Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Enigma do Príncipe/Capítulo 17

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Capítulo 17
Uma Lembrança Relutante[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Harry, Ron e Ginny voltam para Hogwarts pela Rede do Flu, depois do Natal. Evidentemente a Mulher Gorda bebeu muito vinho durante as Festas e a nova senha da Gryffindor é “Abstinência”. Na Sala Comunal, Ron é imediatamente agarrado por Lavender, enquanto Ginny tinha prometido encontrar Dean, embora Harry perceba pouco entusiasmo da parte dela.

Hermione, que está ignorando Ron, encontra um canto quieto com Harry, e ele conta o que aconteceu durante as férias de Natal, incluindo a conversa com Rufus Scrimgeour. Hermione naturalmente concorda com Mr. Weasley e Lupin que Snape está tentando descobrir o que é a missão de Draco. Ela lembra a Harry que Draco ameaçou Borgin com Fenrir Greyback.

Na manhã seguinte um aviso nos quadros da Sala Comunal:

AULAS DE APARATAÇÃO Se você tem dezessete anos, ou vai completá-los até 31 de agosto, inclusive, poderá se inscrever em um curso de Aparatação de doze aulas semanais com um instrutor do Ministério da Magia. Se quiser participar, assine abaixo, por favor. Custo: 12 galeões.

Os alunos estavam agitados para descobrir como, mesmo depois que Harry descreveu as sensações desagradáveis ao viajar ao lado de alguém aparatando. Nessa noite, Harry chega ao escritório de Dumbledore para mais uma aula. Harry conta o que aconteceu no Natal, inclusive a visita de Rufus Scrimgeour. Dumbledore demonstra uma rara comoção quando Harry conta a ele sobre ser “por inteiro um homem de Dumbledore”. Harry também conta a conversa entre Snape e Draco; Dumbledore agradece pela informação, mas diz que Harry não precisa se preocupar e reafirma sua confiança em Snape.

Antes de entrarem nas lembranças, Dumbledore recapitula: Tom Marvolo Riddle entrou para Hogwarts e foi escolhido para a Slytherin, onde ele aprendeu sobre a habilidade de Salazar Slytherin conversar com as serpentes. Os professores pouco esperavam de Riddle. Ele era educado, era bonito, um órfão ambicioso, muitos até tiveram pena dele. Dumbledore nunca deu sua opinião sobre Tom aos professores, permitindo que ele começasse do zero sem qualquer preconceito.

Dumbledore descreve como os futuros Comensais da Morte viviam em volta de Riddle, mas admite a dificuldade em obter lembranças dele durante seu tempo em Hogwarts. Riddle nessa época também se tornou obsessivo por sua linhagem. A primeira lembrança nova é do tio de Riddle, Morfin. Nela, Riddle chega à casa de Gaunt e conversa com Morfin em Parseltongue. Morfin conta a Tom sobre seu pai, Tom Riddle Sr. e sua mãe, Merope, e mostra a ele o anel Peverell, dizendo que Merope levou o medalhão de Slytherin. A lembrança termina abruptamente, Morfin não se lembra de nada até depois de acordar no dia seguinte e o anel havia desaparecido.

Dumbledore conta que quando Riddle Sr. e seus pais foram encontrados mortos, o Ministério acusou Morfin, que logo confessou. Dumbledore especula que Riddle estuporou seu tio, matou a família e depois implantou memórias falsas na mente de Morfin.

A segunda lembrança é de Slughorn. Ele e o “Slug Club” durante a época de Riddle estão conversando. Por duas vezes a lembrança inexplicavelmente se torna enfumaçada e se ouve apenas a voz de Slughorn, especialmente quando Riddle pergunta a ele sobre Horcruxes. Slughorn parece responder que nada sabe sobre isso. Dumbledore explica que essa lembrança foi adulterada, e pede a Harry que obtenha a verdadeira lembrança de Slughorn.

Análise[editar | editar código-fonte]

Dumbledore tinha a esperança que Tom Riddle mudasse, mas suas suspeitas secretas estavam bem fundamentadas. Parece que Tom começou a preparar seu plano diabólico enquanto ainda estava em Hogwarts, recrutando seguidores que se tornaram os primeiros Comensais da Morte.

Riddle também foi atrás de vingança contra seu pai por abandoná-lo e à sua mãe, ainda que Riddle Sr. estivesse sob feitiço feito por Merope. Isso não absolve Riddle Sr. completamente, porque rejeitou seu filho, que não tinha culpa alguma pelo que sua mãe fez, e o deixou abandonado num orfanato. No entanto, isso não importa muito para Tom, que está consumido pela raiva e vingança, tanto que estende sua vingança para além de seu pai, aos avós paternos que eram inocentes, matando a todos, ele apagou todos os laços que tanto detestava de sua linhagem Trouxa.

Embora Riddle conseguisse eliminar sua família Trouxa, esse ato violento jamais poderia purificar o que ele na verdade é – um mestiço. Ele será sempre atormentado e sempre sentirá uma aversão por sua linhagem mestiça. Não que Riddle sinta qualquer tipo de lealdade pelo lado puro sangue dos Gaunt, incriminando falsamente seu tio Morfin pelo assassinato dos Riddles. Ao eliminar seus parentescos paternos e maternos, Riddle dá o primeiro passo em “renascer” como Lord Voldemort, apagando todos os laços de sangue e não tendo lealdade a ninguém.

Reparamos na lembrança de Slughorn, que ele menciona alguém chamado Lestrange. Embora seja possível que ele se referisse a Rabastan ou a Rodolphus, esses personagens são aparentemente jovens quando os vimos, no livro quatro, em seu julgamento. Além disso, entendemos que um deles se casou com Bellatrix, irmã de Narcissa, que é apenas pouco mais velha do que o pai de Harry. Recordando que essa lembrança tem uns cinquenta anos, nós imaginamos que esse Lestrange pode ser o pai ou tio de Rabastan e Rodolphus.

Embora a nova senha da Gryffindor seja “abstinência” e supostamente se refira ao fato da Mulher Gorda ter bebido todas, ela pode também se referir aos alunos mais velhos alcançando a maturidade sexual. Com todas as emoções confunsas e relacionamentos caóticos que muitos personagens estão vivendo, essa pode ser a maneira da autora, divertidamente, avisá-los para “pegarem leve”. Isso com certeza, pode se aplicar a Lavender, embora Ron pareça muito relutante em retornar aos seus braços. Hermione deve ter reparado, por isso ela quis conversar com Harry na Sala Comunal, ao invés de procurar uma sala vazia como vinha fazendo antes. Hermione, sendo muito mais observadora sobre a natureza humana do que Harry ou Ron, pode ter percebido que o namoro de Ron e Lavender estava acabando. Harry também repara um certo desânimo em Ginny de retornar para junto de Dean, embora os leitores possam achar que isso é apenas o desejo por parte de Harry.

Uma nota feita aqui, é que a Rede do Flu foi extendida a Hogwarts, especificamente para permitir aos alunos retornarem depois do Natal. Isso parece uma certa contradição, uma vez que Dumbledore retornou ao seu próprio escritório através da Rede do Flu no livro anterior, que a cabeça de Sirius apareceu em diversas ocasiões na lareira da Sala Comunal da Gryffindor, Snape chamou Lupin usando uma técnica bem parecida no terceiro livro e Umbridge comentou que todas as lareiras estavam sendo monitoradas. Não há explicação para essa aparente contradição, mas podemos especular. É possível que, para evitar que alunos saiam sem permissão, a grande maioria das lareiras de Hogwarts, estejam conectadas à Rede do Flu por um portal muito pequeno, só o bastante para admitir a cabeça e nada mais. Como essa conexão seria feita, não temos idéia, a menos que sirva para alguma saída de emergência da Sala Comunal; um portal pequeno apenas para a cabeça pode ser suficiente para manter a grade da lareira ligada à Rede do Flu, mas não apresente um perigo para incursões ou excursões não desejadas, e o feitiço pode ser feito para expandir a ligação para um total em caso de emergência. É possível que as limitações sejam removidas para os Chefes da Casa e os monitores, ou para todos os professores da escola desde que sejam responsáveis para usar.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Tom Riddle matou seus avós Trouxas, junto com seu pai?
  2. Por que Dumbledore reage daquela forma quando Harry diz que respondeu a Scrimgeour que ele é “um homem de Dumbledore?”

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que a conversa de Snape com Malfoy não perturba Dumbledore?
  2. Por que Slughorn modificaria sua lembrança?
  3. Realmente Dumbledore acreditava que Tom Riddle estava mudando quando ele começou em Hogwarts? Dê evidencias contra e a favor.
  4. Por que Tom Riddle armou para seu tio Morfin ser culpado pelo assassinato dos Riddles?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Harry assinala que Tom Riddle era menor de idade quando estuporou Morfin, mas o Ministério não o detectou. Dumbledore explica que, quando um bruxo menor de idade está numa residência de bruxos, o Ministério não consegue saber quem fez a magia, e confia nos bruxos adultos para tomar conta de qualquer atividade magica de menores de idade. No último livro, Ron chama esse monitoramento de Trace, e diz que ele para automaticamente no 17° aniversário do bruxo. O Trace, aparentemente detecta qualquer magia e sua localização, e é por isso que o feitiço que Dobby usou na casa dos Dursley foi detectado antes do segundo ano de Harry.

Alguém pode imaginar por que o Trace falhou ao detectar o assassinato de Tom Riddle Sr. e a resultante criação de um Horcrux. Podemos apenas especular, é claro, mas uma possibilidade é que o Trace não reporte magia ocorrendo na vizinhança imediata de um bruxo adulto; isso explicaria também a falha do Ministério em detectar quando Harry usa magia, mais tarde nesse livro. Caso Tom soubesse disso, como certamente sabia, ele deveria ter levado Morfin, estuporado com ele, até a casa dos Riddle; e a presença de Morfin impediria o Trace de detectar.

Antes de Dumbledore apanhar Harry na casa dos Dursleys, ele já sabia da missão de Draco, e é bem possível, do Voto Perpétuo de Snape na mesma hora em que Snape o fez. É por isso que ele parece não se preocupar com a revelação de Harry: porque, para ele isso não é uma revelação, é apenas um relatório de confirmação de uma situação da qual ele já estava avisado. As palavras específicas que ele usa aqui, são importantes; ele não diz que não acredita em Harry, ao invés disso ele diz que não é da conta de Harry. Harry no entanto, não ouve as reais palavras, sabe apenas que foi dispensado e acredita que Dumbledore não está dando atenção a esse perigo, seja ele qual for.

É claro, que a observação de Harry, que Ginny não parece muito a fim de voltar para Dean, e também a hesitação de Ron de terminar com Lavender, são presságios. Ambos os relacionamentos vão terminar ao mesmo tempo, em mais ou menos quatro meses.

Conexões[editar | editar código-fonte]

Muito pouco nesse capitulo se conecta aos outros livros, com a possível exceção das discussões sobre o Trace. O Decreto para a Razoável Restrição de Magia aos Menores é mencionado, ou está implícito, um grande número de vezes durante a série, e forma um pano de fundo para muitas atividades de Harry fora do ano escolar.