Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/As Relíquias da Morte/Capítulo 22

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Capítulo 22
As Relíquias da Morte[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Hermione conjura os feitiços de proteção. Ela queria mesmo que os Comensais da Morte vissem Harry, assim eles teriam a certeza de que Xenophilius Lovegood não tinha mentido, enquanto que Ron foi escondido porque foi dito que ele estava confinado em casa, doente; se Luna estiver presa por causa dos atos de Xeno, então a família Weasley poderia estar em perigo caso os Comensais soubessem que Ron está com Harry. Seus pais, estão a salvo na Austrália e ela modificou as lembranças deles.

Hermione reclama que visitar Xeno foi uma perda de tempo e desconta o conto de fadas dos Três Irmãos. Mas Harry está pensativo— ele quer conquistar a morte e não ser morto por Voldemort, isso é combustível para sua imaginação, e lhe dá esperança. Ron concorda com Harry, que Xeno fabricou toda essa história sob intensa pressão, para tentar segurar Harry. Ron também relembra a evidencia significativa que Hermione deu para a existência da Elder Wand. Harry contradiz a afirmação de Hermione de que os mortos nunca poderão ser ressuscitados; seu pai, sua mãe e Cedric Diggory saíram de dentro da varinha de Voldemort. Ao ver as expressões desconfiadas de Ron e Hermione quando ele fala em ressuscitar os mortos, ele muda o assunto para os Peverells.

Os Peverells estão entre as famílias bruxas mais antigas registradas, e embora a linha masculina que trazia o nome já tenha morrido há muito tempo, Hermione diz que podem existir descendentes mulheres. Harry, de repente recorda Marvolo Gaunt, o avô de Voldemort mostrando ao representante do Ministério, Bob Ogden, um anel com o símbolo Peverell para provar quem eram seus ancestrais. Harry acredita que o anel, tendo o símbolo das Relíquias da Morte gravado, contém a Pedra da Ressurreição.

Harry recorda também, que Dumbledore pediu ao seu pai, James, a Capa da Invisibilidade, e deduz que Dumbledore acreditava que ela era uma das Relíquias. Recordando o Conto dos Três Irmãos, Harry imagina se a pessoa que tiver as três Relíquias pode dominar a morte e se ele as tiver contra Voldemort? Relíquias contra Horcruxes? Ele também desconfia que Dumbledore deixou para ele o Pomo porque a Pedra da Ressurreição está dentro.

Harry está convencido de que Voldemort está procurando pela Elder Wand para destruir Harry e sua varinha. Hermione, porém, acha que Ron e Harry estão fazendo um conto de fadas dentro da realidade; Harry tem que, apenas, seguir as instruções de Dumbledore para destruir Horcruxes. Mas, durante a semana seguinte, Harry fica com obsessão pelas Relíquias da Morte. Ele está certo de que a Pedra da Ressurreição está de alguma maneira escondida dentro do Pomo, mas não consegue abri-lo e nem decifrar a inscrição “ Eu abro no fecho”. Ron e Hermione avisam Harry para se concentrar nos Horcruxes e não nas Relíquias da Morte.

Ron pouco a pouco toma a frente da missão, sugerindo novos lugares para procurarem. Uma noite de março, ele finalmente consegue sintonizar no noticiário de rádio "Potterwatch", que ele esteve procurando desde o Natal. Produzido por Lee Jordan,"Potterwatch" é o único programa wireless que fala a verdade; todos os outros seguem a linha do Ministério. Nessa noite, Lee reporta que Ted Tonks, Dirk Cresswell e o goblin Gornuk foram assassinados. Dean Thomas e um segundo goblin provavelmente escaparam. Lee também menciona que Bathilda Bagshot está morta.

A seguir, Kingsley Shacklebolt as mortes de Trouxas, e lança um pedido para ajudá-los contra os ataques dos Comensais da Morte. Lupin depois explica porque ele está certo de que Harry está vivo. Depois disso, há a leitura de um artigo, a opinião de Fred ou George sobre por que “você-sabe-quem” não pode estar em todos os lugares em que o avistam, se fosse assim teriam que existir dezenove deles. Finalmente, Lee Jordan encerra, pedindo calma.

Depois das reportagens, Harry acidentalmente fala o nome de Voldemort, derrubando os encantamentos protetores em volta da tenda. Os Snatchers os rodeiam imediatamente.

Análise[editar | editar código-fonte]

Aqui são vistas as reações de Harry às Relíquias da Morte. A possibilidade de seus pais voltarem da morte, o deixa frenético, assim como a proteção que as Relíquias podem dar a ele contra a morte. O foco de Harry nas Relíquias, permitem que Ron comece a liderar a busca pelos Horcruxes.

Harry tem estado confuso e grosseiro, primeiro porque Dumbledore o deixou sem um guia, e segundo pela sua distração pelas Relíquias. Ron começa a liderar criando uma boa mudança. Ele não é mais um seguidor passivo e inseguro, sua culpa por sua rápida deserção, assim como as broncas de Hermione, o obrigaram a amadurecer, ficar confiante e proativo, que assume a responsabilidade em guiar os outros, liberando Harry e Hermione de muitas obrigações do dia a dia. Embora Harry vá assumir seu posto novamente e liderar a missão daqui em diante, Ron nunca mais aceita ficar nas sombras e começa a preparar seu próprio caminho.

O wireless (radio) volta ao foco novamente depois que Ron sintoniza com sucesso o Potterwatch, o único programa que fala a verdade sobre Harry, Voldemort e a guerra que se desenrola. Durante conflitos, comunicações como essa se tornam extremamente importantes para disseminar informações confiáveis em meio ao excesso de propaganda que em geral, é espalhada, de modo que isso reúne e unifica os aliados. Embora Harry só tenha ouvido o programa uma vez antes de ser capturado, ele se sentiu confortado e reconectado aos velhos amigos, todos unidos na luta contra Voldemort. Também foi importante para levantar o moral de Harry, de modo que ele perceba que essa batalha não é só dele.

É chamada atenção para outro ponto interessante. O Trio concorda que a Capa da Invisibilidade de Harry pode ser perfeitamente, um dos itens do “O Conto dos Três Irmãos” que, Xenophilius afirma pode ter sido dos Peverells. O irmão mais novo deixou a Capa para seu filho. Considerando que Harry herdou a Capa de seu pai, é possível que ela tivesse sido passada através de muitas gerações, tornando Harry um descendente direto dos Peverells. Harry e Voldemort podem partilhar um ancestral comum Peverell, não que os laços de sangue contem mais agora, quando as famílias bruxas estão sendo rompidas pela guerra de Voldemort. Como foi visto na família de Sirius Black, os parentes próximos foram divididos pela crença na pureza do sangue e na lealdade à Voldemort, logo se desentenderam e até com risco de matar um ao outro.


Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Harry está tão interessado nas Relíquias da Morte? Por que Ron e Hermione acham que ele deveria se concentrar apenas na caça aos Horcruxes?
  2. Como e por que Ron toma a frente da missão?
  3. A visita aos Lovegoods foi uma perda de tempo como afirma Hermione? Se não foi, por que?
  4. Como ouvir Potterwatch afeta o Trio?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Sabendo que fantasmas existem, por que Hermione está tão cética sobre a Pedra da Ressurreição?
  2. O que pode significar a inscrição no Pomo que Harry leva com ele, “Eu abro no fecho”?
  3. O que Dumbledore gostaria que Harry soubesse sobre as três Reliquias?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Embora Hermione acredite que a visita aos Lovegoods não tenha revelado nada de importante, exceto o conto dos Três Irmãos, assim como a viagem a Godric´s Hollow, o Trio ainda não aproveitou as informações que descobriram e que são importantes para sua missão.

As Relíquias da Morte estarão ligadas à derrota de Voldemort, embora o interesse inicial de Harry não esteja. Para alguém que perdeu tantos seres amados, a Pedra da Ressurreição é um objeto especialmente desejável e sedutor para se ter, e Harry acha que essa magia pode reuní-lo com seus pais. Embora Hermione queira que eles sigam com o plano de Dumbledore de procurar apenas pelos Horcruxes, a fascinação contínua de Harry pelas Relíquias e sua esperança de se reunir com seus pais, vai eventualmente, ajudá-lo a entender o significado delas.

No entanto, as revelações sobre o passado de Dumbledore ainda perturbam Harry e, sua fé e confiança em seu Diretor continuam a diminuir. Harry também duvida se alguma vez Dumbledore se preocupou de fato com ele ou se ele foi apenas um peão no esquema de Dumbledore para derrotar Voldemort. Essas dúvidas vão durar, as vezes mais, as vezes menos, até que Harry fale com a sombra de Dumbledore num capítulo mais adiante.

Como a própria sombra de Dumbledore admitiu mais tarde, ele já esperava que Harry ficasse enfeitiçado, como ocorreu com o jovem Dumbledore, pelas Relíquias. Assim como Dumbledore, Harry as vê como uma forma de recuperar sua família; além disso ele acredita que elas possam ser uma segurança contra um ataque assassino de Voldemort. A atração pelas Relíquias permanece forte até depois de Harry escapar da Mansão Malfoy. A seguir, Harry vai escolher apenas procurar e destruir Horcruxes, embora essa decisão o atormente, especialmente depois que ele descobre que Voldemort está atrás da Elder Wand. Como foi visto, Ron está agora na frente da missão, uma vez que Harry, enfeitiçado pelas Relíquias, esteja debatendo apenas e sem parar onde procurar pela Relíquia que falta, ou se continua a caçar Horcruxes.

Quando Harry supera sua fixação e cai em si, na Mansão Malfoy, Ron novamente fica ao seu lado. No entanto, vamos ver que ele passou a agir de forma mais independente, coisa que ele não conseguia fazer. Isso vai ficar evidente quando o Trio retornar a Hogwarts, onde Ron, acompanhado de Hermione, decide entrar de novo na Câmara Secreta para recuperar as presas do Basilisco, para destruir a taça Horcrux.