Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Enigma do Príncipe/Capítulo 14

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Capítulo 14
Felix Felicis[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A caminho da aula de Herbologia no dia seguinte, Harry conta para Hermione e Ron o que descobriu sobre Tom Riddle, e Ron fica imaginando porque Dumbledore está ensinando tudo isso para Harry. Hermione diz que os jantares do Slug Club, na verdade são bem agradáveis e anima Harry a ir no jantar de Natal, além disso diz que os convidados podem levar alguém. Ron, na brincadeira sugere que ela convide McLaggen. Hermione responde que ia convidar Ron, mas como ele está agindo de modo tão ridículo, ela nem vai se preocupar. Ron envergonhado diz que iria com ela, no entanto se ela vai reconsiderar não se sabe. Harry se preocupa no caso de Ron e Hermione vierem a se tornar um casal, uma separação poderá criar um abismo intransponível entre eles, ou então eles vão ficar tão grudados que irão abandonar Harry.

Harry chama Dean Thomas para substituir Katie Bell para o time de Quadribol, enquanto ela está internada no St. Mungo. No treino, Ron fica tomado de pânico, joga horrivelmente e até acerta a boca de Demelza. Voltando à Sala Comunal da Gryffindor, Harry e Ron topam com Ginny e Dean se beijando no corredor; Harry sente ciúmes enquanto que Ron reage com raiva. Ginny fica furiosa também e grita que Harry beijou Cho Chang e Hermione beijou Viktor Krum, mas Ron tem tanta experiência como um menino de doze anos; então ela vai embora. Indo para a Sala Comunal Harry e Ron assustam uma garota que deixa cair uma jarra.

Ron, nas palavras de Ginny ainda está chocado e mordido aparentemente pensando que Hermione beijou Viktor Krum. Harry ainda briga com seus próprios sentimentos românticos com relação à Ginny, embora ele descarte isso como apenas amizade. Ele também teme que se começar a namorar Ginny, possa acabar sua amizade com Ron.

No dia seguinte, Ron, ainda bravo maltrata a todos, especialmente Hermione e dá um gelo em Dean e Ginny. Nos próximos dias o humor de Ron não melhora nem um pouco e ele fica péssimo nos treinos. Ele quase pede para sair do time, mas Harry o faz desistir. No entanto Ron continua deprimido antes do jogo contra a Slytherin. Harry prepara o que considera um plano brilhante. No café da manhã Hermione vislumbra um vidro pequenino contendo a Poção Felix Felicis escondido nas mãos de Harry e, suspeitando que Harry tinha colocado algo no suco de abóbora de Ron, ela o avisa que não beba. Mesmo assim Ron bebe tudo. Aparentemente a poção da sorte funciona, porque Malfoy e outro jogador não estarão em campo nesse dia, embora Harry suspeite que Draco está planejando alguma coisa. Quando Ron pergunta se Harry colocou Felix Felicis em seu suco, Harry não responde.

Zacharias Smith, um Hufflepuff que está ao microfone narrando a partida, fica continuamente criticando a Gryffindor, mas ele é obrigado a parar porque eles jogam brilhantemente, inclusive ganhando 100 pontos de frente. O Seeker da Slytherin, vê o Pomo, mas o Harry o distrai e agarra o Pomo, vencendo no final. No vestiário, Hermione entra como uma fera, brigando com Harry por roubar, mas Harry revela que não usou a Poção, Ron apenas acreditou que tinha bebido.

Na festa da vitória, Ron beija Lavender Brown à vista de todos. Hermione saiu discretamente da Sala Comunal e Harry a segue até uma sala de aulas vazia. Um bando de pássaros está voando em volta da cabeça dela; Harry tenta consolá-la, mas Ron entra com Lavender, que rapidamente vai embora. Hermione usa o feitiço Oppugno para conjurar os canários para atacarem Ron.

Análise[editar | editar código-fonte]

Embora Hermione tenha usado magia para ajudar Ron a ficar com um lugar no time de Quadribol, ela aparentemente voltou ao seu “siga as regras” e briga com Harry por roubar (assim ela acha), dando a Ron a Poção da Sorte para aumentar sua habilidade no jogo. Ron jogou de maneira brilhante porque acreditou que a poção ia aumentar sua performance, mas Harry não deu a poção a ele. Quando Ron acredita em si mesmo, ele tem a habilidade de fazer bem muitas coisas.

A habilidade de Harry de lidar com as dificuldades e hábitos das pessoas está aumentando; ele sabe que Hermione iria intervir se houvesse um comportamento anti-ético, e que Ron, como uma criança malcriada tenderia a resistir a ela. Sem dúvida que Harry deve ter observado que o mau humor constante de Ron iria piorar seu comportamento. Foi por isso que, acreditamos, ele deixou que Hermione visse o frasco do Felix Felicis, quando ele dá a Ron o suco de abóbora; Harry sabe que se Hermione achasse que a bebida de Ron estava batizada com a poção, ela reclamaria. Não se sabe se Harry estava contando com isso para animar Ron a beber; é certo que o protesto de Hermione levou Ron a acreditar que ele teve a oportunidade de tomar um pouco de sorte líquida. Essa é uma maneira similar ao modo de Voldemort manipular pessoas e seus padrões de pensamentos para sua vantagem. Diferente de Voldemort, porém, o motivo de Harry é ajudar seus amigos e não conseguir coisas para seus próprios interesses.

Ron novamente reage mal aos seus não resolvidos sentimentos com relação à Hermione. A implicância de Ginny com relação á sua inexperiência romântica o deixaram profundamente envergonhado, mas o que realmente o aborreceu foi a revelação sobre Hermione beijar Viktor Krum. Não reconhecendo seus sentimentos, ele se permite se envolver numa relação questionável com Lavender, uma garota tonta, que ri à toa e que Ron jamais olharia duas vezes se ela não estivesse dando em cima dele, portanto massageando seu ego. Hermione por sua vez, fica cada vez mais furiosa com Ron por aceitar as atenções de Lavender, embora ela esteja mais sentida e chateada do que zangada. E, embora essa seja a maneira mais clara com que ela expressa seus sentimentos sobre Ron, apenas Harry, e nós, podemos ver que ele não percebe.

Embora Harry queira ver seus dois melhores amigos felizes, ele também tem preocupações. Se Ron e Hermione conseguissem superar suas diferenças e se tornarem namorados, isso significa que ele seria deixado para trás ou forçado a escolher um lado no caso deles se separarem. O namoro de Ron com Lavender, e o efeito que isso está tendo nas relações de Hermione com ele, e com Harry, claramente torna essa preocupação maior. Harry está começando a entender o quanto ele confia em cada um deles, na sua amizade e apoio, um fato que o Professor Dumbledore já tem, sutilmente, chamado atenção. Harry também luta com sentimentos românticos por Ginny, embora ele os ponha de lado como se fosse apenas uma preocupação de irmãos.

Harry também está trabalhando em duas frentes, simultaneamente. A primeira, como já foi mencionado, é para instilar confiança em Ron, mostrando que ele é capaz de jogar muito bem quando acredita em si mesmo. Nisso Harry foi bem sucedido. A outra batalha de Harry é reconciliar Ron e Hermione. Aí houve uma grande falha, possivelmente devido à imaturidade emocional de Ron, deixando Harry novamente, com dois bons amigos que não falam um com o outro.

Os leitores devem reparar na garota pequena, no corredor do sétimo andar que deixa a jarra cair.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Ron está tão mal humorado?
  2. Por que Ron conseguiu jogar tão bem?
  3. Por que Ron sugere que Hermione convide Cormac para a festa de Slughorn?
  4. Por que Hermione está tão chateada com Ron?
  5. Por que Harry se preocupa que Ron e Hermione deveriam sempre ser um casal?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. As preocupações de Harry sobre Ron e Hermione ficarem sempre juntos são justificadas? Explique.
  2. Por que Ron se envolveu com Lavender? Por que ela está atraída por ele?
  3. Ron e Lavender formam um bom par? Explique porque ou porque não.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Vemos aqui o que pode ser considerado o inicio formal de um relacionamento romântico entre Ron e Lavender. Ela claramente, desde o inicio do ano já estava mostrando interesse por Ron, ao invés de deixar isso evidente, ela apenas respondia a qualquer indireta do rapaz, fosse para ela ou não. Ron não se sabe se estava consciente ou não, mas agora, ele estava completamente empolgado pela vitória no Quadribol, e em parte pela recente acusação de Ginny, de que ele é romanticamente inexperiente, ele se jogou sobre Lavender, como o modo mais rápido de provar que Ginny estava errada. O romance, se é que pode ser chamado assim, vai criar uma séria tensão entre Ron e Hermione, que vai gradualmente diminuir na primavera conforme Ron percebe que ele e Lavender tem muito pouca coisa em comum, e começa a procurar Hermione novamente em busca de amizade e conselhos.

Embora tenha passado despercebido, a garotinha que derruba a jarra no corredor do sétimo andar será importante. O leitor atento vai perceber que a garotinha está sempre nesse corredor e, invariavelmente derruba alguma coisa barulhenta quando Harry passa. Os leitores vão reparar que isso ocorre próximo da Sala Precisa. Essa garotinha é, ou Crabbe ou Goyle disfarçada pelo Polissuco e ficam de guarda do lado de fora da Sala Precisa enquanto Malfoy trabalha na sua missão secreta para Voldemort. Harry nunca havia percebido isso até que Dobby e Monstro seguiram Malfoy, mais tarde, na primavera.


Conexões[editar | editar código-fonte]

Há relativamente poucas conexões para os outros livros nesse capítulo, além das óbvias menções a Viktor Krum, Cho Chang e Auntie Muriel (que não aparece em pessoa até o próximo livro).

  • O feitiço que Hermione usa para criar um bando de canários, foi usado antes por Ollivander como parte da pesagem das varinhas no livro quatro, devido ao Torneio Tribruxo.