Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Enigma do Príncipe/Capítulo 16

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Capítulo 16
Um Natal Muito Gelado [editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Harry e Ron estão agora na Toca para passar o Natal e conversam sobre o que Harry ouviu. Ron concorda que é estranho que Draco tenha sido incumbido de uma missão e está completamente incrédulo do Professor Snape ter feito um Voto Perpétuo para ajudá-lo. Qualquer um que quebre um Voto Perpétuo morrerá. Muitas pessoas são esperadas na Toca para o Natal, mas Percy não irá porque ainda está afastado da família. Fred e George ao chegar implicam com Ron sobre Lavender; aparentemente Ginny contou para eles sobre o namoro.

Mr. Weasley admite em particular para Harry, que o Ministério está prendendo pessoas inocentes e diz que Stan Shunpike ainda está preso para evitar má publicidade. Harry conta a Lupin sobre a conversa que ele ouviu entre Snape e Malfoy. Ambos dizem que Dumbledore confia em Snape, e isso é o suficiente para eles. Lupin nem gosta e nem desgosta de Snape, dizendo que Snape sempre preparou com perfeição sua Poção Wolfsbane; e mesmo quando ele revelou que Lupin era um lobisomem, ele até podia causar um dano maior e permanecer sem culpa, simplesmente errando aquela poção tão complicada. Embora a amargura entre eles (e inclusive Harry) não possa ser sanada, eles ainda confiam em Snape.

Lupin, nesse meio tempo, se infiltrou no bando perverso de Fenrir Greyback, como espião para a Ordem. Lupin conta que os lobisomens apoiam Voldemort porque eles ficarão livres de regras. Foi Greyback quem infectou Lupin quando este era criança. Greyback escolhe crianças para que elas cresçam para odiar a espécie dos bruxos. Ele quer infectar bastante gente para os lobisomens tomarem o poder.

Harry pergunta sobre o Príncipe Mestiço e o feitiço Levicorpus. Lupin explica que esse feitiço tem prós e contras, e o “Príncipe” não deve ter inventado. Ele também não tem idéia da identidade do Príncipe, exceto que não eram nem James e nem Sirius. Lupin sugere que Harry cheque a data de publicação do livro para ajudar a descobrir a identidade do Príncipe. Ele foi impresso cinquenta anos antes, o que parece deixar de fora os pais de Harry e seus contemporâneos.

Entre os presentes de Natal de Harry e de Ron estavam os suéteres de sempre, um colar realmente ridículo para Ron, enviado por Lavender e um pacote de larvas de varejeira de Monstro para o “Mestre” Harry. No jantar de Natal, a família toda junto com Fleur Delacour e Lupin conversam sobre Tonks, que não aceitou o convite para passar o Natal na Toca. Harry pergunta porque o Patrono de Tonks mudaria de aparência. Lupin sugere que uma grande perturbação na vida de uma pessoa pode causar essa mudança.

Inesperadamente, Percy e o Ministro da Magia, Rufus Scrimgeour chegam. Scrimgeour explica que ele e Percy tinham negócios para resolver na vizinhança, quando Percy “decidiu” parar para uma visita. Mrs. Weasley fica paralisada ao ver Percy novamente, mas os outros Weasleys reagem friamente. A pretexto de dar um pouco de privacidade aos Weasleys, Scrimgeour pede a Harry para lhe mostrar o jardim. Lá fora, Scrimgeour pergunta sobre a Profecia e quer que Harry seja visto frequentemente no Ministério da Magia. Eles querem apresentá-lo como “O Escolhido” e mostrar que ele apoia as políticas do Ministério. Harry recusa, citando a falha do Ministério em agir rapidamente e por aprisionar Stan Shunpike, uma pessoa inocente. Harry ignora as perguntas de Scrimgeour sobre Dumbledore. Scrimgeour furioso responde que Harry “é por inteiro um homem de Dumbledore” ao que Harry logo concorda, mas não da forma que Scrimgeour pensa, e abruptamente volta para a casa.


Análise[editar | editar código-fonte]

A tentativa de Scrimgeour de persuadir Harry a ser o “garoto propaganda” do Ministério, junto com o fato do Ministério continuar a se recusar a libertar os reconhecidos inocentes como Stan Shunpike, novamente mostra como Scrimgeour está mais preocupado em dar uma boa impressão para a comunidade bruxa, do que em obter resultados reais. Também parece que ele deseja separar Harry da influência de Dumbledore. Harry percebe bem ambos os truques e se recusa a cooperar, revidando o insulto de Scrimgeour ao concordar que ele é, de fato, “um homem de Dumbledore “. Infelizmente, esse incidente serve apenas para afastar mais os Weasleys de Percy, que, ou conspira com Scrimgeour, ou foi usado por ele para explorar a ligação de sua família para ter acesso a Harry. Parece que não há limite para o que Percy fará para alavancar sua própria carreira, e isso pode ser o ponto final na sua relação com seus pais e irmãos.

Conforme os eventos ficam mais sinistros no mundo mágico, a perigosa missão de Lupin para a Ordem, jogam luz sobre sua vida triste e solitária como lobisomem. Ele está arriscando sua vida ao se infiltrar no perigoso reino de Fenrir Greyback. Lupin fornece um conhecimento de como os lobisomens e outras criaturas das trevas, como vampiros, gigantes, goblins e outras, foram prescritas pela comunidade bruxa, dando uma certa justificativa para que eles agora, apoiem Voldemort, que oferece mais vantagens. Apenas os goblins rejeitam Voldemort; quanto mais o poder dele aumenta, mais ele interfere em seus negócios, portanto eles não se aliam a ele. Lupin também fornece uma razão possível para o Patrono de Tonks ter mudado de aparência, embora ele talvez saiba mais do que está revelando.

Os leitores vão reconhecer o nome de Fenrir Greyback sendo o mesmo a quem Draco Malfoy mencionou na Borgin & Burkes, mais cedo nesse livro. Fica claro então porque Mr. Borgin ficou subitamente cooperativo depois que Draco mencionou que Greyback era um “amigo da família.” Considerando a reputação de Greyback, Borgin certamente temeu por sua vida se falhasse com o pedido de Draco.

O presente de Lavender para Ron, e a reação de Ron a ele, são uma indicação que o relacionamento deles não vai para frente. Embora seu namoro seja fisicamente intenso, parece que Lavender não faz idéia do que Ron realmente gosta. O presente de Lavender para Ron parece ser algo que a própria Lavender gostaria, o que indica que ela está centrada nela mesma nesse namoro com Ron. Os sentimentos de Ron são ainda desconhecidos, ele entrou nesse relacionamento na verdade, por causa de Ginny, e possivelmente de Hermione, e podemos perceber que os motivos dele continuam a ser egoístas. Com relação a isso, Ron e Lavender parecem combinar bem; mas com certeza a relação é instável, uma vez que cada um permanece focado apenas em si próprio.


Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Scrimgeour quer a ajuda de Harry? Por que Harry recusa?
  2. Por que o Ministério se recusa a libertar Stan Shunpike e outras pessoas inocentes?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Lupin diz que nem gosta e nem desgosta de Snape, ainda que aparentemente Snape o odeie e seja o responsável por sua saída de Hogwarts?
  2. Por que criaturas mágicas como lobisomens, gigantes, centauros e outras, apoiam Voldemort? Por que os goblins não o apoiam?
  3. Por que Tonks recusa o convite para passar o Natal na Toca?
  4. O livro de Poções de Harry foi impresso há cinquenta anos atrás. O que estava acontecendo em Hogwarts nessa época, e o que isso pode dizer a Harry?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


A data de impressão do livro de Harry é de cinquenta anos antes, o que o coloca no período próximo da época de Tom Riddle em Hogwarts. No livro dois, somos levados a crer que Tom era um aluno do sexto ou sétimo ano, cinquenta anos antes de Harry que era um aluno do segundo ano, portanto Tom ou um contemporâneo, pode tê-lo comprado novo. De qualquer maneira, tudo isso na verdade mostra que o Príncipe Mestiço esteve em Hogwarts em algum momento depois dessa data. Parece uma coisa bem simples comprar um livro de segunda mão, uma vez que os livros parecem mudar muito pouco, ano após ano, portanto parece ser inteiramente possível que um dos contemporâneos de James Potter fosse o proprietário desse livro. De fato, deve ter sido um dos colegas de classe de James, alguém mais pobre forçado a comprar livros de segunda mão.

Curiosamente, ainda que os livros texto sejam raramente atualizados, os leitores são lembrados constantemente que novos feitiços, azarações e encantamentos estão sendo sempre inventados. Esses, raramente se tornam prática padrão de magia, e como disse Lupin, esses novos entram e saem de moda.

Essa não é a primeira vez que Scrimgeour tenta manipular Harry para dar suporte à imagem pública do Ministério; Dumbledore e Scrimgeour, em setembro passado, já haviam discutido sobre isso, e foi comentado publicamente. Dumbledore mais tarde, comentaria que Fudge também queria explorar Harry dessa forma, para manter sua posição como Ministro da Magia. Scrimgeour esperava convencer Harry conversando diretamente com ele, então usou a família de Percy para chegar até Harry e tentar separá-lo de Hogwarts e de Dumbledore. Scrimgeour fará uma nova tentativa mais tarde nesse livro, apenas para ser recusado novamente. Isso, junto com o fato de Shunpike continuar preso, é uma indicação clara de que Scrimgeour, que é um político esperto a seu modo como Fudge, é dirigido pela opinião pública assim como Fudge, sem levar em conta as diferenças entre eles. A despeito da profunda divisão entre Harry e Scrimgeour, no último livro, quando o Ministério cai nas mãos de Voldemort, Scrimgeour é torturado em busca de informações, mas nunca revela o paradeiro de Harry, assim permitindo que Harry, Ron e Hermione escapassem.

O Voto Perpétuo de Snape nos deixou imaginando, assim como Ron, exatamente porque ele concordaria em completar a missão de Draco pondo em risco sua própria vida. A única razão seria que Dumbledore conseguiu extrair de Snape a promessa de realizar a missão de Draco. Apenas no livro final, descobrimos isso, e que Snape e Dumbledore estavam agindo juntos para proteger Draco.

Lupin explica a Harry que uma grande agitação na vida de Tonks poderia ser o motivo para mudar a forma de seu Patrono. Harry e os leitores, ainda, não sabem que foi Lupin quem causou essa agitação.


Conexões[editar | editar código-fonte]

Esse capitulo, como grande parte desse livro, tem pouca coisa ligada aos outros livros. Há, é claro, outras pequenas tramas continuamente sendo desenvolvidas; as principais que aparecem nesse capitulo são o relacionamento entre Tonks e Lupin, o namoro entre Ron e Lavender, o relacionamento entre Harry e Monstro, o afastamento de Percy de sua família, e os esforços constantes de autopreservação do Ministério.

  • Nós vimos o exibicionismo de Stan Shunpike no quarto livro, e acreditamos que esse hábito de inventar mentiras foi o motivo de sua prisão. Nesse livro ele ainda está preso, e irá, mais tarde no último livro, atacar Harry junto com os Comensais da Morte, presumivelmente sob a influência da Maldição Imperius.