Saltar para o conteúdo

Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Cálice de Fogo/Capítulo 26

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.

Capítulo 26
A Segunda Tarefa
[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na aula de Feitiços, Harry, Ron e Hermione estão aprendendo o Feitiço Expulsório, que é o oposto do Feitiço Convocatório. Por sorte, o barulho e a confusão da aula, abafam a conversa particular deles. Harry conta que para a segunda tarefa, ele precisa achar uma maneira de respirar durante uma hora debaixo d´água, e recuperar alguma coisa que os Sereianos tenham tirado dele. Ele também conta que Mr. Crouch estava no escritório de Snape na noite anterior. Hermione fica curiosa pensando porque será que Mr. Crouch estaria lá. Harry lembra de Moody dizendo que o Professor Dumbledore acredita em segundas chances e fica imaginando porque Snape mereceria uma.

Como Sirius havia pedido, Harry envia uma coruja para ele, contando tudo o que acontecera. Durante as semanas seguintes, ele, Hermione e Ron praticamente moram na biblioteca procurando maneiras de respirar dentro d´água, mas não acham nenhuma. Quando a carta de Sirius chega um dia antes da segunda tarefa, Harry fica aliviado, mas acontece que Sirius, apenas pergunta quando será o próximo fim de semana de Hogsmeade. Harry responde e vai para a aula de Trato das Criaturas Mágicas, muito abatido.

Hagrid parece que abandonou os explosivins, uma vez que só sobraram dois. Numa tentativa de provar que pode ensinar tão bem quanto a Professora Grubbly-Plank, ele continua as aulas sobre os Unicórnios, e na verdade, parece saber muito sobre eles. Para essa aula, ele capturou um par de filhotes, e Parvati e Lavender ficaram absolutamente encantadas. Puxando Harry para o lado, Hagrid diz que está confiante de que Harry vai superar a segunda tarefa. Harry está nervoso demais para responder.

Mais tarde, Harry, Hermione e Ron ficam loucos procurando livros de feitiços para respirar debaixo d´água. Fred aparece na biblioteca, avisando a Ron e Hermione que a Professora McGonagall está esperando por eles. Quando a biblioteca fecha, Harry carrega tantos livros quantos agüenta para a Sala Comunal da Gryffindor. Depois de folhear ansiosamente todos os livros, sem encontrar nada, Ron e Hermione ainda não haviam retornado. Colocando a Capa da Invisibilidade, Harry volta para a biblioteca, onde finalmente cai de sono com a cara num livro de feitiços. Ele é acordado por Dobby a poucos minutos do inicio da segunda tarefa. Harry acha que já é tarde para competir, mas Dobby diz que Harry precisa recuperar seu "Wheezy". Harry finalmente entende que "Wheezy" é Ron. Dobby diz que sabe que Harry não achou o feitiço certo, então ele achou: Guelricho. Harry chega ao lago em cima da hora da tarefa. Percy fica chateado quando Ludo Bagman insiste em esperar para que Harry recupere o fôlego. Ludo pergunta, em particular se ele está bem, e se ele tem um plano. Respondendo de modo mais confiante do que de fato sente, Harry responde que sim.

Na hora da largada, Harry mastiga o Guelricho. De repente saem guelras de seu pescoço e surgem membranas entre seus dedos. Sem conseguir respirar, ele mergulha fundo na água e vai em frente. Grindylows o atacam mas, ele os azara e se livra deles. A Murta aparece e indica o caminho para Harry. Na parte mais funda do lago, Harry encontra uma grande cidade dos Sereianos. Amarrado a uma grande estátua, na “praça da cidade” estão quatro figuras: Ron, Hermione, Cho Chang e uma menininha, que Harry adivinha ser a irmã de Fleur. Os guardas Sereianos não fazem nada para interferir, mas se recusam a emprestar as lanças para cortar as cordas de Ron. Harry encontra uma pedra afiada e a usa para libertar Ron.

Preocupado com a demora dos outros Campeões, ele tenta soltar Hermione, mas é impedido pelos guardas Sereianos. Harry ainda está discutindo com eles quando Cedric chega com uma grande bolha de ar em volta da cabeça. Ele apressa Harry a ir embora, Fleur e Viktor devem estar chegando. Soltando Cho, ele sobe para a superfície com ela. Krum aparece com sua cabeça transformada em cabeça de tubarão; ele não consegue cortar as cordas de Hermione com os dentes, então Harry lhe dá a pedra afiada, que Krum usa para libertá-la. Junto com Hermione Krum vai para a superfície. Quando Fleur não aparece, Harry tenta libertar a última refém, mas o povo da água novamente o impede. Harry finalmente os ameaça com sua varinha, eles recuam. Harry liberta a garota e junto com ela e Ron bem seguros, ele se dirige à superfície, acompanhado pelos Sereianos.

O relógio de Harry parou, e ele se preocupa se eles vão ser puxados para baixo porque o tempo acabou. Quando ele chega à superfície, o Guelricho se dissolve. Harry muito mal põe a cabeça fora d´água. Rostos selvagens de cabelos verdes o cercam, mas todos estão sorrindo. Ron e a menina acordam e olham espantados. Grandes vivas ecoam pela platéia, e Harry pede a ajuda de Ron com a menina. Na margem, Madam Pomfrey está cuidando de Cedric, Cho, Krum e Hermione. Fleur está segura por Madame Maxime, porque quer se atirar no lago para salvar sua irmã. Ludo Bagman e Dumbledore estão sorrindo, e Percy parecendo mais jovem, corre até o lago para ajudar Ron. Quando todos estão nas margens, Fleur corre para abraçar sua irmã, Gabrielle, dizendo que foi impedida pelos Grindylows. Madam Pomfrey embrulha Harry bem apertado num cobertor e administra uma poção muito quente. Hermione cumprimenta Harry por ter descoberto a solução por si mesmo, mas vendo que Krum está escutando, Harry decide contar a ela mais tarde, que Dobby o ajudou. Krum chama a atenção de Hermione para um “besouro de água” em seu cabelo mas Hermione apenas sacode o cabelo e não dá importância. Harry agora está se sentindo meio bobo e envergonhado. Primeiro Ron, depois Hermione insistiram que Dumbledore jamais iria permitir que alguém morresse, portanto ter ficado lá para salvar todos os reféns foi uma atitude tola. Fleur se aproxima de Harry, dizendo que ele salvou sua irmã, quando não precisava fazê-lo, e o beija nas duas bochechas. Fleur também beija Ron, dizendo que ele ajudou. Hermione, atrás dele, parece furiosa.

Enquanto isso, Dumbledore estava conversando com a Chefe do povo Sereiano, e fez uma reunião com os outros juízes. Agora, Ludo anuncia as notas. Fleur, embora usando o feitiço Cabeça-de-Bolha, não conseguiu resgatar sua refém e ganhou apenas 25 pontos; Cedric também usando o mesmo feitiço, trouxe sua refém à superfície apenas um minuto depois da hora, ganhando 47 pontos; Krum, usando uma transformação parcial, retornou em segundo com sua refém e ganhou 40 pontos. Harry Potter, foi o último, mas de acordo com a Chefe dos Sereianos, ele chegou até os reféns primeiro, mas se atrasou pela sua determinação de libertar todos os reféns, não apenas o seu. A maioria dos juízes concorda que essa atitude mostra fibra moral e merece uma boa nota, embora tenha terminado por último. Ele ganha 45 pontos, ficando empatado no primeiro lugar com Cedric.


A próxima tarefa está marcada para o dia 24 de junho; os Campeões saberão sobre o que se trata, apenas um mês antes. Harry está imensamente aliviado porque a segunda tarefa acabou, e nada o preocupa até dia 24 de junho. Ele decide que na próxima ida a Hogsmeade, ele vai comprar para Dobby meias para o ano inteiro.

Análise[editar | editar código-fonte]

Esse capitulo é particularmente revelador da personalidade de Harry, e sua performance durante a segunda tarefa reflete como ele se comporta na maioria das situações difíceis. Como o primeiro Campeão a alcançar os reféns presos (com a ajuda da Murta), Harry se sente obrigado a ficar, até ter certeza de que as outras três vítimas sejam resgatadas. Embora Harry tenha se comportado admiravelmente durante a primeira tarefa, dando a pista para Cedric sobre os Dragões, aqui, ele fica um tanto perdido. Nunca lhe ocorreu que todas as precauções haviam sido tomadas para garantir a segurança dos voluntários. Ele também começa a acreditar que os Sereianos sejam uma ameaça, quando, na verdade, eles são apenas os juízes. Ao invés de ir para a superfície com Ron, garantindo a vitória, Harry resolve esperar pelos outros Campeões chegarem e recuperarem seus reféns. Depois insiste em “resgatar” Gabrielle, quando Fleur não aparece. Apenas mais tarde, Harry percebe como se comportou de maneira ridícula, quando Ron e Hermione insistem em que estavam sempre seguros, e que Dumbledore jamais poria a vida de qualquer aluno em perigo. Teria sido mais lógico procurar por Fleur, afinal os Campeões do Torneio não tinham a mesma proteção que os voluntários.

Uma vez que Harry foi destinado desde o nascimento como o “Escolhido”, seu constante conflito com Voldemort, mudou de alguma maneira sua forma de pensar, e, em sua mente, a batalha se tornou seu fardo para carregar sozinho, sua missão que deve ser cumprida sozinho. O resultado disso é que Harry se sente impelido a se dedicar, a ser o herói sempre que percebe que os outros estão ameaçados, até mesmo aqueles que são capazes de lutar suas próprias batalhas; isso provavelmente o torna perigosamente previsível mais tarde, para seus inimigos. Enquanto Harry sente que precisa enfrentar a maior parte dos obstáculos sozinho, ele só é capaz de competir no Torneio por causa dos outros, como Hermione, Moody, Dobby, Cedric e Hagrid, que o guiaram, e nós esperamos que continuem a fazê-lo. Enquanto Harry está lentamente aprendendo a confiar nos outros, ele geralmente é relutante em aceitar ajuda de fora, especialmente quando oferecida por pessoas suspeitas como Ludo Bagman, que Harry acha que pode o estar usando por algum motivo estranho.

O heroísmo equivocado de Harry ainda assim foi premiado, depois que Dumbledore convence os juízes a dar pontos extras a Harry pela “fibra moral”. E embora Harry, tolamente, tivesse protegido os reféns de um perigo não existente, essa sua atitude mostra muito bem seu caráter, sugerindo que sob circunstâncias perigosas de fato, ele nunca abandonaria outras pessoas em perigo, mesmo para salvar a si próprio. Harry também está aprendendo que as coisas são, muitas vezes diferentes do que, a principio, parecem ser. Os Sereianos são apresentados pela primeira vez aos leitores, como criaturas belas e etéreas, são representados pela pintura estilizada no banheiro dos Monitores, na mitologia Trouxa. Assim como ocorreu com as Veela, Harry fica um tanto chocado ao descobrir que a verdadeira aparência dos Sereianos é bem diferente. Novamente, a autora mostra que a beleza, ou a falta dela, raramente reflete o caráter íntimo de qualquer pessoa, ainda que, nossa primeira impressão sobre alguém ou alguma coisa, seja na maior parte das vezes, baseada em traços físicos. E, recordando a afirmação de Dumbledore para Harry, no livro dois, embora a aparência possa representar de fato a personalidade de alguém num grau limitado, na maior parte das vezes são os atos das pessoas que determinam quem e o que, um indivíduo ou um grupo realmente são. Embora os Sereianos tenham uma aparência horrível e assustadora, eles são seres benignos e leais a Dumbledore e a Hogwarts.

Harry, esquecendo que isso era apenas uma competição, levou sua “missão de resgate” a sério demais e partiu para um julgamento apressado, ao se deparar com algo desconhecido; ele adota uma postura defensiva e ameaçadora contra os Sereianos, baseado mais nas aparências do que nas ações, embora o leitor menos envolvido, possa reparar que eles estão agindo apenas como juízes do Torneio. È interessante reparar a seleção dos reféns, escolhidos como os mais valiosos para cada Campeão. Também é curioso ver que nenhum dos Campeões fica confuso sobre qual refém deve salvar. Harry, em especial poderia resgatar Hermione ou Cho, a primeira porque é tão sua amiga quanto Ron, e a última porque seria “o prêmio do herói”. A autora deve ter incluido a frase de Dobby, dizendo a Harry que ele precisa resgatar seu “Wheezy", especificamente, para reforçar que era Ron o refém que Harry tinha que salvar; de outra forma, Harry poderia ter ficado confuso decidindo em qual dos reféns ele deveria se concentrar. Interessante é que Harry não prestou muita atenção em Cho Chang imediatamente após o evento. Ele observou Madam Pomfrey cuidando dos machucados dela, mas depois disso, ele se ligou em Hermione, Ron e nos juízes. Isso pode indicar que essa paixonite, se é que é isso, por Cho, pode ser bobagem, ou é um interesse bem menor do que ele pensa. É interessante notar que Hermione fica, aparentemente zangada, quando Fleur beija Ron, ainda que seja um gesto inocente e Viktor Krum também esteja tentando atrair a atenção de Hermione.

Os Grindylows aparecem aqui, novamente, sendo que a primeira vez eles foram vistos no escritório do Professor Lupin no terceiro livro Dessa vez, reparamos que os dedos dos Grindylows são extraordinariamente longos e bastante fáceis de quebrar, mas Harry não usa essa informação quando ele é atacado. É estranho que Fleur tenha tido tantos problemas para passar pelos Grindylows. Ela deve ser uma das melhores de Beauxbatons, ou então Madame Maxime não a teria trazido para o Torneio, as habilidades mágicas da garota também parecem bem fracas. Não entendemos porque ela representa Beauxbatons. O “besouro de água” no cabelo de Hermione também deve ser notado.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Harry fica e ajuda os outros Campeões na tarefa, permitindo que eles cheguem à superfície na sua frente?
  2. Gabrielle estava em perigo? O que levou Harry a resgatá-la?
  3. O que Ron e Hermione dizem a Harry depois da segunda tarefa, e por que ele fica envergonhado?
  4. Os juízes foram justos ao dar pontos extras a Harry pela sua “fibra moral”? O que, exatamente Harry fez, para merecer isso?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Os outros Campeões estavam preparados para a segunda tarefa. Por que Harry, Ron e Hermione não conseguiram encontrar um feitiço para respirar debaixo d´água?
  2. Por que Hermione parecia tão furiosa após o fim da tarefa? Por que Krum tentou distraí-la?
  3. Por que Sirius quer saber quando será o próximo fim de semana de Hogsmeade?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


O “besouro de água” é na verdade, Rita Skeeter, um Animago não registrado. Ouvindo a conversa particular entre Hermione e Krum, ela vai usar o que ouviu como base para uma das suas histórias sujas, que vai aparecer no Semanário das Bruxas no próximo capítulo. Essa história vai criar um atrito entre Hermione e Mrs. Weasley, que vai permanecer não resolvido até perto do fim do livro.

O fato de Harry ter que ser o herói, tem um papel crucial e até mesmo trágico, no livro cinco. Hermione, mais tarde, censura Harry por sempre querer sair para salvar alguém, mesmo quando não há perigo real, e cita os reféns da segunda tarefa como exemplo. Apesar de sua advertência, quando Harry tem uma visão de Voldemort torturando Sirius, o impulso do garoto é correr imediatamente, para salvá-lo, sem primeiro verificar se o que via era verdadeiro e nem mesmo considerar que seu comportamento, tão previsível estava sendo manipulado para leva-lo a uma armadilha.

Continuamos sem entender porque o Trio não conseguiu achar um feitiço que permitisse a Harry, respirar debaixo d´água por uma hora, quando dois dos outros competidores, aparentemente conheciam e usaram o feitiço cabeça-de-bolha. Só mesmo imaginando que, em sua correria para encontrar algo que ajudasse Harry, o Trio tivesse passado pelo feitiço cabeça de bolha e não dado atenção, achando que era uma pegadinha, que fizesse a cabeça de alguém inchar como uma bolha ou que fizesse bolhas sairem da cabeça de alguém.

O trabalho feito para criar uma aliança entre Hogwarts (na pessoa de Hermione) e Durmstrang (representado por Krum) aparece bem nesse capitulo. No momento em que for necessário, Krum já terá se formado, no momento ele deve ter no mínimo 17 anos, e está no sexto ou sétimo ano – mas ele poderá ter alguma influência na parte do mundo em que vive. De fato, quando Krum reaparecer no último livro, sua contribuição será mais pessoal, a aliança será com Hermione, ao invés de ser com Hogwarts, e simplesmente vai permitir que Harry recorde um fato específico que será importante em sua missão.

Conexões[editar | editar código-fonte]

  • Grindylows foram vistos pela primeira vez no terceiro livro, quando o Professor Lupin estava dando aula de DCAT. Curiosamente, Harry não usou o que o Professor Lupin ensinou sobre seus pontos fracos.
  • Essa é a primeira vez que vimos o Feitiço Cabeça-de –Bolha. Embora o método de conjurar esse feitiço não tenha sido mencionado, vimos que depois da partida dos gêmeos (no livro cinco), outros alunos tentando ganhar a posição de bagunceiros da escola, enchem os corredores de bombas de bosta. O feitiço Cabeça-de-Bolha é usado para diminuir o cheiro por alguns alunos.
  • O refém que Viktor Krum precisa recuperar é Hermione, ela foi o par do rapaz no Baile de Inverno. Krum vai perguntar a Harry se ele é namorado de Hermione. Claramente, ele está desenvolvendo um sentimento romântico por ela, mas não é retribuído. Embora, Ron fique muito irado porque Krum mantém uma correspondência com Hermione, e faça questão de ir ao casamento de Bill e Fleur. Como já notamos, o fato de Krum participar do casamento é que vai dar a Harry uma informação vital, que talvez ele nunca tivesse imaginado, caso Krum não estivesse fisicamente presente.