Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/As Relíquias da Morte/Capítulo 19

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Capítulo 19
A Corça Prateada[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Harry, sem conseguir dormir, imagina ouvir passos e vozes no vento e se levanta durante o turno de Hermione. Ela concorda com Harry, que eles deveriam ir logo embora, reforçando o que Harry havia imaginado e até pensando que tinha visto alguém. Uma vez que o Bisbilhoscópio está quieto, parece não haver perigo iminente, mas eles desaparatam sob a Capa da Invisibilidade de Harry por segurança.

Eles chegam á Floresta de Dean, um antigo camping que Hermione conheceu com seus pais. A neve e o frio de gelar mantém Harry e Hermione dentro da tenda no primeiro dia. Em seu primeiro dia e primeiro turno, Harry acha que a noite está diferente. Logo após o crepúsculo, horas de escuridão impenetrável, uma forte luz prateada aparece flutuando silenciosa no meio das árvores. Deslizando para junto do rapaz, uma corça prateada aparece, olha fixamente para Harry, depois se vira e vai embora. Harry a segue para dentro da floresta até que ela pare e desapareça. Usando a varinha de Hermione, Harry conjura luz. Um lago congelado é visível—a Espada de Gryffindor está no fundo do lago.

Depois de várias tentativas de recuperar a Espada sem se molhar, Harry lembra as palavras de Dumbledore, na última vez que a recuperou, no livro dois; apenas um verdadeiro Gryffindor poderia ter tirado a Espada de dentro do Chapéu Seletor. Ficando apenas de roupas de baixo, Harry quebra o gelo e mergulha. Assim que segura o cabo, o Medalhão sentindo o perigo, se aperta em torno do pescoço de Harry o estrangulando. Chutando e lutando, Harry não consegue soltar a corrente. De repente, alguém o agarra, tirando o rapaz de dentro do lago. Tonto e tremendo, Harry vê a Espada de Gryffindor e um encharcado Ron.

Ron nega ter conjurado a corça Patrono; ele achou que tinha sido Harry até ser lembrado que o Patrono de Harry é um cervo. Para testar a autenticidade da Espada, eles decidem destruir o Medalhão. Harry acha que Ron é quem deveria fazê-lo. Colocando o medalhão sobre uma pedra, Harry diz “Abra” em Parseltongue. O Medalhão se abre e dois olhos em suas laterais olham para eles—os olhos de Tom Riddle. Uma voz xinga Ron, se aproveitando de seus medos e inseguranças, mas quando falha, as cabeças destorcidas de Harry e Hermione aparecem, lançando xingamentos e ficam ridículos quando se beijam. Harry grita para matar o Medalhão. Com um único golpe, Ron destrói o Medalhão e o fragmento da alma de Voldemort.

Harry assegura a um ciumento Ron que Hermione sentiu muita falta dele e que não existe nada entre eles dois. Reconciliados, eles voltam ao acampamento, onde Harry é recebido com carinho por Hermione enquanto ela soca Ron, furiosa. Harry intervém, mas a gritaria continua. Ron insiste em que ele tentou voltar imediatamente, mas foi capturado pelos Snatchers, os caçadores de recompensas do Ministério, procurando por nascidos Trouxas e traidores.

No momento em que Ron conseguiu escapar, Harry e Hermione já tinham mudado o acampamento. Ron acabou localizando os dois com a ajuda do Deluminator; ele detecta as conversas relacionadas com a pessoa que o esteja segurando. Quando Ron ouviu Harry e Hermione falando o nome dele, conseguiu usar o Deluminator para se transportar até o acampamento. Foi Ron que eles ouviram no último acampamento, mas se mudaram antes que ele pudesse alcançá-los.

O Deluminator trouxe Ron de volta para onde estava a Corça Patronus e Harry. Hermione fica a par de tudo, da Corça, da Espada e da destruição do Medalhão Horcrux. Ron também dá a Harry uma varinha que ele “catou” de um Snatcher, para substituir a varinha quebrada. Hermione ameaça Ron uma última vez, e os três vão finalmente dormir um pouco.

Análise[editar | editar código-fonte]

Embora esse capítulo seja um ponto crucial de mudança emocional em cada membro do Trio, Ron é quem sofre a maior mudança. Dumbledore sabendo que Ron precisaria de mais atenção, deixou para ele o Deluminator, para que pudesse encontrar seu caminho de volta caso ele os abandonasse ou eles fossem separados uns dos outros. Ron mostra o quanto ele é importante dentro do Trio, e essa é uma marca decisiva em seu amadurecimento. Daqui por diante ele fica mais assertivo, independente e se torna um membro que contribui, ao invés de um seguidor passivo, cuja insegurança fazia com que ficasse atrás de Harry, Hermione e até de seus irmãos.

A despeito de suas deficiências, Ron, sem querer, ele teve uma função importante dentro do grupo: Harry e Hermione são bruxos talentosos e engenhosos, mas, tendo ambos sido criados como Trouxas, lhes falta saber mais sobre o mundo dos bruxos. Em geral, Ron esclarecia detalhes que eles desconheciam. Não que Harry e Hermione não pudessem resolver as coisas sem Ron fornecendo as peças extras do quebra cabeças. Sua natureza divertida e fácil de conviver também ajuda a ligar o Trio e contrabalança as personalidades mais intensas, porém mais azedas de Harry e Hermione. Ron demonstrou, pelo menos enquanto carregava o Medalhão, que ele, como a maioria das pessoas tem um lado negro reprimido em sua natureza.

Ron prova que é um verdadeiro Gryffindor superando seus medos e dúvidas sobre a missão, e retornando a uma situação perigosa para procurar e ajudar seus amigos. Ele também demonstra imensa bravura ao resgatar Harry do lago congelado. Harry expressa sua apreciação ao insistir que Ron destrua o Medalhão Horcrux; embora, pelo menos no início, quando o Medalhão estava lutando para sobreviver, Ron deve ter pensado se isso foi um favor.

Embora Hermione esteja furiosa porque Ron abandonou a missão, sua rápida ausência foi muito útil. Ao retornar, ele trouxe informações vitais sobre Voldemort e a guerra, avisa a eles que o nome do Lorde das Trevas agora é “tabu” e explica quem são os Snatchers. Ao serem tão elusivos e se afastado de seus aliados que poderiam lhes dar informações e apoio, o Trio tornou sua missão mais difícil e perigosa. De agora em diante, eles vão utilizar as informações recolhidas de fontes diversas.

Aqui fica exposta uma faceta diferente da personalidade de Hermione pelo retorno de Ron. Pela primeira vez ela fica tão dominada pela raiva e mágoa, que perde o controle, e, não conseguindo pensar racionalmente, reage sem lógica e sem pensar duas vezes. Só a intervenção de Harry evita que ela machuque Ron. Além de furiosa porque ele abandonou a missão, Hermione se sentiu abandonada e traída por alguém que ela sentia tanto carinho. Essa explosão pode mostrar também que Hermione está agindo mais intuitivamente e livremente, sem ficar esperando até saber todas as respostas antes de agir.

Ron, no entanto, literalmente encara seus sentimentos mal resolvidos por Hermione, quando vê as falsas imagens de Harry e Hermione projetadas pelo Medalhão, numa tentativa de se proteger. Harry que também viu o espetáculo, assegura a Ron que ele e Hermione se amam platonicamente e afirma que ele é importante para o trio.

Harry não apenas mostra outro lado de sua coragem inata, mas também de sua crescente habilidade de confiar nos outros. Embora não soubesse se foi amigo ou inimigo quem mandou o Patrono Corça, e mesmo após o terrível encontro com a falsa Bathilda, Harry toma mais uma dose de coragem seguindo a Corça, na esperança que dessa vez ela tenha sido enviada para ajudar. Muito embora a curiosidade da juventude tenha ajudado a superar as precauções, e Harry evita consultar Hermione, sabendo que ela estaria com mais suspeitas e desconfiada depois da experiência quase fatal em Godric´s Hollow. No entanto ficou bem claro que a Corça Prateada foi enviada para ajudar; a questão é quem a enviou e por que?

Um adulto lendo esse capitulo pode reparar que Ron não diz nada ao irmão Bill e à Fleur onde ele estava indo, ou mesmo que ele estava partindo, quando saiu da Casa das Conchas. Isso faz pensar o que Bill e Fleur acharam quando viram o quarto dele vazio. Vimos que Ron levou um tempo para preparar uma mochila grande para viagem, ao invés de apenas sair usando a luz do Deluminator como parece na história; só podemos imaginar para a tranquilidade de Bill e Fleur, que ele ao menos tenha deixado um bilhete, embora eles não devam ter ficado muito surpresos, sabendo que Ron estava em missão com Harry e Hermione.


Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que a conversa de Harry e Hermione sobre a varinha quebrada de Harry é tão importante?
  2. Como a deserção vergonhosa de Ron na verdade ajudou o Trio?
  3. O que fez Ron retornar? Por que Hermione está tão furiosa com ele?
  4. Por que Harry quer que Ron, ao invés dele mesmo, destrua o Medalhão Horcrux? Qual é a reação de Ron?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Quem poderia ter enviado a Corça Patrono? Por que?
  2. Como a Espada de Gryffindor foi parar dentro do lago? Quem poderia ser o responsável por colocá-la ali e por que?
  3. Se alguém pretendia que Harry encontrasse a espada, por que a colocou num lugar tão perigoso onde ele quase morreu?
  4. Por que o Medalhão estava estrangulando Harry?
  5. Por que o Medalhão projetou uma imagem de Harry e Hermione se beijando?
  6. No terceiro livro, logo antes de Sirius Black rasgar as cortinas da cama de Ron, Harry teve um sonho curioso em que ele estava correndo atrás de uma criatura prateada através de uma floresta. Será que isso tem alguma relação entre o sonho e a corça prateada nesse capítulo? Explique a relação.
  7. A forma Animago do pai de Harry, James, era um cervo e o Patrono de Harry é um cervo prateado. Isso tem alguma relação com a Corça Patrono? Explique.


Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Ron também trás informações sobre "Potter Watch", um programa de rádio de notícias dos bruxos, que trás as novidades sobre Harry e a guerra contra Voldemort. As informações nesse programa vão ser muito animadoras para Harry, uma vez que ele descobre que não está sozinho lutando contra Voldemort. Porém isso vai resultar, sem querer, no Trio ser pego.

No último livro, vamos descobrir que a Corça era o Patrono de Severus Snape. Examinando o texto com atenção, vemos que Hermione ficou com sua bolsinha aberta, quando falou para Harry onde eles estavam. O retrato de Phineas Nigellus ouviu Hermione de dentro da bolsa e contou para Snape. Portanto Snape ficou sabendo onde eles estavam, mas não a localização exata; a Floresta de Dean é um lugar enorme (fica localizada a poucas milhas a oeste de Gloucester no sudoeste da Inglaterra). Fica em aberto a questão, como Snape encontrou Harry, uma vez que Hermione sempre colocava muitos feitiços protetores em torno deles. É claro que é suposição, mas já sabemos que muitos feitiços são limitados pela distância, sendo aparatação um deles; é como se Snape estivesse há algumas milhas de Harry, e pudesse usar Legilimencia para ver o que Harry estava vendo e assim determinar onde ele estava. Isso seria fácil para Snape porque ele já havia estado na mente de Harry. Depois de saber a localização geral do Trio por Nigellus, parece que Snape mandou o Patrono na esperança de que Harry o visse e o seguisse até onde Snape escondeu a Espada, no lago. Mais tarde veremos que mais de um Patrono pode ser conjurado de cada vez e poderia haver diversos Patronos correndo pela Floresta procurando por Harry.

Essa é a primeira vez em que o Patrono de Snape é visto. Mais tarde descobriremos que sua forma está relacionada à Lily Potter, e por uma razão específica. Os leitores poderão recordar como e porque o Patrono de Tonks mudou de aparência, e foi uma coisa que Snape usou para zombar dela.

Há mais uma nota adicional interessante. Mr. Ollivander, mais tarde diz a Harry que se um bruxo capturar a varinha de outro, a fidelidade da varinha será transferida para o novo dono. Ron dá a Harry uma varinha que ele tomou de um Snatcher, fazendo com que Ron seja seu novo dono. No entanto, Harry pode usá-la, claro que com menos efetividade do que se fosse ele quem a tivesse capturado. Mais tarde Harry vai tomar e usar a varinha de Draco Malfoy, descobrindo que ela funciona bastante bem para ele, enquanto Hermione, que recebeu a varinha confiscada de Bellatrix, ao invés de capturá-la, descobre que ela funciona mal quando a usa. O fato de Harry capturar a varinha de Draco tem um papel crucial no confronto final entre Harry e Voldemort, que havia roubado a Elder Wand da tumba de Dumbledore. Voldemort também descobre que essa varinha, a mais poderosa do mundo, não corresponde às suas grandes expectativas, e inicialmente, ele não consegue entender por que.