Guia dos Trouxas para Harry Potter/Lugares/Banco Gringotes

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Banco Gringotes
  • localização = Beco Diagonal
  • residentes permanentes = Duendes
  • Aparece pela Primeira Vez = A Pedra Filosofal

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

Gringotes é o único banco conhecido do mundo mágico e é controlado basicamente por duendes. Bruxos e bruxas colocam seus valores e seu dinheiro nos cofres que são protegidos por medidas de segurança muito fortes e complexas.

Descrição Estendida[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

O Banco Gringotes é um prédio branco de vários andares, perto da encruzilhada da Travessa do Tranco com o Beco Diagonal, e é mais alto que todas as lojas da vizinhança. Os clientes passam primeiro por portas de bronze e depois por portas de prata antes de entrar no saguão; o chão é de mármore e tem longos balcões com portas que levam aos cofres. Os cofres se estendem por milhas sob a cidade e são acessíveis através de túneis de pedra e passagens interconectadas por vagonetes operados por duendes.

Aqui está a inscrição que fica nas portas da frente do Banco:

Entrem, estranhos, mas prestem atenção
Ao que espera o pecado da ambição
Porque os que tiram, o que não ganharam,
Terão é que pagar muito caro.
Assim, se procuram sob nosso chão
Um tesouro que nunca enterraram,
Ladrão, você foi avisado, cuidado,
pois vai encontrar mais do que procurou.

(A Pedra Filosofal, capitulo 5).


Quando Harry visita Gringotes pela primeira vez, no capitulo 5 do primeiro livro, Hagrid o avisa que quem pensar em roubar Gringotes é louco, porque além de Hogwarts, esse é o lugar mais seguro para se guardar qualquer coisa de valor. Duendes são extremamente gananciosos e irão proteger seu dinheiro e valores a qualquer custo, e isso os torna os guardiães ideais para todos os valores do mundo mágico. Os duendes têm um código que os proíbe de falar sobre os segredos do banco, e considerarão “máxima traição” quebrar qualquer ponto do código. Gringotes usa uma variedade de sistemas de segurança:

  • Os cofres de segurança minima precisam de uma chave, os de alta segurança (geralmente mais profundos e pertencentes às mais antigas famílias bruxas) precisam do auxílio de um duende certificado por Gringotes.
  • Dragões guardam os cofres da mais alta segurança. Eles só podem ser controlados por címbalos, que apenas os duendes possuem.
  • A Queda do Ladrão pode ser ativada; uma cachoeira enfeitiçada através da qual os vagonetes dos duendes devem passar, e cancela todos os encantamentos e esconderijos e joga os vagonetes para fora dos trilhos.
  • Alguns cofres usam os feitiços Gemino e Flagrante; quando algum item é tocado por um ladrão, se multiplica rapidamente e queima a criatura, eventualmente o esmagando ou queimando até a morte.
  • Objetos guardados em Gringotes não podem ser "convocados (Accio).
  • As vezes é usado o Honestímetro nos clientes para detectar encantamentos, disfarces mágicos e objetos mágicos escondidos.

Notamos que os clientes do banco possuem cofres individuais onde mantém seus valores, ao invés de depositarem o dinheiro no banco como os Trouxas fazem. Imaginamos que isso é um exemplo da atmosfera geral e antiquada do mundo mágico; assim como outros aspectos do mundo mágico permaneceram firmemente plantados nas velhas maneiras de fazer as coisas, como lareiras individuais e fogões nos ambientes, lampiões e outras coisas. Isso pode ser uma forma de segurança, uma vez que apenas a sorte determina o que você poderá encontrar quando entra num cofre. Pode tentar roubar um cofre cheio de riquezas como o dos Lestrange; mas também pode entrar num cofre empoeirado e vazio como o de Hogwarts ou mesmo o cofre dos Weasley quase vazio.

No inicio do primeiro livro, o Cofre de Gringotes número 713, é um cofre de máxima segurança, ali só existe um pequeno saco sujo, que, mais tarde vamos descobrir que continha a Pedra Filosofal. Albus Dumbledore manda Hagrid recuperar o saco sujo quando ele leva Harry até o Beco Diagonal. Mais tarde, no mesmo dia, alguém, aparentemente um bruxo muito poderoso invade o cofre. Ainda que ele não tenha tido sucesso em roubar a Pedra Filosofal, a invasão deixa o mundo mágico em choque, porque é a coisa mais incomum ouvir sobre roubo em Gringotes. O culpado não foi pego, embora mais tarde vamos descobrir que quase certamente foi o Professor Quirrell, agindo sob as ordens de Voldemort.

Embora Gringotes seja dirigida por duendes, incluindo Grampo e Ragnok, é sabido que o banco também emprega humanos. Bill Weasley trabalha como Desfazedor de Feitiços na sede do Gringotes no Egito, ele recupera objetos de antigas tumbas e pirâmides. Fleur Delacour foi trabalhar em meio expediente no Gringotes após participar do Torneio Tribruxo, aparentemente para aperfeiçoar seu inglês, e guardas bruxos foram mencionados em As Relíquias da Morte, durante a invasão. Grampo comenta então, que os duendes não gostam da interferência dos “portadores de varinhas” em seus negócios internos.

Em As Relíquias da Morte, capitulo 26, Harry, Ron e Hermione ajudados por um relutante Grampo, em troca da espada de Godric Gryffindor invadem o cofre de Bellatrix Lestrange, onde um Horcrux, a taça de Helga Hufflepuff estava escondida. No entanto, quando eles entram no cofre de Bellatrix, que estava abarrotado com todos os tipos de tesouros, eles descobrem que o tesouro estava enfeitiçado com Gemino e Flagrante. Embora queimados e quase enterrados em falsos tesouros, o Trio consegue escapar com o Horcrux, voando num dragão meio cego que fazia parte da segurança do cofre, deixando partes do banco em ruínas.

Análise[editar | editar código-fonte]

Já era esperado que existissem bancos para bruxos assim como existem para Trouxas. Assim como existe magia para passar por portas fechadas, também era esperado que as medidas de segurança nos bancos bruxos, fossem mais rigorosas e mais especificamente mágicas. De fato, os cofres estão localizados em grande profundidade, protegidos presumivelmente por feitiços anti-aparatação, e acessíveis apenas usando os vagonetes específicos dos duendes por rotas bem confusas. O fato de Gringotes nunca ter sido roubado é mencionado no primeiro livro, junto com o fato que ocorreu uma invasão. É interessante notar que no sétimo livro, Grampo, embora não trabalhe mais no banco, ainda tente defender o recorde de Gringotes, de nunca ter sido roubado, afirmando que a invasão não conta, porque o cofre em questão já estava vazio. Isso foi uma tentativa boba de afirmar que a segurança de Gringotes ainda permanecia intacta. Depois da aventura do Trio, no entanto, esse recorde foi quebrado; e ficamos imaginando como Grampo explicou o ocorrido quando retornou ao Banco.

A principio, o uso de dragões para guardar os cofres de alta segurança é apenas um rumor. É possível que a autora tenha incluído esse detalhe, apenas como uma forma de introduzir o amor de Hagrid pelas criaturas perigosas em geral, e dragões em particular. Também, foi uma forma de estabelecer um pano de fundo para a introdução de Norberto o dragão norueguês.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

É importante notar que Voldemort escondeu um Horcrux no cofre dos Lestrange. Isso parece ser um lugar um tanto vulgar para colocar algo tão importante quanto um Horcrux, e Hermione dá essa opinião quando Harry menciona que acredita que o Horcrux está lá. It is noted that Voldemort hides a Horcrux in the No entanto, Harry coloca o fato de que apenas as mais antigas famílias bruxas possuem cofres na parte do banco de alta segurança, e portanto apenas o fato de ter uma chave (figurativamente) para um desses cofres seria o equivalente a clamar ancestralidade das mais antigas famílias bruxas. (A chave é figurativa porque o cofre apenas se abrirá com o toque de um duende autorizado de Gringotes).

Voldemort claramente parece acreditar que a ancestralidade tem mais valor do que tudo mais, mesmo do que as leis da terra, uma crença que seu avô Marvolo Gaunt, também possuía, e portanto toda a pompa da hereditariedade, como o acesso aos cofres mais profundos de Gringotes, com certeza terão um valor incalculável para ele.