Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Ordem da Fênix/Capítulo 9

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Capítulo 9
As Tribulações de Mrs. Weasley [editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.


Sinopse[editar | editar código-fonte]

Deixando a corte, Harry conta as boas novas para Mr. Weasley, e comenta que Dumbledore passou por ele sem dar palavra. Conforme os bruxos deixam a corte, Mr. Weasley se mostra surpreso, porque Harry, foi aparentemente julgado por todo o Wizengamot. Conforme Percy passa, ele e Mr. Weasley se ignoram, embora as linhas em volta da boca de Mr. Weasley se mostrem mais fundas.

Harry e Mr. Weasley encontram Cornelius Fudge conversando com Lucius Malfoy. Mr. Weasley supõe que Malfoy estava andando por perto da corte para saber o que havia acontecido, embora Malfoy falasse em “assuntos particulares” para explicar sua conversa com Fudge. Mr. Weasley comenta com Harry, discretamente, que certamente envolvia troca de ouro, e que Malfoy doava para as causas apropriadas para conseguir que leis fossem demoradas ou ignoradas. Sabendo que Malfoy é um Comensal da Morte, Harry pensa que Fudge, poderia estar sob a Maldição Imperius. Mr. Weasley diz, que isso foi considerado, mas Dumbledore acredita que Fudge está agindo por sua própria vontade.

Todos em Grimmauld Place ficam aliviados porque Harry foi considerado inocente. Fred, George e Ginny começam uma dança da vitória e cantam, “ele se livrou, ele se livrou, ele se livrou!” até Mrs. Weasley gritar com eles. A cicatriz de Harry subitamente começa a doer, mas ele afasta a preocupação de Hermione dizendo “isso acontece agora, o tempo todo”.

Durante os próximos dias, Harry percebe que Sirius parece triste. Hermione sugere que talvez Sirius tivesse, secretamente, desejado que Harry fosse expulso e fosse morar em Grimmauld Place. Independente disso, a alma de Harry estava aliviada e feliz, e ele sonhava com Hogwarts.

A lista de material escolar finalmente chega, levantando a pergunta, quem será o novo professor de DCAT? Há também outras novidades; como esperado, Hermione é escolhida como monitor, mas Ron também é, para o espanto de todos. Como prêmio, Mrs. Weasley concorda em comprar para Ron uma vassoura nova. Harry luta com o ciúme e ressentimento, acreditando que ele deveria ter sido escolhido ao invés de Ron. No jantar de comemoração, Sirius consola Harry dizendo que seu pai, também não tinha sido monitor. Dos quatro Marotos, apenas Lupin foi monitor. Lupin comenta que Dumbledore provavelmente esperava que ele mantivesse seus amigos sob controle, embora ele não conseguisse. Harry dá a Ron seus sinceros parabéns.

Depois do jantar, Olho-Tonto Moody mostra para Harry uma foto da Ordem da Fênix original. Moody evidentemente pensa que isso será do agrado de Harry, uma vez que seus pais estão na foto, mas Harry fica perturbado, os vendo entre tantos outros que morreram nas mãos dos Comensais da Morte.Harry pede desculpas e sai da festa.

Harry passa pela sala de estar onde Mrs. Weasley está tentando usar o feitiço Riddikulus para banir um Bicho Papão. Ela está soluçando, e cada vez em que ergue a varinha, aparece morto, outro membro da família. Também aparece um Harry morto. Lupin chega para ajudar. Conforme Harry afasta outra onda de dor em sua cicatriz e se enfia na cama, ele se sente muito velho e fica imaginando como pode ficar aborrecido com quem foi escolhido monitor, quando há tantas coisas mais importantes para resolver.


Análise[editar | editar código-fonte]

Pela primeira vez, é Harry, ao invés de Ron, a ter que lidar com o ciúme e ficar em segundo lugar, depois que Ron foi nomeado monitor de Hogwarts e Harry não. Dumbledore deve ter escolhido Ron, em parte, para ele poder desenvolver sua própria identidade, longe da influência de Harry e da constante atenção que Harry desperta.

Ron sempre se satisfez em acompanhar os outros, não tendo confiança em si mesmo, até porque sempre ficou na sombra dos irmãos espertos, da capacidade intelectual de Hermione e da fama de Harry. Talvez Lupin tenha sido escolhido monitor pelas mesmas razões; suspeitamos que a confiança em si mesmo pode ter sido impedida pela sua licantropia. Dumbledore também poderia estar preocupado porque outros alunos sentiam que Harry tinha um tratamento especial por causa de sua fama.

Harry não compreende a dificuldade de Ron em descobrir seus próprios talento e habilidades especiais. Harry, a principio fica ressentido, mas, ele mostra que está amadurecendo quando percebe que existem coisas mais importantes do que se escolhido monitor.

O medo mais profundo de Molly Weasley também é mostrado aqui. Uma mãe devotada e esposa carinhosa, ela vive em terror constante que sua família seja vítima de Voldemort. Ela perdeu seus irmãos, e, ela não aguentaria perder Mr. Weasley ou qualquer um de seus filhos. Seu medo mostra que ela está convencida de que a família Weasley não conseguirá sobreviver a essa guerra, ilesa. Harry fica preocupado ao ver isso, inclusive porque o Bicho Papão se transformando em sua imagem, mostra o quanto Mrs. Weasley o ama e o considera um filho. Harry é confrontado com sua mortalidade e percebe que talvez não sobreviva.

Enquanto isso, outro personagem, Lucius Malfoy se destaca. Seu encontro com o Ministro da Magia, Cornelius Fudge, tão próximo à audiência de Harry é altamente suspeito, embora não tenhamos provas, ainda, de que Fudge está ligado aos Comensais da Morte. Possivelmente, ele não está, mas Malfoy com certeza consegue os favores e a influencia dele e do Ministério, através de doações generosas em dinheiro. Aqui, Lucius, um Comensal da Morte, deve estar tentando manipular Fudge, com relação à audiência de Harry, ou talvez extraindo informações sobre a audiência para contar para Voldemort. Um Fudge fútil, parece mais incapaz do que corrupto, e talvez especialmente preocupado em cultivar sua imagem pública, do que prestar atenção ao que, de fato, está acontecendo no mundo mágico. Ele, de fato, parece acreditar que Voldemort está morto e que Harry é um mentiroso querendo atenção.

Fudge parece acreditar na primeira regra da política: seja reeleito. Foi na administração de Fudge que houve uma catástrofe de relações públicas, representada pela única fuga de Azkaban na história. Os dementadores, mesmo impopulares como são, são a única maneira que Fudge tem de se recuperar do fiasco. Voldemort, em algum lugar distante e não importante, é um bom bode expiatório, útil para ajudá-lo a manter o apoio público, apesar da inconveniência dos dementadores preocuparem a população mágica. No entanto Fudge publica e particularmente acredita num Voldemort distante e inefetivo, que deve ser impedido a qualquer custo de se reunir com Sirius Black. Um Voldemort real, de volta ao corpo físico, ativo e recrutando seguidores na Inglaterra, é tão distante, é tão perigoso e também tão desestabilizador para Fudge e seu regime sobreviverem. Portanto ele precisa crer que isso não aconteceu, que Voldemort morreu. Se Voldemort pudesse existir muito longe e fraco, ele também poderia existir bem perto e perigoso, portanto ele não deveria estar por perto dois anos antes também. Como bom político, Fudge tanto acredita particularmente, quanto publicamente, ou talvez ele escolha em mascarar todas as dúvidas para poder apresentar um rosto confiante.


Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Harry ficou chateado quando Olho-Tonto Moody mostra a ele uma foto de seus pais?
  2. Qual é a reação de Harry quando ele vê o Bicho Papão de Mrs. Weasley se transformando na família morta? O que isso mostra sobre Molly Weasley?
  3. O que Harry sente quando vê o mesmo Bicho Papão se transformar nele, morto?
  4. Por que Harry reage da maneira como reagiu quando Ron é escolhido monitor?
  5. O que faz Harry mudar de atitude sobre Ron se tornar monitor?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Lucius Malfoy estava se encontrando com Cornelius Fudge imediatamente após a audiência?
  2. Por que Dumbledore escolheu Ron para ser monitor e não Harry? Harry se acha mais capaz do que Ron?
  3. Ron está qualificado para ser monitor ou ele vai apenas confiar na orientação de Hermione?
  4. Quem será o novo professor de DCAT? Aqui tem alguma pista de quem poderá ser?
  5. Como a cena do Bicho Papão pode pressagiar outros acontecimentos nos próximos livros?
  6. Por que Fudge está negando a existencia de Voldemort, quando há dois anos atrás, quando Sirius Black escapou, ele afirmou que Black ia se reunir a ele? O que isso mostra sobre Fudge? Explique.

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


Não é muito provável que Lucius estar tão próximo ao Departamento de Mistérios seja uma coincidencia inocente de sua parte; vamos descobrir que Voldemort está procurando alguma coisa nesse departamento, e Lucius pode estar procurando o candidato ideal para por sob a Maldição Imperius, para procurar o que Voldemort quer.

Poucos dias depois,Sturgis Podmore será pego tentando entrar por uma porta segura, provavelmente forçado a invadir o Departamento de Mistérios por Malfoy. Mais tarde no livro, vamos descobrir que Broderick Bode, um Inominável que foi visto no capítulo anterior, vai ser enfeitiçado dentro do Ministério. Bode será visto no hospital St. Mungo, se recuperando de um feitiço severo, por volta dos feriados do Natal. Hermione, mais tarde vai chegar à conclusão que tanto Bode quando Podmore, foram obrigados a tentar recuperar o objeto que Voldemort quer.

Também vamos ouvir a conversa entre Voldemort e Rookwood, um Comensal da Morte, que confirma isso, e que Bode foi enfeitiçado no Departamento de Mistérios. São as tentativas de Voldemort de pegar esse objeto que vai resultar na batalha no Departamento de Mistérios.

O Bicho Papão se transformando nos membros “mortos” da família Weasley pode estar prenunciando uma tragédia no final da série.

O fato de Dumbledore escolher Ron para monitor, pode ter sido motivado por algo mais do que uma tentativa de aumentar a confiança e auto estima do garoto. Dumbledore sabe que Harry está destinado a um dia, confrontar Voldemort. Por enquanto, ele provavelmente suspeita que Ron e também Hermione, terão parte integral nessa trama. Ser monitor pode ajudar Ron a ter uma mente mais independente e desenvolver habilidades de liderança, que serão vitais na missão de destruir Voldemort. Mas Dumbledore vai dizer a Harry no final desse livro, que a razão pela qual ele não escolheu Harry, foi porque percebeu que ele já tinha responsabilidades demais. Se Dumbledore considerou os benefícios para Ron, nesse caso, como acreditamos, eles certamente ficaram em segundo lugar, porque seu desejo era impedir de colocar mais obrigações sobre Harry.


Conexões[editar | editar código-fonte]

  • Nós já vimos antes, Lucius Malfoy usando sua influência no livro quatro, e ouvimos que isso acontece porque ele doa para as caridades apropriadas. Nesse capítulo, vemos Malfoy e Fudge, e ouvimos um saco de dinheiro, e um convite para se encontrarem no escritório particular de Fudge. Se Fudge não é, ele mesmo, um corrupto, isso serve como confirmação de que Malfoy está doando para a organização de caridade de Fudge para animais de estimação.
  • Já sabemos que a Ordem da Fênix tinha existido há um tempo atrás, e que Dumbledore a estava reativando, chamando a “velha turma”. A foto que Moody mostra a Harry é uma confirmação da antiga Ordem, e pelo menos uma lista parcial de quem estava nela.
  • A dor que Harry sente na cicatriz faz parte de uma serie de ligações mágicas entre Harry e Voldemort.