Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Câmara Secreta/Capítulo 16

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Com a segurança maior a cada dia, escapar até o banheiro da Murta vai ser difícil, mas Harry e Ron precisam falar com ela, para descobrir se o que acham está correto. A Professora McGonagall lembra aos alunos que os exames vão começar na próxima semana, o que aparentemente pega a todos de surpresa. Considerando que a situação na escola está séria, parecia improvável que marcassem os exames.

Três dias mais tarde, todos ficam sabendo que as Mandrágoras estão prontas para serem colhidas, e as vitimas petrificadas serão revividas essa noite. Ginny, que parece muito agitada, aparentemente tem algo para falar com Harry e Ron, mas Percy chega, depois de acabar a ronda noturna e interrompe, fazendo com que a menina saia correndo. Ron fica zangado, porque acha que Ginny queria dizer algo sobre a Câmara Secreta, mas Percy afirma que não tinha nada a ver com a Câmara, e impede que façam outras perguntas.

Embora o mistério possa ser resolvido quando Hermione reviver, Harry ainda quer ver a Murta Que Geme. Uma oportunidade se apresenta essa manhã, quando o Professor Lockhart acompanha os alunos de História da Magia até a sala de aula, Harry e Ron sugerem que não há necessidade de acompanhá-los mais, porque Hagrid foi preso. Lockhart concorda e sai para tirar um cochilo. Harry e Ron correm para o banheiro da Murta, mas a Professora McGonagall os faz parar. Harry inventa que eles estavam pretendendo visitar Hermione na enfermaria. Sensibilizada com a preocupação dos garotos, McGonagall os deixa ir, mas isso os obriga a ir para a enfermaria. Na enfermaria, eles encontram uma página arrancada de algum livro, amassada, na mão petrificada de Hermione. Nessa página está descrito um monstro chamado Basilisco. O Basilisco mata com o olhar, mas ninguém morreu porque não estavam olhando diretamente para ele. Mrs. Norris viu seu reflexo na água do chão, Colin Creevey estava olhando através de sua câmera, Justin o viu através de Nick Quase Sem Cabeça, e claro, Hermione tinha seu espelho. Isso explica duas coisas, as aranhas fugindo e os galos mortos (capitulo 11); as aranhas temem o Basilisco e o canto do galo é fatal para ele. Portanto quem controla o Basilisco deve ter matado os galos. Harry ouve a voz porque ele é ofidioglota; o Basilisco é uma cobra. Hermione desconfiou que ele estivesse passando pelas paredes e pelo teto, usando os encanamentos; a página amassada em sua mão tinha a palavra “Canos” escrita na margem. Ron logo desconfia que, se a Murta foi vitima do Basilisco há cinqüenta anos atrás, a entrada da Câmara deve ser no banheiro dela. Harry e Ron correm para a sala dos professores para contar à Professora McGonagall o que descobriram, mas encontram a sala vazia. Eles ouvem um aviso determinando que, todos os alunos devem se dirigir às suas Casas e pedindo para que todos os professores se encontrem na sala dos professores. Harry e Ron se escondem para poder ouvir o que aconteceu. Os professores chegam, e McGonagall dá a noticia de que Ginny Weasley foi levada para a Câmara. Lockhart chega atrasado e após contarem a notícia a ele, os outros professores o desafiam a abrir a Câmara e derrotar o monstro, como as façanhas que conta em seus livros. Ele se desculpa e corre para seu escritório para se “preparar”. Depois que se livram dele, os professores restantes, planejam como informar aos alunos e discutir o futuro da escola.

Harry e Ron correm para o escritório de Lockhart, para contar a ele o que descobriram, mas o encontram empacotando suas coisas cheio de pressa. Ele confessa que nunca realizou as façanhas relatadas em seus livros. Ao contrário, ele se apropriou das proezas feitas por outros bruxos e bruxas, e apagou a memória deles com um feitiço. Ele ameaça Harry e Ron com o feitiço de memória, mas Harry o desarma, e Ron joga a varinha dele pela janela. Eles obrigam Lockhart a ir até o banheiro da Murta.

A Murta revela que, quando era estudante, ela foi ao banheiro dar uma choradinha. Ouvindo a voz de um garoto, ela olhou para fora do cubículo e viu um enorme olho amarelo; e então ela morreu. Ela aponta para uma determinada pia. Harry fala para a pia na língua das cobras, ela se abre e revela um cano largo o bastante para passar uma pessoa. Ron e Harry empurram Lockhart para dentro primeiro e depois vão atrás. No final do cano eles descobrem uma pele de cobra imensa no chão. Lockhart finge desmaiar, e quando Ron se aproxima ele agarra a varinha de Ron. Lockhart diz que vai contar a todos que derrotou o monstro, usando a pele de cobra como prova, e que Harry e Ron ficaram loucos ao ver o cadáver de Ginny. Ele lança um feitiço de memória, mas a varinha quebrada de Ron ricocheteia e explode, apagando a memória de Lockhart e causando o desabamento do teto.

Harry e Ron não se machucam mas, os destroços os separam. Harry deixa Ron tentando limpar o entulho enquanto explora o túnel mais à frente. Encontrando uma porta entalhada com serpentes brilhantes, ele abre essa porta ao falar em língua de cobras.

Análise[editar | editar código-fonte]

Durante toda a série, Harry consegue ser bem sucedido porque conta com a ajuda dos amigos e aliados: ele é a soma de muitas partes. Com a ajuda dos amigos, o mistério fica quase resolvido e as peças do quebra cabeças vão para seus lugares. Hermione, graças à sua pesquisa incansável, reunindo informações, e pacientemente procurando entender o significado de tudo o que aprende, descobriu que tipo de monstro é e como ele passeia dentro da escola. Foi por pura sorte que ela ainda estava agarrada na página arrancada do livro, quando foi petrificada, permitindo assim que Ron e Harry encontrassem a informação.

A inabalável lealdade de Ron e seu conhecimento de magia também sempre ajudaram Harry. Hagrid foi outro, que conseguiu uma pista através de Aragogue, enquanto a Murta deu valiosas informações quando Harry e Ron descobriram que foi ela a menina morta há cinqüenta anos atrás. Ainda não se sabe quem é o Herdeiro de Slytherin, através do túnel que Harry está percorrendo e prestes a entrar, com certeza vai levá-lo à resposta.

A habilidade que Harry tem de dissimular, talvez seja parte do motivo que o Chapéu Seletor teve para querer colocá-lo na Slytherin, e é vista nesse capitulo, quando ele engana a Professora McGonagall, para manter seus planos em segredo. No entanto ele não usa essa habilidade com freqüência, ao contrário, ele a usa por impulso ou quando é muito necessário.

Também, quando um mistério é resolvido, outro aparece: Ginny. Ao contrário dos alvos do monstro, que aparentemente eram nascidos Trouxas, ela é sangue puro. Por que então ela foi levada para a Câmara? Será que Neville está certo quando diz que alguns sangue puro também estão marcados? No entanto, ao invés de se tornar outra vítima petrificada, ela parece ter um papel importante nessa trama diabólica, a julgar pelo comportamento estranho de Ginny e sua tentativa urgente de revelar algo importante a Harry e Ron. Qual é o papel que ela vai desempenhar é algo que permanece desconhecido, mas já se pode supor que ela é uma marionete inocente nas mãos de alguém. Pode ser que essa pessoa quisesse usar alguém de sangue puro para executar seu plano, e ache que Ginny pode ser “descartada” quando não tiver mais utilidade.

Lockhart finalmente é desmascarado como a fraude que sempre acreditamos que ele era, e as façanhas que ele conta em seus livros foram feitas por outros bruxos e bruxas. Depois de roubar suas histórias, ele conta que alterou as memórias deles. Ele é muito fraco em magia, exceto em feitiços de memória, e Harry o desarma com facilidade, assim como Snape fez no capitulo 11 desse livro.

Lockhart é insignificante para os outros bruxos; ele não é estimado por nenhum professor de Hogwarts, portanto, é completamente possível que, aqueles de quem ele roubou as histórias, tenham lhe dado informações erradas, de propósito. Assim fica explicada sua confiança no feitiço ineficaz para banir os diabretes, que vimos na primeira aula dele de DCAT. Fica muito claro que ele jamais tentou fazer isso antes, ele apenas tomou “emprestado” de um bruxo mais eficiente.

Vista essa revelação, é interessante reexaminar a técnica que os meninos Weasleys usaram para desgnomizar o jardim, no capitulo 3. Nunca foi dito explícitamente que essa técnica estava no livro de Lockhart, Guia para Pestes Domésticas, mas imaginamos que essa tenha sido a fonte. Essa técnica é totalmente ineficaz. Não é possível que Lockhart tivesse capacidade para publicar um livro sobre pestes domésticas sob seu próprio nome, a menos que ele já fosse famoso por seus escritos. Sendo assim, podemos deduzir que muitos de seus trabalhos anteriores venderam bem nas livrarias mágicas. Bruxos mais competentes teriam percebido a essa altura, lendo seus livros, que suas histórias eram duvidosas, então, quando Lockhart estava fazendo sua ”pesquisa” consultou um profissional treinado em remoção de pestes domésticas, e este lhe deu informações erradas de propósito. É uma pena que o bruxo que lhe deu as informações erradas tenha tido sua memória modificada, porque isso impediu que ele pudesse apreciar a brincadeira que fez com Lockhart.

Isso é um comentário particular sobre a natureza da fama e de todos aqueles que a buscam. Lockhart, que segundo a autora, foi baseado numa pessoa real, was modeled on a real person, está disposto a sacrificar qualquer um e qualquer coisa para manter seu sucesso. Harry que, como disse Hagrid no capitulo 7, é muito mais famoso do que Lockhart um dia poderia vir a ser, não está nem um pouco interessado na fama que caiu sobre sua cabeça; durante a série ele tenta, na maior parte das vezes sem sucesso, fugir dos holofotes. Lockhart, em contraste com Harry, que permanece um personagem sério e simpático a despeito de sua fama, é uma concha oca e brilhante, e o leitor fica muito feliz ao vê-lo atingido pelo seu próprio feitiço.

Conforme eles se aproximam da Câmara, a varinha quebrada de Ron finalmente faz uma coisa muito boa, quando Lockhart a agarra e, sem se importar se Ginny está viva ou morta, tenta apagar a memória de Harry e Ron, ela ricocheteia e lança o feitiço da memória (obliviate) direto em cima dele, causando uma pequena explosão. Isso já havia acontecido com a varinha de Ron, quando ele tenta enfeitiçar Draco no capitulo 7 e o feitiço se volta contra ele mesmo. Esse feitiço invertido termina com os planos de Lockhart de afirmar que ele encontrara a Câmara e destruíra o monstro, mas o custo teria sido a vida de Ginny e a sanidade de Harry e Ron. Tendo sua memória apagada, ele recebeu o mesmo que deu aos outros bruxos – um castigo bem de acordo. No entanto, a explosão separou Harry e Ron. Agora, Harry tem que procurar por Ginny sozinho, sem a ajuda do amigo.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Harry e Ron precisam falar com a Murta Que Geme?
  2. Por que os galos estão sendo mortos? Nós sabemos o que ou quem está fazendo isso?
  3. Por que as aranhas estão fugindo do castelo?
  4. O que Lockhart faz quando os professores de Hogwarts o mandam salvar Ginny? Qual é a explicação para seus atos?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. O que será que Ginny queria dizer a Harry e Ron? Por que ela parece sempre tão nervosa?
  2. Por que Percy impede Ginny de falar com Harry e Ron?
  3. Por que Ginny, uma “sangue puro” foi sequestrada, quando a maioria das outras vítimas era nascida Trouxa?
  4. Por que os professores desafiam Lockhart a abrir a Câmara e lutar com o monstro?
  5. Como Hermione deduz que o monstro é um Basilisco? Siga os passos dela para descobrir e conte os fatos que ela encontrou.
  6. Por que Lockhart usa a varinha de Ron, sabendo que ela estava com defeito?
  7. A Professora McGonagall diz que as vítimas petrificadas serão curadas ainda essa tarde. Por que Harry e Ron não podem esperar para falar com a menina? O que eles fazem então, e não seria melhor se tivessem esperado?
  8. Como Lockhart conseguiria manter a farsa por mais tempo?

Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

O feitiço de memória que Lockhart sofreu (e que foi ele mesmo quem lançou) vai ser de longa duração, e quando voltamos a encontrá-lo, uns três anos depois, ele ainda não se recuperou. Isso já deveria ser esperado afinal; Lockhart pretendia que o feitiço que ele lançou sobre Ron tivesse um efeito duradouro, portanto quando ricocheteou e voltou para o próprio, já era de supor que seria permanente.

Ainda é cedo mas, as futuras ligações românticas dos personagens já podem ser vistas nesse capitulo. Ginny que tinha algo importante a contar para alguém, se aproxima de Harry ao invés de procurar os irmãos. No inicio da série, Ginny demonstra a clássica paixonite de estudante por Harry. Ela está sempre envergonhada e intimidada pela pessoa que adora (Harry) e mal consegue chegar perto dele. Agora Ginny procura Harry, o que indica que os sentimentos dela amadureceram e são mais profundos. A despeito dos caminhos diferentes em que eles seguem no decorrer da série, o relacionamento vai persistir até o final.

Vemos aqui também, a primeira pista das que o autor coloca progressivamente, do relacionamento entre Ron e Hermione. Mesmo estando nervoso com os ataques do monstro, Ron está muito mais preocupado com o fato de Hermione estar petrificada, mais do que com qualquer outra pessoa, exceto sua irmã Ginny. De acordo com seu temperamento, porém, Ron não vai conseguir reconhecer seus sentimentos durante muitos anos ainda.

Foi mencionado que Harry teve que falar para a pia, duas vezes para que ela abrisse; da primeira vez, Ron diz a ele que ele estava falando inglês. O fato de Harry não conseguir saber se está falando inglês ou língua de cobra, não é surpresa, ele não consegue diferenciar as duas línguas quando as ouve; ninguém mais consegue entender o Basilisco, porque para as pessoas comuns ele fala muito baixo, um sibilar indistinto, enquanto para Harry soa como uma fala comum. Isso é parte importante da trama do livro final.

Uma nota: em O Prisioneiro de Azkaban, Harry novamente entra num túnel desconhecido (rumo à Casa dos Gritos) seguindo um amigo (Ron) que foi levado contra a vontade, e tudo indica que vai dar num desastre, mas resulta em outro mistério revelado.

Conexões[editar | editar código-fonte]

  • A habilidade de Harry de falar com cobras é vista pela primeira vez em A Pedra Filosofal capitulo 2, e não há nenhuma menção, se Harry percebe que a cobra não está falando inglês. Nós percebemos a dificuldade de Harry de fazer diferença entre inglês e língua de cobra, nesse livro no capitulo 11. Essa é uma parte importante nesse livro, quando ele ouve a voz do monstro em diversos lugares, mas não percebe que o monstro não está falando inglês.Vamos ver essa confusão novamente nesse capitulo, quando Harry precisa falar a língua das cobras e encontra dificuldade em mudar de idioma, isso também será uma pequena trama no livro As Relíquias da Morte capitulo 17.
  • O veneno do Basilisco e as presas do Basilisco serão de grande utilidade para completar a longa série de missões dos livros. Descobrindo a existência da Câmara nesse livro, e aprendendo a senha, relativamente fácil em língua de cobra, Ron conseguirá abrir a Câmara e pegar algumas presas do Basilisco em As Relíquias da Morte capitulo 31.