Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Pedra Filosofal/Capítulo 11

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A temporada de Quadribol começa em novembro e Harry está feliz por ter Hermione como amiga; os treinos extras estão tomando o tempo de seus deveres, e só mesmo Hermione para ajudá-lo. Ela também ficou mais relaxada com relação ao regulamento, então quando ela, Harry e Ron estão na quadra um dia, ela quebra as regras e cria um pequeno fogo bruxo para mantê-los aquecidos. O Professor Snape vendo os três, confisca o livro que Harry está lendo, Quadribol Através dos Tempos, com a desculpa de que os livros da biblioteca não podem ser levados para fora. Nessa noite, Harry decide pedir a Snape que lhe devolva o livro. Esperando encontrá-lo junto com outros professores, de modo a evitar sua ira, Harry olha dentro da Sala dos Professores. Lá dentro ele vê Snape com um ferimento horrível na perna e Filch fazendo um curativo no professor, eles estão falando sobre alguma coisa de três cabeças que aparentemente fez o ferimento. Snape percebe Harry e, furioso, manda que ele saia. Harry, Ron e Hermione logo imaginam que o ferimento foi causado pelo cachorro de três cabeças no corredor proibido do terceiro andar, mas, apenas Hermione duvida que Snape iria tentar roubar alguma coisa. Tanto Harry como Ron estão convencidos de que ele iria sim.

Na manhã seguinte é o primeiro jogo de Quadribol de Harry justo contra Slytherin. O jogo vai bem, até a vassoura de Harry começar a agir de maneira estranha, aparentemente tentando derrubá-lo. Hermione percebe que o Professor Snape está olhando fixamente para Harry e murmurando, e ela conclui que é ele que está fazendo o feitiço. Para impedir, ela corre pela arquibancada, derrubando o Professor Quirrell no caminho, e põe fogo nas vestes de Snape, quebrando sua concentração. Slytherin marca cinco vezes enquanto todos estão ocupados com Harry e sua vassoura enfeitiçada. Recuperando o controle, Harry mergulha em direção ao campo, no processo ele tromba e praticamente engole o Pomo, assim ganhando o jogo.

Depois do jogo, Harry, Ron e Hermione discutem os acontecimentos com Hagrid na sua cabana. Hagrid não acredita de forma alguma que Snape faria um feitiço daqueles na vassoura de Harry. Harry comenta que Snape se deu mal com o cachorro de três cabeças e Hagrid sem querer diz que o nome dele é Fofo. Mais tarde Hagrid diz que, seja lá o que for que Fofo está vigiando, é assunto do Professor Dumbledore e de um tal de Nicolas Flamel — isso é outra pista para eles descobrirem o objeto que está bem guardado.


Análise[editar | editar código-fonte]

Como em qualquer escola, o esporte é parte integrante da vida dos alunos. Em Hogwarts o esporte é o Quadribol e ele serve tanto como força de união como um elemento que causa divisão. Os alunos ficam ligados por seu entusiasmo pelo jogo, mas suas Casas competem uma contra outra para vencer a Copa de Quadribol, assim como a Copa das Casas. Embora essas rivalidades em geral sejam amigáveis, Slytherin e Gryffindor sempre foram especialmente competitivas e de vez em quando abertamente inimigas. O Capitão de Quadribol da Slytherin, Marcus Flint, aproveita o incidente com a vassoura de Harry para marcar mais pontos para seu time, mostrando como os alunos da Slytherin são desonestos e exploradores. A rivalidade entre essas duas Casas é tão forte que chega a ser muitas vezes, ponto central da série.

Enquanto isso, a nova amizade entre os dois garotos e Hermione está cada vez mais forte e profunda, e sua inteligência e generosidade sempre é muito útil. Inicialmente é pequena (se formos comparar com o que vem depois) ajudando Harry com seus deveres enquanto ele está atrapalhado com os treinos de Quadribol, mas ela é rápida e decisiva para proteger Harry quando vê que a vassoura dele foi enfeitiçada durante o jogo, pondo até mesmo sua vida em perigo. Sua rapidez ao pensar e tomar decisões se tornam cada vez mais importantes para o Trio no decorrer da série.

A vassoura enfeitiçada durante o jogo indica que alguém tem más intenções para com Harry, e isso parece óbvio, pelo menos para Harry e Ron, que essa pessoa é Snape. Mesmo Hermione esquece seu hábito de achar que os professores são todos bonzinhos e concorda que deve ser Snape que procura a Pedra. Hagrid é inflexível ao discordar dos três, ele diz que nem Snape nem qualquer outro professor de Hogwarts, poderia estar envolvido num complô contra a escola ou seus alunos. A fé cega de Hagrid em Hogwarts e seus professores é nobre, mas muito ingênua, e até mesmo infantil, e devemos lembrar que Hagrid está a par de informações sobre a escola que, nem nós e nem o Trio tem idéia. Nós, no entanto, já vimos que Snape parece ter um interesse especial no corredor proibido do terceiro andar, no alçapão e talvez no que está sob ele.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. O que Hagrid tem a dizer sobre a teoria de Harry com relação a Snape? Hagrid está certo ou está sendo enganado por alguém?
  2. Por que Snape confiscou o livro de Harry e ele teve razão?
  3. Por que Snape está mancando?
  4. Harry acha que o cachorro de três cabeças feriu Snape. Será que ele está certo ou foi outra coisa que causou o ferimento?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que a vassoura de Harry foi enfeitiçada? Snape é o responsável ou foi outra pessoa? Explique.
  2. Por que Snape está tratando de sua perna, ou pedindo ajuda a Filch, ao invés de procurar Madam Pomfrey na enfermaria?
  3. Quem será Nicolas Flamel, e como ele (e Dumbledore) estão ligados ao pacote misterioso?
  4. Como o temperamento de Hermione mudou desde que ela apareceu na história? Dê exemplos e explique o que aconteceu para acontecer essa mudança.

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A rivalidade entre Slytherin e Gryffindor se torna uma metáfora para o tema do bem contra o mal na série e na batalha que virá, conforme os bruxos se alinham ao lado de Voldemort ou escolhem lutar contra ele e seus Comensais da Morte.

Enquanto Gryffindor representa os oponentes de Voldemort e Slytherin seus seguidores (talvez incluindo Snape), tanto as Casas Ravenclaw e Hufflepuff mostram o quanto os bruxos no mundo mágico se tornaram complacentes ou ignorantes com relação ao mal, que, gradualmente e insidiosamente toma conta e se intromete enquanto eles cuidam do seu dia a dia, nem percebendo o que ocorre e finalmente, se adaptando ao que vai acontecendo. Na própria Casa Gryffindor, há divisões, mais tarde na série, o aviso de Harry de que o Lorde das Trevas havia retornado é motivo de muita discussão, e seus colegas de Casa se dividem contra ou a favor dele. O nome Nicolas Flamel vai chamar atenção daqueles que o reconhecem. Mencionado em inúmeros lugares, incluindo O Corcunda de Notre Dame de Victor Hugo, Flamel foi um alquimista do século 14 que, supostamente, encontrou ou criou a Pedra Filosofal. Em Paris existem ruas com seu nome e o de sua esposa, e a casa onde ele viveu é hoje em dia uma atração turística. Depois que ele morreu, fizeram muitas escavações na casa, mas não foi encontrado nenhum traço da Pedra Filosofal e nem do ouro que supostamente era feito com a Pedra.

Como podemos ver nesse capítulo, se o Trio tem uma fraqueza, é a tendência de se fixar numa idéia de maneira teimosa; seu pensamento pré-determinado de que Snape tem más intenções poderia ter tido graves conseqüências no jogo de Quadribol, caso não tivessem tido sorte. Hagrid é o oposto deles, acreditando piamente que um professor de Hogwarts jamais se envolveria em qualquer coisa maligna, particularmente se envolvesse um aluno ou a escola. A verdade sempre fica no meio, não pende para um lado ou para o outro, e diversos professores no decorrer da história estarão envolvidos em tramas sinistras.

A cena mais aclamada, que mostra melhor a interconexão entre os livros da série, é quando Harry pega o Pomo na boca, isso vai se tornar um ponto importante na trama do sétimo livro, capitulo 34.

No capitulo em questão, existe uma situação que foi interessante por não ter sido cronometrada, e talvez faça com que todos desconfiem mesmo de Snape (ao contrário de Quirrell). Quando Hermione está correndo pela arquibancada, na fileira dos professores para alcançar o Professor Snape, ela derruba o Professor Quirrell; mas então leva talvez uns trinta segundos para Snape perceber que estava em chamas. Trinta segundos é um longo tempo quando se está fazendo um contra feitiço ou qualquer coisa que necessite intensa concentração; então por trinta segundos, Snape está tentando parar um feitiço que já tinha sido interrompido, porque Quirrell já tinha sido derrubado e não estava mais conjurando. É possível que a autora tenha usado uma hipérbole e na verdade tenha imaginado algo como cinco segundos, que seria bem mais razoável. Isso foi resolvido na versão para o cinema, quando Snape leva aproximadamente dois segundos para perceber o fogo em suas vestes.

Conexões[editar | editar código-fonte]

  • O fato de Harry pegar o Pomo com a boca em seu primeiro jogo de Quadribol estará conectado ao livro final da série.
    • Quando de sua morte, Dumbledore deixou para Harry o Pomo, para passar para ele alguma coisa sem que o Ministro da Magia percebesse; Dumbledore certamente imagina que o Ministro vai examinar tudo o que ele deixou. Sabendo que o Pomo é enfeitiçado com a memória da carne para identificar o Apanhador que o pegou, o Ministro da Magia, Rufus Scrimgeour, observa enquanto Harry segura o Pomo, para ver se Dumbledore o usou para passar alguma coisa para Harry, enganando o Ministério. O Pomo não reage à mão de Harry, mas em As Relíquias da Morte capítulo 7, depois que o Ministro vai embora, quando Harry coloca o Pomo na boca ele revela uma mensagem.
    • Quando Harry se apresenta para encontrar seu destino, ele novamente coloca o Pomo nos lábios e diz, Estou prestes a morrer, e o Pomo se abre para revelar a Pedra da Ressureição, que dá a Harry os meios necessários para completar sua missão.
  • Hermione tem uma habilidade muito especial de conjurar o fogo, isso é visto duas vezes nesse capítulo, e será usada no capitulo 16 desse livro. Com a possível exceção de Hagrid no capitulo 4, não vimos mais nenhum outro bruxo ou bruxa a usando esse feitiço.