Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Ordem da Fênix/Capítulo 32

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Capítulo 32
De Mal a Pior[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.


Sinopse[editar | editar código-fonte]

Harry está frenético por causa de Sirius e ele corre até a ala hospitalar à procura do único membro da Ordem da Fênix em que ele pode pensar: a Professora McGonagall. Madam Pomfrey diz que a Professora McGonagall foi transferida para o hospital St. Mungo. Harry não sabe o que fazer; Dumbledore, McGonagall e Hagrid se foram. Ele corre em busca de Ron e Hermione. Convencido de que sua visão é real, Harry quer ir imediatamente ao Ministério da Magia em Londres para salvar Sirius. Hermione avisa a ele que essa visão pode ser falsa, e sugere que Harry parece ter uma coisa de “salvar pessoas”. Ela sugere usar a lareira de Umbridge para fazer contato com Grimmauld Place e ver se Sirius está lá.

Ron diz que vai distrair Umbridge, Ginny e Luna ficam de guarda do lado de fora enquanto Harry e Hermione sob a Capa da Invisibilidade se esgueiram para dentro do escritório vazio. Harry faz contato com Grimmauld Place e Monstro responde. Ele diz que Sirius saiu e não disse aonde ia, mas acrescenta satisfeito que ele não voltará. Harry é arrancado da lareira e Umbridge exige que ele conte com quem estava falando. Ron, Luna, Hermione, Ginny e Neville são presos pelo Esquadrão Inquisitorial.

Quando Harry se recusa a responder suas perguntas, Umbridge diz a Malfoy para chamar o Professor Snape. Harry, subitamente lembra que Snape é um membro da Ordem. Quando ele chega, Umbridge ordena que ele use Veritaserum em Harry, mas Snape afirma que ela já usou todo o estoque, e leva um mês para fazer mais. Harry grita desesperado, “Ele tem Almofadinhas no lugar onde aquilo está escondido.” Umbridge pergunta o que significa aquilo, e Snape friamente responde que não tem idéia do que Potter está resmungando e vai embora.

Umbridge se prepara para lançar a maldição Cruciatus em Harry para conseguir a informação. De passagem, ela admite que mandou os dementadores até sua casa no último verão. Quando ela está quase amaldiçoando o garoto, Hermione “chorando” soluça dizendo que Harry estava falando com o Professor Dumbledore sobre uma arma que os alunos estavam construindo para ele. Eles queriam avisar que estava pronta. Umbridge exige vê-la.


Análise[editar | editar código-fonte]

Hermione avisa a Harry que Sirius não deve estar em perigo, de verdade, e acredita que Harry está sendo atraído para uma armadilha. No entanto Harry acha que ela está sendo super cuidadosa, ela sabe que ele em geral age impulsivamente e sem considerar as possíveis consequencias.

O fato de Hermione mencionar a coisa que Harry tem de “salvar pessoas”, ela está verbalizando uma característica que ele tem e que deve ser óbvia para os leitores, mas não para ele. Antes ela já havia critícado Harry por correr para ser o “herói” sempre que acredita que os amigos estão em perigo, como ele fez na Segunda Tarefa do Torneio Tribruxo, no ano anterior, quando tentou “resgatar” todos os refens , muito embora Ron, Hermione, Cho e Gabrielle, que estavam presos debaixo d´água, nunca tenham estado em perigo. Essa ameaça, ela acredita, fez Harry perigosamente previsível. Não querendo ouvir essas duras verdades, ele responde com agressões dirigidas a Hermione. Mas Hermione é com certeza a única entre os amigos de Harry, que não quer apenas segui-lo, mas discutir a situação quando necessário. O interessante é que em certa altura, Harry sugere que apenas ele e Ron vão a Londres, com isso mostrando que pouco valoriza a profunda amizade de Hermione e põe mais fé no fato de Ron estar sempre do seu lado.

Monstro conta a Harry que Sirius saiu de Grimmauld Place, mas o elfo doméstico leal à família Black (mas não a Sirius) não é uma fonte confiável. Devemos notar que Monstro escolheu suas palavras com cuidado, possivelmente preparado por alguém: embora ele diga que seu mestre partiu, ele não fala explicitamente que Sirius está no Departamento de Mistérios.

Novamente, Neville foi arrastado para essa situação simplesmente porque ele estava na hora errada no lugar errado. Alguém pode imaginar que a autora parece ter algo contra Neville, porque ele parece sempre se meter em confusões que não é ele quem faz, às vezes carregando os outros com ele.

A personalidade de Umbridge é observada novamente pela maneira como ela trata Snape. Quando ela pede o Veritaserum fica sabendo que vai levar um mês para fazer mais, Umbridge num acesso de raiva, que é a melhor maneira de descrever a cena, põe Snape na condicional. Se assumirmos que Snape é leal à Ordem, e que ele pode estar escondendo um estoque de Veritaserum, ou enrolando para preparar mais, então a raiva de Umbridge pode ser válida, mas colocar um professor em condicional por não fazer atividades extracurriculares fisicamente impossiveis, é injustificável e até risível.

Essa história do Veritaserum, confirma as suspeitas nossas e de Harry, sobre Umbridge ter colocado algo no chá. Nos parece que, quando Umbridge colocou o que ela achou fosse Veritaserum no chá de Harry antes de interrogá-lo, ela nunca havia usado essa Poção antes. Claramente desconhecendo como funciona, ela não percebeu que Harry nunca mostrou os efeitos do Veritaserum enquanto respondeu às perguntas dela. Não vamos especular porque Harry, que já tinha visto o Veritaserum em ação, não procurou imitar suas características. Umbridge aparentemente usou o vidro inteiro, quando até mesmo um pouquinho teria feito Harry revelar tudo o que sabia.

Esse incidente provou a Harry que a lealdade de Snape é da Ordem e não de Voldemort. Ainda que Harry nunca tenha bebido o chá, ele agora pode ter certeza de que Snape deu à Umbridge outra coisa e não Veritaserum. Harry só não percebeu que Snape poderia ter usado esse incidente para trair a Ordem sem despertar suspeitas: ele poderia ter dado à Umbridge o verdadeiro Veritaserum, e depois simplesmente observar enquanto Harry traia Sirius, afirmando, mais tarde que não sabia para que ela queria a Poção. Ele dar o falso Veritaserum para Umbridge, com certeza indica mais lealdade à Ordem do que Harry acreditava.

Podemos notar que essa não é a primeira vez que Snape teve oportunidade de trair Dumbledore, de forma a parecer não ter culpa. Ele também poderia ter feito a Poção Wolfsbane, que impedia Lupin de machucar algum aluno na escola, de maneira errada. Mesmo quando Snape revelou que Lupin era um lobisomem, no final do ano, percebemos que ele poderia ter feito Lupin ser dispensado a qualquer momento, apenas fazendo a Poção de forma errada coisa que ele não fez.

No entanto, Snape não dando ouvidos ao pedido de Harry, relacionado a Almofadinhas, no entanto, deixa Harry na dúvida se Snape vai avisar ou não à Ordem. Já tendo visto Snape e Sirius de varinhas em punho um contra o outro, Harry tem razão de temer, que Snape escolha não fazer nada ao invés de salvar Sirius. Hermione parece concordar com sua crença, e por isso ela cria o plano onde também se arrisca, para dominar Umbridge.


Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. O que Harry faz depois de tido a visão? A quem ele procura para pedir ajuda?
  2. Por que Hermione quer que Harry use a lareira para fazer contato com Sirius em Grimmauld Place?
  3. Com quem Harry fala em Grimmauld Place e o que Harry fica sabendo? Essa fonte é confiável? Por que ou por que não?
  4. O que Hermione conta a Umbridge depois que ela e Harry são pegos? Por que Hermione conta isso?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Harry tem mesmo essa coisa de “salvar pessoas” conforme Hermione disse?
  2. Por que Harry não pensou em pedir ajuda a Snape, que também é membro da Ordem da Fênix ?


Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


Embora Snape pareça friamente não dar atenção ao pedido de Harry sobre Almofadinhas, ele está cuidadosamente mantendo sua aparência como agente duplo de Dumbledore. De acordo com Dumbledore mais tarde, Snape imediatamente procurou saber da segurança de Sirius, depois alertou a Ordem da Fênix, quando Harry e Hermione não retornaram da Floresta Proibida. Harry ao saber disso, acreditou que Snape deliberadamente esperou demais antes de pedir ajuda.

Embora Snape tenha dado o alarme, pode ser discutido se ele agiu rapido o suficiente e se isso mudou o resultado e suas consequencias. Mesmo assumindo que Snape é leal à Ordem da Fênix e Dumbledore, ele aqui, está numa posição interessante. Assumindo que aquilo que ele lê na mente de Harry é tudo o que sabe do que está acontecendo, Snape pode pensar que Sirius está sendo torturado por Voldemort. Deliberadamente esperando para avisar ao quartel general da Ordem, poderia acontecer de Sirius ser morto por Voldemort, sem que ele (Snape) tecnicamente traísse a Ordem. No entanto, Snape afirma que checou Sirius, embora nós só tenhamos sua palavra, e ele poderia ter mudado sua história de acordo com as circunstâncias. Se Snape ainda estava sem saber se Sirius estava ou não em perigo, a tentação de demorar para avisar a Ordem com certeza haveria de estar presente. Por outro lado, não há indicação de que Snape fez algo para por Sirius em perigo. Embora Dumbledore mais tarde, defenda as ações de Snape e reitere sua absoluta confiança nele, Harry, e os leitores continuam a duvidar da lealdade de Snape.

O comportamento previsível de Harry será usado novamente contra ele no último livro, quando ele é reconhecido pela sua assinatura que é o feitiço Expelliarmus. Embora ele irá explorar sua previsibilidade no seu confronto final com Lord Voldemort.

A resposta de Monstro para Harry pode ter sido ditada em parte ou totalmente por Voldemort, agindo através da família Malfoy. Vamos descobrir mais tarde que Voldemort já havia lidado com Monstro antes, e deve ter acreditado que ele tinha morrido; se Voldemort soubesse que “ o elfo doméstico da família Black” que estava conversando com Narcissa era, de fato, o mesmo que ele usou antes, ele deveria ter se preocupado mais com seu Horcrux do medalhão. Descontando outros tipos de magia às quais ele não dá importância, no entanto, é difícil entender que ele não percebeu que dois elfos domésticos da família Black eram chamados Monstro.

Como foi mencionado, as palavras de Monstro foram escolhidas cuidadosamente. Monstro sabe que o plano é atrair Harry para o Departamento de Mistérios e depois mandar Sirius atrás dele, assim se livrar de Sirius, que é, na sua opinião, um traidor do sangue e não serve para ser seu mestre. Portanto Monstro está falando a verdade quando diz que Sirius jamais retornará do Departamento de Mistérios, e com muito cuidado evita dizer que ele está em Grimmauld Place quando Harry pergunta. “Ninguém está aqui só Monstro,” está encobrindo a verdade; Monstro é o único na cozinha, com certeza. A única outra mentira verdadeira que Monstro diz é quando ele fala, “o mestre saiu,” e isso está encobrindo a verdade se Monstro mentalmente disser “da cozinha”. Mas, Monstro sabe que Sirius está no andar de cima cuidando de Bicuço que Monstro machucou.

Embora tenha escolhido bem as palavras, Monstro está deliberadamente guiando Harry indiretamente para Voldemort. Em nossas interações com Dobby, vimos que enganos como esse causarão agitações num elfo doméstico se ele estiver agindo contra as instruções. Que Monstro parece tranquilo com isso combina com o que Dumbledore mais tarde conta a Harry: “você não é seu mestre, ele pode mentir para você sem precisar se punir por isso”. Suspeitamos que as palavras foram cuidadosamente escolhidas para evitar que Monstro ficasse estressado porque as instruções não partiram de seu mestre, mas apenas de um membro da família Black. Não é provável que Voldemort tenha se preocupado com isso; as instruções devem ter vindo de Narcissa (Black) Malfoy, e as palavras devem ter sido dela.

Não entendemos por que da inclusão de Neville no grupo, ele será de utilidade na batalha que virá no Ministério. Ainda que sua contribuição seja limitada, veremos que isso será uma espécie de “batismo de fogo”, assim ele será muito melhor em outras batalhas e na grande luta em Hogwarts no livro final.


Conexões[editar | editar código-fonte]

Esse capítulo parece ser inteiramente local, separado da ação nesse livro. Embora a gente possa ver uma surpreendente seriedade de caráter de Severus Snape, há muito pouca coisa acontecendo nesse capítulo que pode ter começado num livro anterior, ou ter seus efeitos além desse.