Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Enigma do Príncipe/Capítulo 13

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Capítulo 13
Riddle o Enigma[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Katie Bell é removida para o Hospital St. Mungo em Londres. Com exceção de Harry, Ron, Hermione e Leanne, os alunos não sabem que alguém, que não era Katie, era o alvo. Ron e Hermione ignoram o comentário de Harry, que Draco sabe.

Embora Dumbledore não tenha sido visto durante o dia todo, Harry vai ao seu escritório para a segunda lição. Dumbledore está lá e assegura a Harry que Snape, que tem mais experiência do que Madam Pomfrey fez tudo o que podia para ajudar Katie. Dumbledore diz também que Mundungus Fletcher aparentemente se escondeu muito bem, mas que nada mais foi tirado de Grimmauld Place. Dumbledore diz que o envolvimento de Draco será investigado, mas agora é mais importante a lição.

Na lição anterior, eles determinaram que Merope Riddle, abandonada por seu marido Trouxa Tom Riddle Sr., estava grávida e sozinha em Londres. Tendo perdido a vontade de usar magia para cuidar de si mesma, ela precisava de dinheiro. Ela vendeu um medalhão de ouro que pertenceu a Salazar Slytherin para Caractacus Burke, um dos fundadores da Borgin & Burkes. Harry ficou chocado porque Burke deu a ela apenas dez galeões por uma relíquia que não tem preço.

Nessa lembrança, um jovem Dumbledore com cabelos e barbas castanhos visita Tom Riddle, então com onze anos, num orfanato. A diretora comenta que Tom é um garoto estranho e deixa a impressão de que está torcendo para que alguém o leve embora, Dumbledore então, fala com Tom.

Inicialmente, Tom acredita que o Professor Dumbledore seja um médico que veio para interná-lo num hospício. No entanto Dumbledore explica que Hogwarts é uma escola de magia. Ainda criança, Tom manipulava e aterrorizava outras crianças, estrangulou um coelho de estimação, feria pessoas, e falava em Parseltongue, tudo isso, Dumbledore falou, era magia. Quando Tom pede provas de que Dumbledore é um bruxo, Dumbledore conjura chamas no armário de Tom, e repentinamente as extingue. Dumbledore manda Tom pegar uma pequena caixa com objetos roubados e os devolva a seus donos. O jovem Dumbledore fica preocupado com a ambição do jovem, sua crueldade, seus roubos, e sua reação do descobrir que é um bruxo; então resolve mantê-lo sob vigilância.

De volta ao escritório, Dumbledore diz que não sabia que Tom se tornaria o mais temido Bruxo do Mal em séculos, Lord Voldemort. Ele chama a atenção de Harry para vários detalhes sobre o jovem Tom Riddle: ele detestava seu nome comum, Tom, e queria ser diferente de todas as outras pessoas. Ele já era auto suficiente, reservado, aparentemente sem amigos, e ele gostava de colecionar troféus.

Quando está de saída, Harry observa que o anel não está mais lá e comenta que esperava ver um dos troféus de Voldemort, talvez apenas uma gaita? Dumbledore comenta que a gaita era apenas uma gaita de boca.

Análise[editar | editar código-fonte]

Dividindo as lembranças suas e de outros, Dumbledore está mostrando a Harry como Voldemort se moldou, de um garoto inseguro, abandonado em um famoso Bruxo do Mal. Embora alguns leitores possam ser compreensivos com as dificuldades de Riddle ainda garoto, pode ser visto claramente, que ele era naturalmente uma pessoa desagradável desde pequeno. Até mesmo as funcionárias do orfanato começaram a ter medo dele. E, embora tenha crescido sem conhecer sua família, o jovem Tom Riddle herdou muitas das características desagradáveis da família Gaunt. Ele era egoísta, reservado, indiferente e não tinha compaixão pelos outros. Ele era também, extremamente inteligente, muito mais do que outros meninos de onze anos.

Quando criança, Riddle se isolava dos outros órfãos, que ele considerava inferiores, e frequentemente roubava objetos para guardá-los como troféus. Ele também os ameaçava ou machucava fisicamente, e mais tarde, aprendeu a manipular pessoas para ter o que desejava. Quando Dumbledore repreendia Tom por ser desrespeitoso, o repentino bom comportamento de Riddle parecia falso e preparado para agradar ao estranho professor, apenas para garantir sua estadia em Hogwarts.

O jovem Riddle temia ser comum em qualquer circunstância e precisava se sentir superior a todos. Ser introduzido no mundo mágico, deve ter sido um choque: quando chegou a Hogwarts, ele não era mais único, mas apenas, um dentro muitos bruxinhos talentosos. Talvez por isso ele se decidiu crescer acima de seus colegas. Não contente em se encaixar na multidão, ele determinou que suas ambições seriam maiores. Explorando seu talento natural para sobressair nas aulas e investigando o lado negro da magia para obter poderes adicionais que pudesse encontrar lá.

Riddle também compartilha muitas similaridades com Harry. Ambos foram órfãos criados num ambiente sem amor, eles são bruxos mestiços, cada um descobriu que tinha poderes mágicos, apenas quando estava com idade suficiente para ir para Hogwarts e ambos podiam usar magia desde pequenos sem qualquer treino e sem usar varinha. No entanto, se ambos os garotos tivessem sido criados por seus respectivos pais, o futuro deles teria sido muito diferente um do outro.

Riddle acreditou ser um bruxo imediatamente, enquanto Harry inicialmente ficou em dúvida. E, diferente de Harry, Riddle detestava Trouxas, ainda que seu pai fosse um, coisa que Riddle odiava, e seu ódio talvez estivesse profundamente enraizado no fato de seu pai Trouxa ter abandonado sua mãe. Harry, provavelmente seria a mesma pessoa de bom coração que ele é agora, apenas mais confiante e seguro de si, enquanto que a herança Gaunt de Tom Riddle certamente teria abominado sua origem, ainda que seu pai o tivesse criado.

Riddle, a vida inteira se sentiu sujo por sua “impureza do sangue” e isso teve péssimo efeito em seu espírito. Descobrir que era um bruxo inchou seu senso de superioridade, enquanto que sua ligação com Salazar Slytherin, mais tarde deu combustível para seu egoísmo, gradualmente se manifestando numa nova persona, como Lord Voldemort e assim diminuindo em sua mente sua suja linha de sangue Trouxa.

Dumbledore diz que manteve Riddle sob vigilância em Hogwarts. Embora Dumbledore nunca mencione isso, durante suas entrevistas com a diretora do orfanato nós vemos que ele suspeita que Riddle poderia ser tentado a aprender a usar as três Maldições Imperdoáveis. Falando com Dumbledore numa voz de comando Riddle sugere usar a Maldição Imperius, quando se exibe que pode causar sofrimento nos outros, lembra a Maldição Cruciatus. Sua capacidade de matar o coelho de outra criança para estabelecer a dominação e o controle através do medo é o precursor do Avada Kedavra, a Maldição da Morte.

Riddle também mostrou seu potencial por aprender rápido Legilimencia quando olhou dentro dos olhos de Dumbledore para determinar se este estava mentindo. Embora seja raro, o jovem Tom sempre usou esses feitiços difíceis, especialmente sem varinha, suas habilidades emergentes sugeriam fortemente que ele tinha potencial para se tornar um poderoso Bruxo do Mal, e temos que entender que Dumbledore viu isso, e esperava que Hogwarts conseguiria ensiná-lo e afastá-lo dessas tendências.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Merope Gaunt vendeu o medalhão? Para quem ela vendeu e por que ela aceitou tão pouco dinheiro por um objeto tão valioso?
  2. O que os funcionários do orfanato pensam sobre Tom Riddle? Por que?
  3. Por que Tom Riddle achou que Dumbledore veio para o orfanato para levá-lo para o hospício? O que Riddle planejava fazer se isso fosse verdade?
  4. Qual foi a primeira opinião de Dumbledore sobre Tom Riddle no orfanato? O que ele decidiu fazer? O que ele contou a Harry sobre Riddle?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que o medalhão de Slytherin é de ouro – cor da Gryffindor – e não de prata como a cor da Casa Slytherin?
  2. Por que Merope não usou a magia para sobreviver?
  3. Por que Ron e Hermione constantemente descartam as suspeitas de Harry sobre Draco, apesar das evidências confiáveis e circunstanciais contra ele? O que Dumbledore diz a Harry?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Devemos prestar cuidadosa atenção às palavras de Dumbledore quando ele responde às preocupações de Harry com relação a Draco. Aqui, e em outros capítulos, quando Harry conta a Dumbledore sobre as ações de Draco, Dumbledore nunca as descarta, mas ao invés, diz a Harry “isso não é da sua conta”. Examinando o texto vemos que ele não está menosprezando as alegações de Harry; ao contrário, ele está dizendo que está atento, mas acredita que Harry tem coisas mais importantes do que se preocupar com Draco, também não é o caso de Harry saber mais do que deve. Em especial, repare que o tom das palavras afetam Harry; enquanto Dumbledore sente que está dizendo a Harry que suas preocupações estão sob controle, Harry sente que elas estão sendo descartadas. De fato no último livro, descobrimos que Dumbledore já sabe, nessa altura da história, qual é a missão de Draco, embora não exatamente como ele planeja executá-la e pediu a Snape para vigiar Draco. A vigilância de Snape é menos completa que a de Harry, e quando Draco termina seu plano, ele é descoberto e reportado por Harry, não por Snape.

Dumbledore comenta que a gaita de boca era apenas isso mesmo, e isso é enigmático para Harry e para o leitor. Certamente o pensamento do diretor estava em outro lugar. No último livro, é revelado que o anel era um Horcrux antes que Dumbledore o quebrasse, e era a disso que Dumbledore estava falando. Que a pedra do anel era uma das três Relíquias da Morte provavelmente não era no que Dumbledore estava pensando. Embora essa parte da natureza do anel estava tomando a mente de Dumbledore, por causa dos acontecimentos do verão, Dumbledore acredita que Voldemort falhou em entender a natureza das Relíquias. Assim sendo, a pedra do anel sendo uma Relíquia é irrelevante para a discussão dele e de Harry no caso, uma vez que está centrada em Voldemort.

A ausência do anel é curiosa, e o leitor pode imaginar o porque ele sumiu. De fato não o veremos mais nesse livro. Quando ele reaparece, perto do final do último livro, ele está dentro do Pomo que Dumbledore deixou de herança para Harry. É seguro supor que Dumbledore já tinha escondido o anel dentro do Pomo, em preparação para sua morte, que ele sabia não seria depois de julho, não mais do que nove ou dez meses no futuro.


Conexões[editar | editar código-fonte]

  • O anel Peverell é mencionado mas não é visto aqui.
  • Vimos a venda do medalhão de Slytherin para Borgin & Burkes. Embora não o reconheçamos como, o mesmo que foi visto pela primeira vez - “um medalhão pesado de metal que nenhum deles conseguiu abrir” no livro cinco. O vimos ainda há pouco, nesse livro, como “prova” da ancestralidade de Marvolo Gaunt, e o veremos muitas vezes ainda, como um dos amados objetos de Hepzibah Smith. Harry e Dumbledore vão tentar recuperá-lo da caverna onde Voldemort o escondeu. O medalhão será um Horcrux; Regulus Black já o tinha recuperado da caverna antes de Dumbledore, Monstro o levou para Grimmauld Place por ordem de Regulus, e ficou extremamente perturbado porque não conseguiu completar a ordem final de seu mestre e destruí-lo. Essa será uma grande trama, quando for descoberta no último livro, e também será uma forma de Harry saber se Monstro é, de fato, leal a ele. Hermione vai recuperar o medalhão e Ron vai destruí-lo no último livro.