Guia dos Trouxas para Harry Potter/Lugares/Casa dos Gritos

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Casa dos Gritos


Visão Geral[editar | editar código-fonte]

A Casa dos Gritos é famosa por ser a casa mais mal assombrada da Grã Bretanha. É uma casa pequena, uma cabana, que fica um tanto distante da aldeia de Hogsmeade, possui uma cerca e todas as janelas e portas são tapadas com tapumes.

Descrição Estendida[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

O Prisioneiro de Azkaban[editar | editar código-fonte]

A Casa dos Gritos ganhou essa reputação uns dez ou vinte anos antes de nossa história começar, quando gritos e uivos saiam de dentro da casa em épocas estranhas. No terceiro livro descobrimos que se chega à Casa dos Gritos através de um túnel que começa debaixo do Salgueiro Lutador, uma árvore animada com péssimo temperamento.

Os gritos e uivos eram, na época produzidos por Remus Lupin, que é um lobisomem. Quando Lupin era criança, a Casa era usada para mantê-lo seguro durante suas transformações mensais, de modo que no restante do tempo ele pudesse freqüentar Hogwarts. Uma vez transformado, quando estava na Casa dos Gritos, ele não podia escapar, e ninguém poderia entrar lá sem conhecer o segredo do Salgueiro Lutador, de modo a manter a segurança de todos. Além do mais, a Casa é tão distante dos terrenos de Hogwarts, que ninguém poderia ligar os sons da Casa com um aluno ausente, desse modo Lupin poderia manter em segredo sua licantropia.

Essas revelações são feitas dentro da Casa dos Gritos, no terceiro livro, capitulo 18. Harry e Hermione seguem o túnel para resgatar Ron, que foi arrastado para lá por um grande cão negro. O cão é a forma Animago de Sirius Black, que tentava pegar Perebas, o rato pet de Ron. Perebas é o disfarce de Peter Pettigrew, outro Animago que traiu os pais de Harry para Lord Voldemort e culpou Sirius Black por um crime que ele não cometeu. Quem se junta ao grupo é Lupin, que explica tudo, o relacionamento de Black e de Pettigrew com o pai de Harry e também sobre o Salgueiro Lutador e a passagem secreta sob ele.

As Relíquias da Morte[editar | editar código-fonte]

A Casa dos Gritos aparece novamente nesse livro, capitulo 32, de onde Voldemort sai para o primeiro ataque a Hogwarts. Voldemort abriu uma janela para ver a batalha. Ele aparentemente não sabe da passagem secreta para Hogwarts; Harry, Ron e Hermione usam a passagem para espioná-lo e também vêem a morte de Snape de seu esconderijo.

Análise[editar | editar código-fonte]

A Casa dos Gritos e sua ligação secreta com a escola, são maneiras muito interessantes de manter a salvo o lobisomem Lupin, longe da escola. É claro que o mundo mágico deve estar mais do que atento a existência de transformações mágicas como a licantropia, e também deve ter maneiras de planejar saídas para essas ocorrências. Talvez seja um tanto primitivo lidar com esse problema usando o isolamento, mas parece que a intenção é minimizar o risco para os outros e o desejo de Dumbledore de fazer todo o possível para manter Lupin estudando na escola, indica que ele está tentando fazer a diferença. Vamos dizer que o Diretor fosse Phineas Nigellus Black, nessa mesma situação, ele simplesmente negaria a admissão de um potencial lobisomem como aluno.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

A ligação entre a Casa dos Gritos e Hogwarts, e a fama da Casa, com certeza não tem nada a ver com a escolha de Voldemort de usar a Casa como posto, na batalha de Hogwarts no final do último livro. Podemos afirmar isso porque Tom Riddle já tinha ido embora de Hogwarts há anos quando Lupin chegou. A Casa dos Gritos não assusta Voldemort e pode apenas ter sido escolhida, por estar em local conveniente, estar vazia e ser um bom local de observação.

Além do mais, ele provavelmente não sabia sobre o túnel, embora tanto Rabicho como Snape o tenham usado, não devem ter mencionado isso para Voldemort. Notamos que Snape não ficou surpreso ao ver Harry na Casa após Voldemort ter lhe dado o golpe fatal, no capitulo 32. Pode ser porque ele já conhecia o túnel ou por estar muito perto da morte para se surpreender.

A autora também teve razões para escolher a Casa dos Gritos como posto de comando de Voldemort. Embora não seja necessário ter um posto de comando com visão da escola, Voldemort possivelmente poderia usar magia, legilimencia, para ver o progresso da batalha à distância, mas a Casa é bem próxima para despachar mensageiros como Lucius Malfoy. A autora, porém, fez dali o local onde Snape morreria e onde ele transferiria suas lembranças para Harry; é provável que ela tenha pensado nisso, na revelação dos motivos de Snape, desde o inicio da série, e a trama foi até o ponto onde tinha que ser feita ali.

Embora o posto de comando de Voldemort tivesse que ser próximo o bastante da escola para Harry poder chegar lá, atravessando a linha de frente, mas também precisava ser longe o bastante para que Voldemort não corresse perigo; e tinha que ser um local onde, Harry, olhando através dos olhos de Voldemort pudesse reconhecer.

Para a autora, o local deveria ser relativamente privado. Isso poderia se encaixar em cada casa de Hogsmeade, porque a vila foi abandonada com a ocupação dos Comensais da Morte e o ataque a Hogwarts; os Comensais estavam rodeando muitas casas. Mas, o único local que poderia combinar todos os requisitos era a Casa dos Gritos, com seu túnel secreto que cruzava as linhas de batalha.