Saltar para o conteúdo

Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Cálice de Fogo/Capítulo 9

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.


Capítulo 9
A Marca Negra
[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Com o dinheiro na mão, Fred e George voltam para o acampamento com Harry, Ron, Ginny, Hermione, Percy, Charlie, Bill e Mr. Weasley (que, depois de pensar bem, prefere não saber para que os gêmeos querem o dinheiro). Todos discutem o jogo até que Ginny cai de sono sobre a mesa. Mr. Weasley manda todos para cama, mas o barulho das comemorações ainda é grande. Logo, Mr. Weasley sacode Harry para acordá-lo. Harry ouve gritos e correria, e imediatamente percebe que algo está errado. Lá fora, bruxos encapuzados estão gritando, tacando fogo nas tendas, e suspendendo quatro Trouxas no ar, bem alto. Fred, George, Harry, Ron, Hermione e Ginny recebem a ordem de se esconder na floresta, enquanto Mr. Weasley, Bill, Charlie e Percy vão ajudar os bruxos do Ministério da Magia a acabar com a bagunça.

Na floresta, Draco Malfoy está encostado numa árvore, tranquilo, nem ligando para todo aquele caos. Ele sugere que aquele movimento são os Comensais da Morte caçando Trouxas, e eles poderão atacar também os Sangue Ruins. Mais à frente na floresta, o Trio acaba se separando de Ginny e dos gêmeos. Alunos de Beauxbatons, outra escola de magia, estão pedindo informações em francês. Harry procura sua varinha e descobre que a perdeu. Enquanto o Trio procura pela varinha encontram Winky, o elfo doméstico, agindo de uma maneira estranha, como se alguma coisa invisível estivesse puxando-a para trás. Harry deduz que ninguém lhe deu permissão para fugir. Hermione começa a reclamar porque os elfos domésticos são basicamente escravos, mas Ron responde que eles mesmos dizem que são felizes desse jeito.

Entrando mais na floresta, eles passam por goblins contando moedas de ouro. Mais adiante as Veelas estão rodeadas por rapazes tentando atrair a atenção delas. Ron tem que ser arrastado dali. De repente aparece um Ludo Bagman com cara de preocupação, parecendo não se dar conta da confusão que está ocorrendo. Ele então desaparata imediatamente, assim que o avisam, e Hermione sugere que ele não está sabendo nada do que é sua obrigação.

O Trio acha que o tumulto pode ter acabado, mas atrás deles, uma voz profunda ecoa, "Morsmordre!". Um grande crânio verde com uma serpente saindo da boca aparece no céu enquanto gritos ressoam por todo lado. Hermione logo reconhece a Marca Negra de Voldemort, e quer ir embora, mas subitamente, uns vinte bruxos do Ministério aparatam em volta deles. Harry, Hermione e Ron deitam no chão enquanto feitiços estuporantes cruzam por cima das cabeças deles. Mr. Weasley grita para pararem, e os bruxos param. Bartemius Crouch quer saber quem conjurou a Marca Negra. Hermione aponta para onde ouviu o grito. Amos Diggory diz que o conjurador pode não ter desaparatado antes de ser estuporado. Uns poucos bruxos saem para investigar e retornam trazendo uma Winky inconsciente, chocando Crouch. Diggory repara que Winky tem uma varinha. Ludo Bagman aparata ali, e fica chocado ao ouvir sobre a Marca Negra e ver a Winky estuporada. Crouch que estava dando buscas na área onde Winky foi encontrada, retorna de mãos vazias; querendo interrogar Winky, Diggory a revive com o feitiço Enervate.

Winky nega ter conjurado a Marca Negra, ela nem sabe como. Quando Harry reconhece sua varinha, Diggory o acusa de ter conjurado a Marca Negra, mas Mr. Weasley o recorda com quem está falando. Diggory então, acusa Winky, mas Hermione diz que a voz que eles ouviram era definitivamente humana e muito profunda. Ron e Harry concordam. Usando o feitiço Prior Incantato, fica determinado que a varinha de Harry conjurou a Marca Negra. Afirmando que o Winky o desobedeceu, Crouch diz a ela, “Isso significa roupas!” (presenteando elfos domésticos com roupas você lhes dá liberdade). Ninguém considera isso como uma ofensa, mas Crouch é duro; Winky será dispensada. Mr. Weasley e o Trio voltam para sua tenda onde Fred, George e Ginny já estão a salvo. Todos tentam dormir um pouco antes de pegar uma Chave de Portal de manhã bem cedo, para retornar à Toca, mas leva um bom tempo antes que Harry consiga dormir.

A marca de Voldemort reaparecendo depois de treze anos é tão aterrorizante quanto o próprio Lorde das Trevas. Harry descobre que ela era vista flutuando sobre uma casa, dentro da qual Comensais da Morte tinham matados todos. Três dias antes, a cicatriz de Harry estava doendo, e essa noite, a Marca Negra. Será que existe uma conexão entre esses acontecimentos? Os baderneiros com certeza eram Comensais da Morte que não tinham sido capturados, e eles provavelmente desaparataram quando a Marca Negra apareceu, porque eles tinham evitado Azkaban apenas porque negaram qualquer ligação com Voldemort. Caso ele ainda estivesse por ali, os Comensais estariam em maus lençóis por tê-lo negado.

Análise[editar | editar código-fonte]

Embora a maioria dos bruxos acredite que Voldemort está morto faz tempo, os estragos e o caos, causados pelos Comensais da Morte sobreviventes, mostram como maldade permanece profundamente arraigada dentro do mundo mágico, e como pode incitar o terror e o pânico rápida e facilmente, especialmente quando acompanhadas de um símbolo visível como a maligna Marca Negra. E embora pareça que os baderneiros encapuzados estavam atacando qualquer um, ao acaso, no acampamento, o comentário de Draco sugere que a intenção deles deveria ser atacar nascidos Trouxas, como Hermione. Apenas como lembrança, Voldemort chegou ao poder se apoiando na crença de alguns bruxos de “sangue puro”, que eles eram, seja por nascimento ou qualquer outro meio, superiores aos Trouxas e aos filhos bruxos dos Trouxas. O ar de divertimento de Draco Malfoy vendo Trouxas e nascidos Trouxas sendo atacados, também sugere que ele tem alguma informação sobre esse tumulto, e que seu pai, Lucius pode estar envolvido. Os Malfoys, elitistas e muitos de seus contemporâneos, têm uma antiga ligação com as Artes das Trevas e apóiam o espírito do “sangue puro”, defendendo o fanatismo e a violência para reprimir (e até eliminar) aqueles considerados inferiores; a reação fria de Draco reflete seus sentimentos pessoais, e também mostra a crença de sua classe social, que diz que os nascidos Trouxas são uma ameaça por competir por posições influentes e importantes na comunidade mágica, posições em que, apenas os bruxos de sangue puro deveriam poder estar, por seu nascimento, muito mais do que habilidade.

A acusação de Mr. Crouch de que um dos membros do Trio conjurou a Marca Negra, não é apenas um julgamento apressado, mas suspeito, quando ele imediatamente aponta Harry como primeiro suspeito, sem a menor evidencia. Uma “mentalidade de grupo” logo toma conta dos bruxos, e quando fica provado que a varinha roubada de Harry conjurou a Marca Negra, Amos Diggory imediatamente acusa Harry, depois Winky, que obviamente não tomou parte alguma em conjurar o feitiço. Apenas a oportuna intervenção de Mr. Weasley restaura a razão entre os quase irracionais funcionários do Ministério. Crouch dispensando seu elfo doméstico, Winky, por uma infração tão pequena, pode indicar que ele sabe de algo sobre o ataque, e está tentando disfarçar as suspeitas. Os leitores devem prestar atenção cuidadosa aos acontecimentos que circundam a dispensa de Winky nesse capitulo; eles são muito mais fora do comum que podemos imaginar, e têm um papel significativo mais tarde na história.

A chegada repentina de Ludo Bagman, e seu comportamento estranho parecem também muito peculiares, e ele claramente não cumpriu suas obrigações; parece que na verdade, estava atendendo aos seus clientes de apostas. Seu aparente desconhecimento do que estava acontecendo no acampamento, pode estar relacionado aos seus jogos na Copa do Mundo; ele parece chocado com o resultado do jogo, o que sugere que suas apostas devem ter ido muito mal. Bagman vai ainda aparecer na história, por causa do trabalho que a autora investiu em criar esse personagem; o leitor pode estar esperando seu desenvolvimento.

Os leitores devem ter reparado na resposta de Hermione aqui, assim como no capitulo anterior, à maneira servil de Winky. Assim como foi abordado em dois capítulos sucessivos, é fato que a condição dos elfos domésticos será um elemento constante no desenrolar da história nesse livro, e será uma questão recorrente mais tarde na série.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Como um elfo doméstico é mandado embora?
  2. Quem eram as figuras encapuzadas e por que eles estavam fazendo tumulto?
  3. O que estava flutuando no céu noturno? Quem é responsável por isso e o que isso representa?
  4. O Trio ouve alguém gritar nos arbustos. O que eles ouvem? O que acontece, imediatamente depois? Quem reconhece ela?
  5. Como Mr. Weasley consegue convencer os outros que Harry é inocente?
  6. Se a maioria dos bruxos acredita que Lord Voldemort está morto faz tempo, por que ver a Marca Negra causa tanto terror?
  7. Por que Draco Malfoy está tão calmo e despreocupado durante o tumulto? O que ele diz ao Trio?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Mr. Crouch despede seu elfo doméstico, Winky? Isso foi justo ou Crouch teve alguma outra razão para mandá-la embora?
  2. Por que Harry foi logo acusado de ter conjurado a Marca Negra?Qual a evidência, além da varinha roubada, que pode apoiar isso?
  3. Por que Winky também foi suspeita de conjurar a Marca Negra? Há alguma evidencia de que ela o fez? Se há, por que ela teria feito isso?
  4. Por que Ludo Bagman, um funcionário do Ministério, não sabia que um ataque estava sendo preparado? Onde ele estaria e por que?
  5. Ludo Bagman estava preocupado com o tumulto, ou outra coisa? O que poderia ser?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A injustiça que Winky sofreu ao ser mandada embora é responsável em grande parte, pela decisão de Hermione de defender a causa dos direitos dos elfos domésticos, embora poucos, incluindo os próprios elfos domésticos, vão apoiar essa causa. Mas, uma vez lançada a semente, Hermione se torna apaixonada por lutar contra a opressão e a intolerância, um tema recorrente através da série. E embora, muitas criaturas sofram, tanto pelo descaso quanto pelo ódio racial e a descriminação, os elfos domésticos são talvez, os mais mal tratados e difamados entre todas as criaturas mágicas, sendo virtualmente escravos, sem nenhum direito, representação ou outro propósito que não servir às famílias bruxas a quem eles pertencem. Ironicamente, os elfos domésticos são criaturas poderosas magicamente, como foi visto quando Dobby protegeu Harry ameaçando Lucius no livro dois, capitulo 18. Bastou a ameaça de Dobby para Malfoy, imediatamente reconsiderar seus atos. Isso é, pelo menos curioso, pensar como os elfos domésticos se tornaram escravos dos bruxos, talvez porque reprimindo uma raça inteligente e potencialmente superior em magia, fosse a grande motivação dos bruxos para sufocá-los. Embora isso nunca tenha sido explicado, é possível que os elfos tenham sido subjugados durante séculos e induzidos a um condicionamento comportamental (lavagem cerebral), que resultou em aceitarem de bom grado a escravidão, e tendo sua identidade e posição, dependentes por completo da casa bruxa onde eles servem, felizes e leais, mesmo quando são maltratados. Hermione vai ter que superar esse enorme obstáculo, se algum dia quiser chegar à sua meta, de libertar um grupo que tem satisfação em ser escravizado. Quando Amos Diggory tira Winky estuporada do meio dos arbustos atrás da clareira, Bartemius Crouch a reconhece imediatamente como seu elfo doméstico. Quando ele volta aos mesmos arbustos, depois, ele estava procurando por alguém que Winky deveria estar guardando. Winky não consegue explicar o que aconteceu ou dizer quem lançou a Marca Negra, porque ela está presa magicamente à obrigação de guardar qualquer segredo que saiba, sobre a família a quem ela serve. O crime de Winky não foi estar na floresta sem permissão, nem mesmo segurar uma varinha, mas, ela falhou ao proteger um segredo da família. Isso é um crime muito mais sério, e a razão verdadeira dela ter sido mandada embora, embora os leitores possam considerar por que Crouch iria dispensar uma servidora tão valiosa, ou por que ele foi tão rápido ao acusar Harry.

Há diversas pistas de que Winky estava tomando conta de alguém. A varinha de Harry some, mais tarde aparece nas mãos de Winky. Isso só poderia ter acontecido se Harry a tivesse deixado cair na floresta, e Winky, ou a pessoa que ela estava guardando, a tivesse pegado, ou se Winky, ou seu companheiro a tivesse tirado do bolso de Harry no camarote. Quando Winky corre através da floresta, ela está, aparentemente, falando consigo mesma e agindo como se estivesse amarrada. De fato, alguém escondido sob uma Capa da Invisibilidade, e não visto por Harry, a estava segurando. Essa pessoa foi quem conjurou o feitiço Morsmordre, e embora tenha sido estuporado pelos bruxos do Ministério, ele caiu sob a capa e permaneceu escondido de Amos Diggory. Crouch, sabendo o que estava procurando, o encontra e manda para casa.

É crédito da autora que, embora tenha dado pistas fortes em apenas esse capitulo, não conseguimos concluir que Winky estava tomando conta de alguém, até o capitulo 35, quando essa pessoa Barty Crouch Jr. Explica o que aconteceu durante o tumulto. Crouch mandando Winky embora é, ironicamente, o que leva à sua revelação final do segredo, uma vez que Winky é a mais importante ajudante de Crouch para manter Barty escondido. Considerando o que Winky sabe sobre as atividades de Crouch, é surpreendente ele ter dispensado o elfo doméstico de sua casa nessas circunstâncias, permitindo assim que ela levasse todo esse tipo de informação. Embora Winky sinta que precisa se manter leal à família Crouch, a despeito do cruel tratamento que Bartemius lhe dispensava, nem todos os elfos domésticos agiriam da mesma forma; Dobby, por exemplo, revela alguns segredos da família Malfoy para Harry, mesmo antes de ser libertado da casa deles. Porque Crouch está certo de que Winky vai continuar a proteger seus segredos nunca foi explicado, nem mesmo porque ele acredita poder guardar esse segredo sem Winky, sua maior aliada. Pode ser que ele simplesmente tenha reagido ao que considerou uma traição, e depois tenha ficado obrigado a manter as ameaças, mesmo sabendo que sua vida será muito mais complicada sem a ajuda de Winky.

Os goblins vistos na floresta, estavam provavelmente contando o que ganharam de Ludo Bagman. As preocupações de Bagman, vamos ver mais tarde, são por causa de suas “pequenas apostas” que se saíram muito mal, e parece que ele agora deve mais dinheiro do que devia antes. Bagman deve saber perfeitamente, que o ouro dos Leprechauns vai desaparecer, quando o usou para pagar aos goblins. Embora assim ele tenha ganho um tempo, sua preocupação atual é provavelmente porque ele agora tem que pensar como vai fazer quando o ouro desaparecer. Bagman também pagou aos gêmeos com o ouro dos Leprechauns, mas isso é uma preocupação menor do que com os goblins, Ludo percebe que os gêmeos são mais fáceis de ignorar.

Novamente vemos Ron encantado com as Veela. Entre os rapazes rodeando as Veela, Harry reconhece Stan Shunpike, um personagem que, mais tarde será posto sob a maldição Imperius. Vamos descobrir também que Ron, é afetado pela maldição Imperius, muito mais do que Harry, o que pode indicar que o charme “natural” das Veela está de alguma forma, relacionado com essa maldição mágica.

Outro personagem, Fleur Delacour, que é um quarto Veela, em breve vai fazer parte da história. O rápido encontro com as Veela na floresta, pode também explicar porque Ron fica tão encantado com Fleur, uma paixonite que também será usada para esclarecer alguns aspectos do caráter de Hermione.

Conexões[editar | editar código-fonte]

  • O feitiço usado nesse capitulo para revelar o último feitiço lançado pela varinha, é uma variante do efeito que será visto no capitulo 34. Quando as varinhas de Hermione e de Ron são capturadas, Harry acredita que o mesmo efeito revelará que a varinha de Hermione foi usada para consertar a varinha de Harry.
  • Os esforços de Hermione para libertar os elfos domésticos da escravidão, vão resultar na sua descoberta de que Dobby e Winky foram empregados pelo Professor Dumbledore, e estão trabalhando nas cozinhas de Hogwarts. Ela vai, no próximo livro, tentar libertar os elfos dando um jeito deles receberem roupas; isso vai resultar nos elfos evitando ir à Torre da Gryffindor e deixando para Dobby fazer todo o trabalho de limpeza e manutenção dessa área. Dobby vai, como resultado disso, poder ensinar a Harry o segredo da entrada da Sala Precisa.