Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Lord Voldemort

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Lord Voldemort


  • sexo = Masculino
  • cabelos = nenhum (eram negros)
  • olhos = vermelhos (eram negros)
  • família = depois do aviso de spoiler
  • lealdade = a ele mesmo

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

Lord Voldemort (pseudônimo) é talvez o mais famoso bruxo do mal já conhecido e o mais poderoso e perigoso de todos os tempos. É dito que Albus Dumbledore é o único bruxo que ele já temeu. Voldemort aparentemente acredita que nada é pior do que a morte; talvez sua maior fraqueza seja a incapacidade de amar. A varinha de Voldemort é feita de teixo e contém no miolo uma pena de fênix. Ela é considerada “irmã” da varinha de Harry Potter por causa da pena que está no miolo e que foi doada pela mesma fênix, Fawkes, que é o pet querido de Albus Dumbledore.

O nome escolhido para Voldemort se origina do francês "vol de mort" ou "vôo da morte" em português. Esse é um excelente exemplo das possibilidades que tem a série de combinar nomes com personagens; o maior desejo de Voldemort é escapar da morte.


Papel nos Livros[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A Pedra Filosofal[editar | editar código-fonte]

Voldemort matou James e Lily Potter quando tentou matar seu filho de um ano, Harry. Harry sobreviveu mas, Voldemort aparentemente morreu quando sua maldição se voltou para ele, embora muitos não acreditem que ele se foi de fato. O ataque sobre Harry deixou uma cicatriz em forma de raio em sua testa.

Rubeus Hagrid, ao introduzir Harry, agora com 11 anos no mundo mágico, menciona Voldemort e explica como Harry o fez desaparecer. Hagrid pessoalmente acredita, que havia muito pouco de humano em Voldemort, para morrer.

Quando estão na loja de varinhas de Mr. Ollivander, Harry experimenta uma varinha em particular, que Ollivander está evidentemente deixando reservada. Ela se adapta a Harry com perfeição. Mr. Ollivander então diz a ele, “É mesmo muito curioso que essa varinha seja destinada a você quando... sua irmã lhe deu essa cicatriz... Acredito que podemos esperar de você, grandes coisas, Mr. Potter... Apesar de tudo, Ele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado fez grandes coisas –terríveis, sim, mas grandes.” Voldemort é visto pela primeira vez durante a trágica luta nos subterrâneos de Hogwarts. O espírito sobrevivente de Voldemort possui o corpo do Professor Quirrell, controlando-o enquanto tenta roubar a Pedra Filosofal e matar Harry. É revelado então, que era Voldemort que estava controlando muitos acontecimentos durante a história.

  • Voldemort, ajudado por Quirrell, havia tentado roubar a Pedra do Banco Gringotes, sem saber que Hagrid havia removido a Pedra mais cedo, no mesmo dia.
  • A cicatriz de Harry dói, pela primeira vez, na Festa de Boas Vindas, quando o Professor Snape está olhando para ele. Voldemort nesse momento, está escondido dentro do turbante, atrás da cabeça do Professor Quirrell, e deve ser por essa razão que a cicatriz de Harry está doendo. Harry observa que Quirrell não estava usando o turbante no Caldeirão Furado.
  • Aparentemente, a pedido de Voldemort, Quirrell azarou a vassoura de Harry durante o jogo de Quadribol contra a Slytherin. Harry foi salvo pelo Professor Snape.
  • Foi Quirrell, novamente seguindo as instruções de Voldemort que estava matando os unicórnios na Floresta Proibida, de modo que Voldemort pudesse beber o sangue deles para manter sua tênue vida. A cicatriz de Harry queimou quando ele encontrou a figura encapuzada que havia matado os unicórnios.
  • No final, Voldemort comanda Quirrell através de um labirinto de elaborada segurança, que protegia a Pedra em Hogwarts. Ele quer Harry, que também ultrapassou a segurança, para pegar a Pedra, depois ordena que Quirrell o mate. Durante a luta contra Quirrell e Voldemort, Harry quase fica incapacitado pela dor dentro de sua cicatriz.

Com a derrota de Quirrell e (provável) morte, Voldemort é forçado a fugir do corpo dele e encontrar um novo hospedeiro.

Harry imagina, e o Professor Dumbledore confirma, que a cicatriz causa dor sempre que Voldemort está por perto. Dumbledore tem uma teoria, ele acha que quando a maldição mortal ricocheteou em Harry, deixou uma conexão entre Harry e Voldemort. No entanto ele não explica mais nada a respeito.

A Câmara Secreta[editar | editar código-fonte]

Voldemort não age diretamente nesse livro; ao invés disso a história é dirigida por uma reminiscência dele jovem, que vive dentro de um diário mágico, quando ele ainda usava seu nome de nascença Tom Riddle. Os detalhes estão sob o nome do personagem Tom Riddle.

O Prisioneiro de Azkaban[editar | editar código-fonte]

Lord Voldemort não é visto diretamente, uma vez que ele fica escondido enquanto se fortalece. E no final, Peter Pettigrew (Rabicho) retorna para servi-lo depois de escapar de Harry, Sirius e Lupin.

O Cálice de Fogo[editar | editar código-fonte]

Voldemort é ouvido embora continue sem ser visto, quando ocupa a velha Mansão Riddle em Little Hangleton. Frank Bryce o velho caseiro Trouxa, investiga quando vê luzes na suposta casa deserta. Lá dentro ele vê Voldemort and Pettigrew. Voldemort menciona seu “fiel” servidor, aparentemente não Pettigrew, e os dois planejam matar alguém chamado Harry Potter. Quando Bryce é descoberto, Voldemort o mata com Avada Kedavra.

Harry acorda de um pesadelo com a cicatriz queimando; Voldemort acaba de matar alguém. Dor na cicatriz indica que Voldemort está por perto, e Harry teme ser atacado na Rua dos Alfeneiros. Mais tarde, Harry tem outro sonho em que Pettigrew é castigado.

Durante o Torneio Tribruxo, Harry e Cedric Diggory agarram o troféu ao mesmo tempo, apenas para descobrir que ele é uma chave de portal que os transporta para um cemitério. Lá, Voldemort ordena a Pettigrew que mate Cedric e amarre Harry. O corpo de Voldemort é como um bebê medonho, com a pele escamosa tipo uma cobra, olhos como fendas e a malignidade de um homem adulto. Para restaurar o corpo de Voldemort, o sangue de Harry, o osso do pai de Voldemort e a carne do próprio Pettigrew (sua mão direita) são adicionados à poção, fazendo com que ele volte a ser “humano”. Feliz da vida em seu novo corpo restaurado, Voldemort se satisfaz em provocar Harry, e então, ignorando os gemidos de Pettigrew, ele convoca seus Comensais da Morte. Voldemort saúda seus servos, incluindo Lucius Malfoy. Um deles é prontamente torturado (maldição Crucio), por duvidar que o Lord das Trevas iria voltar. Voldemort diz que ele nunca se esquece e jamais perdoa, e exige o pagamento pelos Comensais da Morte que o negaram. Ele premia Pettigrew conjurando para ele uma mão de prata mágica, para ficar no lugar da que foi cortada.

Depois do ataque ao bebê Harry, que falhou, a alma sem corpo de Voldemort vagou durante anos, ocupando pequenos animais, depois se agarrou ao Professor Quirrell, um bruxo fraco. Depois de ter falhado ao tentar capturar a Pedra Filosofal, e perder seu hospedeiro, ele voltou a ser um espírito sem corpo outra vez, até que Pettigrew o encontrou. Sobrou um único aliado que poderia capturar Harry Potter, mas até lá, Pettigrew arranjou para ele um corpo rudimentar e o sustentou com o veneno de Nagini. Com o sangue de Harry dentro dele, ele pode agora sobrepujar a proteção que a morte de Lily deu a Harry.

A varinha de Harry é devolvida e ele é forçado a duelar com Voldemort. Harry conjura o Expelliarmus para desarmar Voldemort, enquanto este lança a maldição da morte. Um rio dourado une as duas varinhas, e uma luz dourada em forma de domo surge em volta deles. A varinha esquenta, e ele força as gotas de luz que formam o rio de volta à varinha de Voldemort. A sombra de Cedric sai da varinha de Voldemort, depois Frank Bryce, Bertha Jorkins e James e Lily Potter emergem. Seus pais explicam que mal poderão proteger Harry quando ele quebrar o rio. Quando a ligação é quebrada, as sombras correm para Voldemort, enquanto Harry conjura a Taça Tribruxo e agarrado ao corpo de Cedric, ele retorna para Hogwarts. O Professor Moody, que era um dos servos de Voldemort no corpo no corpo de Olho-Tonto, guia Harry até seu escritório, lá ele admite ter manipulado o torneio. Quando ele está a ponto de amaldiçoar Harry fatalmente, Dumbledore irrompe na sala e estupora Moody, que então é descoberto. Ele era na verdade Barty Crouch Jr.disfarçado pela Poção Polissuco. Sob o soro Veritaserum, Barty confessa que ele e Pettigrew raptaram Moody de modo que ele pudessse assumir sua identidade, e especificamente levar Harry até a armadilha de Voldemort.

Depois, os dementadores chupam a alma de Barty, antes que ele pudesse se confessar a Cornelius Fudge e contar a verdadeira história, o Ministro então afirma que Dumbledore fabricou toda a história. Depois da partida furiosa de Fudge, Dumbledore prepara diversas missões para seus colaboradores, Hagrid e Madam Maxime; Professor Snape; e também Sirius Black.

Depois da Festa de Final de Ano, Dumbledore informa a toda a escola que Voldemort voltou e matou Cedric Diggory. Dumbledore acredita que os alunos devem saber a verdade a despeito da negação do mundo mágico.

A Ordem da Fênix[editar | editar código-fonte]

O mundo mágico duvida da afirmação do retorno de Voldemort, deixando Harry nervoso durante todo o verão. Ele ouve os noticiários Trouxas narrando mortes inexplicadas ou possíveis perturbações mágicas, e procura no Profeta Diário por algum sinal. As cartas de Ron e Hermione são vagas, e apenas aumentam a tensão fornecendo combustível para a raiva de Harry.

Depois que um dementador ataca próximo a sua casa, Harry é levado ao Number 12, Grimmauld Place, a casa de Sirius Black e agora quartel general da Ordem da Fênix. A Ordem acredita que Voldemort permanece escondido enquanto refaz sua organização, embora o aviso de Harry sobre o retorno do Lorde das Trevas tenha dificultado seus esforços. Harry descobre que Voldemort pode estar procurando uma arma poderosa. Quando Hermione percebe que a cicatriz do rapaz está doendo, Harry não dá atenção dizendo que tem acontecido com freqüência.

Em Hogwarts, alguns Gryffindors duvidam das afirmações de Harry e de Dumbledore sobre a volta de Voldemort. Neville apóia Harry, fazendo eco à sua avó Augusta, que diz que Dumbledore é muito mais confiável do que o Profeta Diário.

Logo, Harry entra em conflito com a nova professora de DCAT e espiã do Ministério da Magia, Dolores Umbridge por afirmar que Voldemort voltou. Ela lhe dá um castigo de duas semanas que mais parece uma tortura. Quando Umbridge toca sua mão, sua cicatriz arde demais, fazendo Harry suspeitar que ela pode estar ligada à Voldemort. Ele, teimosamente se recusa a contar a Dumbledore, se sentindo magoado porque o diretor está sempre o evitando. Sirius assegura a Harry que a Ordem acredita que não há ligação entre Umbridge e Voldemort.

Irritada com as aulas sem interesse de Umbridge, Hermione e Ron insistem com Harry para ele ensinar aos alunos que desejarem, a verdadeira magia defensiva. Ele concorda relutante, e é formada a Armada de Dumbledore. Zacharias Smith reclama que a azaração de desarme que Harry demonstra, é muito fácil, até que Harry explica como ele efetivamente a usou contra Voldemort.

Harry sonha repetidamente com um longo corredor com uma porta no final, onde ele quer entrar. sua cicatriz dói sem parar e ele sabe que está relacionada a Voldemort, e Harry pode sentir as emoções do Lord das Trevas.

Enquanto isso, Hagrid retorna de sua missão secreta para recrutar os gigantes contra Voldemort. Hagrid falhou porque os Comensais da Morte ofereceram uma recompensa maior.

Pouco antes do Natal uma dor terrível acorda Harry, logo ele vê Mr. Weasley sendo atacado no Ministério. Dumbledore avisa a Ordem e depois envia as crianças Weasley e Harry para Grimmauld Place. Quando Dumbledore olha rapidamente nos olhos de Harry, Harry sente a cobra que ele viu em seus sonhos querendo atacar Dumbledore. Harry e as crianças Weasley escutam Olho-Tonto Moody dizer que Harry e Voldemort podem partilhar uma conexão mental. Harry com medo de que Voldemort possa ver o quartel general através dele, quer partir até que Dumbledore deixe para ele uma mensagem zangada: “Fique onde está.” Harry se acalma, mas teme que Voldemort possa o estar possuindo assim como fez com Ginny, mas ela lhe assegura que não é assim.

Durante as aulas de Oclumência com Snape, Harry reconhece o longo corredor como sendo no Ministério da Magia. Mais tarde Harry, Ron e Hermione concluem que a arma que Voldemort procura deve estar no Ministério. Harry pode sentir a satisfação de Voldemort quando dez Comensais da Morte escapam de Azkaban, levando Hermione a suspeitar que os dementadores devem ter passado para o lado de Voldemort. Enquanto isso, Harry fica imaginando se as aulas de Snape podem estar abrindo sua mente para Voldemort ao invés de bloqueá-la.

Harry sonha com Voldemort torturando alguém (Avery?) depois de saber que seu plano falhou. Quando um paciente (Broderick Bode) de St. Mungo more, Harry e Hermione concluem que ele devia ter sido posto sob a Maldição Imperius, para eles poderem roubar a arma. Voldemort deve ter mandado matá-lo porque ele estava se recuperando dos feitiços que o tinham deixado louco.

Na aula seguinte de Oclumência, Snape quebra, de repente, a visão de Harry justamente quando ele alcançava a porta e a encontrava aberta. Pouco depois de Dumbledore ser expulso de Hogwarts, Harry sonha com o corredor e a porta, novamente, dessa vez ele entra numa sala que contém muitas fileiras de estantes com frascos empoeirados arrumados. O que ele quer está ao alcance de sua mão, mas ele é acordado.

Harry vê Voldemort torturando Sirius e corre para o Ministério, sem perceber que é uma armadilha. Ele e os colegas, membros da AD, são emboscados pelos Comensais da Morte que procuram por uma profecia relacionada a Harry e Voldemort. Sirius e os membros da Ordem da Fênix chegam a tempo de neutralizar os Comensais, mas Bellatrix Lestrange mata Sirius. Voldemort aparece, mas a súbita chegada de Dumbledore da início a um duelo feroz. Finalmente, Voldemort possui Harry, mas as profundas emoções de amor e amizade de Harry o tiram do transe. Voldemort escapa junto com Bellatrix.

De volta a seu escritório, Dumbledore tenta acalmar Harry, que está desesperado, assumindo a responsabilidade pela morte de Sirius; se ele tivesse sido mais claro com Harry, o rapaz teria reconhecido a armadilha de Voldemort. A Maldição que deixou a cicatriz em Harry criou uma ligação entre Harry e Voldemort, permitindo a Harry sentir as emoções de Voldemort e, ocasionalmente ver seus pensamentos. Voldemort só descobriu essa ligação recentemente. Dumbledore estava evitando Harry para impedir que Voldemort descobrisse informações, e é por isso que Snape estava ensinando Oclumência a Harry, embora a implicância entre os dois tornasse isso quase impossivel. Voldemort implantou imagens falsas na mente de Harry para levá-lo até uma emboscada. Dumbledore também explica porque Harry foi enviado para morar com os Dursleys: o sacrifício de Lily para salvar Harry lançou um feitiço mágico e poderoso que desde então o tem protegido de Voldemort. Apenas o fato de morar na casa onde mora alguém do sangue de sua mãe (tia Petunia) mantém o efeito do feitiço. Mesmo tendo que agüentar a crueldade dos Dursleys, a segurança física de Harry era mais importante do que seu bem estar emocional.

A profecia foi feita logo após o nascimento de Harry e é por esse motivo que Voldemort quer matá-lo.Voldemort apenas ouviu a primeira parte da profecia, e ele precisava de Harry para recuperar a cópia que estava guardada no Ministério. A profecia é sobre alguém com “o poder de derrotar o Lord das Trevas,” poderia ser referente a Harry ou a Neville Longbottom. Voldemort escolheu matar Harry, um “mestiço” assim como ele mesmo, ele marcou Harry como seu igual. O poder que Harry possui e Voldemort não tem é o amor. Esse poder protege Harry de Voldemort e essa força vai permitir que ele derrote o Lord das Trevas. Dumbledore também confirma que, de acordo com a profecia, um deve matar o outro.

Com o Ministério finalmente admitindo que Voldemort voltou, Dumbledore está de volta como diretor de Hogwarts e ao seu escritório.

O Enigma do Príncipe[editar | editar código-fonte]

Cornelius Fudge apresenta o novo Ministro da Magia, Rufus Scrimgeour ao Primeiro Ministro Britânico, Fudge explica que as crises recentes que têm tomado conta do mundo Trouxa, ocorrem por causa do retorno de Lord Voldemort. Por tudo isso, Fudge está deixando o Ministério. Enquanto isso, Narcissa Malfoy pede ajuda a Severus Snape. Voldemort deu a seu filho, Draco, uma tarefa quase impossível e provavelmente fatal. Ela acredita que Voldemort está arriscando a vida de Draco para punir seu marido, Lucius, por sua falha no Ministério. Bellatrix Lestrange, no entanto, questiona a lealdade de Snape, embora Snape discorde dela dizendo que ele conquistou a confiança de Voldemort. Snape se recusa a tentar mudar as intenções do Lord das Trevas, mas concorda em fazer um Voto Perpétuo de proteger Draco e completar a missão do garoto no caso dele falhar.

Depois de reconhecer publicamente o retorno de Voldemort, o Ministério inundou o mundo mágico com propaganda veiculada no Profeta Diário, e publicou panfletos contendo informações supostamente úteis. Dumbledore fica imaginando que Voldemort achou a mente de Harry muito dolorosa para morar e não vai tentar possuí-lo novamente. Voldemort, por sua vez, também está preocupado que Harry bisbilhote em sua mente, então está provavelmente bloqueando usando Oclumência.

Harry e Dumbledore estudam os primeiros anos de Lord Voldemort, vendo lembranças doadas na Penseira de Dumbledore. A mãe de Voldemort, Merope Gaunt, é descendente direta de Salazar Slytherin e seu pai é Tom Riddle Sr., um Trouxa. Durante esse período, Voldemort é conhecido por seu nome de nascimento, Tom Marvolo Riddle (no Brasil Tom Servolo Riddle). Numa sessão da Penseira, mais tarde, Dumbledore nota a mudança na aparência de Tom e comenta sobre ele estar usando o nome Voldemort. Como isso é sobre o personagem usando o nome de Tom Riddle, veja no tópico sobre ele.

Voldemort informou Draco sobre a Sala Precisa e ordenou a ele que matasse Dumbledore. Era essa a missão que Narcissa tanto temia, suspeitando que Draco poderá falhar e então ser morto por Voldemort. Snape cumpre o Voto Perpétuo matando Dumbledore no lugar de Draco. Quando Snape e Draco fogem de Hogwarts, Snape impede que os outros Comensais da Morte matem Harry, dizendo que Voldemort quer Harry para si.

As Relíquias da Morte[editar | editar código-fonte]

Na Mansão Malfoy, o novo quartel general do Lord das Trevas, Voldemort se reúne com os Comensais da Morte. Acreditando que a varinha de Harry é mais poderosa contra a sua própria, sua gêmea, Voldemort exige a varinha de Lucius Malfoy. A posição de Malfoy no final da mesa reflete o quanto ele caiu nas graças de Voldemort, enquanto Snape senta ao lado do Lord das Trevas. Voldemort também provoca Bellatrix Lestrange, ainda que ela o sirva fielmente. Charity Burbage a professora de Estudos dos Trouxas em Hogwarts, está suspensa e bem amarrada acima da mesa. Por ter defendido o casamento com Trouxas, Voldemort lança uma maldição mortal sobre ela.

Nesse interim, a Ordem da Fênix está transferindo Harry para uma casa segura, assim que a proteção mágica de sua falecida mãe termina. Seis protetores em pares com uma cópia de Harry irão voar para casas seguras separadas, enquanto o Harry verdadeiro vai com Hagrid. Quando o grupo levanta vôo, os Comensais da Morte, sabendo de tudo por Snape, atacam imediatamente. Quando Harry é identificado por seu feitiço assinatura Expelliarmus, Voldemort aparece subitamente. Na confusão de gritos, a varinha de Harry, independentemente, lança um feitiço dourado, espatifando a varinha emprestada de Voldemort. Harry e Hagrid mal alcançam a casa segura vivos. Todos chegam em segurança exceto Olho-Tonto Moody, que aparentemente foi morto. Harry, sentindo que está pondo todos em perigo, quer deixar A Toca, mas não deixam. Logo depois disso, ele “vê” Voldemort torturando Ollivander, exigindo saber como Harry destruiu sua varinha emprestada, no entanto Ollivander não compreende direito como foi. Harry com pressa de começar sua busca, lembra a Ginny que Voldemort não vai se matar. Então, ela entende que a missão de Harry é matar Voldemort, embora ele finja que está apenas brincando, para afastar seus medos. Nos “sonhos”, Harry vê Voldemort procurando por alguém chamado Gregorovitch e lembra, que uma vez Mr. Ollivander mencionou que Gregorovitch foi o artesão da varinha de Viktor Krum.

Kingsley Shacklebolt manda um aviso de que o Ministério da Magia caiu ante Voldemort, e o Primeiro Ministro Rufus Scrimgeour está morto. Quando os Comensais da Morte atacam A Toca, Harry, Ron e Hermione fogem para Grimmauld Place. Harry, novamente “vê” através dos olhos de Voldemort um aterrorizado Draco Malfoy ser forçado a torturar Thorfinn Rowle, um Comensal da Morte porque ele deixou Harry escapar. O irmão de Sirius, Regulus Arcturus Black é identificado como sendo o misterioso R.A.B. que deixou um bilhete dentro do falso Horcrux. Monstro conta a Harry que Mundungus Fletcher roubou o verdadeiro medalhão Horcrux de Grimmauld Place, e explica sua ligação com Regulus: quando Voldemort precisou da assistência de um elfo doméstico para esconder um medalhão na gruta a beira mar, Regulus mandou Monstro. Voldemort abandonou Monstro lá, para morrer, mas ele retornou para seu mestre. Regulus recuperou o medalhão verdadeiro, colocando um falso no lugar, mas morreu nessa troca. Harry ainda aborrecido por Monstro ter traído Sirius, fica ainda mais aborrecido por Voldemort ter abusado do elfo doméstico.

Voldemort agora controla o Ministério: os bruxos nascidos Trouxas são separados e suas varinhas confiscadas. Todas as crianças mágicas na Inglaterra devem freqüentar apenas Hogwarts, agora dirigida por Severus Snape.

Depois que o Trio recupera o verdadeiro medalhão Horcrux, Ron pede que eles evitem falar alto o nome de Voldemort – parece que está azarado. (Nota: durante o resto da história, Harry, Hermione e Ron geralmente usam apenas os eufemismos comuns como, “Você-Sabe-Quem” e “Aquele-Que-Não-Deve-Ser- Nomeado”, embora para simplificar, continuaremos a chamá-lo de Voldemort.) Logo depois, Harry “vê” Voldemort exigindo alguma coisa que Gregorovitch afirma que foi roubada muitos anos atrás. Na lembrança de Gregorovitch, um ladrão jovem e louro estuporou Gregorovitch e fugiu com a varinha. Voldemort então, mata Gregorovitch. Ron abandona a missão, e Harry e Hermione vão para Godric's Hollow para encontrar Bathilda Bagshot. Depois que Harry sobe as escadas, Nagini, a serpente de Voldemort sai de dentro do corpo morto de Bathilda que está caído no chão. Quando Harry é atacado, Hermione o resgata bem na hora que Voldemort aparece. Enquanto se recupera, Harry vê dentro das lembranças de Voldemort. Ele vê, dezesseis anos antes, Voldemort matando seus pais e tentando matar Harry.

Hermione mostra a Harry o livro de Rita Skeeter, “A Vida e as Mentiras de Albus Dumbledore e uma foto de Gellert Grindelwald, o ladrão louro que roubou a Elder Wand de Gregorovitch. Voldemort também tem essa foto de Grindelwald, que ele pegou na casa de Bathilda.

Ron retorna trazendo outra varinha para repor a de Harry que foi destruída, e conta para eles as novidades do mundo mágico; falar o nome de Voldemort convoca os Comensais da Morte ou os Snatchers (que são os caçadores de recompensas de Voldemort). O Trio procura Xeno Lovegood para obter informações sobre o misterioso símbolo. Ele conta para o Trio, sobre os Peverells e o Conto dos Três Irmãos e as Relíquias da Morte. Harry acredita que as Relíquias podem torná-lo invencível contra Voldemort. Um anel que pertenceu aos Peverells pode conter a Pedra da Ressurreição e pode estar escondido dentro do Pomo que Dumbledore deixou de herança para Harry. A própria Capa da Invisibilidade de Harry pode ser uma das Relíquias, enquanto isso, Voldemort procura apenas a Elder Wand, a terceira Relíquia.

Harry sem querer, fala o nome de Voldemort e os Snatchers aparecem de imediato. Quando o Trio e outros prisioneiros são levados para a Mansão Malfoy, Harry vê Voldemort dentro de uma torre alta, onde um homem idoso (Grindelwald) diz que ele sabe o que Voldemort quer, mas afirma que jamais teve. Com a ajuda de Dobby o Trio e os outros prisioneiros, escapam da Mansão Malfoy e vão para a Casa das Conchas. Uma vez lá, o goblin Grampo concorda em ajudar Harry a invadir o cofre de Bellatrix Lestrange em Gringotes, onde Harry acredita está outro Horcrux. Mr. Ollivander confirma que Voldemort está procurando pela Elder Wand, acreditando que será mais poderosa contra a de Harry. Apesar de sua história sangrenta, não é necessário matar, basta capturar a Varinha para ter sua fidelidade. Harry observa quando Voldemort remove a Elder Wand da tumba de Dumbledore. Depois que Harry, Ron e Hermione escapam de Gringotes com a taça Horcrux, Harry vê a furia de Voldemort. Embora ele acredite que seus outros Horcruxes estão a salvo, ele terá que checar todos, inclusive o que está escondido em Hogwarts. Harry sabe que Nagini pode ser também um Horcrux e que Voldemort já sabe que seus Horcruxes estão em perigo.

Em Hogsmeade, Aberforth Dumbledore ajuda o Trio a entrar em Hogwarts através da Sala Precisa, onde os membros da Armada de Dumbledore estão escondidos. Harry sente a raiva de Voldemort quando dá falta do medalhão Horcrux. Enquanto isso, a Ordem e os outros aliados começam a entrar secretamente em Hogwarts para se prepararem para a batalha. Harry procura freneticamente pelo diadema perdido de Ravenclaw, outro Horcrux, enquanto Voldemort e seu exército marcham para Hogwarts. Snape, expulso de Hogwarts, se junta novamente a Voldemort, enquanto a Professora McGonagall e os outros funcionários protegem o castelo. Do lado de fora de Hogwarts, a voz de Voldemort oferece recompensa por Harry Potter.

Quando a batalha começa, Harry, Ron e Hermione encontram o diadema Horcrux dentro da transformada Sala Precisa. Draco Malfoy, Crabbe e Goyle tentam pará-los mas falham, e o diadema é destruído. Draco devia estar tentando recuperar as boas graças de Voldemort. Harry localiza Voldemort na Casa dos Gritos. Escondidos lá dentro, Harry, Ron e Hermione escutam Voldemort contar para Snape, que ele acha que Snape agora comanda a Elder Wand, por ter matado Dumbledore. Para ganhar a fidelidade da varinha, Voldemort ordena que Nagini mate Snape e sai. Morrendo, Snape libera para Harry suas lembranças.

A voz de Voldemort anuncia que Harry Potter tem uma hora para se render, senão todos em Hogwarts morrerão. Harry nesse meio tempo, vê as lembranças de Snape na Penseira. Snape amou profundamente a mãe de Harry, Lily, mas a ligação de Snape com os futuros Comensais da Morte azedou a amizade deles, que terminou. Snape contou a profecia a Voldemort mas quando Voldemort disse que Lily deveria morrer, Snape desertou em favor de Dumbledore, que prometeu a ele, proteção para Lily em troca dele espionar Voldemort. Mas a traição de Peter Pettigrew deu a Voldemort a oportunidade de matar James e Lily. Dumbledore manteve Snape preso à sua promessa, dizendo que tudo o que ele poderia fazer agora, seria proteger Harry, o filho de Lily. Numa lembrança diferente, Snape cuidou de uma maldição mortal (que não tinha cura) na mão de Dumbledore que ficou infectada quando ele colocou o anel Horcrux. Dumbledore tinha mais ou menos um ano de vida. Eles discutem a trama de Voldemort de usar Draco para matar Dumbledore. Voldemort espera que Draco falhe, de modo que ele possa matar Draco para punir Lucius Malfoy. Voldemort mais ou menos antecipa que Snape irá terminar a missão de Draco, mas, uma vez que Dumbledore está morto, o Lorde das Trevas não precisa mais de espiões em Hogwarts. Dumbledore pede a Snape que proteja a escola depois de sua morte.

Em outra lembrança, Dumbledore conta a Snape que o fragmento da alma de Voldemort se entranhou em Harry, criando uma ligação entre os dois. De qualquer modo, para derrotar Voldemort, Harry e o fragmento de alma têm que ser mortos por Voldemort. Snape fica chocado ao saber que Dumbledore protegeu Harry apenas para sacrificá-lo a Voldemort. Um pouco mais tarde, o retrato de Dumbledore conta a Snape que para manter a confiança de Voldemort, ele deve revelar a verdadeira data da partida de Harry da rua dos Alfeneiros. Se Snape puder plantar a ideia de ter diversos sósias de Potter dentro da mente de Mundungus Fletcher, Harry poderá escapar são e salvo.


Harry vai até a Floresta Proibida e se entrega para Voldemort, que lança a Maldição da Morte. Harry se acredita morto na Estação King´s Cross deserta. No chão, uma criatura pequena, esfolada geme de dor. Albus Dumbledore aparece e explica que quando Voldemort usou o sangue de Harry para se reanimar, ele sem querer estendeu a proteção de Lily Potter; a vida de Harry ficou amarrada à de Voldemort. Dumbledore especula que as duas varinhas, ainda ligadas por seus idênticos e mágicos miolos ficaram mais próximas durante seu duelo no cemitério. Os donos das varinhas também estavam ligados por suas almas e sangue, embora Harry fosse o bruxo mais poderoso; Voldemort teme a morte, enquanto Harry abraçou a possibilidade, fazendo com que sua varinha se enchesse de alguns poderes de Voldemort, se tornando mais poderosa do que qualquer varinha que Voldemort segurasse, até mesmo a Elder Wand. Agora Harry pode escolher “ficar onde está” ou retornar ao mundo dos vivos, Harry escolhe retornar.

Retornando a si, Harry finge estar morto enquanto Voldemort mostra seu corpo para os aliados. Diversas coisas acontecem simultaneamente, as famílias dos alunos chegam para reforçar os defensores de Hogwarts; muitos cidadãos do mundo mágico, incluindo os centauros, se juntam aos defensores; e Neville corta a cabeça de Nagini com a Espada de Gryffindor, destruindo o último Horcrux. Os Comensais da Morte invadem o castelo. Dentro dele, Molly Weasley mata Bellatrix depois de um duelo terrível. Irado, Voldemort tenta amaldiçoar Molly fatalmente, mas o feitiço de escudo de Harry o impede.Harry diz a Voldemort que Dumbledore o foi muito mais esperto, planejando sua própria morte, de modo que Snape nunca seria o dono verdadeiro da Elder Wand. Mas, Draco Malfoy sem saber ganhou a fidelidade da varinha, quando desarmou Dumbledore no alto da Torre de Astronomia, apenas para perder sua fidelidade quando Harry capturou a varinha de Malfoy. Porque Harry de bom grado se sacrificou para Voldemort, a mesma magia que uma vez protegeu Harry, agora protege seus aliados. Voldemort conjura Avada Kedavra quando Harry simultaneamente conjura Expelliarmus. Mas, a maldição de Voldemort bate e volta, refletida pela proteção do sangue de Harry e a fidelidade da Elder Wand. Com todos os Horcruxes destruídos, Voldemort morre instantaneamente.

Pontos Fortes[editar | editar código-fonte]

Lord Voldemort é um bruxo excepcionalmente brilhante e poderoso. Ele foi um dos bruxos mais poderosos que já existiram. Quando Dumbledore o encontrou no orfanato, ele já conhecia suas habilidades mágicas e as usava para controlar e castigar. Esse controle sobre seus poderes o distinguem como um prodígio mesmo sendo criança pequena. Ele ficou tão perito na magia negra, que Albus Dumbledore reconhece que ele entrou num mundo de magia desconhecido dos bruxos comuns. Ele aparentemente pode voar sem vassoura, e seus feitiços e maldições são poderosos e em geral, mortais.

Quando jovem, Tom Riddle usava seu charme e astúcia para disfarçar sua natureza sombria e falsa de todos os professores de Hogwarts, exceto de Albus Dumbledore. A despeito de sua crueldade e violência, o carisma de Voldemort permitiu que ele recrutasse seguidores devotados, oferecendo quase nada em troca. Ele se tornou tão poderoso que os Comensais da Morte permaneceram leais por medo, sabendo que seriam torturados ou mortos por qualquer passo errado. Uma vez a serviço do Lord das Trevas, não há como pedir para sair.

Voldemort também é um talentoso Legilimens, capaz de ver dentro da mente de quase todo mundo. Há algumas perguntas sobre se ele é capaz ou não de penetrar na mente de Severus Snape, ou se a habilidade de Snape em Oclumency o protegeu. Dumbledore aparentemente também era capaz de bloquear Voldemort.

Pontos Fracos[editar | editar código-fonte]

Uma sede insaciável de poder faz com que Voldemort use qualquer meio para conseguir a dominação do mundo mágico. Ele não é leal a ninguém e nunca hesita em matar alguém, incluindo aí seus próprios seguidores, seja porque está furioso ou porque matar vai servir para algum propósito. Isso minou significativamente sua base de seguidores, porque seus servos leais foram enfraquecendo.

Só existe um bruxo que Voldemort teme: Albus Dumbledore, reconhecido como um dos maiores e mais poderosos bruxos que já existiram. Uma vez que Dumbledore morreu, Voldemort busca sua varinha, a Elder Wand, acreditando que isso o fará invencível, embora nunca tenha se preocupado em saber porque é tão poderosa.

Voldemort considera a morte o pior destino possível e foi aos extremos perseguindo a imortalidade. Dumbledore comenta que quando Harry e Voldemort duelaram no cemitério, Harry era o bruxo mais forte porque estava preparado para morrer se necessário, enquanto Voldemort temia a morte a despeito de sua recente ressurreição. Voldemort é confiante demais e ignora continuamente os menores detalhes, que em geral o levam a errar. Em particular ele não dá atenção a magia alguma que não consiga compreender, especialmente das raças não humanas como elfos domésticos. Embora ele reconheça que o amor pode ter um efeito mágico ele nunca o compreendeu e subestima seu poder, considerando a maioria das emoções como fraqueza, e isso para ele, permanece como um conceito puramente acadêmico. Ele mesmo é incapaz de amar alguém ou alguma coisa, embora esteja de alguma forma sentimentalmente ligado ao castelo de Hogwarts, que ele considera como o único lar que teve na vida.

Enquanto possuia o corpo de Harry no livro cinco, os profundos pensamentos de Harry nas pessoas amadas e em seu padrinho querido, expulsa Voldemort de seu corpo. As emoções de Harry são tão poderosas e perturbadoras para Voldemort que nunca mais ele tentou possuir Harry. Voldemort acreditava tanto na profecia que dizia que “um escolhido” iria vencê-lo, que suas ações foram as grandes responsáveis por isso se tornar realidade. Na verdade, ele criou o que temia. Ao marcar Harry, deliberadamente como seu inimigo e matar seus pais, ele criou para o garoto um caminho pré determinado, que levou a um eventual confronto.

Voldemort também falhou, ao não entender que o amor era o que dava maior poder a Harry, e sempre atribuía os repetidos sucessos de Harry a sorte, e a ajuda dos outros, como de Dumbledore. Ele também era especialmente fixado na varinha de Harry, acreditando que ela era a última coisa entre ele mesmo e a futura derrota de Harry. Embora os miolos gêmeos nas varinhas de Harry e Voldemort não conseguissem atacar um ao outro, Voldemort atribuía algum poder super mágico à varinha do garoto. Esse erro era aumentado por Snape, como o mais próximo confidente de Voldemort, que afirmava que Harry era apenas um bruxo moderadamente competente, não um especialmente poderoso. Se Snape acreditava nisso ou se estava deliberadamente mentindo para o Lord das Trevas, o fato era que Voldemort aceitava as palavras de Snape como verdadeiras.

Relacionamentos com Outros Personagens[editar | editar código-fonte]

Voldemort chama seus Comensais da Morte de sua verdadeira família, embora não tenha compaixão por ninguém, usando-os mais como servos do que como camaradas, os eliminando no caso de falharem sem dó nem piedade, eles são azarados se estiverem próximo de Voldemort quando ele se enfurece, ou se servirem para cumprir algum plano cruel. Inclusive, Voldemort matou Severus Snape, que ele considerava estar entre os mais confiáveis e valiosos Comensais da Morte após Snape matar Dumbledore, apenas na tentativa de conseguir mais poder mágico, embora ele tivesse um pouco de arrependimento em fazê-lo. Voldemort também não respeita nem confia em Bellatrix Lestrange, sua seguidora mais fanática; ele a resgata durante a batalha no Ministério, talvez porque ela ainda era útil para ele e não por ter alguma lealdade para com ela.

Voldemort se tornou obcecado por Harry Potter depois que não conseguiu matar a criança de 1 ano - impressionado que uma criança desamparada tenha causado sua ruína. Mais tarde ele procura se vingar de Harry para provar que ele, Voldemort, é o mais temido e poderoso bruxo de todos os tempos. Ele considera Harry, fraco em comparação com seu poder e sempre descarta como o poder do amor ajudou Harry. Mas depois de ter possuído a mente de Harry, as emoções do rapaz por seus amigos e família são tão poderosas e perturbadoras para Voldemort que o expulsam da mente de Harry. Ele nunca mais tenta possuir Harry.

Mesmo quando muito jovem, Voldemort se considerava superior aos outros bruxos, exceto a um - Albus Dumbledore, que é dito ser o único que ele sempre temeu. Quando encontrou Tom Riddle com 11 anos, Dumbledore sentiu que ele era um bruxo diferente, embora jamais tenha suspeitado que o menino se tornaria o mais malévolo bruxo das trevas que existiu. Em Hogwarts, Dumbledore decidiu manter Riddle sob vigilância e escondeu suas suspeitas, esperando que Tom tivesse abandonado seus maus hábitos de roubar e sua crueldade. Tom, enquanto isso, cultivava sua falsa aparência, adulando muitos, enquanto silenciosamente construia seu império do mal, recrutando os colegas da Slytherin para serem seus primeiros Comensais da Morte. Dumbledore suspeitava que Tom estivesse envolvido em algumas atividades sombrias em Hogwarts, especialmente depois que uma menina nascida Trouxa foi morta. Depois disso, ele passou a tomar conta de Tom, mais de perto, mas nunca conseguiu provar nada enquanto ele ainda era aluno em Hogwarts.

Análise[editar | editar código-fonte]

Lord Voldemort, née Tom Marvolo Riddle, é o principal antagonista na série, e o único descendente vivo de Salazar Slytherin (pelo lado de sua mãe, Merope Gaunt e de seu avô Marvolo Gaunt). Sua única fidelidade é a si mesmo e ele é obcecado por obter imortalidade e poder total. Voldemort defende o elitismo do sangue puro, embora tenha um pai Trouxa e a mãe apenas seja bruxa, o que o torna mestiço, e considera os outros “sangues ruins” como lixo. Muito do caráter de Voldemort foi moldado por suas dificuldades e sua infância solitária num orfanato Trouxa. (eu, tradutora, discordo, acho que ele já era ruim como os Gaunt). Lá ele não tinha amigos, especialmente porque os outros órfãos Trouxas o temiam e se afastavam do garoto estranho, mas também porque ele se sentia superior e diferente deles. Sabendo que ele possuía poderes estranhos que os outros não tinham, Tom fazia coisas cruéis contra seus colegas órfãos, sempre roubando suas coisas como se fossem troféus. Voldemort tinha uma personalidade multifacetada, mas depois de entrar em Hogwarts, e saber que Dumbledore, pelo menos parcialmente, compreendia sua verdadeira natureza, ele construiu uma nova persona para si mesmo.

Ele se tornou um aluno quieto, modelo, usando o charme e astúcia para ganhar as graças de seus professores e juntar companheiros. Esse carisma o ajudou a chegar ao poder, ganhando muitos seguidores leais que adotaram sua ideologia a favor dos sangues puros. Voldemort raramente apreciava ou premiava a lealdade, ele governava através do medo, da crueldade e da intimidação, até mesmo de seus servos mais devotados, ele apenas queria atingir à sua meta. Não se sabe se o pai Trouxa de Tom, Tom Riddle Sr., algum dia soube que seu filho existia, aparentemente enganado por um falso casamento por Merope Gaunt, que provavelmente usou uma poção do amor para prendê-lo numa armadilha. Riddle a abandonou antes de Tom nascer. Sem nada saber, Tom cresceu odiando profundamente seu pai por abandoná-lo e à sua mãe, que morreu com o coração partido logo após o nascimento de Tom. Tom desprezava tanto seu sangue Trouxa, que ele matou seus parentes Riddle numa tentativa de apagar sua herança “suja”.

Se Tom seria diferente caso tivesse sido criado por por ambos os pais ou por um deles, só se pode especular. A família Riddle não conseguiria entender ou controlar os poderes especiais de Tom, provavelmente tendo medo dele e o rejeitando, enquanto que ele, com certeza iria considerá-los inferiores, fracos, e possivelmente descartáveis. Seus parentes Gaunt, no entanto, estavam firmemente presos às suas arrogantes crenças, idéias de sangue puro, se considerando superiores a todos os bruxos, mesmo que outros sangues puros, graças apenas a sua ancestralidade, embora as gerações anteriores tivessem acabado com a fortuna dos Gaunt, o que os afundou na pobreza e nas classes baixas. Esse ambiente provavelmente teria distorcido o desenvolvimento de Tom, embora Merope aparentemente tenha abandonado pelo menos, algumas crenças Gaunt e enfrentou sua família casando com um Trouxa, buscando uma vida melhor. Como a sua família Gaunt, Voldemort fala a língua das cobras (parselmouth). Esse traço é descendência de seu ancestral Salazar Slytherin. Como herdeiro de Slytherin, no segundo livro, a lembrança de Tom Riddle que estava guardada num diário é a única a controlar o Basilisco. Sem saber que Harry também é Parselmouth, Riddle o avisa que o Basilisco não vai responder a ele; Harry atende a seu conselho. Quando Voldemort tentou matar o bebê Harry, sem querer ele transferiu alguns de seus poderes, incluindo Parseltongue para o menino. Como isso ocorreu está melhor explicado no último livro.

Mais do que tudo, Voldemort teme a morte. O nome Voldemort pode ser interpretado como “vôo da morte” em francês. Para conseguir a imortalidade, Voldemort partiu sua alma em múltiplos fragmentos, colocando esses fragmentos em diversos objetos conhecidos como Horcruxes. Enquanto cada Horcrux estiver em perfeito estado, Voldemort não pode ser morto. Por despedaçar sua alma dessa forma, ela ficou irreparavelmente danificada, e conforme Harry, sistematicamente destruía os Horcruxes, os que ficavam se tornavam mais e mais frágeis, tornando Voldemort menos humano. Harry está ligado a Voldemort por um desses fragmentos, mas também por seu sangue que foi usado na ressurreição de Voldemort, e por suas varinhas. As varinhas dos dois possuem como miolo as penas da mesma fênix, Fawkes, o pet de Dumbledore. A reputação de Voldemort se tornou tão sombria e maligna, que simplesmente falar seu nome instilava pavor em quem ouvisse. Mas embora poderoso e aterrorizante como era o Lord das Trevas, era dito que Albus Dumbledore era o único bruxo que ele verdadeiramente temeu. Voldemort admitiu que jamais “procurou um duelo” com Dumbledore, mas depois declarou que Dumbledore “estava ficando fraco mais idoso”, e que ele “não era mais o bruxo que já havia sido”. Ele considerava os pontos de vista de Dumbledore com relação ao amor e lealdade, uma piada, acreditando apenas no poder e na habilidade em usá-lo. O excesso de confiança em si, e seu egoísmo eventualmente causaram sua queda. Também é interessante notar que a cicatriz de Harry não dói no livro dois, quando ele está lutando diretamente com a lembrança de Tom Riddle, que estava no diário Horcrux. Quando Riddle ataca Harry na Câmara, isso acontece mais ou menos quarenta anos depois que o diário foi criado e portanto, o Voldemort que infligiu a Harry a cicatriz e o Riddle com quem Harry está lutando são praticamente pessoas diferentes. É possível que tenha sido por isso que a cicatriz de Harry não reagiu ao jovem Riddle.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

  1. Apesar de ser casada, Bellatrix talvez tenha nutrido sentimentos românticos por Voldemort. Dê evidências contra e a favor disso.
  2. Se Bellatrix nutriu sentimentos românticos por Voldemort, eles eram recíprocos? Explique porque ou porque não. O que será que ele poderia sentir por ela?
  3. Voldemort poderia ter sido uma pessoa diferente se tivesse sido criado por seus pais ao invés de crescer num orfanato? Dê argumentos contra ou a favor disso.
  4. Por que Dumbledore é o único bruxo que Voldemort jamais temeu? Seja específico em suas respostas.
  5. Se Voldemort acreditava firmemente que os bruxos de sangue puro eram superiores, por que ele achava que o bebê Harry era “O Escolhido”, ao invés de Neville Longbottom, que é sangue puro?
  6. Compare as igualdades e diferenças entre os bruxos do mal, Lord Voldemort e Gellert Grindelwald. Qual deles era mais diabólico e poderoso? Dê exemplos específicos para apoiar sua resposta.

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Vale a pena lembrar que Voldemort ou Tom Marvolo Riddle, como ele ficou conhecido, nasceu em 31 de dezembro de 1926. Sua visão do mundo foi formada em sua maior parte num orfanato de Londres e mais tarde, em Hogwarts, numa época em que o partido Nacional Socialista (nazista) estava chegando ao poder na Alemanha. Isso deve ter influenciado sua crença sobre os bruxos de sangue puro e promovido a necessidade de erradicar os Trouxas. Isso seria um espelho das crenças na pureza Ariana e na Solução Final proposta na Alemanha da época. The author has mentioned this similarity as well, A autora também comentou a semelhança embora ela afirme que também foi pega de surpresa ao descobrir tantos detalhes similares.

Isso não significa que Voldemort era nazista, ou tinha qualquer simpatia pelas idéias do partido nazista; ele os via, sem dúvida, como tudo o mais, como divertidos mas totalmente insignificantes no mundo sem utilidade, dos Trouxas. No entanto, a idéia de “pureza racial”, envolvendo (nesse caso) eliminar qualquer um que não possa provar que descendia apenas de família bruxa, certamente deve ter sido a base para muitas ações de Voldemort.

Como mencionado, a cicatriz de Harry dói porque há dentro dele um fragmento da alma de Voldemort, que reconhecia e reagia à alma de Voldemort (ou ao que restou dela) sempre que eles estavam próximos, ou quando Voldemort experimentava fortes emoções. O fragmento de alma contra quem Harry lutou na Câmara Secreta, havia sido expulso de Voldemort por volta de uns quarenta anos antes, e portanto não havia muito o que reconhecer; com certeza, não o suficiente para o fragmento que estava dentro de Harry o reconhecer. Em apoio a isso, devemos também notar que Harry nunca sentiu dor alguma na cicatriz durante a batalha final com Voldemort, depois que o fragmento de alma que ele carregava já tinha sido destruído.

Numa entrevista após o ultimo livro, a autora explicou que a habilidade de ser Parselmouth, junto com sua ligação aos pensamentos de Voldemort, desapareceram quando o fragmento da alma de Voldemort que estava dentro de Harry foi destruído. A autora também afirmou que Harry nunca sentiu falta dessas habilidades.