Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/As Relíquias da Morte/Capítulo 2

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Capítulo 02
In Memoriam[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Pela primeira vez em seis anos, Harry está esvaziando completamente seu malão escolar, decidindo o que levar em sua missão e o que deixar para trás quando partir da casa dos Dursleys pela última vez. Enquanto esvazia, algo corta sua mão. Ainda faltam quatro dias para o décimo sétimo aniversário de Harry, a idade em que ele poderá usar magia de forma irrestrita, então, ainda não aprendeu a curar ferimentos. Ele pensa em pedir a Hermione para ensiná-lo. Procurando com cuidado dentro do malão, ele encontra um fragmento do espelho de duas vias que seu padrinho, Sirius, lhe dera. Enquanto vai ao banheiro para lavar o corte, ele tropeça numa xícara de chá largada do lado de fora da porta do seu quarto, ele imagina ter sido uma armadilha boba largada por Dudley.

Harry lê o obituário de Dumbledore no Profeta Diário. Ali, conta que o pai de Dumbledore foi condenado à prisão de Azkaban por atacar três crianças Trouxas. Mas, Albus logo superou a fama de seu pai graças à seu desempenho brilhante em Hogwarts, recebendo muitas honrarias e sendo responsável por muitas bruxas e bruxos ali formados. Três anos mais tarde, o irmão de Albus, Aberforth se juntou a ele em Hogwarts. Os dois eram muito diferentes, Aberforth era mais reservado e disposto a resolver divergências através de um duelo, embora Albus discordasse disso, eles eram amigos. Após terminar a escola, Albus planejava viajar pelo mundo com seu amigo Elphias Doge, o autor do obituário, quando sua mãe, Kendra, morreu repentinamente, deixando Albus como o provedor da família.

Enquanto Elphias viajava pelo mundo, outra tragédia atingiu os Dumbledores: a irmã mais nova de Albus, Ariana, morreu repentinamente. Depois disso, os irmãos se afastaram e Albus nunca comentou sobre sua família. Após esse capitulo triste, Albus conseguiu muitos sucessos notáveis, inclusive descobrindo os doze usos do sangue de dragão e derrotando Grindelwald num duelo épico.

Olhando para o retrato de Dumbledore, Harry pensa como ele conheceu pouco este homem; suas conversas eram mais sobre ele, Harry. Arrancando o obituário, ele o enfia dentro de um livro. Nesse mesmo dia no Profeta Diário, Harry lê uma manchete sobre Dumbledore, parte extraída do próximo livro da jornalista sensacionalista Rita Skeeter, uma biografia de Dumbledore.

“Desfazendo a imagem popular de serena e venerável sabedoria, Rita Skeeter revela a infância perturbada, a juventude rebelde, as rixas intermináveis e os segredos vergonhosos que Dumbledore levou para o túmulo. “– Descrição do livro de Rita Skeeter sobre a vida de Dumbledore. Harry vira as páginas procurando a entrevista de Skeeter, que, trabalhando com suas mentiras estilizadas, sugere que Dumbledore mexia com Magia Negra, que sua irmã Ariana era um Aborto, que Aberforth quebrou o nariz de Albus no funeral de Ariana, afirmando que Albus a matou, e que o duelo épico entre Albus e Grindelwald pode ter sido outra coisa e não o que parece. Ela sugere que o relacionamento entre Harry e Dumbledore era estranho, até inapropriado, e que Harry foi visto correndo de onde Dumbledore caiu para a morte. E, mesmo que Harry tenha testemunhado contra Snape, era do conhecimento público que os dois tinham uma implicância há muito tempo.

Harry fica chocado, mas não pode fazer nada. Distraidamente, virando o fragmento de espelho, ele vê um flash azul celeste, da mesma cor dos olhos de Dumbledore. Estudando o espelho bem de perto, ele apenas vê seu reflexo, e não há nada azul que possa ter sido refletido nele. Nunca mais ele vai ver o olhar de Dumbledore, mas tudo bem, ele enfia o caco de espelho num lugar seguro num bolso da frente.


Análise[editar | editar código-fonte]

Um vislumbre da história prévia desconhecida de Dumbledore, que foi mantida escondida, agora está revelada aqui. Os comentários de Doge e a entrevista de Rita sugerem que ali há alguma coisa significativa, e possivelmente desagradável, mistérios com relação à juventude de Dumbledore, embora que, qualquer coisa escrita por Skeeter, conhecida por fantasiar ou fabricar os fatos em seus artigos, deve ser considerada suspeita.

No entanto, o passado de Dumbledore parece ser mais sombrio e mais secreto do que muitos sabiam. E ainda que a morte de Dumbledore tivesse deixado um buraco significante na vida de Harry, muito desse vazio, agora é causado pelo fato de que Harry nunca conheceu seu mentor, jogando o rapaz num turbilhão emocional e à procura de respostas. Ele ainda está sofrido pela perda e sente profundamente a falta do conforto e da presença protetora de seu mentor, mas também está confuso e abandonado, duvidando das verdadeiras intenções de Dumbledore; Harry também fica imaginando se Dumbledore o amou ou apenas o estava usando como uma arma para derrotar Voldemort. Todos esses conflitos e dúvidas vão perturbar Harry durante o livro, e talvez até afetar sua missão. Mesmo sabendo da pena venenosa da Skeeter, há muitos mistérios sobre esse misterioso bruxo, que precisam de um explicação significativa, antes que Albus Dumbledore possa finalmente descansar.

O flash azul no fragmento do espelho encantado pode ser muito importante. Será que Dumbledore está observando, de alguma forma, além do túmulo? Harry aparentemente espera que sim, considerando seu repentino cuidado com o pedaço de espelho.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Será que alguma coisa que o Profeta Diário afirma sobre Dumbledore está correto?
  2. Por que Rita Skeeter escreveria uma biografia de Dumbledore? Suas informações serão verdadeiras?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Harry sabe tão pouco sobre o passado de Dumbledore? O quanto Harry, ou qualquer outra pessoa tem o direito de saber?
  2. Por que o pai de Dumbledore atacou três crianças Trouxas?
  3. Por que Harry mantém o pedaço de espelho? O que será o flash azul que o rapaz vê?
  4. Quem pode ter deixado a xícara de chá do lado de fora da porta do quarto de Harry? Por que a pessoa a deixaria ali?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


A fonte para o livro de Rita Skeeter foi a idosa e senil Bathilda Bagshot, uma importante historiadora e amiga da família de Dumbledore, que também era conhecida de Lily Potter. Rita em algum lugar faz menção de ter dado a Bathilda um pouco de Veritaserum, para ajudá-la a recuperar suas lembranças. Assim mesmo, a única história que Bathilda pode contar, e portanto a única que Skeeter pode reportar, é contada do ponto de vista de alguém de fora. Isso, altamente colorido pela pena ácida de Skeeter e pelas recordações confusas de Bathilda, acabam resultando numa história extremamente inacurada, cheia de inclinações e muito prejudicial.

Harry irá lidar com essas ideias distorcidas até Aberforth Dumbledore, o irmão mais novo de Albus, explicar a verdade do porque seu pai atacou três jovens Trouxas. Aberforth revela que os garotos Trouxas viram Ariana, a irmã caçula deles, fazendo magia, e perguntaram se ela podia fazer mais. Quando ela recusou, os Trouxas a atacaram fisicamente. O resultado disso foram lesões que a deixaram para sempre com problemas cerebrais, e incapaz de controlar seus poderes. Seu pai se vingou, encontrando e atacando os Trouxas, embora mais tarde fosse preso. Por causa dos problemas mentais de Ariana que Kendra Dumbledore escondeu sua filha, suscitando as fofocas de que ela era um Aborto. Kendra temia que se a condição de Ariana fosse descoberta pela comunidade bruxa, ela seria forçosamente afastada “para sua própria segurança.” Infelizmente, quando Ariana sofreu um surto magico, Kendra foi morta acidentalmente. Ariana morreu logo depois num acidente.

Depois dessas tragédias, o jovem Albus Dumbledore se tornou obsessivamente dedicado a procurar as Relíquias da Morte. Como Harry, ele desejava se reunir com os seus amados, e ele acreditava que uma Relíquia possuísse esse poder.


O olho que Harry, vê ocasionalmente, no caco de espelho não é de Albus Dumbledore, mas de seu irmão, Aberforth. Ele aparentemente comprou diversos objetos que Mundungus Fletcher roubou da casa de Sirius Black, incluindo o par do espelho encantado que Sirius deu a Harry.

Os leitores devem prestar atenção à xícara de chá deixada do lado de fora do quarto de Harry, porque pode ser significativa. Foi Dudley quem a deixou lá, provavelmente uma fraca tentativa de consertar as coisas, por maltratar Harry durante a infância deles, mas também para expressar sua gratidão por Harry tê-lo salvado dos dementadores, dois anos antes. Esse pequeno episódio não tem importância na trama principal, mas a xícara de chá, pode simbolizar a busca de Harry pela taça de Helga Hufflepuff, um dos Horcruxes de Voldemort, que Harry deve destruir. A autora irá usar a mesma tática literal quando direcionar nossa atenção para a tiara de Auntie Muriel, mais tarde no livro. Esse objeto em particular , também relativamente insignificante, pode bem esconder algo mais.