Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Enigma do Príncipe/Capítulo 15

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Capítulo 15
O Voto Perpétuo[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Enquanto Hogwarts se prepara para o Natal, Harry faz o possível para evitar as garotas que se reuniam debaixo dos ramos de visgo quando ele passava. Ron agora passava todas as tardes envolvido com Lavender Brown, que “parecia achar cada momento em que não estivesse beijando Rony um momento perdido;” Ron e Hermione continuavam a se ignorar, enquanto Harry e Hermione frequentemente estudavam na biblioteca juntos. Harry novamente se encontrava na situação em que seus dois melhores amigos que não falavam um com o outro.

Harry não conseguiu achar um jeito de evitar a festa de Natal do Professor Slughorn. Hermione avisa Harry que as garotas que estão interessadas nele podem tentar dar a ele uma poção do amor. Quando ele pergunta como uma poção de amor poderia passar pelo Sensor de Segredos, Hermione diz que uma coruja carregando um vidrinho de perfume, não sabe o que tem dentro, portanto não há segredo a ser detectado. Ela observa que Romilda Vane está particularmente determinada a ir à festa de Slughorn com Harry. Quando Harry retorna à Sala Comunal, Romilda está claramente ansiosa por um convite; rejeitada, ela dá a ele uma caixa de bombons, que Harry põe de lado sem abrir. Hermione sugere que Harry convide alguém de modo a desencorajar as outras garotas. Conversando com Hermione, Harry menciona Draco e o colar novamente, mas Hermione insiste em que o Sensor de Segredos detectaria qualquer maldição poderosa.

Enquanto isso, Harry continua a ir muito bem em Poções usando as notas do Príncipe. Hermione ainda está zangada porque Harry se recusa a parar de usar o livro do Príncipe. Na aula de Transfiguração, Ron acidentalmente se presenteou com um bigode em forma de guidão, fazendo Hermione rir. Como vingança Ron grosseiramente imitou Hermione, fazendo com que ela saísse chorando. Harry particularmente já antecipava as próximas férias na Toca, esperando que a distância ajudasse a curar o relacionamento de Ron e Hermione.

Harry encontra Hermione num banheiro próximo, sendo confortada por Luna. Hermione recolhe suas coisas que Harry entregou e vai embora. Luna diz que Ron, as vezes, diz coisas engraçadas, mas também diz coisas que magoam. Harry acha que Luna tem um jeito de dizer coisas desagradáveis mas verdadeiras. Luna diz que sentiu falta das reuniões da AD, porque sentia que lá, tinha amigos, e menciona como Ginny é legal com ela, e fez dois garotos pararem de chamá-la de Loony. Harry, de repente decide convidar Luna para a festa de Slughorn, apenas como amigos. Luna fica surpresa e muito feliz porque ninguém nunca a tinha convidado para uma festa antes. Pirraça que tinha ouvido o convite, imediatamente espalha para a escola toda. Logo todo mundo sabe que Harry tinha convidado Luna. Ron censura Harry, dizendo que ele podia ter convidado qualquer uma que não fosse "Loony Lovegood", embora Ginny elogia Harry. Lavender aparece e começa a beijar Ron. Em resposta Hermione conta a Parvati, bem alto, que ela vai à festa de Slughorn com Cormac, o que faz com que Ron saia do beijo chocado. Harry fica avaliando até aonde as garotas vão por uma vingança.

Luna usava vestes prateadas com estrelas para a festa, fazendo as outras garotas darem risinhos de zombaria. Harry ficou aliviado porque ela não estava usando os brincos de nabos e o colar de rolhas de cerveja amanteigada, na verdade ela estava bem bonita. Na festa, Hermione tendo fugido das tentativas de Cormac de levá-la para debaixo do visgo, puxa Harry e Luna para a mesa de bebidas, de onde ela pode ver se Cormac se aproxima. Snape também está presente. Quando Slughorn comenta que Harry tem uma facilidade natural para Poções, assim como sua mãe, Snape responde sarcasticamente.

Harry estava se divertindo até Filch chegar arrastando Draco, que foi pego zanzando num corredor de cima. Slughorn meio rindo, meio aparentemente zangado, permite que ele fique, pois é Natal. Draco parece ter ficado desapontado. Quando Snape chama Draco para conversar em particular, Harry, escondido sob a Capa da Invisibilidade, os segue para ouvir a conversa. Snape sonda Malfoy buscando informações sobre Katie Bell, mas Draco o bloqueia mentalmente. Snape comenta que Draco deve ter aprendido Oclumencia com sua tia Bellatrix. Snape diz que sabe que Draco está trabalhando em algum projeto lá em cima e se oferece para ajudar, citando o Voto Perpétuo. Draco não diz nada e vai embora.


Análise[editar | editar código-fonte]

Quando Harry escuta Snape perguntando a Draco sobre suas atividades secretas, Snape parece não saber dos detalhes da missão do rapaz, e Draco se recusa a contar qualquer coisa, mesmo Snape tendo feito o Voto Perpétuo de ajudá-lo. No entanto, a recusa de Draco a contar para Snape, indicando desconfiança, não convence muito a Harry de que Snape não é um Comensal da Morte, apesar das repetidas vezes em que Dumbledore garantiu a fidelidade do professor. A teimosia e as emoções de Harry em geral obscurecem seu julgamento e a lógica, e seu ódio por Snape o impede de considerar outras possibilidades. Também nos parece que as suspeitas de Harry com relação a Draco estão corretas.

Harry parece nem perceber que as meninas o achem tão atraente. Seu interesse no sexo oposto ficou muito restrito a uma só pessoa, Cho Chang, e ele sequer pensou em um outro relacionamento até agora, quando começa a sentir interesse por Ginny. O fato de geralmente ignorar as garotas que se interessam por ele, pode demonstrar falta de confiança, ou que ele esteja preocupado com coisas mais sérias, de modo que nunca pensou em procurar companhia feminina que não fosse as amigas platônicas, Hermione e Ginny.

Para desencorajar o interesse das outras garotas, Harry convida Luna para a festa de Slughorn, um pouco porque a considera “segura”, mas também porque se sente muito mal quando os outros alunos a destratam ou maltratam. Ele também não esqueceu da participação dela na Batalha do Departamento de Mistérios, o que garantiu a Luna um lugar seguro entre seus amigos queridos. Embora Harry saiba que os outros alunos, incluindo Ron, vão zombar dele por convidar "Loony" Luna, ele amadureceu muito e considera que a desaprovação dos seus colegas é superada por sua própria vontade. Enquanto Hermione e Ginny aprovam totalmente sua escolha, o comportamento deplorável de Ron não apenas demonstra sua imaturidade, mas também sua insegurança; ele zomba dos alunos impopulares, com medo de que ser associado a eles fique mal para ele próprio.

A observação de Luna de que Ron em geral diz coisas engraçadas, mas também coisas que magoam, é perfeita e perspicaz; mas considerando como Luna arriscou sua própria vida para ajudar Harry e Ron, durante a Batalha no Ministério da Magia, a grosseria de Ron para com ela é indesculpável e vergonhosa. Ron já havia demonstrado um péssimo comportamento não apenas com Luna, mas também com Hermione. Sua dificuldade com garotas em geral, e seus sentimentos mal resolvidos com relação à Hermione em particular, faz com que ele a ataque por cada escorregada que ela dá.

Depois que Ginny mencionou que Hermione beijou Viktor Krum no ano anterior, Ron deu o troco namorando Lavender Brown, uma garota muito boboca e chata de quem ele particularmente nunca gostou. O motivo com certeza foi apenas magoar Hermione e fazê-la ficar com ciúmes, sem considerar como ele foi injusto ao usar Lavender, ainda que ela fosse uma chata. Ron também pode estar querendo provar que ele também pode arranjar namoradas ao contrário do que Ginny falou; nisso, ele até fez algum progresso, finalmente tendo conseguido beijar alguém que não tia Muriel, mas claramente continua totalmente imaturo emocionalmente e também sem ter noção sobre garotas. E ainda que a intenção de Ron em magoar Hermione tenha sido bem sucedida, a chata Lavender agindo possessivamente com ele pode ter tido um mau efeito sobre ele.

Os comentários de Luna sobre Ron são interessantes porque ela também tende a dizer o que pensa. Se Luna mantém aquele ar abstrato para amaciar seus comentários, não se sabe. Ela está correta ao dizer que Ron tende a fazer pouco dos sentimentos dos outros quando fala, tornando aquilo que diz, muitas vezes, doloroso. Curiosamente, embora Luna também seja igualmente direta, suas palavras não são dolorosas para os outros.

A revelação de Hermione sobre o Sensor de Segredos ter falhas, indica a possibilidade de que materiais perigosos possam entrar em Hogwarts, em certas circunstancias. Se o colar amaldiçoado que Katie Bell estava carregando seria barrado não se sabe, uma vez que Katie, aparentemente estava sob a Maldição Imperius, portanto não sabia que estava carregando algo perigoso, e portanto nenhum segredo estava imediatamente envolvido; Hermione parece achar que o sensor poderia ser provocado pela maldição que estava no colar, mas ela foi interrompida, e nunca vamos descobrir o que ela pensa.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Harry convida Luna para a festa de Slughorn? Por que Ron é contra?
  2. Por que Ron zomba de Hermione? Foi merecido?
  3. Por que Hermione convida Cormac McLaggen ao invés de outro aluno?
  4. Luna está certa ao dizer que Ron as vezes diz coisas divertidas, mas também as vezes diz coisas que magoam? Explique. O que Harry acha?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Snape parece não saber o que Draco anda fazendo. Porém no início do livro, ele diz a Narcissa que está ciente do plano. Isso não parece uma contradição. O que Snape não sabe sobre a missão de Draco?
  2. Se Snape está ligado a Draco por um laço mágico, para ajudar o rapaz a completar sua missão secreta, por que Draco se recusa a confiar nele?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


A missão de Draco está ligada a ele consertar algo na Sala Precisa, que é o lugar acima, ao qual Snape se referia. Quando Filch o pegou “zanzando no corredor”, Draco não estava tentando entrar na festa; apenas Slughorn tão egocêntrico que não reparou que Draco não queria ficar ali. Quase que certamente Draco estava indo para a Sala Precisa para prosseguir em sua missão. Com certeza sua irritação com Snape foi, parcialmente porque Snape está impedindo que ele vá para a Sala, onde ele pensou em ter uma noite de trabalho produtiva.

A recusa de Draco em aceitar a ajuda de Snape, inicialmente parece ser difícil de compreender, uma vez que Draco claramente está tendo dificuldade de cumprir sua missão e provavelmente precisa de alguma ajuda. Snape subiu muito dentre os conselheiros de Voldemort, talvez num nível, que Draco pense, pertenceria por direito a seu pai. Draco foi incumbido do que ele vê como uma missão muito importante, especificamente, eliminar Dumbledore, “o único que ele (Voldemort) já temeu”. Draco provavelmente vê essa missão como o único meio de recuperar a posição de direito de sua família, e acredita, corretamente, que aceitar assistência pode ajudá-lo a conseguir, mas certamente dificulta a redenção de sua família.

Ele também tem apenas a palavra de Snape de que existe um Voto Perpétuo, sua mãe jamais revelaria isso para ele, e ele sabe que Voldemort proíbe seus Comensais da Morte de discutirem suas missões uns com outros. E esses fatores junto com seu próprio orgulho, além da desconfiança normal que os adolescentes sentem pelas pessoas mais velhas, nós podemos ver que a recusa de Draco em dividir com Snape sua missão está totalmente dentro do personagem.


Alguns leitores acompanhando os acontecimentos do livro cinco, sugeriram que Luna parece um personagem importante o suficiente e que ela deveria se juntar ao Trio, possivelmente se tornando a namorada de Harry. Os acontecimentos nesse capitulo reforçam e negam essa teoria; embora Harry leve Luna à festa de Slughorn, ele permanece divertido com as coisas que ela faz, o que sugere fortemente que a relação nunca vai ser profunda. Os bolos de caldeirão que Romilda dá a Harry estão batizados com uma poção do amor, assim como Hermione avisou. O fato de Ron encontrá-los e comer, vai prejudicar sua relação com Lavender, e vai resultar num envenenamento acidental na primavera.

Ligado a esse incidente, vamos descobrir uma garrafa de hidromel envenenado que entrou em Hogwarts sem que o Sensor de Segredos de Filch percebesse. Não se sabe como, embora tenha sido sugerido que, como um professor estava levando a garrafa, ela passou sem ser escaneada; além disso, o professor nunca soube o que ele estava carregando, e o veneno podia ser naturalmente mágico, o Sensor não conseguiu detectar. Hermione sugere que, da mesma forma que falou com Harry sobre as poções de amor, o professor que tenha carregado a garrafa certamente não saberia nada a respeito, assim o Sensor não funcionaria.

Como já foi mencionado, essa fraqueza em potencial, resulta num objeto amaldiçoado entrando na escola, se a pessoa que o estiver carregando não souber da maldição; não sabemos como é o funcionamento do Sensor, então fica difícil compreender.


Conexões[editar | editar código-fonte]

A maior parte das conexões desse capítulo, como os Caldeirões de Chocolate de Romilda, Katie Bell e o colar amaldiçoado e o Voto Perpétuo do Professor Snape, são eventos que acontecem nesse livro.

  • A discussão de Hermione sobre o Sensor de Segredos reaparecerá no último livro.
  • A afirmação de Luna, de que ela sentia ter amigos na AD, será revisitada no último livro, também.