Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Ordem da Fênix/Capítulo 2

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Capítulo 2
Uma Revoada de Corujas[editar | editar código-fonte]

spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Harry está lutando para compreender o ataque dos Dementadores e a enigmática revelação de Mrs. Figg, de que ela é um Aborto e está há muito tempo em contato com Dumbledore. Harry tem sido observado por ela desde que foi deixado na porta dos Dursleys, e em especial neste verão, Mundungus Fletcher deveria estar em seu turno de observação, mas saiu cedo; o barulho de crack que Harry escutou foi Mundungus desaparatando. Enquanto eles lutam para arrastar Dudley para casa, Mundungus reaparece. Mrs. Figg lhe dá uma bronca antes de mandar que ele vá avisar a Dumbledore. Mrs. Figg e Harry alcançam a porta da frente da casa e Mrs. Figg vai esperar as ordens de Dumbledore, deixando Harry enfrentar os Dursleys sozinho.

Enquanto Vernon e Petunia reclamam com ele sobre Dudley, chega uma carta pelo correio coruja, do Ministério da Magia, expulsando Harry de Hogwarts, e avisando que ele deve aguardar a chegada do representante do Ministério, que vai quebrar sua varinha. Harry decide que sua única opção é se tornar um fugitivo, mas antes que possa passar pelo tio Vernon, chega outra coruja vinda de Mr. Weasley, avisando que ele fique na casa enquanto Dumbledore resolve as coisas. Harry aceita as instruções, tenta explicar o que aconteceu para a tia e o tio, insistindo em que os Dementadores é que atacaram Dudley. Quando tio Vernon pergunta o que são “Dementóides”, tia Petunia responde “eles são os guardas da prisão dos bruxos, Azkaban”. A revelação chocante de Petunia espanta a todos, inclusive a ela mesma. Enqunto Harry responde perguntas sobre o mundo mágico, chegam mais corujas. A coruja do Ministério da Magia chega, revogando sua expulsão. O destino de Harry agora, depende de uma audiência marcada para “9 horas do dia 12 de agosto”. Outra coruja vem de seu padrinho, Sirius Black, dizendo para Harry não sair da casa.


Depois de ouvir que Lord Voldemort voltou, tio Vernon, reconhecendo o perigo de manter Harry em casa, manda que ele vá embora. No entanto, um Berrador chega, de surpresa, para Petunia Dursley. Uma voz ameaçadora ecoa: “Lembre da última, Petunia!” Ela rapidamente passa por cima das ordens do marido, e insiste em que Harry permaneça na casa.


Análise[editar | editar código-fonte]

Até mesmo o leitor casual vai ter muitas perguntas depois desse capitulo. A maior das não respondidas é: Como Petunia sabe sobre os Dementadores, e já que sabe isso, o que mais ela sabe sobre o mundo mágico que nunca dividiu com ninguém? Certamente quem mandou o Berrador sabe muito bem o que está acontecendo na casa, porque conhece as reações de Vernon e Petunia. A pessoa tem algum poder sobre Petunia, considerando como ela mudou sua atitude depois de ouvir o Berrador; quem seria essa pessoa? As respostas só teremos bem mais tarde na série.

A explicação de Petunia sobre os Dementadores e Azkaban, não choca apenas sua família, mas mostra que ela sabe muito mais sobre o mundo mágico do que se pode imaginar. Sua própria reação à sua explosão, parece indicar que ela escondeu esse conhecimento até mesmo dela própria. Baseado nisso, Harry chega a conclusão que Dumbledore mandou o Berrador; até mesmo pelo desejo de ter uma comunicação com Dumbledore, que ele não teve durante todo verão.

No entanto, se o Berrador foi de Dumbledore, significa que ele e Petunia tiveram mais contato do que foi anteriormente revelado: “Lembre-se da última!”o que significa que houve mais de uma comunicação entre os dois, e a carta deixada com Harry, no inicio da série, no primeiro livro, era a única mensagem que sabíamos que Dumbledore havia mandado para Petunia. (Repare que Dumbledore disse no segundo livro, que iria escrever para as famílias de Harry e de Ron por causa do episódio do carro voador. Mais tarde imaginamos que essa não foi a “última” ao que o Berrador se refere. Assim levantamos a questão: por que Petunia, e não Vernon, como chefe da casa precisaria dessa informação? A resposta só virá bem mais tarde na série.

Que Harry seja expulso da escola e tenha sua varinha quebrada, sem um julgamento oficial e por causa de um problema menor, indicam que o Ministério da Magia deve ter algum outro motivo, para agir tão rápido contra ele. Obviamente, outros, (incluindo Dumbledore) intervieram em seu favor, e uma audiência foi marcada de modo que Harry possa se defender. Como sempre acontece com Harry, sua primeira reação à uma situação difícil, é fugir e se isolar, ao invés de tentar achar uma solução ou procurar ajuda de outras pessoas. Felizmente, a coruja enviada por Arthur Weasley chegou primeiro. Achamos que a resposta de Arthur foi instintiva, para ter certeza de que Harry fique onde possa ser encontrado, e afirmando que estão tomando providencias; ou talvez porque Arthur já percebeu a tendencia de Harry de fugir desse tipo de problema.

Ainda que Harry esteja protegido de Voldemort com a magia criada pela morte de sua mãe, Dumbledore também lançou feitiços protetores adicionais sobre a casa como precaução extra; isso é um dos motivos porque Arthur mandou que ele ficasse na casa. Também, Arabella Figg, um Aborto, aparentemente tem estado olhando por Harry desde que ele foi deixado nos Dursleys. Ela explica que seu comportamento um tanto frio com ele foi porque, se sua tia e seu tio suspeitassem que ela era amiga, ela nunca mais poderia tomar conta dele. Sem dúvida há outros que cuidam de Harry sempre que ele está nos Dursleys.

A colocação de Petunia dizendo que é importante manter Harry na casa, para manter as aparências, é claro que faz parte de seu caráter. A família Dursley precisa manter as aparências isso ponto importante no comportamento deles, e provavelmente foi a única coisa em que ela pensou para evitar que Vernon colocasse Harry na rua. Por razões que serão reveladas mais tarde, o leitor deve tomar nota especialmente da primeira afirmação de Mrs Figg nesse capítulo.


Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Quem ou o que são Abortos?
  2. Como Petunia sabia sobre os Dementadores e a prisão de Azkaban?
  3. Por que tio Vernon mandou Harry sair da casa? Quem passa por cima da ordem dele e por que?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que o Ministério da Magia queria quebrar a varinha de Harry e expulsá-lo de Hogwarts sem um julgamento oficial?
  2. Quem mandou o Berrador para Petunia?O que a mensagem dizia e o que significa?
  3. Por que Petunia reagiu de maneira tão forte ao Berrador?
  4. Como Petunia sabe tanto sobre o mundo mágico, quando, todos esses anos ela dizia nada saber? O mais será que ela sabe?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


Dumbledore comenta mais tarde, no livro, que o Berrador foi, como Harry imaginou enviado por ele. Isso, junto com os comentários que Dumbledore faz no livro seis indicam que ele fica atento à casa dos Dursleys, muito mais do que, até então poderíamos imaginar. A revelação de Mrs. Figg de que a casa estava sendo observada, por instruções de Dumbledore, está de acordo com o conhecimento que ele tem dos Dursleys, mas o tipo de observação de Mrs. Figg não inclui detalhes suficientes para que Dumbledores soubesse que precisava mandar um Berrador no exato momento. É interessante que o Berrador de Dumbledore diz “Lembre-se da última!” ao invés de “Lembre-se da minha carta!” A implicação aqui é que devem ter havido mais cartas do que essa última que vimos, deixada com Harry na porta da casa, no início da série.

Só no final do último livro da série é que descobrimos que Dumbledore escreveu para Petunia, recusando sua entrada em Hogwarts. Descobrimos também que muito que Petunia sabe sobre o mundo mágico, na verdade, ela aprendeu não com o pai de Harry, como imaginávamos, quando ela diz “aquele garoto horrível”, e sim com Severus Snape, que a essa altura, contava para Lily, a irmã de Petunia e mais tarde mãe de Harry, o que esperar do mundo mágico. Em retrospecto, isso faz sentido: vamos descobrir que Lily rejeitou James Potter até o final do quinto ano, portanto não esteve com ele até, pelo menos, seu sexto ano. Nessa altura, Petunia sem dúvida já tinha feito o possível para se afastar de Lily e de suas habilidades mágicas, e não falaria com James em nenhuma ocasião.


Conexões[editar | editar código-fonte]

  • As cartas do Ministério são assinadas por uma Mafalda Hopkirk.

Ms. Hopkirk também assinou a carta que foi enviada a Harry no segundo livro, depois que Dobby usou um feitiço. No último livro, Ms Hopkirk aparece como uma funcionária do Ministério que o Trio domina para poder entrar no Ministério.

  • Essa é praticamente a última vez que ouvimos falar de Mrs. Figg, que tem sido uma presença discreta durante todos os livros anteriores. Vamos vê-la mais uma vez, quando ela é chamada para depor na audiência de Harry, no Ministério.