Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/O Cálice de Fogo/Capítulo 17

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.

Capítulo 17
Os Quatro Campeões[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O anúncio dos três primeiros Campeões foi recebido com aplausos, mas o nome de Harry recebeu um silêncio profundo. Depois de diversos chamados de Dumbledore, Harry se junta aos outros campeões, Viktor Krum, Fleur Delacour e Cedric Diggory em outra sala. Ludo Bagman entra repentinamente e apresenta Harry como o quarto campeão do Torneio Tribruxo. Krum está furioso, enquanto Cedric parece confuso. Fleur Delacour afirma que só pode ser brincadeira, que ele é jovem demais, mas Bagman responde que a restrição etária nunca esteve nas regras anteriores, e, portanto se o nome dele foi selecionado pelo Cálice é obrigado a competir.

O Professor Dumbledore, Mr. Crouch, Madame Maxime, o Professor Karkaroff, a Professora McGonagall e o Professor Snape entram. Madame Maxime e o Professor Karkaroff imediatamente cobram uma explicação do Professor Dumbledore, como uma coisa assim pode ter acontecido. Snape acusa Harry de trapacear, dizendo que desde que ele chegou a Hogwarts, tem quebrado diversas regras da escola. Dumbledore pergunta a Harry se ele colocou seu nome no Cálice, ou pediu a um aluno mais velho para fazê-lo. Harry afirma que não fez nada disso. Madame Maxime convencida de que ele está mentindo, sugere que Dumbledore tenha feito algo de errado na linha etária, mas McGonagall contesta. Karkaroff apela para os juízes imparciais, Crouch e Bagman. Crouch diz que as regras são específicas, qualquer pessoa cujo nome sair do Cálice, está magicamente obrigada a competir. Karkaroff exige que todos coloquem novamente os nomes no Cálice até que cada escola tenha dois Campeões, mas Bagman avisa que o Cálice já se estinguiu, e só vai ficar ativo novamente no próximo Torneio. Karkaroff ameaça se retirar quando o Professor Moody entra e lembra a Karkaroff que as mesmas regras, obrigam o Campeão de Durmstrang a competir. Ele sugere que alguém usou magia poderosa para enganar o Cálice, para que ele acreditasse que Harry era competidor de uma quarta escola, apenas para matá-lo. Karkaroff acusa Moody de procurar conspirações que não existem. Dumbledore interrompe a discussão, dizendo que a situação é clara; todos os quatro Campeões devem competir. Madame Maxime protesta, mas quando Dumbledore pede que sugira alternativas, ela não tem nenhuma.

Parecendo muito acabado, Mr. Crouch diz aos Campeões que como a Primeira Tarefa vai testar sua ousadia, eles não saberão o que será com antecedência. Essa tarefa vai acontecer no dia 24 de novembro, e eles estão proibidos de pedir ou aceitar ajuda dos professores, e poderão usar apenas suas varinhas. Os Campeões não precisarão fazer os exames de fim de ano, uma vez que as Tarefas são muito difíceis.

Preocupado com a aparência de Crouch, Dumbledore o convida para passar a noite no castelo, mas ele recusa. Dumbledore também convida Karkaroff e Madame Maxime para uma bebida, mas eles já estão saindo com seus respectivos Campeões. Dumbledore sugere que Harry e Cedric se recolham às suas Casas.

Harry fica pensando sobre as palavras de Moody; alguém colocou seu nome no Torneio com intenção de matá-lo. O óbvio candidato é Voldemort, e Harry recorda de seu sonho, onde Voldemort e Rabicho estavam tramando sua morte. Harry entra no Salão Comunal em meio a uma grande festa, mas suas repetidas negativas de que não colocou seu nome no Torneio, foram ignoradas. Ele rapidamente se recolhe ao seu dormitório onde encontra Ron. Ron comenta que ele pode ter usado sua Capa da Invisibilidade para passar pela linha etária, e fica ofendido porque Harry se recusa a contar a “verdade”. Ron fecha as cortinas de sua cama e Harry se vê olhando para as cortinas fechadas.

Análise[editar | editar código-fonte]

Harry fica atordoado, e também com medo, quando seu nome é selecionado misteriosamente pelo Cálice de Fogo, e ele se torna novamente, alvo de uma atenção não desejada. O Cálice de Fogo determinou que Harry deve competir no Torneio, ignorando seus desejos e passando por cima das precauções cuidadosas e das regras estritas efetuadas pelo Ministério da Magia, mostrando como é pouco o controle que eles, às vezes, têm sobre situações mágicas.

Praticamente todo mundo suspeita que Harry trapaceou para entrar na competição, embora as reações sejam variadas. No final desse capitulo, parece que Dumbledore é a única autoridade do Torneio que acredita sem nenhuma dúvida, que outra pessoa, que não Harry, colocou o nome do garoto. Moody suspeita que há uma trama sombria para matar Harry, e parece que McGonagall partilha da mesma opinião.

Karkaroff e Madame Maxime, os estrangeiros competidores, estão certos de que Dumbledore e o Ministério manipularam o Torneio a favor de Hogwarts, enquanto Mr. Crouch parece preocupado apenas em seguir as regras. Ludo Bagman aparentemente vê toda a confusão como algo muito divertido.

Harry tem outras preocupações; embora ele seja um jovem bruxo talentoso, ele é alguns anos mais novo do que os outros campeões e não tem a experiência e o treinamento avançado que eles possuem. Ele vai ter que batalhar muito para dominar novos feitiços, que eles certamente já sabem. Enquanto isso, Ron, que continua a bajular Viktor Krum, vai ficando cada vez mais ressentido com a fama de Harry. Ron, talvez, esteja mais aborrecido com sua própria falta de habilidade em se destacar de alguma forma, ele está convencido de que Harry deu um jeito de ultrapassar a restrição etária, e, não está preocupado se Harry trapaceou ou não, ele se sente traído porque acredita que Harry nunca confiou nele. A despeito da firme amizade e confiança de Harry por ele, Ron se convence que Harry só está preocupado em buscar mais fama e atenção, assim colocando em risco a amizade dos dois.

O comportamento estranho de Bartemius Crouch precisa ser comentado. Ele parece inexpressivo e não consegue acompanhar a situação como faria normalmente. Em especial:

  • Mr. Crouch afirma que se o nome de alguém for cuspido pelo Cálice, essa pessoa deverá competir no Torneio. O regulamento com certeza afirma que qualquer pessoa que coloque seu nome no Cálice, deve competir se for selecionado. Na noite anterior, o Professor Dumbledore mencionou aos alunos que, “A colocação de seu nome no Cálice constitui um ato contratual mágico”; no entanto, Mr. Crouch esquece de mencionar isso.
  • Mr. Crouch evita a luz da lareira, talvez para evitar que as pessoas o vejam agindo de modo diferente do usual, e ele não diz quase nada; quando ele chega num local mais iluminado, parece velho e cansado, provavelmente tão doente que Dumbledore fica preocupado.
  • Mr. Crouch recusa uma bebida e se desculpa para logo ir embora de Hogwarts.
  • O Professor Moody chega na sala muito rapidamente, a principio para ficar de olho em Karkaroff, mas, mais provavelmente para manobrar uma situação que está ligada a Mr. Crouch.

É preciso mencionar que Karkaroff é, pelo menos aos olhos de Moody, uma pessoa suspeita. Embora Harry ainda não saiba com certeza, ele está começando a suspeitar que Karkaroff era, ou ainda é, um Comensal da Morte. No capitulo anterior, Karkaroff fica espantado ao ver Harry em Hogwarts; Moody parece achar que deve ser ódio enterrado, mas talvez não tão profundamente enterrado. Pode ser interessante notar, que a despeito de sua aparente paranóia, o Professor Moody é a única pessoa que sugere que o Cálice de Fogo pode ter sido preparado para escolher um quarto Campeão, para um Torneio que deveria ter apenas três escolhidos. Também é curioso, que a técnica que ele sugeriu foi para o Cálice escolher um único bruxo, Harry, como esse campeão. Como coincidência (que provavelmente não é), como vimos que Durmstrang se juntou à Slytherin, e Beauxbatons à Ravenclaw, de alguma forma temos um campeão para cada uma das Casas de Hogwarts.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que alguns dos representantes do Torneio (Snape, Karkaroff, Madame Maxine, etc.) estão convencidos que Harry trapaceou e se recusam a considerá-lo como uma vítima inocente?
  2. Por que Ron acredita que Harry colocou seu próprio nome no Cálice? Alguma vez antes, Harry mentiu para Ron?
  3. Por que os Campeões não podem saber como será a Primeira Tarefa?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. O Professor Dumbledore é bastante cuidadoso em suas perguntas: ele pergunta se Harry colocou seu nome no Cálice, ou pediu a algum aluno mais velho para fazer isso para ele. Por que ele não perguntou a Harry se alguém, que não um aluno, fez isso?
  2. Por que Dumbledore não comentou quando Mr. Crouch deu uma interpretação diferente do regulamento?
  3. Por que Mr. Crouch está apenas preocupado em seguir o regulamento, ao invés de investigar que o Torneio pode ter sido manipulado, ou se poderá haver uma trama contra Harry?
  4. Por que Ludo Bagman não parece preocupado com o fato de Harry entrar no Torneio misteriosamente?


Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

O próximo capitulo vai nos mostrar, que não apenas Dumbledore e Moody acreditam que Harry foi obrigado a entrar no Torneio. Hagrid e Hermione também estão convencidos que Harry foi forçado a isso: a expressão de Harry revelou um terrível choque quando seu nome foi chamado. Ron que olhava para Harry nesse momento, não percebeu o que Hermione viu; essa é outra indicação, se é que é preciso, da inveja e do ressentimento de Ron, acrescido de sua sensibilidade emocional deficiente e da imaturidade. Moody acredita em Harry desde o princípio, para isso, descobriremos, ele tem uma ótima razão.

Ludo Bagman não tem nenhum envolvimento na trama para obrigar Harry a participar do Torneio Tribruxo, mas ele, imediatamente, vê uma boa oportunidade de ganhar dinheiro, apostando pesado em Harry para vencer. É provável que Ludo espera ganhar o bastante para pagar suas dívidas de jogo, ainda da Copa do Mundo de Quadribol. E, embora Ludo tente dar conselhos para ajudar Harry a ganhar cada desafio, Harry sempre recusa. Sem Harry saber, no entanto, outros estão manobrando, secretamente para assegurar sua vitória a qualquer custo.

Também é interessante notar como “Moody” se comporta perfeitamente. Barty, provavelmente teve muito pouco tempo para estudar o Moody verdadeiro, antes de dominá-lo e assumir sua identidade; mesmo assim, ele age de maneira muito convincente e sabe coisas que apenas Moody saberia. Além disso, ele está, de alguma forma, controlando o verdadeiro Moody. O leitor pode suspeitar que o que acontece é Legilimencia que Barty usa; no entanto isso não parece condizer com os acontecimento. O interessante é que no final do livro, Barty é facilmente capturado, e se ele fosse um Legilimens, ele poderia ter lido a mente de Harry, e descoberto a verdade sobre o que aconteceu no cemitério, e ver o que Harry viu no Espelho dos Inimigos.

É bem possível que, uma vez que ele tem o Moody verdadeiro sob a Maldição Imperius, ou está usando alguma outra técnica para submetê-lo, ele está periodicamente dando ao verdadeiro Moody a Poção Veritaserum, e perguntando tudo o que precisa saber. Barty, não apenas imita o personagem Moody extremamente bem, como também usa o mesmo senso de humor esquisito. Como Moody ele cria teorias de que há uma “trama sombria” contra Harry, enquanto sabe que praticamente tudo o que diz é a pura verdade, todos o vêem como exagerado e paranóico, ou pelo menos incapaz de provar o que diz. Uma pista importante é que é Moody quem sugere como o Cálice foi enganado, uma vez que, na verdade, foi ele quem enfeitiçou o Cálice. Sabendo disso, é seguro assumir que a “sugestão” de Moody sobre o que aconteceu, é a verdade.

O comportamento de Bartemius Crouch, comentado acima, é causado pelo fato de ele estar sob a Maldição Imperius. Mais tarde vamos descobrir que isso, é uma espécie de reviravolta da sorte para Bartemius, que manteve seu filho Barty sob a mesma maldição durante muitos anos, antes dos acontecimentos desse livro. Acreditamos que o rosto inexpressivo de Crouch é motivado pelo fato de estar sendo controlado, sua aparência geral doentia, provavelmente é devida ao fato de estar lutando contra esse controle. Sua falta de vontade de ficar durante a noite, ou de ser visto próximo da luz é, quase certamente, porque seu controlador não quer que ele seja muito observado, temeroso de que possa ser descoberta sua submissão à maldição. É preciso notar que ambos, o verdadeiro Moody e Barty suspeitariam de Karkaroff, Moody, porque Karkaroff é um antigo Comensal da Morte, e Barty, porque, quando foi capturado, Karkaroff deu o nome de outros Comensais da Morte, para salvar a própria pele. Portanto, Moody não confiar em Karkaroff é algo perfeitamente natural.

Conexões[editar | editar código-fonte]

Embora esse capítulo seja rico em conexões aos eventos que vão ocorrer mais tarde nesse livro, não há muito que o ligue a eventos em outros livros da série.