Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/As Relíquias da Morte/Capítulo 25

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa




Capítulo 25
A Casa das Conchas[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Harry passa muito tempo nos penhascos sozinho. Essa é a primeira oportunidade em que ele, ao invés de decidir agir escolheu fazer nada. Até para ele mesmo, o fato de não correr para Hogwarts para recuperar a Elder Wand antes de Voldemort, que está cada vez mais fraco, é motivo de pensar bastante. As dúvidas de Ron não ajudam em nada, e até o apoio de Hermione é algo confuso. Ela acredita que a Elder Wand então existe, e que a forma como ela foi recuperada, e a própria varinha é maligna. Ron questiona se Dumbledore está mesmo morto– houve a corça prateada e o olho no espelho. Se não é o olho de Dumbledore, então quem enviou Dobby?

Mais tarde, Grampo concorda em ajudar Harry, ainda que traindo Gringotes, mas ele quer como pagamento a Espada de Gryffindor. A Espada, diz Grampo foi feita pelos goblins, portanto ainda pertence aos goblins. Grampo fica irado quando Ron comenta que há outros objetos no cofre que ele pode querer: e diz que não é ladrão. Grampo afirma que Gryffindor roubou a Espada de Ragnuk o Primeiro. Harry, Ron e Hermione pedem tempo para considerar o pedido de Grampo.

Harry imagina se a Espada foi roubada dos goblins e Hermione diz que os livros de história dos bruxos sempre encobrem o que foi imposto sobre as raças não humanas. A sugestão de Ron de que eles troquem a Espada verdadeira por uma falsa não é aceita, uma vez que Grampo iria, imediatamente descobrir a réplica. Oferecer um objeto de igual valor era uma idéia, mas eles nada tem para trocar. Harry finalmente decide oferecer a Espada, mas só depois que todos os Horcruxes forem destruídos. Hermione não gosta da idéia, pode levar anos. Harry concorda mas não tem outro plano.

Grampo concorda com a oferta feita com palavras cuidadosas por Harry. Harry, Ron, Hermione e Grampo passam as semanas seguintes planejando a invasão de Gringotes, durante as quais Harry percebe que não gosta nem um pouco do goblin, que parece indiferente e se diverte caso outros bruxos possam ser feridos. Ele também parece gostar de fazer as coisas difíceis para Fleur. Ela fica feliz ao ver que Ollivander pode mudar para a casa de tia Muriel e ela pode dar um jeito nos quartos. Harry diz a ela que Ron e Dean ficam bem dormindo na sala. Manter Grampo contente é essencial para os planos do Trio. Ele também avisa a Fleur que ele, Ron e Hermione irão logo embora.

Quando Ollivander e Bill estão para sair, Fleur pede que devolvam a tiara de Muriel, emprestada para o casamento. Grampo olhando ávido para a tiara, diz que foi feita pelos goblins ao que Bill responde, que ela foi paga pelos bruxos. Bill volta logo trazendo notícias de que está tudo bem na casa de tia Muriel embora os gêmeos estejam enviando mensagens por corujas do fundo do quarto.

Quando terminam o jantar ouvem um bang bem alto na porta, Remus Lupin se identifica e anuncia que ele e Tonks são pais de um garoto chamado Ted por causa de seu avô. Ele pergunta a Harry se aceita ser o padrinho e Harry espantado aceita. Eles ficam comemorando mesmo depois que Lupin vai embora. Bill pergunta a Harry, em particular, se ele tem um acordo com Grampo, avisando que os goblins tem idéias estranhas com relação a posse. Eles acham que os bruxos não são confiáveis com relação a tesouros e que a propriedade é de quem fez, considerando que tudo o que é feito pelos goblins, pode até ser alugado ou emprestado, mas nunca comprado. Grampo evidentemente acha que a tiara de tia Muriel deve ser devolvida aos goblins quando o dono original morrer. Embora Harry não admita que tem um acordo com Grampo, ele promete a Bill ser cuidadoso, depois volta à festa, que continua mesmo depois que Lupin parte.

Análise[editar | editar código-fonte]

Rowling comentou numa entrevista, que Harry se decidir, pela primeira vez “não” fazer alguma coisa é uma parte importante de seu amadurecimento. Ele vê um caminho que pode seguir para derrotar uma parte do esquema de Voldemort, mas ao invés disso, prefere simplesmente observar e fazer outros planos que vão levar à decisão que ele tem estado aguardando desde que a história começou. Como antes, Harry viu um caminho claro e reto– indo até uma porta, levando à Câmara, liberando Sirius, duelando com Voldemort, voando até o Ministério da Magia, recuperando um Horcrux– e seguiu esse caminho. Essas reações um tanto lineares, criaram um padrão familiar, tornando Harry previsível para seus inimigos. Agora tem uma ação que Harry pode fazer, viajar até Hogwarts para evitar que Voldemort se aposse da Elder Wand, mas depois de uma cuidadosa avaliação, ele opta por ignorar isso.

A combinação de Harry com Grampo é arriscada e não se sabe se o goblin é confiável, e certamente o goblin sente o mesmo por Harry. É óbvio que o goblin quer apenas pegar a Espada de Gryffindor, que ele acredita piamente pertencer aos goblins, ao invés de ajudar a expulsar Voldemort do mundo dos bruxos. Como Hermione comenta, que os séculos de tratamento grosseiro que os goblins e outros não humanos passaram sob os bruxos, foi disfarçado nos livros de história, escrito por historiadores preconceituosos. Voldemort, enquanto isso, tem estado recrutando ativamente criaturas não humanas e Grampo, e muitas outras criaturas acreditam que poderá ser melhor ou pelo menos não pior sob o domínio de Voldemort do que tem sido com os bruxos, isso pode resultar no apoio deles a Voldemort ou pelo menos em que eles adotem uma posição neutra, para poder conduzir seus negócios como sempre, assim que a guerra terminar. Isso pode ser motivo bastante para Grampo trair o Trio, assim que o Horcrux for recuperado do cofre dos Lestrange. Harry também suspeita que Grampo pode traí-lo mas ele tem pouca escolha, tem que confiar nele por enquanto e seguir seu plano. É preciso observar que Grampo foi maltratado pessoalmente pelos Snatchers e tenentes de Voldemort e ficou irado porque os agentes do Lorde das Trevas estavam interferindo nas operações de Gringotes.

Alguém pode pensar, por que ele resiste aos esforços de Harry em lutar contra Voldemort, exigindo pagamento por aquilo que deveria resultar em mais liberdade caso a missão de Harry dê certo. Enquanto isso fica sem resposta, Grampo parece cheio de personalidade. Sua natureza mercenária vai praticamente resultar em exigir pagamento por cada ação que faz; por ser a única esperança de Harry de entrar em Gringotes, ele começa a aumentar o preço. Ele pode sonhar que o fato de retornar a Espada de Gryffindor vai restaurar o seu prestígio, possivelmente ganhando uma promoção em Gringotes ou liderar outros goblins. E fica claro que Grampo acredita que os esforços de Harry estão fadados a falhar, e que mesmo com a ajuda de Grampo, Voldemort vai continuar no poder.

O mal estar entre Harry e Lupin foi finalmente curado, e, parcialmente por causa de Harry, Lupin entende que ele não apenas é adequado para ser marido e pai, mas um ser humano bom e um valioso membro da Ordem da Fênix, mesmo sendo um lobisomem. O fato de ser um lobisomem foi de uma enorme ajuda para a Ordem, permitindo que ele se infiltrasse, com grande risco pessoal, no reino licantrópico de Fenrir Greyback para colher valiosas informações. Lupin convidar Harry para ser o padrinho de seu bebê, não apenas mostra o quanto ele tem carinho e respeito por Harry, mas também, porque ele e Tonks acreditam que o fato de Harry ter sido órfão, o torna uma pessoa qualificada para guiar e ser o mentor do bebê Teddy, caso alguma coisa aconteça a eles, embora não haja certeza se alguém sobreviverá.

Embora nunca tenha sido explicado, é estranho que Fleur tenha pedido a Mr. Ollivander, ao invés de pedir a Bill, para devolver a tiara de tia Muriel. A autora pode estar direcionando a atenção do leitor para esse tipo de objeto, por alguma razão específica.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Harry não quer mais correr atrás das Relíquias da Morte, ainda que Dumbledore tenha mostrado a ele qual a direção?
  2. Por que Lupin convida Harry para ser padrinho de seu futuro bebê? Por que Harry aceita?
  3. Harry pretende manter seu trato com Grampo? O goblin vai honrar sua palavra? Explique.

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Se as Relíquias da Morte não estão diretamente relacionadas à missão de Harry, por que Dumbledore chamou a atenção de Harry para elas?
  2. Por que Fleur pede a Mr. Ollivander para devolver a tiara de tia Muriel ao invés de pedir a Bill?
  3. É verdade que a Espada de Gryffindor pertence aos goblins como Grampo afirma?
  4. Por que os goblins consideram os bruxos indignos de confiança? Essa desconfiança é merecida?
  5. Os goblins são confiáveis? Explique.
  6. Hermione informa a eles que os livros de história escritos pelos bruxos podem não ser acurados. Isso é verdade? Explique. Isso se aplica aos livros de história em geral?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Assim como a xícara de chá que Dudley deixou do lado de fora da porta do quarto de Harry no capítulo 2, Rowling guiou a atenção do leitor para outro objeto que parece insignificante, a tiara, também conhecida como diadema. Essa seria a segunda tiara que foi comentada, a outra foi a da estátua de Rowena Ravenclaw na casa de Xenophilius Lovegood. Como sabemos agora há um Horcrux na taça de Helga Hufflepuff. Essa pode ser uma indicação de que o diadema de Ravenclaw é um grande candidato a ser outro Horcrux, embora não se tenha ideia de onde ele está.

Como já foi mencionado, as discussões de Harry com Ollivander foram preparadas para determinar quem agora tem a lealdade da Elder Wand. A despeito da explicação de Ollivander, Harry ainda duvida que Voldemort controle a Elder Wand por completo, e ele continua a duvidar disso até que se confronte diretamente com o Lorde das Trevas. Harry tem medo de ter dado a Voldemort uma arma invencível e de maneira interessante, a descrição dessa preocupação obscurece por completo para a maior parte dos leitores a determinação de quem possui a lealdade da varinha.

As discussões com Grampo são importantes aqui, uma vez que elas servem para distrair Harry e a nós, de considerar quem é o verdadeiro dono da Elder Wand, e isso é uma coisa que logo será criticamente importante. A mente de Harry fica mais tranquila, se ele acha que a Elder Wand é de fato a varinha mais poderosa, Dumbledore derrotou Grindelwald, e depois se tornou o dono da Elder Wand. Obviamente que a varinha pode tornar seu dono mais poderoso mais não o torna invencível. A principal trama desse capitulo se concentra em mostrar o caráter de Grampo, preparando a história para sua partida rápida da caverna subterrânea de Gringotes agarrado na Espada de Gryffindor. Harry começa a ter aversão por Grampo, um sentimento que os leitores também vão sentir no final desse capítulo, e é o mesmo que Grampo sente por Harry. Por causa dessa discrição preliminar, a fuga repentina de Grampo, embora inesperada, está certamente de acordo com seu caráter.