegido, mas ele não se rebela claramente. Talvez porque estivesse tão sedento de afeição, ele aceita a super proteção como parte do pacote, e compreende os motivos escondidos.

É apenas no último livro, quando, habilmente derrota Bellatrix Lestrange num duelo, matando-a, que Molly se mostra uma bruxa extremamente poderosa, que, aparentemente reprimiu seus talentos, enquanto criava sua família. Desde que a vimos pela primeira vez, em retrospecto, percebemos um poder reprimido, uma auto-segurança em seus modos, que pouco combinavam com o fato de ser uma simples dona de casa. Também não teria lógica, ela ser um membro integral da Ordem da Fênix, a menos que tivesse talentos específicos e significativos. Com toda certeza, alguém tem que ser muito auto-confiante para lidar com seus filhos, especialmente, Fred e George, mas talvez eles tenham herdado o poder dela e sua personalidade enérgica. Parece que eles são mesmo, filhos da mãe, quando Percy e Ron são mais parecidos com o pai. Com certeza, Ginny parece ter herdado mais a natureza e o temperamento de Molly.

Embora nada tenha sido dito, especificamente sobre a varinha de Molly, podemos desconfiar, até mesmo pelo que a autora comentou sobre o artesanto das varinhas e a madeira de que são feitas, no Pottermore, que, Molly Weasley deve ter sido a dona de uma varinha de cedro. Molly, através dos seis livros, não demonstra habilidades especiais em magia e em duelo, no entanto, isso parece um fator disfarçado pelas habilidades de culinária e cuidados de casa. No entanto, depois da morte de Fred e do ataque direto de Bellatrix a Ginny, Molly surge como uma destemida dona de habilidades marciais, uma característica peculiar daqueles que carregam uma varinha de cedro.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]