Guia dos Trouxas para Harry Potter/Lugares/O Expresso de Hogwarts

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Expresso de Hogwarts
  • localização = Kings Cross Station - Hogsmeade
  • residentes permanentes = nenhum
  • Aparece pela Primeira Vez = A Pedra Filosofal


Visão Geral[editar | editar código-fonte]

O Expresso de Hogwarts é um trem que viaja entre a Plataforma 9 e Três Quartos na Estação de Kings Cross em Londres e a aldeia de Hogsmeade, que é a estação para a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Esse é um trem especial que leva os estudantes para a escola em setembro e os trás de volta a Londres em junho ou julho. Puxado por uma máquina a vapor, o Expresso consiste num determinado número de vagões de passageiro à moda antiga, com compartimentos. Cada compartimento para mais ou menos oito pessoas e ao lado um corredor do tamanho do vagão com uma porta separando o compartimento do corredor.

Em geral, Harry e alguns de seus amigos dividem o compartimento durante a viagem. Como em muitos trens de passageiros, o Expresso tem um carrinho empurrado por um vendedor onde se pode comprar gulodices. Na primeira vez que o vê, Harry fica espantado porque não reconhece nenhum dos tipos de guloseima ou bebidas do carrinho, mas isso não o impede de comprar montes de sapos de chocolate, feijõezinhos de todos os sabores, chicles de bola, tortinhas de abóbora, bolos de caldeirão e varinhas de alcaçuz entre outras coisas.

Descrição Estendida[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Aparentemente, todos os estudantes que vão para Hogwarts têm que usar o Expresso de Hogwarts para chegar lá. A localização física de Hogwarts é oculta, e a própria escola não é localizável, isso significando que, ela não é encontrada num mapa, magicamente ou de outra forma, parece que o Expresso de Hogwarts é o único meio de localizá-la.

No entanto, Ron e Harry não tiveram problemas em encontrá-la no livro A Câmara Secreta capitulo 5, embora eles tivessem ido seguindo o Expresso até encontrar.

Sabemos que o Expresso funciona no início do ano escolar, em primeiro de setembro e novamente no final do ano no dia seguinte ao fechamento da escola. A história não fala sobre ele funcionar no começo e final das férias de Natal, e no começo e final das férias de Páscoa. Embora nada tenhamos visto a respeito, com certeza o Expresso funciona, afinal ele não deixaria de funcionar apenas para duas das seis viagens para a escola.

É no Expresso de Hogwarts, no primeiro livro, capitulo 6 que Harry se apresenta para Ron e onde eles encontram Hermione, Neville, Draco, Crabbe, Goyle, Luna e todos os personagens que vão ter papel importante na história. (Harry já havia encontrado Draco antes, mas só no trem é que ele descobre seu nome). A viagem de volta para Londres nos livros, é mencionada apenas de passagem.


Harry e Ron encontram a Plataforma bloqueada no segundo livro, capitulo 5 e não conseguem pegar o trem, mas eles o seguem no carro voador de Mr. Weasley, até encontrar Hogwarts. No capitulo 18, o retorno para Londres, o Expresso aparece rapidamente, é lá que Ginny conta que Percy tem uma namorada e foi por isso que Percy impediu que ela revelasse algo, achando que era isso.

A viagem para Hogwarts no terceiro livro, capitulo 5 é partilhada com o Professor Lupin, que passa a maior parte da viagem dormindo, embora acorde para defender Harry dos dementadores. Sua presença também impede Draco de azarar Harry. No capitulo 22, do mesmo livro, ouvimos Hermione planejando seus horários de aulas que não precisam do uso de um Vira Tempo. Harry recebe uma carta de Sirius e ficamos sabendo que Sirius conseguiu fugir, e Ron ganha uma pequena coruja que logo é chamada de Pichitinho.

No quarto livro, capitulo 11, ouvimos Draco no compartimento ao lado falando sobre uma escola de magia chamada Durmstrang, mas a maior parte da conversa é sobre a Copa do Mundo de Quadribol. Draco vai ao compartimento de Harry para implicar com ele e com Ron, mas como também estão presentes Dean, Seamus e Neville, ele desiste. Ainda nesse livro, capitulo 37, o retorno a Londres é interrompido por Draco, Crabbe e Goyle irrompendo no compartimento de Harry, dizendo que agora que Lord Voldemort voltou, ele ficou do lado errado. A tentativa deles de azarar o Trio, é frustrada por Harry e Hermione com a ajuda de Fred e George. Quando chegam a Londres, Harry dá aos gêmeos o que ganhou no Torneio Tribruxo, para que eles apliquem na futura loja de logros, com a única condição de que eles comprem para Ron algumas vestes decentes.

Pelo fato de ter sido sistematicamente injuriado pelo Profeta Diário durante todo o verão, ele tenta, sem sucesso, encontrar um compartimento vazio no trem, no livro cinco capitulo 10. Harry fica deprimido porque Ron e Hermione partem para a frente do trem, onde, eles dizem, os Monitores vão se encontrar em um compartimento especial. Eventualmente, ele, Ginny e Neville se arranjam num compartimento com apenas outro ocupante, Luna Lovegood. Ali, Neville mostra as características defensivas da Mimbulus Mimbletonia, a planta que ele ganhou de aniversário. O compartimento, portanto, está cheio do líquido verde escuro e pegajoso e também malcheiroso da planta quando Cho Chang abre a porta para dizer oi. Ron e Hermione voltam e dizem quem são os monitores do resto do ano. Como sempre, Draco começa a implicar com Harry, perguntando o que ele acha de ser o segundo de Ron pelo menos por uma vez? Hermione tenta colocá-lo para fora, mas ela e Harry percebem que Draco comentou ter visto Sirius na estação. No capitulo 38, a viagem de volta é marcada outra vez, por um ataque de Draco e seus asseclas, dessa vez frustrado por vários membros da Armada de Dumbledore. Nesse ponto há algumas histórias românticas, quando Harry diz que seu romance com Cho acabou, e Ginny admite que dispensou Michael Corner para ficar com Dean Thomas,

No sexton livro, capitulo 7, a viagem no Expresso é bastante agitada. Harry mal se acomoda em seu lugar e entram diversas garotas para perguntar se podem sentar ali também; achando tudo suspeito, Harry recusa. Hermione diz que Harry cresceu durante o verão e está muito bonito, além de sua nova reputação com a mudança de posição do Profeta Diário. Harry ouve Draco falar de uma missão que recebeu, e tenta escutar, sem sucesso. Harry e Neville recebem convites para uma reunião sendo oferecida pelo Professor Slughorn em seu compartimento lá no inicio do trem. Encontrando lá outro convidado, Blaise Zabini, assim que acaba a reunião, Harry usa sua Capa da Invisibilidade para seguir Zabini até o compartimento que ele divide com Draco. Draco percebe quando Harry sobe na prateleira de bagagens, mas não diz nada, e não deixa nada escapar, até que o trem chega em Hogsmeade; então, ele lança o Petrificus Totalus, quebra o nariz de Harry e o larga escondido sob a Capa da Invisibilidade, quando o trem começa a virar para voltar para Londres. Ele é resgatado no último momento por Tonks, que foi colocada como guarda da escola. O sexto livro termina antes de Harry entrar no Expresso para voltar a Londres, e como Harry não volta para Hogwarts no sétimo livro, o trem é mencionado apenas de passagem, quando Ron fica imaginando se os Comensais da Morte vão estar esperando que eles tomem o trem no dia 1º de setembro.

Análise[editar | editar código-fonte]

Um ponto importante da história é que o Expresso parece ser considerado, legalmente, uma extensão de Hogwarts, portanto o uso de magia por bruxos menores de idade, não é banido do trem. Ainda que o trem seja vigiado por Monitores, em geral não há supervisão de adultos. (Vimos acima que o Professor Lupin fez uma supervisão minima quando foi para a escola no terceiro livro e o Professor Slughorn, no sexto livro, se limitou a dar um passeio pelos corredores fazendo convites para sua reunião, limitada ao seu compartimento.)

Assim como a Plataforma Nove e Três Quartos representa a transição do mundo Trouxa para o mundo mágico, o Expresso é o lugar onde nós voltamos a mergulhar na magia, e é importante que a magia não tenha restrições ali. A falta de vigias adultos é bem lógica porque o Expresso é um trem; um adulto ou um simples monitor podem tomar conta de no máximo dois vagões e do corredor de um vagão apenas, deixando a grande maioria dos alunos fora de sua visão. Como já vimos, duelos de magia acontecem no Expresso sem que haja alguma repercussão no Ministério. Obrigar legalmente a todos os estudantes de Hogwarts irem para a escola no Expresso é uma idéia genial da escritora, acontece para fazer com que as interações entre os estudantes ocorram num ambiente sem vigias. Ao mesmo tempo, os estudantes que talvez vivam em Hogsmeade e freqüentam Hogwarts, embora vivam ao lado do castelo, precisam ir até Londres a cada dia primeiro de setembro, e depois voltar todo o caminho, praticamente durante um dia inteiro no Expresso de Hogwarts.

A titulo de curiosidade, notamos que um vagão com a configuração normal, possui dez compartimentos. Com 8 alunos em cada compartimento, nos dá 80 alunos em cada vagão. Se a lotação da escola for de 280 alunos, isso significa pelo menos quatro vagões; se a população da escola for 840, temos 11 vagões. Se usarmos o número maior e ainda tiver um vagão de bagagem e parte dos freios, e com certeza, um vagão adicional de passageiros, terminamos com a locomotiva puxando 14 vagões, o que seria bastante, mas não demais para uma grande locomotiva a vapor.

No livro cinco, é dito de passage que existe um compartimento só para os monitores no inicio do trem. Podemos imaginar então que esse, deve ser maior que o comum, porque há doze monitores (Ron e Hermione são escolhidos no seu quinto ano, e suas obrigações continuam durante o sexto e sétimo anos; dois monitores para cada Casa, pelos anos quinto, sexto e sétimo dão um total de doze ( incluindo o Monitor Chefe e a Monitora Chefe).

Quando o Slug Club se reuniu no livro seis capitulo 7, havia apenas sete pessoas, incluindo o Professor Slughorn, que deve ter usado dois lugares para si mesmo e assim ficaríamos com um compartimento para oito pessoas.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Embora pareça que o trem é vigiado pelos monitores, também parece que isso não é cumprido nem mesmo pelos monitores mais meticulosos. Hermione comenta que ela e Ron devem ficar de vigia, mas fica no compartimento com Ron e Harry; com a exceção de Draco perturbando e implicando com Harry nos anos 5 e 6, nunca vimos qualquer monitor vigiando os alunos no Expresso. Mesmo Percy, todo pomposo e metido a importante como ele é, não aparece no Expresso de Hogwarts nos primeiros três livros, embora seja de esperar que ele meta a cabeça no compartimento onde Ron está para “se certificar que seu irmãozinho não está se metendo em confusão.” Nossa impressão é que essa falta de qualquer forma de supervisão seja proposital da parte da autora; uma pequena folga com liberdade antes que a escola comece, sem os pais, professores, monitores, ou o Ministério olhando sobre o ombro dos jovens bruxos.