Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Câmara Secreta/Capítulo 5

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O verão acaba logo e já é hora de retornar à Hogwarts. Depois de diversas tentativas de dar a partida, está tudo colocado dentro do carro de Mr. Weasley, o Ford Anglia voador. Mr. Weasley aparentemente enfeitiçou o carro, de modo que todo mundo cabe dentro dele com facilidade. No entanto, Mrs. Weasley parece achar normal que os veículos dos Trouxas sejam assim tão grandes por dentro. Com a confusão para ligar o carro, quando eles chegam à Estação King´s Cross, está em cima da hora do Expresso de Hogwarts partir. Todos exceto Harry e Ron na plataforma. Alguma coisa está bloqueando a passagem. O relógio bate 11:00 horas e o trem parte, deixando Harry e Ron na estação.

Harry sugere esperar no carro, mas Ron está preocupado achando que seus pais não vão poder voltar. Em pânico, Ron sugere que eles voem até Hogwarts no carro. E eles levantam vôo, pairando acima das nuvens, baixando um pouco de altitude, de vez em quando eles conseguem ver onde está o Expresso de Hogwarts. O vôo é tranqüilo até que eles chegam à escola. Na aproximação final, o carro desliga e bate com força no Salgueiro Lutador, com o impacto a varinha de Ron se quebra.

A poderosa árvore parece tomar vida e bate com violência no carro. O Ford arrebentado se solta da árvore e aterrissa no chão, jogando Harry, Ron e toda bagagem longe, antes de partir loucamente em direção a Floresta Proibida.

Olhando através de uma janela para o Grande Salão, Harry e Ron podem ver que a cerimônia do Chapéu Seletor está acontecendo. Eles não conseguem avistar o Professor Snape na mesa dos professores e ficam imaginando porque ele não está presente, e descobrem que ele está de pé atrás deles.

Em sua sala, Snape exige uma explicação e quer saber aonde está o carro; o Profeta da Tarde, noticiou que diversos Trouxas avistaram um carro voador. Snape chama a Professora McGonagall, que pergunta por que eles não mandaram uma coruja. Harry admite que nem sequer pensou nisso. O Professor Dumbledore entra, e ouvindo a história diz que irá escrever aos pais deles, mas Ron e Harry não serão expulsos. A Chefe da Casa deles, Professora McGonagall, é quem vai determinar o castigo. Depois que Snape e Dumbledore saem, a Professora McGonagall avisa do castigo mas não tira nenhum ponto da Casa. Ela também menciona que Ginny foi escolhida na Gryffindor. Os garotos ganham sanduíches antes de ir para o dormitório.

Hermione os encontra do lado de fora do retrato da Mulher Gorda e lhes diz a senha ("wattlebird"). Hermione está chateada com o que eles fizeram, assim como Ron e Harry, mas quando eles entram na Sala Comunal são aplaudidos pela sua coragem de dirigir um carro voador e bater no Salgueiro Lutador.

Análise[editar | editar código-fonte]

Algo ou alguém tentou impedir Harry de chegar até o Expresso de Hogwarts. Isso pode estar ligado ao aviso anterior de Dobby, que Harry não deveria voltar para Hogwarts, mas não há provas disso. No entanto, Harry está começando a ligar as pistas,

A reação de Harry e Ron a esse incidente, mostra como eles são imaturos e têm um pensamento ilógico e linear. Ao invés de esperar no carro ou voltar para a Toca para ver se Mr. e Mrs. Weasley voltavam, Ron entrou em pânico e deu a idéia de ir voando direto para Hogwarts. Harry simplesmente acompanhou esse plano maluco, não tendo nenhuma idéia do que eles deveriam fazer.

O incidente com o Salgueiro Lutador afetou Harry e Ron de maneiras diferentes. Infelizmente para Ron, além do castigo, sua varinha foi quebrada. É complicado escolher uma varinha nova, além do mais elas são caras. Ron provavelmente já está bem complicado por usar e destruir o carro de seu pai, então não vai querer admitir que também quebrou sua varinha. Se efetivamente uma varinha quebrada pode fazer magia, não se sabe. No entanto, quando Hagrid foi expulso, sua varinha foi partida em duas, como está explicado em A Pedra Filosofal capitulo 5, os pedaços estão escondidos dentro do guarda-chuva e parece que são perfeitamente capazes de lançar feitiços. Ainda não se sabe como vai ser com a varinha de Ron, no entanto, ele vai ter que consertá-la por enquanto e fazer o melhor possível com a varinha quebrada.

Harry também tomou castigo, embora fosse um participante passivo da aventura. Para ele, o incidente chamou mais atenção (que ele não gosta) e resultou na fria desaprovação de Hermione, enquanto os outros Gryffindors ficaram encantados e divertidos com o que eles consideraram uma brincadeira preparada para fazer uma entrada triunfal. Ao invés de aproveitar a aprovação entusiástica dos membros de sua Casa, Harry se sentiu muito humilhado.

Snape, no entanto, deseja ardentemente que Harry vá embora, e ele espera que McGonagall ou Dumbledore decidam expulsá-lo, junto com Ron. Assim, Snape fica desapontado quando Dumbledore pede que ele deixe os meninos sozinhos com McGonagall; Snape obviamente queria observar e provavelmente participar do castigo de Harry. McGonagall, embora muito zangada e séria, queria ser mais boazinha. Ela com certeza sabia que Ron seria castigado por seus pais e, portanto, deu um castigo mais leve. Isso tornou o castigo de Harry também bem mais leve.

Dois objetos a principio inanimados, têm um papel importante nesse capítulo. O Ford Anglia que, inicialmente parece ser apenas um veiculo que foi encantado para voar, provavelmente por Mr. Weasley. O carro, após jogar os meninos no chão, parece ser muito mais do que isso, arrancando na direção da Floresta Proibida como um animal selvagem que de repente se viu solto. Isso indica que talvez ele tenha ficado sensitivo, embora Mr. Weasley provavelmente nunca tenha desejado fazer isso. O Salgueiro Lutador também, obviamente, não é uma árvore comum. Ele reage violentamente quando o carro tromba com ele, tentando esmagar o carro e também Harry e Ron. Nenhuma explicação foi dada para esse comportamento da árvore, mas ele deve ter sido enfeitiçado de alguma maneira. É curioso que nenhum dos garotos sabia que essa árvore, plantada num lugar bem visível e acessível nos terrenos do Castelo, tinha essa capacidade e violência. Se ele é assim tão perigoso, por que os alunos não são avisados para manterem distância? Alguém deve imaginar por que esse tipo de árvore perigosa está ali afinal.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Em que tipo de árvore Harry e Ron batem?
  2. Ginny foi sorteada para qual Casa?
  3. Por que McGonagall dá a Harry e Ron um castigo tão leve, considerando a seriedade do que fizeram?


Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. O que ou quem tentou impedir Harry e Ron de passarem pela barreira da Estação King´s Cross? Quais seriam as possíveis razões para isso?
  2. Por que uma árvore atacou Ron e Harry?
  3. Por que uma árvore tão perigosa está plantada nos terrenos de Hogwarts? Com qual propósito? Quem será que a plantou?
  4. Como o carro se dirigiu sozinho para a Floresta Proibida? Por que ele foi para lá?
  5. Por que Ron voou direto para Hogwarts? A explicação que ele deu para McGonagall é aceitável? O que ele e Harry deveriam ter feito?
  6. Por que Hermione ficou zangada com Harry e Ron, enquanto os outros Gryffindors os aplaudiram? Quem está certo?


Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A varinha quebrada de Ron vai ser um elemento interessante na trama, uma vez que ela produz efeitos engraçados durante a história, finalmente o feitiço lançado por ela ricocheteia, fazendo com que um grande perigo se torne inofensivo para Ron e Harry. Ron ganha uma varinha nova depois que seu pai ganha um concurso, no início do livro seguinte.

Também, o Ford Anglia voador, que ganha vida sozinho, provavelmente por causa dos feitiços de Mr. Weasley, mais tarde vai ter um papel importante nesse livro, salvando Ron e Harry de uma colônia de Acromântulas. Ele não será mais visto depois disso, provavelmente deve estar correndo livre pela Floresta Proibida.

O Salgueiro Lutador também é parte importante da trama em O Prisioneiro de Azkaban, embora não haja nenhuma explicação para seu comportamento violento, até quase o final do livro. Ao contrário do carro voador, a árvore será vista novamente e vamos saber depois, que ela foi plantada sobre a entrada de um túnel que leva do terreno do castelo até a Casa dos Gritos, onde um aluno, Remus Lupin, um lobisomem, ficava preso a cada lua cheia. Esse túnel, que foi muito usado há uns trinta anos antes do inicio da série, e ele ainda é uma parte importante no terceiro livro e também é usado em As Relíquias da Morte, capítulo 32.

É interessante que Snape parece acreditar que Harry e Ron chegaram a Hogwarts usando o carro voador, apenas para chamar atenção. Veremos logo a seguir, que Gilderoy Lockhart partilha com ele essa crença sobre Harry. Com relação a Lockhart isso é muito compreensível, uma vez que seu principal interesse é a fama, mas não fica claro porque Snape acha isso; em quase todos os outros aspectos, Snape discorda e vai contra Lockhart o máximo possível.

Conexões[editar | editar código-fonte]

  • O Salgueiro Lutador, visto aqui pela primeira vez, será explicado em O Prisioneiro de Azkaban. O Salgueiro e a passagem que ele protege, vão aparecer novamente em As Relíquias da Morte, capítulo 32.
  • A maneira como as varinhas reagem quando estão quebradas, e como e de que maneira podem ser emendadas, é comentado através desse livro. Vemos um pouco sobre isso também, em A Pedra Filosofal, no caso da varinha de Hagrid ter sido quebrada e em As Relíquias da Morte, quando a varinha de Harry é quase destruída.