Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Ordem da Fênix/Capítulo 5

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Capítulo 5
A Ordem da Fênix[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.


Sinopse[editar | editar código-fonte]

Sirius Black explica para um Harry desnorteado, que a pintura é de sua mãe, a falecida Mrs. Black, Walburga. A casa de número de Grimmauld Place é a casa ancestral dos Black, e foi herdada por Sírius quando ele estava em Azkaban. Ele completa de maneira melancólica, que deixar a casa para ser o quartel general da Ordem da Fênix, é uma das poucas contribuições que ele pode fazer.

Na cozinha, os Weasleys e diversos outros membros da Ordem estão ocupados preparando o jantar. Bill Weasley está lá, e junto com seu pai eles estão estudando diversos rolos de pergaminho na mesa da cozinha, aparentemente, coisas da Ordem da Fênix. Bill junta tudo, rapidamente assim que Harry entra. Fred e George tentam servir a refeição usando magia, mandando a tábua de picar com a faca, uma jarra de Butterbeer e um pote de ensopado voando pelo ar até a mesa. O ensopado mal fica na beira da mesa, a jarra de Butterbeer entorna um pouco e a faca por pouco não acerta a mão de Sirius. Molly Weasley lhes dá uma bronca: não é porque agora já estão mais velhos, e podem usar magia, que significa que têm que usar.

Durante o jantar, Harry pega pequenos pedaços de conversa na cozinha: Tonks aceitando pedidos para usar diferentes tipos de nariz, Bill discutindo a postura dos goblins com relação a Lord Voldemort, e como isso foi afetado pelas ligações deles com Ludo Bagman no ano anterior, e os negócios cômicos feitos pelo ladrão Mundungus Fletcher.

Depois do jantar Sirius sugere que Harry deve ter algumas perguntas a fazer sobre a Ordem da Fênix e Voldemort. Mrs. Weasley, acha que ele é muito novo, e discorda com relação ao quanto Harry deve saber. Ela reclama que Sirius trata Harry como se ele fosse James, ao invés de seu afilhado. Lupin e Mr. Weasley, no entanto, ficam ao lado de Sirius. Depois de uma discussão com relação a quem entre os mais novos pode ficar, Mrs. Weasley arrasta uma zangada Ginny direto para cama. Sirius, Lupin e Arthur Weasley começam a responder as perguntas de Harry, enquanto Fred, George, Ron e Hermione escutam. Nenhum assassinato foi cometido porque Voldemort tem se mantido quieto. O Ministério da Magia nega fervorosamente as afirmações de Dumbledore sobre a volta de Voldemort, e prepara sua retirada como diretor de diversas instituições do mundo da magia. Dumbledore diz que não se importa, desde que não tirem a figurinha dele dos Sapos de Chocolate.

A Ordem da Fênix está recrutando novos membros, inclusive estrangeiros, os membros da Ordem dentro do Ministério devem ser cautelosos porque o Ministro ameaça despedir qualquer um ligado a Dumbledore. Aparentemente o Ministro está paranóico achando que Dumbledore está formando um exército particular, com a intenção de tomar o Ministério da Magia, Sirius deixa escapar que a Ordem está guardando uma arma, e nesse ponto, Molly Weasley interrompe e manda as crianças para cama.

Depois que as luzes se apagam, os gêmeos, já tendo ouvido com suas Orelhas Extensíveis, contam a Harry e Ron que a única novidade foi sobre a arma, mas sua conversa é interrompida quando Mrs. Weasley para do lado de fora da porta, aparentemente para checar se todos foram para cama. Harry cai no sono, apenas para ter pesadelos com armas.


Analise[editar | editar código-fonte]

Harry fica sabendo dos acontecimentos recentes e como o retorno de Voldemort causou mudanças significativas no mundo mágico; isso, é claro, serve para atualizar o leitor. Como foi visto, Harry esteve preocupado durante todo verão: embora Voldemort tenha retornado, ainda se espera que o mal se materialize. Nesse encontro, aprendemos porque, mas, mesmo assim ainda parece pouco o que está acontecendo, e que Dumbledore, a única autoridade que acredita em Harry, está fazendo pouco sobre esses acontecimentos. Também se vê mais sobre os personagens adultos importantes, especialmente Sirius e Lupin, e temos uma visão melhor a respeito do relacionamento de Mr. e Mrs. Weasley.

Embora Sirius tenha escapado de Azkaban, após doze anos, preso por um crime que não cometeu, ele é mais prisioneiro do que nunca. Sendo um fugitivo caçado, ele precisa ficar escondido, e está de fato encarcerado na terrível casa dos Black, que sempre foi um local infeliz para ele. Embora ele seja um membro da Ordem da Fênix, ele não pode participar ativamente da guerra contra Voldemort. Como resultado, ele está ficando cada vez mais deprimido, irritável e imprudente. Também desconfiamos de uma certa instabilidade mental, causada em parte por sua prisão e em parte herdada. O longo tempo em Azkaban também deve ter impedido seu desenvolvimento; observamos que ele é menos maduro do que se espera de um homem de sua idade (por volta de 36 anos). Como Mrs. Weasley comenta, Sirius tende a ver Harry como uma substituição de James Potter, ao invés de seu afilhado, talvez porque seu desenvolvimento foi parado em Azkaban, quando ambos, ele e James tinham por volta de 20 anos. Isso não significa que Sirius não ame Harry ou que não tenha a maior preocupação com ele, mas ele não é o modelo ideal de adulto e suas opiniões algumas vezes não são as melhores.

O personagem de Mrs. Weasley está mais bem definido aqui. Embora ela seja uma bruxa poderosa e teimosa, e seja um membro valioso da Ordem, seus instintos maternais em geral, são mais fortes do que outros assuntos. Impedindo as informações dos mais novos, ela tenta proteger, não apenas seus filhos, mas também Harry, que ela ama como seu filho, durante o tempo que puder. No entanto ela não pode manter todos na infância para sempre, inocentes. Dar a eles muito pouca informação pode ser tão perigoso quando dar a eles demais. Notamos que Molly parece ter duas idéias diferentes ao mesmo tempo. Tendo perdido a batalha para impedir Harry de saber sobre os negócios da Ordem, ela tenta mandar os gêmeos para cama, dizendo que eles são muito novos para saber essas coisas. Mais cedo, ela admitiu que eles podem usar magia, quando tentam servir a refeição magicamente. É claro que ela sofre da preocupação das mães, de todos os lugares, que são super protetoras de seus filhos, mesmo quando eles já tem idade suficiente para cuidar de si mesmos. No entanto o modo despreocupado dos gêmeos viverem a vida e lidarem com os acontecimentos, não ajuda a aceitar que eles já são maiores de idade.

Também ficamos sabendo mais sobre Mundungus Fletcher nesse capítulo. É claro que já ouvimos o nome antes, no livro dois ouvimos que ele tentou azarar Mr. Weasley pelas costas; no livro quatro ele faz uma reclamação falsa de danos e mais cedo, nesse livro, vemos que ele abandonou sua obrigação por algum esquema desonesto. Nesse capitulo vemos seu caráter revelado através das conversas com outros, e aprendemos que, envolvido como deve estar, ele é, de coração, um trapaceiro mesquinho e que não se arrepende. Imaginamos que foi a influência de Dumbledore que resultou na inclusão de Mundungus na Ordem. Podemos pensar porque Dumbledore escolheu fazer amizade com ele, e como isso reflete em Dumbledore; e como os outros membros da Ordem reagem ao que pode ser considerado um decreto de Dumbledore.

Não se sabe porque a autora escolheu esse nome para Mundungus Fletcher. Suspeitamos que o nome foi escolhido para que o apelido fosse escatológico (bosta), e que iria divertir crianças de certa idade.

É interessante notar como se comportam os personagens adultos com relação a Harry, durante a discussão após o jantar e como ela se desenrola. Mrs. Weasley como sempre tem o papel de mãe, protegendo Harry. De maneira surpreendente, talvez, Mr. Weasley não age como pai de Harry, e sim mais como um tio: sempre cuidando dos melhores interesses de Harry, mas um tanto afastado emocionalmente. Embora seja o padrinho de Harry, Sirius também não parece pai de Harry, talvez por causa de sua imaturidade emocional. Sirius parece mais um irmão mais velho, apoiando e encorajando, embora muitas das vezes de maneira imprudente, quando Harry tenta descobrir o que está acontecendo. Quem mantêm o papel mais forte e autoritário com relação a Harry é Remus Lupin, seu ex professor. Embora compreendendo a proteção de Mrs. Weasley, ele parece o único adulto defendendo a necessidade de Harry de saber, porém mais cuidadoso do que Sirius, tudo o que a Ordem faz e o que está acontecendo de fato.


Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Dumbledore foi rebaixado de postos importantes no mundo mágico, e por quem?
  2. Por que Mrs. Weasley está zangada com Fred e George? Ela deveria estar?
  3. Quais são algumas das tarefas que a Ordem da Fênix está tentando realizar?
  4. O que Sirius quis dizer ao comentar que oferecer a casa da família Black à Ordem da Fênix, é uma das poucas coisas úteis que ele pode fazer? Isso está certo? O que mais ele poderia fazer?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. O que poderia ser a arma que Sirius mencionou? Onde poderá estar?
  2. Por que a Ordem tem que ser mantida em segredo?
  3. Por que os adultos discordam sobre o quanto de informação Harry deve receber? O que ele deve saber?
  4. Por que Molly Weasley acusa Sirius de tratar Harry mais como um amigo do que como um afilhado? Ela está certa? Se está, por que Lupin e os outros ficam ao lado de Sirius?


Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

O que Voldemort procura, não é na verdade uma arma, e sim uma Profecia relacionada a Harry e Voldemort. No entanto a idéia de uma arma extremamente poderosa enche de tal maneira a mente de Harry, Ron e Hermione, que, quando eles precisam atrair Umbridge para fora da escola, Hermione fabrica uma história sobre uma arma secreta que Dumbledore, supostamente, deixou para trás. Quando Ron comentou que ouviu membros da Ordem falando sobre a função de proteção, Harry sugere amargo, que eles o estão protegendo, mas sabemos que os membros da Ordem estão protegendo a Profecia. Pelo menos dois dos membros, Mr. Weasley e Sturgis Podmore tiveram sérios problemas enquanto estavam de guarda.

A Profecia sobre a qual não ouvimos nada até o penúltimo capitulo desse livro, poderia ser considerada uma arma, uma vez que ela fala sobre o poder que Harry tem que será a ruína de Voldemort, e que o fato do Lord das Trevas marcar Harry como um igual dá ao garoto poder sobre Voldemort. Voldemort ouviu apenas a primeira parte da Profecia, que prediz o nascimento de Harry e seus pais, e que ele terá um poder que o Lord das Trevas desconhece; Voldemort passa a maior parte desse livro tentando recapturar a Profecia, esperando que ela possa revelar como derrotar Harry. Como muitas outras profecias, se Voldemort a tivesse recuperado, a parte essencial para ele teria sido perdida. O que Voldemort ainda precisa ouvir é que o Lord das Trevas vai “marcá-lo como um igual”. De fato, essa marca, a cicatriz na testa de Harry foi o resultado da tentativa de Voldemort de matar Harry. Vamos descobrir que o ataque também deixou um fragmento da alma de Voldemort dentro de Harry, o que permite ao garoto visualizar os planos de Voldemort durante o último livro da série. A parte final, sobre o “poder que o Lord das Trevas desconhece”, já não é secreta, quando ele retorna, ele já sabe que o sacrifício de Lily que protegeu Harry, e a magia que funciona contra ele, Voldemort, é baseada no amor; ele jamais compreenderá esse poder, porque não conhece o amor.

No entanto uma arma mais convencional também existe, e tem uma parte importante mais tarde, na série. No livro final, quando a varinha de Voldemort não funciona contra a de Harry, ele sai a procura da lendária Elder Wand. Ela é supostamente a mais poderosa varinha que já foi feita, e Voldemort, se conseguir obtê-la ficará super poderoso para derrotar Harry.


Conexões[editar | editar código-fonte]

  • Nesse capítulo encontramos, na discussão sobre a “arma” que Voldemort procura, a primeira menção da Profecia, que dirige toda a série. A Profecia será recuperada, destruída e revelada (nessa ordem) nos capítulos finais desse livro.No livro 6, vamos descobrir que metade da Profecia foi ouvida por Snape e assim levada até Voldemort.
  • Temos a impressão de que apenas Sirius pode controlar o retrato de sua mãe. No capitulo 11, parece que Harry herdou essa habilidade junto com a casa.