Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Enigma do Príncipe/Capítulo 23

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Capítulo 23
Horcruxes[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Harry retorna ao castelo enquanto a Poção Felix Felicis já vai acabando seu efeito. Trazendo a lembrança, Harry procura pelo Professor Dumbledore, que fica encantado e feliz com o sucesso de Harry. Ele pega a Penseira e eles entram na lembrança de Slughorn há cinquenta anos atrás.

Tom Riddle pergunta a Slughorn sobre Horcruxes. Slughorn responde que é feitiço das Trevas, que pode dividir sua alma para guardar a parte dentro de um objeto; se for atacado, ele não morrerá porque sua alma permanece em outro lugar. Almas não foram feitas para serem divididas, para isso é preciso a última das crueldades, um assassinato rompe a alma do assassino. Incitado para dar mais respostas, Slughorn revela que existe um feitiço, mas avisa que não sabe mais do que isso. Riddle pergunta, se um Horcrux pode manter alguém vivo, mais não seria melhor? Sete, um número muito poderoso. Slughorn, fica horrorizado, tenta se acalmar dizendo que isso tudo são hipóteses. Riddle concorda, mas quando ele vai embora, Harry percebe a mesma alegria selvagem no seu rosto, como quando ele descobriu que era um bruxo.

De volta ao escritório, Dumbledore diz que o diário que Harry destruiu na Câmara Secreta, quatro anos antes, não era apenas um Horcrux, mas também uma arma, preparada para possuir um aluno de Hogwarts para reabrir a Câmara Secreta. Dumbledore também comenta que Voldemort deve ter dividido sua alma em sete porções (Tom Riddle havia dito que sete era um número mágico e poderoso) para obter a imortalidade. Enquanto algum dos Horcruxes sobreviver, Voldemort não poderá ser morto. Dumbledore também imagina que Voldemort deve ter usado objetos especiais para guardar seus Horcruxes; objetos com uma história e valor significativos para Riddle.

Dois Horcruxes foram destruídos: o diário de Tom Riddle e um anel que pertenceu a Marvolo Gaunt, o avô materno de Voldemort. A mão ferida de Dumbledore é o resultado dele ter destruído o anel, e foi a habilidade e rapidez do Professor Snape que não deixaram que a maldição fosse mais rápida. Dos quatro Horcruxes que ficaram, Dumbledore acredita que um é taça de Hufflepuff e o outro o medalhão de Slytherin; o terceiro pode ser um objeto de Ravenclaw. O único objeto da Gryffindor, a espada, permanece segura no escritório de Dumbledore. O último Horcrux pode ser Nagini, o pet, a cobra de Voldemort. Colocar um Horcrux num ser vivo é muito arriscado, uma vez que criaturas vivas podem ser mortas. Dumbledore também comenta que suas ausências recentes se devem à busca dos Horcruxes, e diz que Harry pode acompanhá-lo em busca dos outros.

Dumbledore acredita que Voldemort não percebe quando um Horcrux é destruído, e que ele só poderá ser morto quando todos os Horcruxes forem destruídos por alguém com habilidades e poder incomuns, alguém como Harry, que possuí a habilidade de amar.

Análise[editar | editar código-fonte]

Embora Dumbledore nunca explique direito, um leitor juntando as pistas, pode ver que Dumbledore apenas contou seis Horcruxes: dois foram destruídos, quatro ainda precisam ser encontrados. Isso, contando que Riddle acredita que sete é o número mágico, devemos lembrar que Voldemort ainda retém uma parte de sua alma. É preciso lembrar que um Horcrux não foi usado, quando Voldemort retornou dos mortos; quando seu corpo foi morto, sua alma principal permaneceu presa à Terra pelos Horcruxes e isso foi usado para mantê-lo vivo.

É fácil entender que os objetos que Voldemort escolheu para guardar seus Horcruxes foram baseados no valor econômico, e que um objeto que pertenceu a Salazar Slytherin seria protegido pela antiguidade. No entanto Dumbledore nunca diz nada desse tipo. Os objetos foram selecionados porque eram valiosos para Riddle. Aqueles que sabemos são o diário, valioso porque contém a prova de que Riddle é herdeiro de Slytherin e o anel o liga à antiga família Peverell. O medalhão de Slytherin e taça de Hufflepuff que Dumbledore menciona, estão associados aos fundadores de Hogwarts, o primeiro local que Riddle chamou de lar. Aquele que está em Nagini, certamente foi colocado na pressa, e a cobra acabou sendo um receptáculo conveniente; mas aquele Horcrux, desconhecido, será um objeto valioso para Riddle, seja ou não valioso para outra pessoa. De acordo com o palpite de Dumbledore, que foi correto, os dois que faltam deverão ser o medalhão de Slytherin e taça de Hufflepuff, e ele esteve em busca das relíquias de Ravenclaw e Gryffindor para fazer os últimos dois dos seis Horcruxes (para somar ao diário e ao anel). Sabendo disso, no caso de um objeto de Gryffindor, Voldemort nunca conseguiu usar um item dele, mas Dumbledore não saberia dizer se algum objeto de Ravenclaw foi encontrado ou foi usado nos anos que se seguiram.

A Profecia de Trelawney afirmava que “O Escolhido” teria um poder que faltava ao Senhor das Trevas. Esse poder seria o amor, e Dumbledore acredita que será o amor combinado com as habilidades de Harry que lhe darão forças para derrotar Voldemort. Diferente de Harry, que está emocionalmente intacto, e cujos amigos o apoiam com toda lealdade e amizade, Voldemort é psicologicamente, espiritualmente e emocionalmente uma criatura em pedaços, sentindo apenas ódio, inveja e raiva. Ele controla seus seguidores através do medo, da intimidação e coerção.

Enquanto Harry acha difícil compreender que algo tão simples como o amor seja a força mais poderosa, ele compreende que, novamente tudo tem a ver com as escolhas: as ações de Voldemort com relação a Harry são baseadas na Profecia, mas Harry escolheria lutar contra Voldemort independente da existência da Profecia. Essa escolha e a habilidade de fazer a escolha, é o que dá a Harry amplos poderes que faltam a Voldemort, e o que impede Harry de cair do lado negro. Alguns anos antes, Dumbledore explicou a Harry que é a escolha de cada um que faz a pessoa ser o que é de verdade, foi exatamente o que aconteceu com o pai de Harry, James, quando ele escolheu abandonar o mau comportamento da juventude.

Dumbledore acredita que a cobra de Voldemort, Nagini, também é um Horcrux. Foi sugerido que o último Horcrux deve ter sido gerado quando Voldemort matou Frank Bryce, o jardineiro da Mansão Riddle. A varinha de Voldemort foi usada também para matar Bertha Jorkins no livro quatro, portanto também pode ter sido a morte dela que permitiu a Voldemort criar o Horcrux que ele depositou em Nagini. Também é possível que todos esses Horcruxes já estivessem nos lugares quando ele encontrou o bebê Harry; fraco e sem corpo físico, Voldemort pode não ter conseguido criar Horcruxes depois desse incidente. Então nossa idéia anterior pode ser descartada. Mesmo assim, Dumbledore está certo de que Nagini é mais atenta e consciente do que uma cobra comum, e que Voldemort parece ter muito mais controle sobre ela do que se esperaria.

Como Dumbledore bem notou, entramos no reino da especulação: como Dumbledore nada sabia sobre as circunstâncias que envolvem as mortes de Frank Bryce e Bertha Jorkins, sua especulação não combina muito com o entendimento dos leitores. Nagini já estava agindo de uma forma nada parecida como a de uma simples cobra quando Frank Bryce foi morto, portanto imaginamos que o último Horcrux foi criado pela morte de Bertha Jorkins e depositado em Nagini.

Dumbledore está enganado ao dizer que a espada de Gryffindor é o único objeto conhecido; há também o Chapéu Seletor que já foi dito, pertenceu a Gryffindor. Mas, o Chapéu é sensível de alguma forma, portanto é questionável se ele é bem um objeto, ou – desde que os quatro Fundadores colocaram sua inteligência nele – não pode mais ser dito que ele pertence a Gryffindor.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Voldemort criou tantos Horcruxes? Isso foi esperto da parte dele? Se não, explique.
  2. Qual é o significado de cada objeto onde Voldemort escondeu os Horcruxes?
  3. Por que Dumbledore fica ausente de Hogwarts tantas vezes?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Como o amor será capaz de derrotar Voldemort? Harry entende, de fato, seu significado?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Um Horcrux foi visto anteriormente em Grimmauld Place. “Um medalhão pesado que nenhum deles conseguiu abrir,” combinando com o medalhão de Slytherin que foi visto nas lembranças na Penseira algumas vezes antes, foi descoberto e jogado fora durante a limpeza feita em Grimmauld Place. Uma nota dentro do medalhão falso que seria encontrado mais tarde, numa caverna secreta a beira mar estava assinada R.A.B., que são as iniciais do falecido Regulus Arcturus Black, um Comensal da Morte arrependido e irmão mais novo de Sirius. O medalhão de Grimmauld Place será difícil de encontrar; originalmente, Monstro o recuperou do lixo, guardou-o, incapaz de se separar da herança dos Black. Mais tarde ele foi roubado por Mundungus Fletcher que foi visto muito ocupado roubando Grimmauld Place. Quando Harry, Ron e Hermione eventualmente encontram Mundungus, ele os avisa que o medalhão foi extorquido dele por Dolores Umbridge no Ministério da Magia.

Curiosamente, ainda que Harry tenha visto claramente o medalhão de formato distinto durante suas excursões na Penseira, Harry não o reconheceu como o mesmo que foi encontrado e jogado fora em Grimmauld Place, nem ele percebeu completamente que o outro medalhão que seria recuperado na caverna era também diferente, até encontrar a nota dentro, explicando que aquele era um falso Horcrux. Dumbledore também nunca percebeu a diferença; no entanto, ele estava extremamente fraco física e mentalmente depois de recuperar o medalhão, e possivelmente não percebeu bem os detalhes.

Dumbledore acredita que Voldemort não consegue sentir quando seus Horcruxes são destruídos, uma vez que ele não percebeu quando o diário foi destruído até que Lucius Malfoy disse a ele. O que Dumbledore escondeu de Harry foi que o segundo Horcrux, o anel, também foi destruído, aparentemente sem que Voldemort desse conta. Mais tarde, quando Snape pode trazer de Voldemort para Dumbledore, ele com certeza teria alguma informação da reação de Voldemort sobre a destruição do anel caso este soubesse do que ocorreu. Embora Harry saiba que o anel Horcrux foi destruído, ele não sabe ainda o verdadeiro papel de Snape, e não vai saber tão cedo.

Se Riddle falou a verdade quando conversou com Slughorn, isso indica que ele não encontrou nada sobre Horcruxes na biblioteca e que o livro, “Segredos sobre as Artes das Trevas” (que descobrimos no último livro) que é uma fonte autorizada sobre fazer e destruir Horcruxes já desapareceu. Podia ser que Tom Riddle na verdade tivesse, na melhor das hipóteses, um leve conhecimento a respeito. Porém, é inteiramente possível que Riddle tivesse um grande conhecimento sobre como criar Horcruxes do que parecia e poderia já ter criado um. A autora afirmou que o anel Horcrux foi feito pela morte de Tom Riddle Sr. , que aconteceu na mesma época que Tom recuperou o anel de Morfin Gaunt; portanto, se o anel estava no dedo de Tom na lembrança, ele poderia já ser um Horcrux.

Um dos raros enganos de Dumbledore é visto aqui: Dumbledore afirmou que uma vez que o anel se tornou um Horcrux, Tom não ia querer mais usá-lo. Ele o está usando na lembrança, e ele já é, presumivelmente, um Horcrux. Possivelmente seria melhor a afirmação, “uma vez que ele tivesse feito um segundo Horcrux, ele sentiria a necessidade de mantê-los seguros e separados de si. “ Portanto o anel Horcrux seria escondido logo que ele fizesse o diário Horcrux.

É certo que Riddle teria esperado para esconder o anel na cabana dos Gaunt até que Morfin e Marvolo não estivessem mais por lá. Ele descobriu através de Morfin que Marvolo havia morrido. Como ele enquadrou Morfin pelo assassinato de Tom Riddle Sr., Riddle saberia que Morfin estava em Azkaban, mas sempre haveria uma possibilidade, pequena talvez, de que ele escapasse ou fosse libertado. Possivelmente só depois de saber da morte de Morfin na prisão, que Riddle achou seguro retornar à cabana dos Gaunt e esconder lá, o anel. Tomando o maior cuidado para esconder seu nome original, e especialmente seu nome do meio, Voldemort achou que seria impossível uma ligação com a cabana dos Gaunt.