Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Prisioneiro de Azkaban/Capítulo 4

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Capítulo 4 O Caldeirão Furado[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O tempo que Harry passa no Beco Diagonal é todo dele para aproveitar; ele passeia por muitas lojas, admira a nova vassoura Firebolt na loja de Equipamentos de Qualidade para Quadribol, e passa as tardes trabalhando em suas tarefas da escola, com sorvetes grátis, na Sorveteria de Florean Fortescue. Quando vai comprar os livros escolares, Harry dá de cara com o livro que Hagrid mandou para ele de presente, “O Monstruoso Livro dos Monstros” na vitrine da Floreios e Borrões. Ao checar a lista de material escolar ele vê que o livro é para o Trato das Criaturas Mágicas, o que é um alívio para Harry, ele estava preocupado que Hagrid precisava de ajuda com um novo pet. O fato de Harry já ter o livro é um alívio também para o funcionário da Floreios e Borrões, uma vez que é difícil pegar o livro agressivo de dentro da gaiola. Enquanto procura pelo livro de Adivinhação, Harry vê “Presságios de Morte: O Que Fazer Quando Sabe Que o Pior Está Chegando.” Algo parecido com o grande cachorro negro que ele viu, quando o Nôitibus parou, está bem na capa do livro. Harry não consegue se convencer de que aquilo não é um presságio de morte.

Muitos alunos de Hogwarts aparecem no Beco Diagonal, inclusive Dean Thomas, Seamus Finnigan e o “verdadeiro” Neville Longbottom. Ron e Hermione chegam no dia anterior ao inicio das aulas. Ron traz uma varinha nova, enquanto Hermione carrega três sacolas de livros. Ela quer comprar uma coruja, enquanto Ron tem o doentio Perebas, que parece cada vez pior. Eles então, atravessam a rua e vão até Animais Mágicos. Quando um gato enorme chamado Bichento tenta atacar Perebas, Hermione o compra e compra também uma vitamina para ratos recomendada pelo gerente da loja, para dar a Perebas.

No Caldeirão Furado eles encontram Mr. Weasley. Ele comenta que Sirius Black ainda está foragido e que o Ministério está fazendo grandes esforços para capturá-lo. Chegam os outros Weasleys: Mrs. Weasley, Percy que agora é Monitor Chefe e está mais exibido que no ano anterior, se é que isso é possível, e chegam também os gêmeos Fred e George, que tentam aborrecer Percy imitando seu jeito pedante, e Ginny. Os Weasleys, Harry e Hermione jantam num salão privado no Caldeirão Furado. Mr. Weasley diz que o Ministério vai mandar carros para levá-los à Estação de Trens.

Ron não sabe onde deixou a Vitamina de Ratos de Perebas, e Harry se oferece para procurer no salão enquanto Ron é chamado para ajudar Percy a encontrar seu distintivo de Monitor Chefe. Harry então, escuta Mr. e Mrs. Weasley conversando sobre se Harry deve saber ou não sobre Sirius Black. O Ministro acredita que Black escapou de Azkaban expressamente para encontrar e matar Harry, para vingar Lord Voldemort. Os Dementadores, os guardas de Azkaban, foram colocados em volta de Hogwarts para proteger Harry. De modo surpreendente, Harry não fica preocupado e acredita que Black não será um caso mais difícil de lidar do que Voldemort. Os Dementadores são mais preocupantes, no entanto, porque de alguma forma ele vai ter que passar por eles para chegar em Hogsmeade. Carregando a Vitamina de Ratos de Ron, Harry encontra Fred e George do lado de fora do quarto que Ron divide com Percy, e vê que eles mudaram o distintivo de Percy, ao invés de Monitor Chefe estava escrito Tremendo Chefão.

Análise[editar | editar código-fonte]

Três importantes elementos da trama se desenrolam nesse capitulo. O mais significativo é a fuga de Sirius Black de Azkaban, que está de alguma forma ligada à Harry.

Vendo Fudge como o político que ele é, nós leitores agora compreendemos porque Fudge resolveu tão depressa o incidente envolvendo tia Marge, e também, supomos que durante esse tempo no Beco Diagonal, Harry será vigiado pelos bruxos do Ministério. Em segundo lugar e, na cabeça de Harry, mais importante, é a intenção dele de ir a Hogsmeade mesmo sem a autorização.

Finalmente, há uma tentativa de luta entre Bichento e Perebas, uma situação que provavelmente vai continuar a aumentar, criando problemas na amizade entre Ron e Hermione. Isso possivelmente vai fazê-los se estranharem e Harry ficando no meio deve demonstrar sua lealdade a ambos os amigos. Já vimos Bichento partindo para atacar Perebas, enquanto ignorava uma gaiola cheia de ratos, portanto essa antipatia específica vai continuar. O modo como Bichento parece fixado em Perebas é estranho.

O leitor deve ter percebido o comentário do gerente da loja Animais Mágicos, sobre a idade do rato de Ron, e a expectativa de vida normal dos ratos. Também é interessante notar que o ataque de Bichento sobre Perebas acontece na hora, de modo que Ron depois não procura saber mais a respeito da idade do rato. O leitor também pode perceber que Ron já acha que Perebas está “com péssima aparência” antes de ir à Animais Mágicos.

A imagem do cão que Harry viu na rua, agora parecem um padrão, com a visão de uma imagem parecida na capa do livro. Não sabemos ainda se isso será um ponto importante da trama, mas podemos ver que Harry está começando a acreditar, que podem ter um significado ainda escondido. Harry, é claro suspeita que pode estar vendo presságios de morte, mas é seguro acreditar que isso não é possível porque esse é o terceiro livro de sete. No entanto qual é o significado disso tudo, nós ainda temos que descobrir.

Harry também fica sabendo sobre os Dementadores da Prisão de Azkaban, são estranhos e fantasmagóricos, embora ele não saiba exatamente o que eles são. Descobrimos que, embora os presságios de morte inquietantes que Harry vê, ainda o preocupa mais a possibilidade de Sirius Black estar caçando ele. A postura indiferente de Harry, com relação a um perigo mais verdadeiro, é intrigante e imprudente, embora ele possa estar racionalizando para si mesmo que, qualquer perigo além de Voldemort, que ele já enfrentou duas vezes, é simplesmente menos perigoso.

E, no entanto, Harry é deixado por sua própria conta pela primeira vez, podemos imaginar que os funcionários do Ministério vão ficar tomando conta dele até que ele retorne a Hogwarts. Imaginamos que eles não apareçam para ele, para evitar que Harry pudesse imaginar a ameaça representada por Sirius Black. Também suspeitamos que essa idéia de permanecer no Beco Diagonal, é para evitar que os bruxos que tomam conta de Harry não consigam se disfarçar no mundo Trouxa.

Até seu retorno para Hogwarts, Harry está livre de aparente surpervisão de adultos, restrições ou interpretações. O tempo de Harry é gasto em explorar e observar o mundo mágico ali escondido, coisa que ele prefere de longe ao mundo Trouxa, paralelo, poucos metros adiante. A personalidade de Harry fica bem clara quando ele vai a Gringotes pegar dinheiro para o material escolar. Ao invés de pegar uma grande quantia, e gastar sem pensar, comprando tudo que quiser, incluindo a vassoura Firebolt, que ele tanto admira, ele, cuidadosamente pensar em quanto vai precisar para pagar seu material escolar e gastar para viver. Esse nível de maturidade e noção de limites é raramente visto em alguém tão jovem, e isso reflete a harmonia da personalidade de Harry no geral.

Depois de se reunir com Ron e Hermione no Beco Diagonal, Harry se junta, feliz, ao caos da família Weasley quando se preparam para retornar a Hogwarts. Mr. e Mrs. Weasley o cumprimentam carinhosamente, enquanto Ron, Ginny, Fred e George são mais irreverentes, e empurrados pela personalidade mais dominante de Fred, preparam novas travessuras para Hogwarts. Percy, agora Monitor Chefe, está insuportavelmente exibido, e, de alguma forma, tomando distância dos irmãos. é o alvo ideal para as brincadeiras dos gêmeos.

Toda essa interação familiar traz a Harry uma dose enorme de felicidade, de uma agradável vida familiar que ele sempre desejou.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Harry parece indiferene quando descobre que Sirius Black procura por ele?
  2. Por que Harry acredita que está vendo Presságios de Morte? O que são eles, e onde, especificamente ele os viu?
  3. Por que Hermione comprou tantos livros?
  4. Por que Perebas está com uma aparência tão doentia?
  5. Por que um livro tão “perigoso” pode ter sido pedido para as aulas de Trato das Criaturas Mágicas? Quem deve tê-lo pedido?
  6. Por que Harry ficou aliviado ao ver que o livro “Monstruoso” estava na lista de material escolar?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Sirius Black estaria procurando por Harry?
  2. O que aconteceu para Percy estar se comportando diferente?
  3. Por que Hermione decide comprar um gato ao invés de uma coruja, especialmente esse, que tenta atacar o rato de Ron?
  4. Por que o gato novo de Hermione, Bichento, quer atacar somente Perebas e não outro animal? O que Ron acha disso?
  5. Enquanto Harry passa um tempo sozinho no Beco Diagonal, quais as comparações e contrastes ele pode fazer entre os mundos mágico e dos Trouxas?
  6. Se Harry está tão convencido de ver presságios de morte, porque ele não consegue ligar isso ao fato de Sirius Black estar supostamente procurando por ele?
  7. Por que Mr. e Mrs. Weasley não concordam que Harry deve ser avisado sobre Sirius Black? Quem está certo e o quanto Harry deve saber sobre isso?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Quando Lord Voldemort retorna ao poder mais tarde, na série, descobrimos que Florean Fortescue aparentemente foi capturado. Podemos até nos perguntar por que os Comensais da Morte iriam atacar um simples vendedor de sorvetes, mas seu conhecimento de bruxaria medieval, ficou claro quando ele ajuda Harry com seus deveres de casa, e isso poderia ser o motivo. Também Fortescue pode ser parente de Dexter Fortescue, um antigo director de Hogwarts, cujo retrato está na parede do escritório de Dumbledore; pode-se supor que essa ligação tenha a ver com o desaparecimento de Florean. O desaparecimento de Florean pode ser visto como resultado da violência ao acaso e dos desaparecimentos que ocorrem sob a tirania de Voldemort e seus seguidores. Mas, isso fica sem explicação no livro.

O alívio de Harry pelo fato do livro “Monstruoso” ser apenas um livro escolar, ao invés de ser algo para ajudar Hagrid com um novo animal de estimação potencialmente perigoso, dura pouco, ao saber que Hagrid será o professor da matéria Trato das Criaturas Mágicas. Seja lá como for, o medo que Harry tem de Hagrid ter um novo animal de estimação, aumentou milhares de vezes quando percebeu que suas aulas, provavelmente, vão incluir animais mágicos perigosos.

O conflito entre Perebas e Bichento chega ao auge com o sumiço de Perebas e sua aparente morte por volta de abril. Isso resulta numa desavença entre Ron e Hermione. Isso é especialmente chato para Hermione, que tinha acabado de se reconciliar com Harry e Ron. Quando Perebas reaparece em junho, vamos descobrir que o fato de Bichento não confiar nele é totalmente justificado. Tanto, que antes de aceitar um novo animal de estimação Ron pede, e recebe a aprovação de Bichento. Devemos notar que Bichento não é um simples gato: numa entrevista, a autora disse que ele é um kneazle, um gato mestiço, e portanto mais inteligente do que a maioria dos felinos domésticos.

Como foi mencionado na seção de Análise, o gerente da loja de Animais comenta que o rato de Ron está incrivelmente velho. Perebas pertence a Ron por pelo menos dois anos até aqui, e está na família muito antes disso. Pelos eventos ocorridos no final desse livro, podemos adivinhar que Perebas está na família Weasley há uns onze anos antes dessa história, e isso é um tempo extremamente longo para vida normal dos ratos, como o gerente comenta. Não tivemos tempo de explorer esse estranho fato, uma vez que Bichento ataca Perebas, no momento em que Ron tenta lembrar o número de anos que Perebas está vivo. Passado o ataque, encontrando Perebas e lidando com o ocorrido no momento, a estranhamente longa vida de Perebas fica no esquecimento, tanto de Ron quanto dos leitores.

O estudante de literatura percebe que a autora usa essa maneira indireta durante a série, quando introduz fatos importantes que ela não deseja que o leitor perceba.

Também foi comentado na seção Análise, o fato de Ron achar que Perebas parece mal. Ron mais tarde, atribui o declínio de Perebas aos ataques de Bichento, mas Harry lembra que Ron já tinha dito que Perebas começou a ficar mal quando eles foram para o Egito. Mais tarde vamos descobrir que Perebas ficou mal por ter ouvido sobre a fuga de Sirius de Azkaban. Essa fuga foi causada por Sirius ter visto Perebas no retrato da família Weasley no Egito, que apareceu no Profeta Diário. Esse retrato é o mesmo que Ron tinha enviado na carta que acompanhava o presente de aniversário de Harry.

Perto do final da história, vamos descobrir que Sirius jamais pensou em matar Harry. Na verdade é outra pessoa em Hogwarts que Sirius está procurando para se vingar. No entanto, essa falsa idéia de que Harry é o alvo, e o motivo de Sirius ter sido preso, ajudam a temperar a história.

A vassoura Firebolt vista no Beco Diagonal se torna um ponto da trama, começando por volta do Natal e termina com Harry e Ron sendo afastados de Hermione. Ela fica imediatamente curiosa sobre quem mandou a vassoura para Harry como um presente anônimo, e sentindo que pode ser amaldiçoada, ela conta à Professora McGonagall, que confisca a vassoura para exame.

Um ponto interessante que pudemos reparar, é que até aqui, o termo “Guardas de Azkaban” foi usado, mas depois desse capitulo não é usado outra vez, sendo substituído por “Dementadores”. A autora pode ter resolvido manter a verdadeira identidade das criaturas escondida para dar a impressão de que os guardas de Azkaban poderiam ser humanos.