Saltar para o conteúdo

Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Cálice de Fogo/Capítulo 35

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.


Capítulo 35
Veritaserum
[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Reaparecendo do lado de fora do labirinto, ainda agarrado à Taça Tribruxo e ao corpo de Cedric. Harry se sente atordoado pelo barulho, em meio à confusão e aos gritos que Cedric estava morto, o Ministro da Magia afirma que Cedric está apenas ferido, enquanto o Professor Dumbledore diz a Harry para não sair dali. Harry, tonto, é erguido e levado pelo Professor Moody até seu escritório. Uma vez lá dentro, Moody pergunta a ele pelo retorno de Voldemort. Harry recorda que deveria ter dito a Dumbledore que há um Comensal da Morte em Hogwarts, que Karkaroff colocou o nome de Harry no Cálice de Fogo. Moody então afirma que foi “ele” quem colocou o nome de Harry no Cálice, deixando Harry espantado. Foi Moody quem colocou o nome de Harry no Cálice, deu um empurrãozinho em Hagrid para mostrar os dragões e deu a Harry a dica de como derrotá-los. Moody deu a Neville o livro de Herbologia que continha a informação de que Harry precisava para a segunda tarefa, e quando isso falhou, ele deu um jeito de Dobby passar a informação. Foi Moody quem estuporou Fleur no labirinto e colocou Krum sob a Maldição Imperius, na tentativa de eliminar Cedric.

Três figuras parecem se aproximar vistas no Espelho dos Inimigos, por trás de Moody. Quando Moody está quase usando a Maldição fatal em Harry, o Professor Dumbledore, a Professora McGonagall e o Professor Snape irrompem no escritório e estuporam Moody. A pedido de Dumbledore, Snape sai para buscar o soro da verdade e Winky, enquanto McGonagall vai buscar um grande cão negro que está sentado no canteiro de abóboras de Hagrid, para levá-lo ao escritório de Dumbledore. Dumbledore abre o grande baú de Moody, revelando múltiplos compartimentos lá dentro. O verdadeiro Alastor Moody está preso dentro do último. Estuporado e sob a Maldição Imperius, ele está fraco mas ainda vivo. A garrafinha que o impostor levava sempre na cintura, contém Poção Polissuco; à medida que vai terminando o efeito da Poção, o falso Moody se transforma em Barty Crouch Jr.

Snape chega com o soro da verdade e Winky, que imediatamente confirma que o impostor é Barty. Quando McGonagall retorna, Dumbledore administra Veritaserum a Barty e depois usa Enervate para recuperá-lo. Crouch confessa sua parte nos eventos ocorridos durante o ano. Foram Bartemius Crouch, Sr. e sua esposa que ajudaram Barty a fugir de Azkaban. Mrs. Crouch tinha uma doença terminal e como seu desejo antes de morrer, ela pediu ao marido que ajudasse Barty a sair da prisão. Ao visitar o filho em Azkaban, ela e Barty Jr. trocaram suas identidades usando a Poção Polissuco. Mrs. Crouch morreu logo depois ( foi ela quem Sirius viu os dementadores sepultando). Barty Jr. ficou preso então na casa de seu pai, escondido sob uma Capa da Invisibilidade e controlado pela Maldição Imperius, para impedi-lo de voltar para Voldemort. Winky, o elfo doméstico dos Crouch, ajudava a cuidar dele. Quando Bertha Jorkins, que trabalhava para Bartemius no Ministério, foi à casa dos Crouch inesperadamente quando Bartemius não estava, ela descobriu Barty Jr. lá escondido. Bartemius apagou a memória dela, para esquecer o que vira. Mais tarde, ela foi transferida para o departamento de Ludo Bagman, mas o feitiço de memória a deixou com muitos problemas.

Winky convenceu Bartemius Crouch Sr. dar a permissão para Barty ir à Copa Mundial de Quadribol, escondido sob a Capa da Invisibilidade. Lá, ele fugiu, roubou uma varinha (a de Harry) e conjurou a Marca Negra. Bartemius então dispensou Winky e recapturou Barty, levando-o de volta para a casa deles, usando mais força para contê-lo.

Bertha Jorkins, antes disso, tinha encontrado Rabicho, enquanto estava de férias, e foi levada até Voldemort. O Lord das Trevas desfez o feitiço de memória e descobriu que Barty Jr. estava preso na casa de seu pai. Também ficou sabendo sobre o Torneio Tribruxo e assim imaginou o plano para capturar Harry. Depois de matar Jorkins, Rabicho e Voldemort foram para Londres. Eles libertaram Barty Jr. e colocaram Bartemius sob a Maldição Imperius, o obrigando a continuar trabalhando normalmente. Barty Jr. e Rabicho então capturaram o verdadeiro Olho-Tonto Moody e também o colocaram sob a Maldição Imperius; Barty Jr. usou a Poção Polissuco para assumir a identidade de Moody, enquanto este, foi mantido vivo para fornecer os ingredientes para mais poções, e dar a Barty informações. Barty procurou os ingredientes da poção no escritório de Snape, afirmando que ele (como Moody) tinha ordens para olhar em todos os lugares. Quando Voldemort achou que não era mais seguro permitir que alguém visse Bartemius Crouch, ele o aprisionou em sua própria casa. Nessa altura, o Ministério da Magia, acreditava que Crouch estava doente em casa, e mandava instruções pelo Correio Coruja para seu assistente Percy Weasley. No momento em que Crouch conseguiu fugir de Rabicho e da Maldição Imperius (por causa da “falta de cuidado de Rabicho”) foi direto para Hogwarts, para contar tudo a Dumbledore. Barty Jr. localizou seu pai usando o Mapa do Maroto, que ele tinha pegado emprestado antes, com Harry, o matou e escondeu seu corpo.

Finalmente, Barty admite que enquanto ele estava colocando a Taça Tribruxo dentro do labirinto, ele a transformou numa Chave de Portal, que transportou Harry até Voldemort; portanto agora, ele acredita que o Lord das Trevas vai lhe dar honrarias que ultrapassam o sonho de qualquer bruxo.

Análise[editar | editar código-fonte]

O Veritaserum, como Snape prometeu quando ameaçava Harry, revelou muitas verdades. E, ao mesmo tempo em que esse capitula solucionou muitos mistérios relacionados a Harry e Voldemort, ele também mostrou o quanto vulnerável Harry está. A noção agradável, através da série, de que Harry está protegido enquanto estiver dentro das paredes de Hogwarts, foi destruída para sempre pela fraude esperta de Barty Crouch, que lhe permitiu acesso direto a Harry. De agora em diante, Harry vai ter dificuldade de encontrar um lugar de fato seguro para ele. Agora, que Voldemort recuperou seu corpo, Harry espera que ele faça outro ataque logo que possível. O poder de Voldemort, nós imaginamos, vai começar a se espalhar de forma silenciosa, metodicamente se entranhando em quase todos os locais do mundo mágico, envolvendo as instituições dos bruxos, até que ele consiga o controle total.

O primeiro desejo de Harry, que era competir no Torneio como um Campeão, se tornou realidade, mas a experiência foi muito além do que ele podia imaginar. Agora Harry precisa lidar com o trágico final, para sempre assombrado, sabendo que ao invés de ser aclamado como herói, ele foi enganado e manipulado numa falsa vitória que custou a vida de Cedric Diggory. Harry também havia posto sua confiança e admiração em Alastor Moody (no falso), mas tendo sido tão horrivelmente enganado, ele talvez jamais confie totalmente em ninguém. O relacionamento de Harry com Dumbledore pode também ter sido afetado. Dumbledore sempre lhe pareceu invencível, mas sua falha em descobrir Barty Crouch e em proteger Harry totalmente, mostraram uma rachadura em seu poder, que antes parecia invencível. À medida que o recém renascido Voldemort fica mais forte, Dumbledore está ficando mais fraco com a idade? Não está claro se é isso que acontece aqui, mas Dumbledore falhar em antever que alguém pudesse violar a forte segurança de Hogwarts é surpreendente, especialmente considerando como tanto Sirius (em diversas ocasiões no terceiro livro), e mais recentemente, Rita Skeeter, ambos, entraram no castelo tão facilmente sem serem percebidos. De fato, Harry nunca esteve completamente a salvo em Hogwarts, apenas mais seguro do que fora das paredes do castelo.

Cornelius Fudge, politicamente e sem noção, tenta o controle de danos, afirmando que Cedric não está morto, apenas ferido. Assim ele tenta proteger os Diggorys, sentindo que seria inadequado informar a eles, na frente de um grande público, que seu filho foi morto, além estar protegendo a si próprio e à imagem pública do Ministério. Essa tentativa de modificar ou minimizar as más notícias, é um comportamento clássico dos políticos, e podemos esperar mais disso nos próximos capítulos.

Também é interessante notar que Barty Jr. como Moody, ensinou aos alunos como repelir a Maldição Imperius, coisa em que ele provavelmente se tornou expert enquanto estava preso na casa de seu pai. Embora Barty Jr. fosse condenável e maléfico, ele aparentemente era um bom professor de DCAT, embora algumas de suas informações fossem, na verdade, tiradas do verdadeiro Alastor Moody, que foi mantido preso em seu escritório.

Alguns leitores devem ter ficado confusos porque o plano de Voldemort pareceu extremamente complicado, com vários pontos fracos, para alcançar apenas um objetivo: a chegada de Harry Potter no cemitério de Little Hangleton, num momento específico. Tendo ganho a confiança de Dumbledore, o falso Moody poderia ter, a qualquer momento, dado a Harry a Chave de Portal. Evidentemente, isso teria causado problemas para a autora, uma vez que a série é praticamente escrita, para cobrir os sete anos de Harry na escola, com um clímax acontecendo no fim, ou próximo do fim do ano escolar. A autora deve ter decidido por uma questão de lógica, que Voldemort tivesse desenvolvido um plano tão sofisticado para um final simples, de modo a fazer com que a história funcionasse e ao mesmo tempo entretivesse seus leitores de maneira excitante. Como seus motivos nunca foram revelados, podemos apenas especular. Voldemort parece ser o tipo de pessoa particularmente vingativa; o vimos torturando seus seguidores por motivos reais ou imaginários. É totalmente plausível que Voldemort estivesse se divertindo ao trazer Harry para a derrota e morte, imediatamente após vencer uma grande competição, em especial se Harry fosse informado que sua “vitória” havia sido programada, ao invés de conseguida por seu próprio esforço. Visto dessa maneira, talvez o mais surpreendente seja o fato de que não foi Voldemort quem contou isso a Harry, mas sim Moody/Barty. No entanto, considerando que talvez, a única oportunidade de Voldemort para recuperar seu corpo fosse usando o sangue de Harry, esse raciocínio parece arriscado e autoindulgente. É claro que sabemos que Voldemort acredita ser infalível; é possível que ele simplesmente não consiga compreender que existe a possibilidade de falhar, a menos que algum servo falhe. Também observamos que a preparação da poção deve levar um tempo significativo, como vimos com a Poção Polissuco no livro dois; a demora de levar Harry até Little Hangleton, pode bem ter sido para dar tempo a Rabicho de preparar tudo para finalizar a poção que vai restaurar o corpo de Voldemort. O estudante interessado em texto e escrita deve prestar atenção ao comportamento Professor Snape durante o decorrer desse episódio, e particularmente nas técnicas da autora em desviar a atenção desse comportamento.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Crouch Sr. manteve Barty Jr. escondido e preso em sua casa? Como a situação depois, virou ao contrário?
  2. Por que Moody levou Harry, imediatamente, ao seu escritório?
  3. Pode-se confiar na confissão de Barty Crouch? Explique.
  4. Por que Sirius estava (em sua forma de Animago cachorro) sentado no canteiro de abóboras de Hagrid?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Fudge corre para afirmar que Cedric Diggory está apenas ferido, e não morto?
  2. Como o Professor Dumbledore descobriu que Moody era um impostor e que Harry ainda corria perigo?
  3. Por que Bartemius Crouch, Sr., um poderoso e confiável funcionário do Ministério, que renegou seu filho, Barty Jr. por ser um Comensal da Morte e o condenou à prisão perpétua em Azkaban, mais tarde o ajuda a fugir da prisão? Quem mais estava envolvido nisso e por que?
  4. Por que Winky queria que Mr. Crouch levasse Barty Jr. à Copa do Mundo de Quadribol? Por que ele concordou com uma aventura tão arriscada?
  5. Como Dumbledore sabia que devia chamar Winky, antes do impostor Moody virar Barty Jr.?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Uma pequena nota – é interessante notar que os problemas de memória de Bertha Jorkins parecem bastante com os de Neville. É possível que ele tenha sido, assim como ela, enfeitiçado quando era uma criança pequena? Se isso aconteceu, não se sabe por que ou por quem. Uma possibilidade é que sua avó pode tê-lo enfeitiçado, para evitar que aquilo que aconteceu com os pais dele não o atormentasse. Se é esse o caso, podemos lembrar que a Professora McGonagall, mais tarde recorda que Augusta foi mal no exame N.O.M. de feitiços. Considerando que o papel de Neville nos próximos livros será maior, é possível que ele tenha lembranças importantes que alguém deseja que permaneçam guardadas. Isso é apenas especulação. Pode ser que sua memória e suas habilidades mágicas tenham sido afetadas pelo terrível trauma que ocorreu em sua vida, resultando em problemas no desenvolvimento dessas áreas. O desatento Neville tem que lutar sempre contra uma espécie de névoa, que deixa sua memória nebulosa e afeta seus poderes mágicos. Se a sua memória foi mexida, pode ser quase impossível de quebrar o feitiço sem causar danos permanentes, como foi o caso de Bertha Jorkins. Os problemas de memória de Neville vão perturbá-lo durante toda a série, embora, com a ajuda de Harry, ele gradualmente melhore muito em suas dificuldades, assim como seu desenvolvimento de magia, e se torne um bruxo muito capaz. No entanto, o motivo de seus problemas de memória nunca foi explicado, e seja por culpa do trauma de infância, de um feitiço do mal, de sua família tentando apagar as lembranças ruins, ou qualquer outro motivo, a causa permanece desconhecida, e também não tem papel significativo dentro do que vai acontecer na história.

Considerando os motivos de Fudge para minimizar a situação de Cedric, é preciso lembrar que Fudge é um poltico consumado, interessado em manter o poder apenas pelo próprio poder. È natural que ele queira “torcer” qualquer situação em algo menos negativo, para reforçar suas chances de manter seu cargo. Quando Harry chega com o corpo de Cedric, Fudge mantem a história de que Cedric está apenas ferido não apenas para proteger os pais de Cedric, mas em parte, para evitar o pânico das pessoas e mais do que tudo, para proteger seus próprios interesses. Fudge quer evitar desesperadamente que o Torneio Tribruxo, do qual ele foi um dos interessados em reviver, seja lembrado como algo que terminou com a morte de um aluno. Adicionando mais um insulto tanto à memória de Cedric quanto ao heroísmo de Harry, o Ministério vai afirmar, mais tarde, que a morte de Cedric não foi nada além de um trágico acidente. Veremos mais tarde que Fudge tornou o Ministério em um porta voz para si mesmo, e diretamente ou de outras maneiras, agora é a fonte de quase todas as afirmações do Ministério. Como muitos políticos, Fudge perdeu a visão a longo prazo, esquecendo que não importa o que ele diga, a morte de Cedric será sempre lembrada. Fudge também vai discutir as afirmações de Harry sobre o retorno de Voldemort. Novamente, Fudge não consegue enfrentar o fato de que será lembrado como o Ministro que estava no poder quando Voldemort retornou, portanto, ele precisa negar, primeiro que Voldemort voltou, segundo, que Voldemort matou Cedric, e finalmente, que Voldemort estava envolvido na doença misteriosa de Mr. Crouch. Essa recusa em aceitar, e depois a agir, será importante no próximo livro, resultando em repercussões contra Harry, Professor Dumbledore e Hogwarts. A contínua inatividade do Ministério, combinada com a determinação de Voldemort, de permanecer escondido, vão tornar mais fácil para o Lord das Trevas reagrupar os membros mais importantes dos seus Comensais da Morte.

O leitor vai perceber que Dumbledore escolheu McGonagall e Snape para ajuda-lo contra o falso Moody. Também notamos que Snape está, claramente, ao lado de Dumbledore ao invés do lado de Barty. As revelações no cemitério dois capítulos antes, e o drama que se desenrola nesse capitulo, com as revelações repentinas, vão impedir que o leitor distraído preste atenção nisso e acredite que Snape pode estar sendo dissimulado porque está sob os olhos de Dumbledore. Essa é mais uma mostra da famosa habilidade da autora em desorientar o leitor.

Conexões[editar | editar código-fonte]

Surpreendentemente há pouco nesse capitulo que vai se ligar a outros livros da série. O drama desse capitulo é totalmente desenvolvido aqui mesmo, referindo-se apenas aos eventos desse livro.

  • Veritaserum, mencionado pela primeira vez antes nesse livro, vai aparecer no próximo livro; quando isso acontecer, será dito que houve uma tentativa de usá-lo em Harry em algum momento anterior.