Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Prisioneiro de Azkaban/Capítulo 6

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Capítulo 6 Garras e Folhas de Chá[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na manhã seguinte, Malfoy diverte os alunos da mesa da Slytherin, imitando a reação de Harry aos Dementadores. Fred e George lembram que Draco, não estava nada corajoso quando os Dementadores chegaram perto do compartimento dele.

Ron observa a lista dos horários de Hermione e não entende que, Aritmância, Estudos dos Trouxas e Adivinhação são todas às nove horas. Quando Ron implica perguntando se ela vai estar nas três aulas ao mesmo tempo, Hermione responde de maneira estranha que está tudo resolvido com a Professora McGonagall.

Harry e Ron se atrapalharam para encontrar a sala de aula de Adivinhação, que fica no alto da Torre Norte. Sir Cadogan, um cavaleiro tolo no quadro da parede, se propõe a ajudá-los a encontrar a sala de aula e sai andando pelos outros quadros fazendo uma barulheira. Ele os leva até uma sala com um alçapão no teto. Numa placa com nome está escrito "Sybill Trelawney, Professora de Adivinhação." O alçapão se abre e uma escada prateada desce, Harry e os outros sobem. Com um grande drama e truques de leitores da sorte, a Professora Trelawney proclama que Adivinhação é uma matéria muito difícil, uma das que não pode ser aprendida nos livros. Hermione parece duvidosa. A lição do dia é a leitura das folhas de chá, e Trelawney vê o formato de um cão na xícara de Harry, que ela identifica como o Sinistro, um presságio de morte. Ela prediz que alguém vai morrer, deixando Harry um tanto preocupado; é a terceira vez que uma forma de cachorro aparece para ele nos últimos tempos. Harry e toda a classe ficam tão perturbados pela predição de Trelawney, que durante a aula de Transfiguração, nem parecem muito impressionados quando a Professora McGonagall se transforma num gato, para demonstrar como um Animago muda sua forma. Bastante aborrecida, a Professora McGonagall, que parece ter pouco respeito por Adivinhação ou pelas habilidades de sua professora, explica que essa matéria é um ramo da magia muito impreciso. Todos os anos a Professora Trelawney prediz a morte iminente de um aluno, e ninguém morreu. McGonagall cuidadosamente para de falar mal da Professora Trelawney.

Na hora do almoço, Hermione comenta que ela ficou muito pouco impressionada com Adivinhação, afirmando que é uma matéria vazia e sem utilidade, particularmente comparada à sua aula de Aritmância. Ron fica curioso, uma vez que a amiga esteve com eles durante toda a manhã, ele ficou pensando como ela pode ter tido aula de Aritmância.

Harry, Ron e Hermione vão para a aula de Trato das Criaturas Mágicas, com Hagrid. O Professor está chateado porque ninguém conseguiu abrir o livro; o segredo é fazer carinho nele até que ele fique tranquilo. Num pasto na Floresta Proibida estão Hipogrifos, criaturas mágicas com traseiras de cavalo e asas, garras e cabeça de pássaro. Harry é voluntário para ser o primeiro a se aproximar deles. Ele se aproxima de Bicuço e, agindo como foi ensinado por Hagrid, ele é aceito. Hagrid o convence a montar em Bicuço, que o leva para um vôo rápido por sobre a Floresta e de volta ao pasto. Os alunos perdem o medo e se apresentam de forma apropriada aos Hipogrifos; Malfoy, no entanto, insulta Bicuço, e a criatura, zangada arranha o braço dele com suas garras. Hagrid carrega o garoto para a enfermaria e a classe se dispersa.

Quando Hagrid não aparece para jantar, o Trio vai visitá-lo. Hagrid tinha estado bebendo, convencido de que ia ser mandado embora. Harry, Ron e Hermione insistem que o Professor Dumbledore não faria isso, e que eles são testemunhas de que Malfoy se comportou mal. Hermione diz a Hagrid que ele já bebeu demais. Hagrid enfia a cabeça no barril cheio de água de chuva e, de repente percebendo que Harry está fora do castelo a noite, dá a bronca em todos.

Análise[editar | editar código-fonte]

Novamente, Harry vê a imagem do cachorro quando a Professora Trelawney identifica a imagem como o Sinistro; essa é primeira vez em que ele recebe um nome e é especificamente identificado como um presságio de morte. Isso, junto com a descrição de Ron do Sinistro que seu tio viu pouco antes de morrer, aumenta a crescent suspeita de Harry, que ele está vendo um símbolo de morte. Junto com os sempre presentes Dementadores, esse presságio faz com que Harry fique ansioso e preocupado com sua própria segurança.

A falsidade empregada pela Professora Trelawney no seu curso de Adivinhação pode ser interessante para muitos leitores. Cultivando uma atmosfera mística e nebulosa na sua sala de aula, e cuidadosamente construindo suas “predições” para que sejam vagas, claramente reflete as táticas daqueles que se dizem “médiuns” entre os Trouxas. É especialmente curioso que a sala de aulas de Trelawney pareça mais uma vitrine de seus métodos de prever a sorte, do que uma sala apropriada para estudar técnicas de Adivinhação. Não é de surpreender que ela interprete folhas de chá enxarcadas numa xícara, como um sinal do Sinistro, plantando na mente suscetível de seus alunos, de forma conveniente, essa imagem da predição que ela faz anualmente de que alguém em Hogwarts vai morrer. Trelawney parece que não é bem aceita pelos outros professores de Hogwarts. A Professora McGonagall, embora tome cuidado em não falar mal de nenhum professor, deixa claro que acredita que a matéria Adivinhação seja inútil. Sabemos que o Professor Dumbledore, a despeito de suas excentricidades, é muito atento e sabe sempre o que acontece na escola; ele certamente tem a mesma opinião que McGonagall com relação ao interessa das aulas de Trelawney. Por tudo isso, nos perguntamos exatamente por que ele a mantém na escola.

O leitor deve prestar atenção à predição de Trelawney para Lavender Brown, “essa coisa que você receia vai acontecer na sexta-feira, dezesseis de outubro.” A eficiência da autora, e a precisão da afirmação, vai nos levar a crer que algo vai de fato acontecer nessa data. Devemos notar que a ação desse livro se passa em 1993 e 1994; em uma das contínuas, mas pequenas, confusões da autora com o calendário, dia 16 de outubro de 1993 é um sábado. Outra predição que ela faz no inicio da aula é dizer a Neville para pegar a xícara azul, após ele quebrar a rosa. Quando Neville quebra a xícara rosa, deixa muitos alunos acreditando nas qualidades de vidente da professora; no entanto, podemos suspeitar que ela deliberadamente escolheu Neville para pegar as xícaras por causa da dificuldade motora dele. Esse tipo de escolha, do aluno menos confiante, junto com a certeza de que esse aluno vai estragar alguma coisa, resulta no aluno fazendo o que foi predito.

Hermione também está na mesma aula que Harry e Ron, mas seu horário de aulas, indicam que ela assiste muito mais matérias do que eles, incluindo algumas nos mesmos horários. Ela permanece evasiva sempre que Ron ou Harry a questionam sobre sua carga horária tão pesada, e responde de forma enigmática que tudo foi arranjado com a Professora McGonagall. Ainda não temos nenhuma explicação de como Hermione está dando conta disso, mas com certeza há algo de magia por trás.

Hagrid, que havia sido exonerado cinquenta anos antes, depois de ser acusado falsamente de ter soltado o monstro da Câmara Secreta, logo se encontra novamente com problemas. Com sua nova auto estima severamente arrasada pelo incidente com Draco Malfoy e Bicuço. Nós e o Trio, vimos claramente que Draco provocou deliberadamente o ataque, quando Hagrid havia expressamente avisado contra esse tipo de comportamento. Hagrid, no entanto, ou não ouviu os insultos de Draco, ou simplesmente não tem confiança em si mesmo e se sente o único responsável pelo ocorrido.

O caráter de Malfoy é mostrado quando usa o incidente com o Dementador para zombar de Harry, mesmo quando os gêmeos asseguram a Harry que o Dementador também aterrorizou Draco. As zombarias e maltratos (bullying) de Draco ocorrem apenas quando Draco está protegido pela distância ou quando está com seus amigos bandidos Crabbe e Goyle. Isso é o esperado pela personalidade covarde que a autora criou para ele. Os leitores também devem prestar bastante atenção à aula e demonstrações da Professora McGonagall.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que esse capitulo é chamado “Garras e Folhas de Chá”? O que isso quer dizer?
  2. O que foi visto nas folhas de chá de Harry e o que significa? Harry já tinha visto isso antes?
  3. O que Trelawney prediz e como os alunos reagem a isso?
  4. O que McGonagall diz sobre a previsão de Trelawney?
  5. Qual é a opinião de Hermione sobre Adivinhação? Explique.
  6. Por que Bicuço atacou Draco Malfoy?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Qual é a reação de Hagrid após o incidente Malfoy/Bicuço? Seu comportamente é justificado ou não?
  2. Por que Hermione está tão evasive com relação aos seus horários de aulas: Como ela está assistindo aulas no mesmo horário?
  3. Qual é o efeito que essa quantidade de aulas de Hermione pode ter sobre ela? Como ela consegue agüentar?
  4. O que Dumbledore deve pensar sobre a habilidade de Trelawney? Por que ele empregou Trelawney como professora de Adivinhação?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A razão parcial de Trelawney ocupar o posto de professora será explicada mais tarde. Durante o exame de Adivinhação de Harry, Trelawney entra em transe e faz uma profecia verdadeira. O Professor Dumbledore comenta com Harry mais tarde, que essa foi a segunda profecia genuína dela, e sugere que ela talvez mereça um aumento por isso. A primeira profecia dela, nós vamos descobrir no quinto livro, capitulo 37, era com relação a Harry e Voldemort. Dumbledore foi testemunha quando estava entrevistando Trelawney para a posição de professora de Adivinhação, bem na hora em que ele estava quase recusando o emprego. Ao invés, ele a contratou, embora não estivesse nada impressionado pela sua habilidade em Adivinhação. Mais tarde ele não permite que ela deixe a escola, com medo do que ela possa sofrer, se Voldemort, que está desesperado por conhecer a profecia, saiba quem foi sua fonte. Mais tarde vamos ver que Adivinhação é matéria de exame, no N.O.M. Com a matéria que Trelawney ensina, podemos imaginar o que será matéria de exame! O Professor Dumbledore, ao descrever a entrevista com Trelawney, diz que ele considerou seriamente em não oferecer Adivinhação como um curso em Hogwarts; isso indica que Dumbledore compartilha a opinião da Professora McGonagall sobre o assunto, pelo menos da forma que Trelawney ensina. Também, a previsão anual da Trelawney de que um estudante de Hogwarts vai morrer, se torna verdadeira no próximo livro. embora, assim mesmo não seja uma profecia de verdade. Foi, isso sim, uma coincidência pontual, e a autora pode estar usando o fato para descortinar uma tragédia próxima.

Ao longo do ano, vamos ver uma clara polarização entre os alunos, entre aqueles que, como Harry, Hermione e Ron vêem Adivinhação como uma besteira, e os outros como Lavender Brown e Parvati Patil que acreditam sem reservas. Lavender e Parvati não são estúpidas; no entanto, elas parecem crédulas, e por alguma razão elas permanecem sem perceber a desonestidade e fingimentos da professora. Acreditamos que a autora pode estar usando Adivinhação como uma forma de mostrar que a magia não inclui automaticamente a habilidade de ver através de truques como Trelawney, ou por extensão, como Voldemort.

A aula da Professora McGonagall nos ensina sobre a transformação em Animago. De acordo com Hermione, só existem sete Animagos registrados, indicando que deve ser uma façanha difícil de se aprender. Porém não se sabe se há Animagos não registrados, alguns leitores, ao contrário de Hermione, compreendem que é possível estar do lado oposto da lei em pequenas oportunidades. Mesmo depois de aprender que os Animagos são legalmente obrigados a se registrar, devemos considerar que existem outros além dos registrados. Com certeza existem diversos Animagos não registrados, três que aparecem na nossa história, inclusive Sirius Black e outro que aparece pela primeira vez no livro O Cálice de Fogo. Quantos mais existem, não se sabe.

Como já foi dito, Hermione está freqüentando mais aulas do que é humanamente possível. Sem o conhecimento dos outros alunos, ela arranjou secretamente com a Professora McGonagall para usar um Vira Tempo. Esse é um instrumento que permite que ela volte no tempo e freqüente às aulas dadas no mesmo horário. No entanto, Hermione logo percebe que ela tomou para si um fardo pesado, mais pesado do que pode agüentar, e está percebendo suas próprias limitações. Através do livro, Hermione vai ficando mais e mais estressada pela sua carga de matérias, a ponto de acertar Malfoy num acesso de raiva. Aborrecida pela aula de Adivinhação de Trelawney, ela abandona no meio do ano, e depois larga o curso de Estudos dos Trouxas, ficando com uma carga de trabalhos mais possível.

Quando o ano termina, ela devolve o Vira Tempo para McGonagall, que o envia, acreditamos, de volta para o Ministério da Magia. Uma azaração errante de Neville acerta o armário dentro de onde Harry reconhece o Vira Tempo, durante a Batalha no Departamento de Mistérios, livro cinco capitulo 35. Numa conversa no livro seis, capitulo 11, descobrimos que todos os Vira Tempos conhecidos foram destruídos, o que dá a Harry, Hermione e Ron uma boa desculpa para não assistir as aulas de Hagrid.

Existe um grande número de lugares nesse livro, onde a pergunta: como Hermione consegue assistir a tantas aulas? é feita e abandonada. Isso é uma pergunta tão intrigante, que em retrospecto, ficamos imaginando como Hermione conseguiu manter o Vira Tempo em segredo durante dezesseis capítulos (ela recebe o Vira Tempo no terceiro livro, capitulo 5), e ele só é revelado no capitulo 21. É claro que o leitor recebeu ao longo desses capítulos distrações de vários tipos, que sempre acontecem quando se levanta a questão. A autora fez um trabalho incrível preparando eventos para distrair o leitor, de modo que ele não se prendesse a perguntas como o fato de Hermione estar aparecendo e desaparecendo num lugar e em outro. Assim, ela colocou acontecimentos, aparentemente mais importantes, próximos às ocorrências com Hermione. Essa é uma parte vital da habilidade exemplar da escritora em arranjar os fatos (set-up and pay-off); nesse caso não percebemos o motivo (set-up), por causa das distrações, até a explicação (pay-off), quando, com a revelação do Vira Tempo, subitamente percebemos o que estava acontecendo. Esse padrão ocorre várias vezes durante a série.

Apesar de seu tamanho e força, assim como sua coragem em enfrentar vários monstros, Hagrid é curiosamente inseguro. Ele demora muito a se recuperar do incidente entre Draco e Bicuço, e ele se debate através do livro para provar que Bicuço é inocente. No entanto, Malfoy, que provocou Bicuço deliberadamente, não mostra nenhum remorso pelo dano que provocou em quem ele considera inferior, e nem por permitir que uma criatura inocente seja condenada.

Conexões[editar | editar código-fonte]

  • Essa é nossa primeira observação de Adivinhação e como a matéria é vista de modo desdenhoso, provavelmente com razão. A aparente vendetta da Professora Umbridge contra Adivinhação e contra Trelawney, e a substituição de Trelawney no meio do ano, por Firenze, será uma trama vista no quinto livro.
  • Essa também é nossa primeira visão de um Vira Tempo, embora não seja identificado logo de cara. O Vira Tempo vai ficar secreto até que Hermione o mostre para o Professor Dumbledore no capitulo 21. Ele não será usado novamente, embora a autora, de modo que achamos desnecessário, destrua todo o estoque de Vira Tempos num próximo livro.