Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Ordem da Fênix/Capítulo 29

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Capítulo 29
Orientação Vocacional[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.


Sinopse[editar | editar código-fonte]

Quando as férias de primavera começam, Hermione fica imaginando porque as aulas de Oclumência de Harry terminaram de maneira tão repentina; Harry diz que Snape achou que ele já estava bom o bastante. Vendo que Harry está chateado, Hermione pergunta se ele e Cho Chang brigaram, e Harry não querendo discutir o que ele havia descoberto sobre seu pai, aproveita a chance e admite que eles tiveram um desentendimento por causa de Marietta. Ginny sugere que ele fale com Cho, mas Harry na verdade quer falar com Sirius, embora saiba que é impossível. Ginny tendo crescido com Fred e George diz que já não acredita que alguma coisa é impossível.

Porém, um aviso foi postado anunciando um aconselhamento para futura carreira para todos os alunos da quinta série. Enquanto Harry, Ron e Hermione procuram pelas carreiras oferecidas, Fred e George se aproximam, dizendo que eles têm uma distração planejada para as cinco horas de segunda-feira, então, Harry poderá usar a lareira de Umbridge para contatar Sirius. Harry ignora os avisos de Hermione, determinado a falar com Sirius.

Na segunda-feira, Harry chega para seu encontro sobre Orientação Vocacional com a Professora McGonagall, e encontra Umbridge lá, a observar. Harry quer ser um Auror e McGonagall começa a comentar os cursos que ele terá que fazer. Umbridge interrompe, dizendo que Harry deve considerar outra ocupação porque suas notas em DCAT estão muito baixas e ele tem ficha policial. Furiosa porque McGonagall retruca que o Ministério o absolveu Harry de tudo e que ele sempre recebeu notas altas de professores de DCAT “competentes”. Ela promete fazer tudo que estiver ao seu alcance para ajudá-lo a ser um Auror. Umbridge fica lívida e afirma que McGonagall está apoiando os esforços de Dumbledore para depor Fudge, e se tornar ela mesma, subsecretária senior do Ministro e Diretora de Hogwarts. McGonagall responde que Umbridge está delirando e dispensa Harry, que sai enquanto a discussão vai aumentando.

Mais tarde, Hermione pede a Harry para desistir de invadir o escritório de Umbridge, mas Harry, ouvindo a distração dos gêmeos no andar de cima, se cobre com a Capa da Invisibilidade e entra no escritório da Umbridge. Usando a lareira dela, Harry faz contato com Grimmauld Place. Lupin o cumprimenta, depois chama Sirius. Harry pergunta sobre seu pai. Sirius admite que ele e James foram uma vez idiotas imprudentes, mas Snape já estava envolvido com as Artes das Trevas e não era uma vítima inocente. Harry também explica que acha que sua mãe casou com um homem que ela detestava na escola, mas acontece que o relacionamento de seus pais começou a melhorar no sétimo ano. Sirius explica que James amadureceu e deixou seu jeito de idiota arrogante para se tornar um homem bom. Harry aceita isso, mas não fica especialmente tranquilo, sabendo que ele jamais se comportaria como seu pai na idade dele. Quando Harry menciona que as lições de Oclumência terminaram, Lupin insiste que ele recomece e Sirius ameaça ter uma conversa com Snape.

Saindo do escritório da Umbridge, Harry descobre que Fred e George foram pegos. Umbridge ameaça uma punição severa, mas os gêmeos avisam que eles já tiveram educação formal suficiente, convocando (Accio) suas vassouras que haviam sido confiscadas, e que vieram para seus donos ainda arrastando as correntes com que foram presas, eles se preparam para partir. Conforme partem, eles avisam aos alunos para visitar sua nova loja no Beco Diagonal depois dão o adeus final à Pirraça, o poltergeist, dizendo “Infernize ela por nós, Pirraça”, antes de darem a volta aplaudidos pelos alunos e saírem em alta velocidade para um lindo entardecer.


Análise[editar | editar código-fonte]

Umbridge estava presente quando Harry foi inocentado pelo Ministério de todas as (falsas) acusações por uso da magia por menor de idade, ela aparentemente está em negação do caso. O leitor pode imaginar que ela internalizou com tanto sucesso a demonização de Harry e Dumbledore pelo Ministério, que é simplesmente impossível para ela compreender que Harry possa ser inocente das acusações. É provável que esse processo de difamação foi que a levou a avaliar Harry horrivelmente em sua aula, assim procurando manchar mais ainda sua reputação.

Ela também parece provocar McGonagall deliberadamente num confronto cara a cara. Com Dumbledore fora, Umbridge parece estar tentando eliminar os professores mais leais a Dumbledore, incluindo McGonagall, uma vez que ela é a mais formidável ameaça para seu desejo sem descanso, de controlar a escola. De fato podemos especular aqui os motivos que Umbridge atribui a McGonagall, na verdade são motivos dela própria; Umbridge pode estar tentando a posição de vice ministro, e acredita que McGonagall quer a mesma posição sob Dumbledore, que Umbridge está buscando sob Fudge.

As próprias dúvidas de Harry o fazem hesitar ao colocar Auror como escolha de carreira, temendo nunca ser aceito nesse grupo de elite. Ele fica feliz quando McGonagall o apoia firmemente, embora o entusiasmo dela seja de alguma forma uma reação contra as tentativas de Umbridge de estragar os objetivos de carreira de Harry. Harry ainda está, de alguma forma, incerto sobre seu lugar no mundo mágico, e não sabe como será seu futuro; McGonagall promete fazer tudo o que puder, para ajudá-lo a alcançar seus objetivos, e reafirma que ele não apenas tem um lugar, mas um futuro nesse mundo.

Embora a reação extrema de Snape ao fato de Harry ter visto sua pior lembrança, tenha sido irracional, Harry agora compreende porque Snape odeia Sirius e seu pai, e, por extensão a ele. Isso também altera a opinião de Harry sobre James, o pai que ele amou e admirou incondicionalmente, mas nunca conheceu. No entanto, o pai que Harry tem como ídolo é uma figura idealizada que ele baseou nas recordações favoráveis de outras pessoas, e não o garoto idiota que ele viu na Penseira, embora nenhuma das versões seja completamente acurada. Apesar da explicação de Sirius que ele e James eram jovens indiferentes e arrogantes que agiam de maneira idiota, e sua afirmação de que James amadureceu se tornando um adulto carinhoso e compassivo, Harry tem dificuldade de compreender o comportamento horrível de seu pai, quando o compara com o seu próprio, sua natureza benevolente com a mesma idade. Mas Harry falha ao compreender que os jovens não nascem para se comportar de forma específica, e que as experiências e influências únicas de cada pessoa, resultam em diferentes ações e atitudes que, eventualmente os torna os adultos que são. James foi mimado, única criança numa família rica, provavelmente com poucas preocupações, responsabilidades, ou consideração para com os outros. De algumas formas, ele compartilha traços com Draco Malfoy, embora para crédito de James, o idiota cruel que Harry viu, mais tarde se tornou um bom homem. Também não parece bom que Harry deva julgar seu pai baseado apenas em um pedaço de sua vida, ao invés de, em tudo o que sabe sobre todo o resto.

A compaixão inata de Harry se deve mais ao seu próprio mau trato e dureza na casa dos Dursleys, algo que ele jamais desejará a ninguém, e isso é uma experiência que James jamais sofreu em sua juventude. Harry também se nega a considerar que ele é também descendente de Lily, Harry ama Lily tanto quanto a James, mas parece que ele pode ter negligenciado e feito pouco das conquistas, habilidades, e influências dela em sua vida e, ao invés disso focou mais em seu pai. Harry também falhou ao não entender que a transformação de James com certeza foi parcialmente devida à influência de Lily.

Embora os gêmeos tenham sido pegos, o prazer de Umbridge com sua captura e a já planejada punição é estragada quando eles montam em suas vassouras e partem de Hogwarts, proclamando que já aturaram o bastante. Embora não tenham alcançado as melhores notas, os gêmeos são bruxos poderosos e talentosos, e eles afirmam que sobrou pouco para aprenderem na escola, o que é verdade. Molly certamente ficará aborrecida quando ouvir o que aconteceu, acreditando que sem se formar, o futuro deles será ruim. Mas Fred e George estão num bom caminho ao começar um negócio bem sucedido, agradeçam ao apoio financeiro de Harry. Fred e George são os únicos alunos a dar a Pirraça uma ordem que será cumprida, em toda a história da escola. É provável que o motivo seja, porque a ordem tem tudo a ver com a própria inclinação natural de Pirraça.


Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Snape acabou com as aulas de Oclumência de Harry? Quais serão as possíveis consequências para Harry?
  2. Qual será a verdadeira razão para Umbridge avisar a Harry para escolher outra carreira? O que McGonagall tem a dizer?
  3. Tem alguma verdade na acusação de Umbridge que McGonagall quer se tornar Diretora, e o que pode estar por trás disso? Qual foi a resposta de McGonagall?
  4. Por que Harry quer falar com Sirius sobre seu pai? O que Sirius diz a ele?
  5. Por que Harry ainda fica em dúvida sobre seu pai depois de falar com Sirius? A opinião de Harry sobre o comportamento do jovem James não é boa? Se é assim, por que?
  6. Por que Fred e George desejam criar uma distração de modo que Harry possa usar a lareira da Umbridge? É apenas para ajudar Harry? Eles estão preocupados se forem pegos?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Harry quer se tornar um Auror?
  2. Por que McGonagall encoraja tanto Harry a seguir sua ambição de se tornar Auror? Que evidência temos para apoiar tanto encorajamento?
  3. Harry está tendo dúvidas sobre seu pai, ídolo, “perfeito”. James era de fato assim? Será que Harry vai se sentir dessa forma sobre seu pai novamente? Como ele vai se sentir?
  4. ?O que Harry pensa depois de conversar com Sirius sobre James? Sirius muda a opinião de Harry?
  5. Quem mostrou mais “moral”? Lily ou James?
  6. Na lembrança que Harry viu, Lily defendeu Snape. Por que, então, Snape a chamou de sangue ruim? Ele não deveria ter sido ser grato?
  7. Alguns leitores sugeriram que, depois de descobrir as razões por trás da antipatia de Snape, Harry deveria ter pedido desculpas por ter visto suas lembranças. Outros acham que a descoberta não muda nada, a antipatia entre Harry e Snape iria impedir isso de acontecer ou talvez seria útil se acontecesse. Qual a sua opinião?
  8. Harry deveria começar a desculpar Snape por sua raiva, ainda que Snape não desculpasse?
  9. Snape está certo em odiar Harry tanto, quando na verdade foi James, pai de Harry quem o atormentou?
  10. Pode ser que um dia Snape e Harry se reconciliem? Snape e Sirius? Por que ou por que não?
  11. Harry tende a dar menos importância às realizações de sua mãe e sua influência sobre ele? Se acha isso, como e por que?


Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


Esse capítulo pode estar mostrando um relacionamento futuro entre Harry e Ginny no próximo livro. Embora Harry se sinta ferido e de alguma forma traído porque seu pai não era o homem que todos afirmaram que era, e teme que Snape esteja certo com relação a ele, é Ginny quem consola Harry sugerindo que, falar com Sirius não é impossível como parece. Entretanto, depois de falar com Ginny, Harry comenta para si mesmo que ele estava se sentindo bem, mas não sabia se era porque ele “falou alto sobre o desejo que estava ardendo dentro dele durante a semana” de falar com Sirius, ou se era por causa do chocolate. O leitor pode achar que foi a presença de Ginny, e que ela parece acreditar que falar com Sirius é possível, pode ser parte da felicidade de Harry.

A imagem mental que Harry tem de seu pai é principalmente baseada nas recordações de outros sobre James Potter, assim como em seus próprios sentimentos. No capitulo anterior, Harry viu uma cena da juventude de James, que contradiz diretamente a compreensão de Harry. Sirius explica que Harry viu o comportamento de James quando ele tinha apenas quinze anos, ao que Harry exclama, “Eu tenho quinze anos!” Harry se recorda do que Dumbledore lhe disse no livro dois, “são nossas escolhas, Harry, que mostra o que realmente somos, muito mais que nossas habilidades.” James finalmente escolheu o caminho que o levou à sua completa e admirável maturidade.

Harry não é apenas o filho de James, mas também de Lily. No último livro, nas lembranças de Snape ouvimos Snape comentando, “Ele é seu pai totalmente de novo -” ao que Dumbledore responde, “fisicamente, talvez, mas em sua natureza profunda é muito mais como sua mãe.” Harry está mais focado na herança de seu pai, ignorando a contribuição de sua mãe, porque todos comentam sempre como ele é extraordinariamente parecido com seu pai. Também garotos costumam se identificar mais com o pai. Snape, com certeza teve muitos problemas para suportar a aparência física similar entre Harry e James, por mais ruim que tenha sido para Harry. O fato de parecer tanto com James pode explicar o comportamento de Sirius, uma vez que ele também identifica Harry com James, tratando o garoto como se fosse seu amigo perdido, tanto quanto Snape o considera como seu inimigo mortal. É aparente que Harry não consegue reconhecer que sua natureza gentil e consideração pelos outros com quinze anos, reflete Lily e não James.

É interessante notar que a expectativa de Harry, que James aos quinze anos deveria se comportar da mesma forma que Harry se comporta seria repetida. No último livro, Harry descobrirá que aos dezessete anos, a mesma idade de Harry agora, Dumbledore junto com Grindelwald, estiveram planejando conquistar o mundo dos Trouxas “para um bem maior”. Nesse ponto, Harry vai descobrir que seu outro herói, foi na juventude, alguém radicalmente diferente daquilo que ele se tornou depois. Mesmo aos dezessete, e com seu pai como exemplo antes dele, Harry não aceitará totalmente a máxima de Dumbledore, que as escolhas importam mais do que as habilidades. Talvez seja importante notar que a máxima de Dumbledore, seja recorrente de sua própria experiência.


Conexões[editar | editar código-fonte]

  • Vemos aqui o passo definitivo que resulta nos gêmeos abrindo sua loja. Parece que sua carreira é uma que estava sendo planejada desde o quarto ano de Harry, e veremos a atual loja de logros no próximo ano.
  • Em contraste com a demora da realização dos gêmeos e de seus bem definidos planos, nesse capitulo, Harry está aparentemente duvidoso sobre sua futura carreira, que está vagamente voltada para o escritório dos Aurores. Com a decisão tomada, vamos ver que os cursos de Harry são adequados para essa especialidade, embora não exatamente voltados para essa carreira. No futuro os cursos que ele escolher já serão mais bem definidos.