Saltar para o conteúdo

Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Cálice de Fogo/Capítulo 25

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.


Capítulo 25
O Ovo e o Olho
[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na quinta-feira à noite, Harry se esgueira para fora da Torre da Gryffindor com seu Ovo, e se encaminha para o banheiro dos monitores, coberto por sua Capa da Invisibilidade e o Mapa do Maroto, para evitar ser pego novamente por Filch por quebrar as regras. O banheiro é luxuosamente decorado, de mármore branco, contém uma pilha de toalhas macias e uma banheira enorme com centenas de torneiras com pedras preciosas que fazem jorrar, entre outras coisas, muitas borbulhas coloridas. Na parede há um quadro de uma bela sereia, felizmente (pensa Harry) ela está dormindo. Harry entra na água e brinca um pouco com as torneiras, antes de abrir o Ovo. Ele grita pavorosamente. Harry o fecha de uma só vez e fica surpreso pela Murta-Que-Geme, que aparece de repente, sentada na beira da banheira. Ela sugere que o garoto ponha o Ovo dentro da água. Quando o Ovo é submerso e aberto, Harry escuta uma música fraca. Afundando a cabeça na água, Harry ouve o Ovo cantando sobre alguma coisa cuja falta será muito sentida, que estará no fundo do lago. Ele terá apenas uma hora para encontrá-la. Harry adivinha e a Murta confirma, que há Sereianos no lago. Ela fica aborrecida quando Harry comenta como ele poderá respirar sob a água, dizendo que ninguém se lembra que ela não pode respirar, nunca mais.

Harry recolhe o Ovo e seus outros pertences e, coberto pela Capa, se prepara para voltar à Torre da Gryffindor. O Mapa não mostra mais ninguém nos corredores, exceto Pirraça. Alguém está no escritório do Professor Snape: e é Bartemius Crouch. Harry fica imaginando porque Mr. Crouch está em Hogwarts tão tarde da noite, especialmente se ele, aparentemente, está tão doente que não pode ir ao Baile de Inverno. Harry decide investigar, mas ele está tão concentrado no Mapa, que seu pé fica preso num degrau defeituoso, fazendo com que tanto o Ovo, quanto o Mapa caiam de suas mãos. O Ovo rola pela escada e começa a gemer, atraindo Filch, que, por sua vez, grita com Pirraça, já imaginando que o Poltergeist tenha roubado o Ovo de algum dos Campeões. Snape chega e recusa as acusações de Filch sobre Pirraça, e reclama que alguém entrou em seu escritório. Teria que ser um bruxo; Snape sela seu escritório com um feitiço que impede Pirraça de entrar. Moody chega e fica preocupado porque alguém entrou no escritório de Snape. O olho mágico de Moody vê Harry sob a Capa, mas ele nada diz e se oferece para ajudar Snape a investigar a invasão. Snape recusa, dizendo que acredita que tenha sido um aluno roubando ingredientes de poções. Moody insinua que Snape está escondendo alguma coisa, ao que Snape responde que Moody já havia dado uma busca em seu escritório. Moody responde que esse é um privilégio dos Aurores. Ainda que Dumbledore tenha confiança na lealdade de Snape, Moody não é tão crédulo.

Moody dispensa Snape, que fica tentando se controlar. Moody então vê o Mapa do Maroto no chão; Snape o reconhece imediatamente. Harry sob a Capa, gesticula loucamente para Moody, que aquilo pertence a ele, então Moody tira o Mapa das mãos de Snape usando o feitiço Accio Pergaminho! Snape, furioso, cheira o ar, procurando onde Harry está escondido sob a Capa. Moody afirma que não há ninguém ali, embora pense, o quanto é curioso que Snape tenha pensado em Harry tão rapidamente. Percebendo uma ameaça, Snape vai embora. Filch protestando que o Ovo é uma evidência, não tem outro jeito senão entregá-lo a Moody, e vai embora.

O Mapa deixa Moody fascinado, ele parece não conseguir tirar nenhum dos dois olhos dele. Ele ajuda Harry a soltar seu pé e pergunta se o Mapa mostrou quem estava no escritório de Snape. Harry responde que era Mr. Crouch. Moody fica maravilhado, e explica que Crouch é obcecado por pegar bruxos das trevas, muito mais até que o próprio Moody.

Moody pede o Mapa emprestado. Harry, extremamente aliviado por não ter que explicar onde o conseguiu (e assim implicar Fred, George e até seu pai, Lupin, etc), concorda. Indo para seu escritório, Moody sugere que Harry pense a respeito de se tornar Auror. Quando Moody pergunta se Harry estava levando o Ovo para passear, Harry responde que estava trabalhando no enigma. Mais tarde, Harry pensa que gostaria de conhecer outros Aurores, para ver se eles também são cheios de cicatrizes, antes de escolher essa carreira.

Análise[editar | editar código-fonte]

Diversas coisas importantes precisam ser notadas: uma delas, Bartemius Crouch, que estava muito doente para ir ao Baile de Inverno e enviou Percy Weasley em seu lugar, aparentemente está bom o bastante para viajar até Hogwarts e se enfiar no escritório de Snape. Outra, é o Ovo e sua canção; resolver o enigma do Ovo, apenas leva a outro problema para Harry – respirar debaixo d´água durante uma hora. Só faltam agora, poucas semanas para o Torneio, e a demora de Harry em solucionar o enigma, apenas desperdiçou um tempo valioso; ele vai precisar de ajuda e vai ter que se dedicar para resolver o próximo passo, crucial, a tempo.

Além disso, há o comportamento estranho do Professor Moody, quando ele vê o Mapa do Maroto. Ele fica intensamente interessado nele, olhando fixo para o pergaminho quando percebe, o que de fato é, e depois pede emprestado a Harry. Será que essa é uma magia tão avançada, que Moody, um Auror poderoso, não consegue imitá-la por sua própria conta? Ou pode ser que ele tenha algum outro interesse? Podemos notar, que a autora teve cuidado de não fazer Moody perguntar de onde veio o Mapa; o alívio de Harry foi enorme por não ter que envolver Fred e George, possivelmente misturado com sua gratidão por ter sido resgatado de Filch e Snape, e parece ter dissolvido qualquer preocupação que ele, e portanto o leitor, pudessem ter sobre o por que de Moody estar tão interessado no Mapa. Também é interessante que, assim como aconteceu com o Professor Lupin no terceiro livro, Moody impede Snape de punir Harry, com sua chegada pontual. Aqui, Moody mostra sua personalidade nada convencional, e, como ele já havia demonstrado anteriormente, ele está muito menos preocupado em quebrar regras do que Filch ou Snape. Esse foi o traço que o ajudou a se firmar como um professor popular, embora suas ações aqui tenham mais a ver com sua inimizade por Snape do que com proteger Harry. Também, como Lupin, Moody impediu Snape de confiscar o Mapa do Maroto, arrancando-o de suas mãos com o feitiço Accio. Muitos leitores podem imaginar porque Harry não fez o mesmo; ele tinha sua varinha, tentando apagar o Mapa com ela, quando Filch apareceu. Parece que Harry, com o Ovo gritando e Filch se aproximando rapidamente, pode simplesmente ter entrado em pânico. Podemos até imaginar as palavras “Por que não pensei nisso?” cruzando a mente de Harry, quando Moody lança o feitiço convocatório. Esse feitiço, em particular, foi muito difícil para Harry aprender, no entanto, ele pode até ainda ter alguma dificuldade de usá-lo sob pressão.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que a Murta-Que-Geme ajuda Harry com o Ovo?
  2. Por que a Murta fica chateada com a próxima tarefa do Torneio? Como Harry vai ultrapassar esse obstáculo?
  3. Por que Snape suspeita que Harry estava envolvido no tumulto no corredor? Ainda que Harry estivesse ali, as suspeitas de Snape eram justificadas ou era apenas sua pressa de julgar, sempre que Harry estava envolvido?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Mr. Crouch estaria no escritório de Snape tão tarde da noite?
  2. Por que Moody já havia feito uma busca no escritório de Snape?
  3. Por que Moody esconde a presença de Harry dos outros no corredor?
  4. Por que Moody pede emprestado o Mapa do Maroto? Por que Harry concorda em emprestar?
  5. Por que Moody sugere que Harry se torne um Auror? Explique se você concorda ou não. Qual foi a reação de Harry?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Novamente, o Mapa do Maroto revela disfarces; no terceiro livro, ele marca corretamente Peter Pettigrew, quando em sua forma de Animago, ele ficava disfarçado de Perebas. Nesse caso o Mapa mostrou "Bartemius Crouch" no escritório de Snape. É claro que era Barty Crouch Jr., o falso Moody, roubando ingredientes para preparar mais Poção Polissuco. Embora o Mapa do Maroto tenha lhe dado o nome correto, aparentemente, não conseguiu diferenciar entre Bartemius Crouch Sr. e Bartemius Crouch Jr., que está usando a Poção Polissuco para personificar Moody. Isso é uma indicação clara que a Poção Polissuco não pode enganar o Mapa, assim como não pode um Animago.

Isso explica o interesse de Moody no Mapa, e porque ele está tão interessado em pegá-lo emprestado: além de ser uma ferramenta muito útil, que mostra todos dentro da propriedade da escola, também pode mostrá-lo como um impostor. Era da maior importância pegar o Mapa de Harry para esconder sua verdadeira identidade. Também havia a necessidade imediata de agarrar o Mapa, porque o Mapa revelaria que, frente a frente com Harry quem estava era Barty Crouch e não o verdadeiro Olho-Tonto Moody. Na verdade, se Harry se tivesse sido mais atento, ele teria percebido que o verdadeiro “Olho-Tonto” Moody, nunca saia dos aposentos do professor de DCAT (onde ele estava aprisionado), ou que Barty Crouch sempre estava nos lugares e nos momentos em que Olho-Tonto deveria estar. A sugestão de Moody de que Harry deveria se tornar um Auror, era apenas um elogio para distrair a atenção de Harry do Mapa, e também para evitar a pergunta, exatamente para que Moody queria o Mapa. Se o elogio de Moody era verdadeiro, Harry já estava pensando em se tornar Auror, uma vez que a matéria DCAT foi onde ele sempre teve as melhores notas; Barty pode ter percebido que precisa ter cuidado com Harry, por isso mesmo. Snape parece estranhamente capaz de perceber onde Harry deve estar, se encaminhando direto para ele a despeito da Capa da Invisibilidade. Não se sabe como ele pode adivinhar a localização de Harry , mas podemos pensar na existência da Legilimencia, uma capacidade mágica que será descrita num dos próximos livros. Harry já havia mencionado no primeiro livro, que sentia uma sensação estranha como se Snape estivesse lendo sua mente. Embora Snape diga que legilimencia não é o mesmo que ler a mente de alguém, deve ser do nosso ponto de vista, muito parecida. É possível que Snape acreditando que Harry estava por perto, tenha usado a legilimencia para ver o que Harry estava vendo, e portanto determinar onde ele estava. Se era esse o caso, não se sabe porque Snape volta atrás e aceita a afirmação de Moody de que não ninguém ali. Embora Snape possa estar usando legilimencia nesse caso, é possível que o link seja tão delicado que nós decidimos não mencioná-lo na seção conexões.

Num capitulo posterior, Sirius afirma que Snape nunca foi acusado de ser um Comensal da Morte; isso é incorreto, Snape foi acusado, mas Dumbledore se responsabilizou por ele. Acreditamos que foi Moody quem prendeu Snape, e que ainda suspeita que ele é um Comensal da Morte; o falso Moody vai mostrar a mesma crença para parecer exatamente como seu modelo, e evitar que Dumbledore suspeite. Karkaroff é um conhecido Comensal da Morte, Sirius mencionou isso logo antes da Primeira Tarefa. Se Snape foi ou ainda é um Comensal da Morte, como Ron, Harry e até mesmo Hermione suspeitam, isso explica porque ele e Karkaroff se tratam pelo primeiro nome no Baile de Inverno.

Finalmente, não se sabe o quanto Barty Crouch, Jr. na verdade, sabe sobre Snape, se ele era um Comensal da Morte. Ficamos sabendo no final desse livro, que Snape traz a Marca Negra, que não apenas distingue os Comensais da Morte, mas também funciona como um chamado do Lord das Trevas. No segundo capítulo do sexto livro, descobrimos que Snape não apenas é um Comensal da Morte, mas se tornou parte do circulo mais próximo, o alto conselho de Voldemort; de acordo com seu conhecimento dos planos de Voldemort sobre os Potters, como foi revelado no último livro, é possível que ele já estivesse nesse alto conselho quando Voldemort subiu ao poder pela primeira vez. Considerando que Barty foi preso muito jovem, é possível que ele nunca estivesse ligado diretamente à Voldemort, mas apenas associado aos apoiadores do Lord das Trevas, depois que o próprio Voldemort se foi. Se aconteceu assim, ele deve ter aprendido que Snape estava no alto conselho de Voldemort, através de Bellatrix Lestrange ou de seus asseclas, ou possivelmente, até mesmo, atualmente, direto de Alastor Moody. Barty com certeza, não sabe que Dumbledore foi o fiador da aliança com Snape, mas veria imediatamente que Dumbledore tem completa confiança em Snape a despeito de sua história sombria.

Conexões[editar | editar código-fonte]

  • Harry vê Bartemius Crouch no escritório de Snape. Logo depois, Snape quase acusa Harry de ter roubado pele de Ararambóia, chifre de Bicórnio e Guelricho do seu escritório. Harry recorda que Hermione roubou pele de Ararambóia e chifre de Bicórnio já tem tempo (no livro dois). A lembrança de Harry, do roubo de Hermione, vai impedir de nós imaginarmos que poderia ser Bartemius roubando Ararambóia, uma vez que o vimos no escritório de Snape. O envolvimento de Bartemius nesse caso, será revelado totalmente no final desse livro.