Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Gilderoy Lockhart

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Gilderoy Lockhart
  • sexo = Masculino
  • cabelos = dourados
  • olhos = azuis
  • família = desconhecido
  • lealdade = a si mesmo, à sua própria fama

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

Gilderoy Lockhart é famoso no mundo dos bruxos. Ele foi condecorado com a Ordem de Merlin, 3ª classe, é um Membro Honorário da Liga de Defesa contra as Forças do Mal e venceu por cinco vezes o concurso do Sorriso Mais Charmoso do Semanário das Bruxas Ele é Professor de DCAT durante o segundo ano de Harry. Lockhart escreveu vários livros best-sellers de cronicas de suas aventuras emocionantes, e ele ama sua própria fama.

De acordo com informações do site Pottermore, o aniversário de Gilderoy Lockhart é dia 26 de janeiro e sua varinha é de cerejeira e corda de coração de dragão. Ele adquiriu fama de maneira aparentemente rápida e se formou em Hogwarts (ele era membro da Ravenclaw) apenas uma década entes de retornar como professor.

Papel nos Livros[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A Câmara Secreta[editar | editar código-fonte]

Primeiro vemos Lockhart de forma indireta, como autor do livro Como Eliminar Pestes Domésticas. Como castigo por terem pego o carro do pai, Mrs. Weasley obriga Ron, Fred e George a desgnomizar o jardim e avisa para olharem o livro de Gilderoy para instruções. Harry se oferece para ajudar, e como os outros, logo estava girando os gnomos rapidamente em círculos para desorientá-los, depois os atirando por cima da cerca. Isso parecia efetivo, quando terminaram, Harry vê uma pequena fila de gnomos tontos andando num bosque ao longe; mas, quase ao por do sol, ele os vê encontrando o caminho através da sebe, de volta para o jardim.

Quando chega a lista de materiais da escola, parece que o novo professor de DCAT, escolheu todos os livros de Lockhart, com a exceção de sua nova autobiografia, como livros texto do curso. Fred e George, que já tinham comentado que a mãe era fã de Gilderoy, agora acham que o novo professor de DCAT deve ser uma bruxa de meia idade. Eles comentam também que os livros vão custar caro.

Quando a família chega ao Beco Diagonal, encontram Lockhart em pessoa, na Floreios e Borrões, autografando sua nova autobiografia, Magical Me. Mrs. Weasley já está na fila, e arrasta Harry, Ron e os gêmeos com ela, Ginny fica mais atrás. Quando o fotografo do Profeta Diário empurra Ron para fora do caminho para poder tirar uma foto, Lockhart vê Harry na fila, e arrasta o garoto para a mesa, dizendo que os dois juntos vão dar uma bela primeira página. Ele então dá a Harry toda sua coleção de livros, sorrindo abertamente o tempo todo, e aproveita a oportunidade para anunciar que aceitou o cargo de professor de DCAT em Hogwarts.

Assim que se vê livre, Harry se esgueira para trás da multidão, encontra Ginny e joga os livros de Lockhart dentro do caldeirão dela. Logo após essa ocorrência começa uma briga entre Arthur Weasley e Lucius Malfoy, que é apartada por Hagrid. Enquanto Mrs. Weasley fica preocupada com o que Lockhart vai pensar sobre eles discutindo dentro da loja, Fred comenta que ele estava combinando com o fotografo como tornar a notícia mais badalada.

Harry e Ron, não conseguindo pegar o Expresso de Hogwarts, usam o carro voador de Mr. Weasley para chegar a Hogwarts. O carro entra em pane e tromba no Salgueiro Lutador. No dia seguinte vimos Lockhart enquanto Harry está indo para aula de Herbologia; ele está andando junto como a Professora Sprout, aparentemente “ajudando-a” dizendo como proceder nos primeiros socorros à árvore. Vale a pena dizer que a Professora Sprout está carregando todo o material de primeiros socorros e parece um tanto exasperada, além de estar com alguns hematomas, enquanto Lockhart está absolutamente bem.

Lockhart diz que se culpa por ter dado a Harry o gostinho da fama na Floreios e Borrões, ele compreende que Harry estava apenas tentando ficar famoso e ser reconhecido, e foi por isso que pegou o carro voador para ir para Hogwarts. De maneira paternal, ele avisa a Harry para tomar cuidado porque ele pode estar desejando demais, e que deve pegar mais leve na sua busca pela fama.

Na primeira aula de DCAT, Lockhart manda a turma fazer um teste escrito, para ver quem leu os livros texto, Harry e Ron ficam espantados; o teste é todo de perguntas sobre Lockhart. Hermione acerta todas as respostas, claro. Lockhart então propõe um exemplo prático, e solta uma gaiola cheia de Diabretes da Cornualha. Os diabretes logo criam o caos na sala de aula. Tentando fazê-los voltar à gaiola, Lockhart conjura uma magia que não funciona; um diabrete agarra a varinha dele e joga pela janela. Quando o sino toca, a maioria da turma sai; Lockhart também vai embora e diz a Ron, Harry e Hermione para “terminar de limpar tudo ali”. Ron diz que acha que Lockhart não é bem um bruxo. Hermione retruca, dizendo “Olha tudo que ele já fez!” Ron responde baixinho, “O que ele diz que fez.”

O adorador de hérois Colin Creevey pede a Harry para posar para uma fotografia. Draco passando por ali, começa a zombar sobre Harry começar a autografar fotos; Lockhart chegando na hora, se coloca no centro da foto, depois puxa Harry para o lado para dar mais alguns “conselhos sobre como lidar com a fama”. É mencionado de passagem, que a foto mostra Lockhart tentando puxar Harry para o lado dele mas falhando.

Quando Ron tenta amaldiçoar Malfoy, porque Malfoy xingou Hermione, a maldição sai pela culatra e Harry e Hermione levam o garoto até Hagrid para pedir ajuda, parando para evitar Lockhart, que está saindo da cabana de Hagrid. Hagrid conta para eles que Lockhart foi o único candidato ao cargo de professor de DCAT, e, coisa que não é comum a Hagrid, ele faz uma crítica dizendo que os livros de Lockhart talvez não sejam muito confiáveis. Ele também brinca sobre Harry dar fotos autografadas, e diz que Lockhart não ficaria nada satisfeito ao ouvir Hagrid dizer que Harry já é mais famoso do que Lockhart poderia ser um dia.

Ao retornar ao castelo, a Professora McGonagall diz a Harry que o castigo pelo episódio do carro voador, será ajudar o Professor Lockhart com seu correio de fãs, e que Lockhart pediu que fosse Harry, especificamente. Harry, amuado, se apresenta no escritório de Lockhart na mesma tarde, encontrando montes de posters de Lockhart, alguns deles autografados. Chateado, Harry se prepara para endereçar os envelopes, enquanto Lockhart fala sem parar a respeito do preço da fama, e assina as fotos. Harry de repente, escuta uma voz, sem ser a de Lockhart, mas olhando em volta, não consegue encontrar a fonte de onde vem a voz. Lockhart percebe que já é tarde e dispensa Harry.

Quando Mrs. Norris é encontrada pendurada num suporte de tocha, o Professor Dumbledore avisa que é preciso examiná-la; Lockhart logo oferece seu escritório. Dumbledore pede a Harry, Ron e Hermione para acompanhá-los, uma vez que foram eles que descobriram Mrs. Norris; o Professor Snape, a Professora McGonagall, e Argus Filch os acompanham. Assim que entram Harry percebe que os ocupantes da maioria dos posters de Lockhart se escondem; ele acredita que viu alguns deles usando rolinhos nos cabelos. Assim que Dumbledore examina a gata, Lockhart começa a contar sobre como poderia tê-la salvo se estivesse lá; Harry nota os ocupantes dos posters espiando no canto das molduras, alguns deles acenando com a cabeça em concordância, e vê que pelo menos um deles ainda está usando uma rede nos cabelos. Quando Dumbledore afirma que Mrs. Norris não está morta, e sim petrificada, Lockhart diz que ele pode preparar rapidamente uma Poção Restauradora. Snape comenta um tanto friamente, que pensava que fosse ele o professor de Poções da escola.

Para determiner se Draco Malfoy era o herdeiro de Slytherin, Hermione planeja usar a Poção Polissuco para torná-los cópias de alunos da Slytherin. No entanto, as instruções para fazer a Poção, está num livro “As Poções Mais Poderosas”, que fica na seção restrita da biblioteca, e eles precisam de um passe para entrar lá. Ron acredita que vai ser muito difícil arranjar um professor bobo o suficiente para assinar o passe para um livro como esse... Lockhart, nesse meio tempo, depois do vexame dos diabretes, resolveu reencenar cenas de seus livros, com a ajuda de Harry. Na próxima vez que vemos Lockhart, Harry tem que fazer o papel de lobisomem para Lockhart agir em cena. Reparamos que Harry está aborrecido com isso, mas ficamos sabendo que ele está participando por uma razão. No final da aula, Hermione, Ron e Harry se aproximam de Lockhart com um papel, e Hermione explica que eles precisam pegar o livro “As Poções Mais Poderosas” na biblioteca porque isso vai ajudá-la a compreender melhor uma coisa nos livros de Lockhart. Lockhart assina o passe com uma exagerada pena de pavão, e Hermione, com Harry e Ron junto corre para a biblioteca para pegar o livro.

No jogo de Quadribol contra a Slytherin, que ocorre no dia seguinte, um balaço parece ter sido encantado para atacar Harry. Enquanto ele tenta se esquivar durante a maior parte do jogo, de repente ele vê o Pomo e se prepara para pegá-lo, o balaço o acerta e quebra seu pulso. Lockhart então, ignorando os protestos de Harry, se oferece para ajudar mas, o feitiço que usa acaba removendo todos os ossos do braço de Harry.

Uma semana antes das férias de Natal, começa a novidade da criação de um Clube de Duelos. Harry, Ron e Hermione ficam interessados e vão se inscrever, mas ficam desapontados quando descobrem que será com Lockhart. Como demonstração, Lockhart enfrenta o Professor Snape, passa pelas formalidades e logo é desarmado e atirado longe, escorrega pela parede e corre do palco. Ao invés de tentar uma segunda vez, vendo a raiva no rosto de Snape, Lockhart inventa dos alunos formarem grupos de dois. Snape intervém, separando Harry e Ron e deixando Harry ficar para enfrentar Draco; Ron fica com Seamus Finnigan e Hermione com Millicent Bullstrode. No contar “três”, começa o caos; em meio às maldições voando por todo lado, Lockhart grita para todos pararem, mas é Snape que acaba com a bagunça. Assim que acaba a fumaça, Lockhart sugere por uma dupla de alunos no palco para demonstração e sugere que sejam Neville e Justin Finch-Fletchley. Snape diz que é muito arriscado para Justin, porque Neville faz confusão em cada feitiço, então sugere Harry contra Draco. No fim da contagem, Draco lança a Serpensortia, conjurando uma serpente. Lockhart intervém dizendo que vai mandar a serpente embora, mas seu feitiço manda a serpente pelo ar uns 300 metros, e ela aterrisa em frente a Justin. Vendo que ela está prestes a atacar Justin, Harry diz à serpente para parar e fica surpreso quando ela, de fato, para. Snape então destrói a serpente, olhando especulativo para Harry. Justin pergunta a Harry o que ele pensa que está fazendo, e sai correndo; Ron e Hermione também vão embora, e Ron diz que não sabia que Harry era Parselmouth. Harry admite que ele também não sabia, e Hermione comenta que essa é uma habilidade muito rara, e historicamente ligada aos descendentes de Salazar Slytherin.

Nas longas férias depois do Natal, não há sinal do Monstro da Câmara – a petrificação de Justin antes do Natal foi a última. Lockhart, é claro, toma para si o crédito de ter assustado a criatura, e sugere que eles precisam de “algo para levantar o moral”. No Dia dos Namorados, descobrimos que a idéia de Lockhart era: do teto do Grande Salão caiam confetes em forma de coração, e Lockhart recrutou alguns anões vestidos de Cupido para andarem pela escola cantando música românticas.

Quando Hermione e Penelope Clearwater são atacadas, a Professora McGonagall ordena novas restrições para a segurança dos alunos, incluindo um toque de recolher os obrigando a estar em seus dormitórios, assim não houve mais atividades noturnas, e um aviso de que eles teriam que ser acompanhados entre as aulas por professores. Logo após, Dumbledore é suspenso de seu cargo de diretor e Hagrid é preso como suspeito de permitir a saída do Monstro, da Câmara Secreta. Lockhart agora acha que as precauções de McGonagall são desnecessárias, porque com a prisão de Hagrid, não acontecerão mais ataques; os outros professores, porém, não acreditam, e continuam a fazer suas obrigações e acompanhar os alunos.

Harry eRon haviam visitado Aragogue a respeito do que estava acontecendo e acreditam que a Murta-Que-Geme foi morta pelo monstro, quando este foi solto há 50 anos atrás e querem falar com ela para saber sobre o Monstro.

Lockhart está certo de que não há mais perigo e está cansado de patrulhar os corredores à noite, e isso permite que os garotos possam sair e procurar a Murta: eles sugerm a Lockhart que podem ir sozinhos para a próxima aula e que ele parece cansado. Ele vai para o seu escritório, e Harry e Ron correm para procurar a Murta.

Tendo estado na ala hospitalar e descoberto alguma informação com Hermione, Harry e Ron determinam onde fica a entrada da Câmara, e que o Monstro é um Basilisco, assim decidem que precisam falar com a Professora McGonagall. Eles estão esperando na Sala dos Professores para falar com ela quando os alunos são enviados a seus dormitórios; se escondendo num armário eles escutam que Ginny foi levada para a Câmara. Eles escutam também Lockhart, chegando atrasado, ser chamado por McGonagall a resolver o problema do Monstro, uma vez que sabe onde é a Câmara e sabe o que vive dentro dela. Muito nervoso ele vai embora.

Harry e Ron encontram Lockhart em seu escritório, arrumando suas malas freneticamente. Lockhart admite para eles que, na verdade, não fez nada do que conta em seus livros, que outras pessoas fizeram e ele apenas escreveu o que lhe contaram. As pessoas que fizeram tudo aquilo não eram fotogênicas, então melhor que ele, bonito e interessante, tomasse o crédito pelas histórias. E ele, também tem muito bons feitiços de memória (Obliviate) que impedem que essas pessoas recordem e reclamem que ele roubou suas histórias. Sendo assim, ele tenta enfeitiçar Harry e Ron, mas Harry o desarma. Ron joga a varinha de Lockhart pela janela. Com duas varinhas apontadas para suas costas, Lockhart é obrigado a ir até o banheiro da Murta.

Lá, Harry abre a entrada da Câmara, obriga Lockhart primeiro a descer pelo túnel; Harry e Ron seguem. Lá embaixo eles descobrem uma enorme pele de cobra que foi trocada. Lockhart ao ver aquilo, parece que vai desmaiar, então, agarrando a varinha de Ron, diz aos dois garotos que ele vai levar aquela pele como prova de que venceu o monstro, e azar o de Ginny. No entanto ao tentar usar a varinha quebrada de Ron, para modificar a memória dos dois, a varinha explode em cima dele. O teto cai entre Harry e Ron e Lockhart perde por completo sua memória.

Quando Harry volta da Câmara com Ginny e Fawkes, V mal pode se lembrar de quem ele é, e apenas reconhece Harry vagamente. Ele passa o resto do livro indo é mandado, olhando vagamente para as coisas e resmungando baixinho consigo mesmo.

A Ordem da Fênix[editar | editar código-fonte]

Quando visitam Arthur Weasley no hospital St. Mungo, em Londres, Harry, Ron, Hermione e Ginny vêem Lockhart, que ainda está sem memória. A enfermeira fica feliz por ver que ele tem visitas e os quatro alunos se sentem obrigados a parar para vê-lo. Gilderoy parece ter feito pouco progresso na recuperação de sua memória; ele não consegue lembrar de Harry e também não sabe porque as pessoas continuam a escrever para ele. No entanto, ele recuperou seu amor por dar autógrafos em suas fotos, o que a enfermeira acha muito bom, e parece que ele finalmente reaprendeu a escrever de forma cursiva.

A visita de Harry a Lockhart é uma maneira de nos apresentar a diversos personagens que também estão sofrendo de doenças aparentemente sem cura. Broderick Bode , Frank e Alice Longbottom os pais de Neville.

Pontos Fortes[editar | editar código-fonte]

Seu sorriso é um ponto importante, pelo menos para ele, e ele se refere repetidamente aos cinco prêmios que recebeu com o que considera um tremendo charme (embora Harry e Ron achem um tanto doentio). Ele possui a habilidade de manipular os outros personagens, usando seu charme e sua aparência física. Parece que ele possui também grande habilidade como feitiço Obliviate (feitiço de memória).

Pontos Fracos[editar | editar código-fonte]

Lockhart é incapaz de usar magia além do feitiço de memória.Quando tenta consertar o braço quebrado de Harry, os ossos do braço do garoto desaparecem.

Lockhart é uma fraude, ele usa suas conquistas para ganhar fama. Nas aulas de DCAT, ele apenas usa seus próprios trabalhos como livros texto, e gosta de exibir suas aventuras publicadas, que mais tarde descobrimos que foram aventuras de outros bruxos e bruxas menos fotogênicos. Apesar de todas as suas magias darem errado, Lockhart parece não se dar conta de que aqueles cujo sucesso ele tomou para si, deram a ele informações falsas de como fizeram as magias.

Lockhart possui um senso extremo de sua própria importância, e uma falta de habilidade de ver as coisas de qualquer ponto de vista que não seja o seu. Ele parece acreditar que a única motivação de Harry, como a sua própria, é o amor pelos holofotes, e tenta ensinar a Harry como lidar com a fama.

Relacionamentos com Outros Personagens[editar | editar código-fonte]

Lockhart é popular com as personagens femininas no segundo livro, especialmente Molly Weasley e Hermione Granger. Ele é uma celebridade no mundo mágico, por suas (falsas) explorações, que ele documentou numa série de livros best sellers.

Lockhart explora os outros apenas pela fama, em particular criando uma ligação com Harry sempre que pode. Ele usa essa ligação puramente para gerar publicidade para si mesmo. Sua suposta amizade com Harry é mostrada em toda sua falsidade, quando ele tenta usar no garoto um feitiço de memória.

Análise[editar | editar código-fonte]

Apesar de toda a fama de Lockhart, Harry e Ron percebem imediatamente quem ele é, e o consideram um falso bruxo, exibido e que gosta apenas de se engrandecer. Harry deve ter chegado a essa conclusão até mesmo antes de Ron; Ron, no capitulo 3 do segundo livro, aparentemente não percebe a falha na desgnomização de Lockhart. Muitas alunas bruxas, incluindo Hermione, tem uma queda por ele, assim como muitas bruxas de meia idade, incluindo Mrs. Weasley.

Lockhart praticamente não percebe as outras pessoas. Ele parece achar que todos são parecidos com ele e gostam de se engrandecer. Ele continua a puxar Harry para o lado para oferecer pequenos conselhos de como lidar com a fama. Ele não consegue ver que Harry não quer ser famoso. Harry vê, muito melhor do que Gilderoy, que quando alguém está sob os refletores, cada ação, inclusive as menos lisonjeiras, são observadas. Lockhart claramente sabe que não pode errar, ou pode usar um feitiço de memória para encobrir seus erros, enquanto Harry sente que ele não faz parte do mundo bruxo, como deveria.

É interessante, talvez, que embora faça esforços sofisticados para esconder seu comportamento fraudulento, que todos os funcionários de Hogwarts, incluindo Poppy Pomfrey e a Professora Sprout, ambas sendo “bruxas de meia idade” parecem saber que ele não é quem aparenta ser. O comentário de Dumbledore quando vem a saber que Lockhart destruiu sua própria memória, “Atingido por sua própria espada, Gilderoy?” significa que ele não ficou de todo surpreso ao compreender que, de fato, todo o sucesso de Gilderoy era baseado em feitiços de memória. Se Dumbledore já sabia disso, ou se apenas não ficou surpreso pela revelação, não se sabe, e na verdade nem é importante.

É interessante falarmos da varinha de Lockart. Sabemos que a autora fez um esforço para que as varinhas combinassem com a personalidade do bruxo ou bruxa a quem pertencessem; há mais informações sobre isso no artigo sobre as varinhas. Fora seu requinte com a aparência e auto engrandecimento, Lockart é bastante romântico. Que tipo de pessoa é melosa o bastante para enviar grupos de Cupidos entregando cartões de Dia dos Namorados pela escola afora? Com certeza sua varinha teria corda de coração. Também percebemos a conotação romântica de cerejeira; mas, a respeito desse ponto, lembramos que os leitores desses livros ainda não são adolescentes, mas estão próximos.

Nota[editar | editar código-fonte]

No primeiro link a autora afirma que Gilderoy Lockart é a única pessoa em seus livros que foi baseada em alguém que conheceu. No segundo link a autora afirma que Lockart “não” foi baseado em seu primeiro marido.

The author has stated

She has further stated

É um pouco dificil entender porque a autora colocou um personagem como Lockhart na história. É verdade que Harry deveria ter algum antagonista em cada livro para manter o interesse, tendo sempre uma disputa não importa qual fosse. A autora também parece ser muito habilidosa na arte de criar um antagonista de nível inferior, de modo que este distraísse nossa atenção da batalha que viria a acontecer. Mas, por que um almofadinha como Lockhart? Talvez a intenção fosse mostrar a seus leitores que esse tipo de adulto existe; e achamos que os leitores desse livro, aqueles com 12 anos ou um pouco menos com certeza já tiveram alguma experiência ao observar esse hábito de auto-engrandecimento entre seus amigos, e a autora pode estar tentando mostrar que o problema não é restrito apenas às crianças. Desconfiamos que ao mostrar esse tipo de glamour, a autora pretendeu mostrar que seus leitores podem se vacinar contra isso.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

  1. A personalidade de Lockhart permanece a mesma, até depois que sua memória foi removida. O que isso diz sobre o caráter de uma pessoa versus as experiências de uma pessoa?
  2. Por que alguém mentiria sobre suas realizações?
  3. De acordo com o caráter de Lockhart, e o que ele fez, a qual Casa de Hogwarts você acredita que ele pertencia? Por que?

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Não se sabe se a autora já havia planejado a reaparição de Lockhart no livro cinco, quando ele arruinou sua memória no final do livro dois, ou se foi simplesmente casual. Era necessário levar o Trio a fazer contato com algumas pessoas que tivessem um problema de saúde sem cura; em particular, seu encontro com Broderick Bode nesse ponto era necessário para esclarecer a trama, como parte da sequencia que revela o interesse de Voldemort na profecia, que fica guardada no Ministério da Magia.

Foi interessante, embora não necessário, que o Trio conhecesse os pais de Neville nesse ponto; embora o leitor já tivesse lido a respeito deles, vê-los, ajuda nosso entendimento sobre Neville

Ver Lockhart aparecer na porta da escada nos dá um “clique”, dá mais interesse para visitar Bode e ver os Longbottoms do que seria se ele não estivesse lá. Bode devaneando, significa muito pouco para Harry, e a única forma que eles poderiam ver Neville seria quando ele chega ou sai dessa ala hospitalar. Se Harry encontrasse Neville quando estava se aproximando daquela ala, certamente o Trio teria seguido seu caminho até a lanchonete, até mesmo por delicadeza, ao invés de ficar com Neville quando ele está de visita aos seus pais. E se Neville estivesse saindo, não haveria incentivo para o Trio entrar no local de onde ele havia saído.

Ainda não tínhamos encontrado nenhum outro bruxo com um dano mental profundo, causado por um feitiço ou outra coisa do tipo, e portanto não teríamos razão alguma para visitar Bode, exceto Lockhart. Sua presença, no entanto, pode ter sido puramente acidental, ao invés de ser algo já planejado pela autora.