Saltar para o conteúdo

Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Pedra Filosofal/Capítulo 9

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.


spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Estamos na segunda semana de aulas em Hogwarts, Harry está aborrecido porque as aulas de vôo vão ser partilhadas com a Casa Slytherin. Harry sabe que vai ser ridicularizado por Draco Malfoy que é tão detestado por Harry quanto seu primo Dudley.

A avó de Neville mandou para ele um Lembrol, uma maneira do menino lembrar-se das coisas. Draco tenta tirar o Lembrol dele no café da manhã, mas a chegada da Professora Minerva o interrompe. Na aula de vôo, Neville cai da sua vassoura se machucando. A Professora Madam Hooch, o leva para a enfermaria, ordenando a todos que permaneçam no chão. Percebendo que Neville perdeu o Lembrol, Draco o apanha e levanta vôo na sua vassoura, para colocar o Lembrol numa árvore alta para Neville buscar depois. Harry sai voando atrás dele, descobrindo seu talento natural para voar numa vassoura. Draco, para evitar uma briga no ar, joga o Lembrol longe, mas Harry mergulha e pega o Lembrol no ar, a uns 30 centímetros do chão. Nesse momento, ele é chamado pela Professora McGonagall, que tinha assistido tudo da janela de sua sala. Ela leva Harry embora, aparentemente muito zangada, mas para surpresa completa do menino, ela o apresenta ao capitão do time de Quadribol de Gryffindor, Oliver Wood, dizendo que Harry é o novo Apanhador.

Mais tarde, surpreso porque Harry não foi expulso, Draco o desafia para um Duelo de Bruxos, na sala de troféus à meia noite. Harry aceita e Ron avisa que será o padrinho dele. Quando Harry e Ron se esgueiram tarde da noite para fora da sala comunal, por acaso encontram Neville e Hermione, que se juntam aos dois. Harry e Ron não ficam nada satisfeitos que eles tenham vindo junto. Hermione em especial não é nada bem vinda porque fica falando e falando numa tentativa de fazer com que eles desistam. Chegando à sala de troféus eles escutam Filch se aproximando. Evidentemente Draco nunca pensou em aparecer, ao invés disso, ele avisou Filch que os alunos iam aparecer depois da hora. Pirraça vê os estudantes se esgueirando e grita que tem alunos fora da cama. Os quatro correm e vão parar no corredor proibido do terceiro andar. Eles fugiram de Filch mas se esconderam no lugar errado, deram de cara com um imenso e feroz cachorro de três cabeças.

Finalmente conseguiram voltar para a sala comunal, onde Hermione comenta que o cachorro estava sobre um alçapão, aparentemente guardando alguma coisa. Harry conclui que o cachorro deveria estar guardando o mesmo pacote que Hagrid apanhou no Banco Gringotes.

Análise[editar | editar código-fonte]

Esse é um dos capítulos mais alegres, pelo menos de inicio, na recente carreira de Harry na escola. Nós vimos como ele se sentiu deslocado – além do fato de estar deslocado na nova escola e num estranho mundo novo, Harry tem que lidar com a súbita fama, e com a sensação de que ele é uma espécie de fraude. Isso é agravado pela sua dificuldade de fazer magia com a mesma habilidade natural que muitos outros colegas demonstram, como Hermione, que parece saber tudo o que pode ser aprendido num livro, enquanto Harry fica todo atrapalhado.

Harry também fica preocupado pensando se os anos que ele passou com aqueles Trouxas, podem ter estragado suas habilidades mágicas – alguns outros alunos também foram censurados por causa de magia, mas já estavam preparados, com um conhecimento que Harry não tinha. Mesmo assim, Harry observa que Hermione e outros alunos que também cresceram em famílias Trouxa, não tiveram mais conhecimento de magia do que ele mesmo; Hermione, que teve uma vida numa família estável, talvez seja mais confiante, além de ser uma leitora ávida, portanto ela tem muito mais iniciativa e confiança para usar suas habilidades do que Harry.

Imagine a felicidade de Harry ao descobrir que voar numa vassoura é uma coisa mágica que ele consegue fazer não apenas de modo natural e bem, mas melhor do que todos da turma. Junte a isso a descoberta de que seu pai era um excelente jogador de Quadribol, também que não teria mais que assistir as aulas de vôo com a Slytherin, que a escola ia arranjar uma vassoura de alta qualidade para ele usar nos jogos de Quadribol; na hora do jantar Harry poderia até voar sem vassoura, de tanta felicidade.

Harry também começa a demonstrar uma crescente independência pela sua tendência a quebrar as regras, como quando ignorou a ordem de Madam Hooch para que os alunos ficassem no chão durante sua ausência. Harry também saiu do dormitório fora do horário de recolher para encontrar Draco para o duelo. Esse hábito de quebrar regras pode ser, parcialmente como uma vingança pelo que passou com os Dursleys, que abusaram constantemente da sua autoridade para atormentar e punir Harry de maneira cruel, quando ele não tinha feito nada para merecer isso, enquanto Dudley era sempre mimado, a despeito de seu comportamento ameaçador.

O comportamento natural de Harry mostra um certo desrespeito pela autoridade, mas nunca motivado por revolta ou por fazer algo prejudicial; ao contrário, ele sente que seus atos são corretos se ele acredita que servem a um motivo nobre, como recuperar o Lembrol de Neville ou defender sua honra duelando com Draco. Nesse caso, o fato de Harry quebrar as regras e demonstrar habilidade natural para voar foi recompensado e não punido. Isso talvez sirva para reforçar a tendência dele a ignorar as restrições na medida em que sentir que elas são injustificadas.

A decisão de Ron de seguir Harry até a sala de troféus para o duelo à meia noite foi a primeira vez que vimos Ron quebrando as regras. Nós entendemos que, por causa da amizade entre Harry e Ron, qualquer outra atitude de Ron ao quebrar regras terá sido por seguir o comando de Harry, ao invés de ser iniciativa do próprio Ron. Hermione, de forma oposta e para aborrecimento constante de Harry e Ron, decora e obedece todas as regras da escola, embora raramente considere se há lógica ou não. Enquanto Hermione briga com os dois quando os pega quebrando as regras, nunca vimos a menina fazer queixas para ninguém. Ainda não entendemos porque Hermione parece ter se ligado a Harry e Ron, mas podemos pensar que ela está tentando proteger a reputação da Casa Gryffindor contra os dois criadores de encrencas que estão na sua turma, e que podem certamente fazer a Casa perder pontos por causa de suas confusões.

O duelo de bruxos, que pode parecer um tanto sem sentido, é uma progressão natural que diz muito sobre os personagens de Harry, Ron e Draco; Draco foi humilhado e, portanto quer ter sua vingança. E para Draco, entregar Harry (e por tabela, Ron) para Filch seria tão satisfatório quanto derrotá-lo num duelo, se ele pudesse. Dessa maneira o risco seria menor do que ser humilhado de novo – e se Harry o vencesse num duelo? Deixar Filch fazer o trabalho sujo aumenta a chance de Harry passar um mau pedaço, enquanto Draco fica protegido das conseqüências, se houver alguma.

A covardia de Draco é evidente nesse episódio, e mais tarde vai colocá-lo em mais complicações do que ele pode imaginar. Ao contrário de Draco, Harry mostra coragem e integridade honrando sua palavra em encontrar Draco na hora combinada. Ron também mostra bravura e lealdade se oferecendo para ser padrinho de Harry. Nem mesmo as ameaças da mandona Hermione conseguem parar os dois meninos e, depois de ficar, ela própria trancada do lado de fora da Casa Gryffindor, resolve seguir os dois, tomando conta, ostensivamente, do que eles fazem ainda que curiosa também.

A obsessão de Hermione com as regras, e suas ameaças de entregar os garotos, parecem mais um blefe do que verdade, dando a entender que a opinião dos amigos sobre ela, é mais importante do que a necessidade de obedecer as regras. Durante a série, Hermione, mesmo sendo contra raramente interfere nos atos dos garotos, e sua curiosidade, em geral a obriga a segui-los e eventualmente se juntar a eles. Nem Harry e nem Ron querem ela por perto, mas sua presença muitas vezes é de grande ajuda.

Esse episódio também nos mostra que ali tem um mistério para Harry investigar. Harry continua a suspeitar que o pequeno pacote sujo que Hagrid trouxe para Hogwarts, está ligado à invasão de Gringotes. A incursão dos alunos à meia noite pode os ter levado na direção certa para descobrir tudo, se eles acharem isso necessário. Novamente, a teimosia de Harry em quebrar as regras compensa, quando Hermione, observadora que é, fala que existe um alçapão no corredor do terceiro andar e é isso que o cão feroz de três cabeças está guardando.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Draco desafia Harry para um duelo?
  2. Por que a avó de Neville mandou um Lembrol para ele? Isso vai ajudar?
  3. Por que Draco pega o Lembrol de Neville?
  4. O que Hermione percebeu sobre o cão de três cabeças, e por que a criatura estaria de vigia?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Draco não apareceu para seu duelo com Harry?
  2. Por que Ron se ofereceu para ser o padrinho de Harry no duelo? O que isso mostra sobre seu caráter?
  3. O que Harry acha que o cão de três cabeças está guardando? Há algum motivo para isso?
  4. Por que Harry foi chamado para ser o Apanhador do time de Quadribol da Gryffindor, mesmo sendo tão novo?

Será que ele está pronto para essa responsabilidade?

  1. Hermione ameaçou entregar Harry e Ron para um monitor por saírem escondidos para o duelo. Por que ela não os entregou ao invés de ir com eles? Por que Neville foi junto?


Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

O alçapão sob o cachorro de três cabeças é um dos muitos segredos de Hogwarts já imaginados no capítulo anterior. O alçapão protegido coloca uma grande pergunta que precisa ser respondida: O que está debaixo do alçapão? Se o cachorro está protegendo o pacote de Hagrid, então a pergunta é, o que mais pode estar escondido debaixo do chão do castelo? Hogwarts tem muitos segredos para Harry descobrir nesse e em outros livros. Como, as escadas que se movem, Harry deve caminhar em trilhas perigosas e sempre em mutação, antes de encontrar as respostas.

O leitor deve se lembrar que, nessa altura, Harry não precisa se preocupar com o que está no pacote, ou como ele é protegido. O fato de que ele provavelmente está sob o alçapão que o cachorro está protegendo é uma pequena informação interessante, mas não tem importância para Harry. No entanto, durante o ano, a curiosidade de Harry vai empurrá-lo a tentar e a descobrir exatamente o que havia no pacote, e ele vai descobrir que era a Pedra Filosofal, que dá nome ao livro.

Ao mesmo tempo, Harry vai aos poucos perceber que outros estão procurando pela Pedra, seja para seu próprio benefício ou na esperança de reanimar Voldemort, e vai tentar avisar aos diretores sobre sua preocupação. As autoridades, especialmente a Professora McGonagall, não vão dar importância aos seus avisos e Harry conclui que ele, sozinho, vai ter que salvar a Pedra. É duvidoso como ele chegou à conclusão correta; no entanto, no final ele age e consegue proteger a Pedra.

Embora o medo de Harry de que sua infância difícil entre os Trouxas tenha afetado permanentemente sua habilidade mágica seja infundado, essa idéia não é totalmente inválida. Qualquer que seja sua ancestralidade, sangue puro, mestiço ou nascido Trouxa, os jovens bruxos e bruxas possuem vários talentos e níveis de capacidade, e estes podem ser afetados pelas suas respectivas histórias.

Neville Longbottom, sangue puro de uma poderosa família bruxa, é especialmente fraco em magia. Mas não é por falta de talento ou habilidade, é de fundo emocional (e talvez físico) causado por acontecimentos na vida dele, que foram no mínimo traumáticos assim como aconteceu com Harry; esse é um dos fatores que liga os dois garotos. Harry provavelmente passa por algumas dificuldades iniciais pelos mesmos motivos e também por estar inseguro e magia ser uma coisa nova para ele, embora que rapidamente ele, supera esses obstáculos e se iguala aos colegas de turma; Neville que pode ter ficado debilitado pelos feitiços de memória que sua família usou de boa vontade, para aliviar o trauma dos acontecimentos com seus pais, vai ter que lutar mais para fazer progressos, embora mais tarde ele se torne um bruxo competente.

Hermione resolve não ameaçar mais entregar Harry e Ron, mas vai continuar de olho neles por causa do hábito dos dois de quebrar as regras, nos próximos livros, mesmo depois que ela é escolhida Monitora. A única vez que ela de fato entrega as atividades deles para um professor é no livro O Prisioneiro de Azkaban capítulo 11. Nesse caso, ela entrega Harry para a Professora McGonagall, não por quebrar as regras, mas porque ela estava de fato preocupada com a segurança de Harry. Ambos, Harry e Ron reagiram furiosamente, evitando Hermione durante meses e isso magoou a menina profundamente, e quase acabou com a amizade deles para sempre.


Conexões[editar | editar código-fonte]

  • Essa é a primeira vez que ouvimos falar em Duelo de Bruxos. O conceito de duelo volta a aparecer em A Câmara Secreta capitulo 11 e é muito importante para os acontecimentos dos futuros livros, particularmente as interações entre Harry e Voldemort nos livros de número quatro e sete e em especial com o fenômeno Priori Incantatem aparecendo em O Cálice de Fogo capítulo 34.
  • Draco escolhe Crabbe como seu padrinho. Isso sugere que ele acredita que Crabbe seja um bruxo mais poderoso, se bem que por outras circunstâncias isso prenuncie o fato de que Crabbe morre no último livro, e a maneira como ele morre.
  • Essa também é a primeira vez que vemos a sala de troféus. Nesse momento da série, o local do duelo não parece importante, mas a localização serve como uma peça de quebra cabeças que Harry usa para resolver o mistério que ele persegue em A Câmara Secreta.