Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Câmara Secreta/Capítulo 11

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Pela manhã o braço de Harry estava curado, e ele foi liberado da enfermaria. Ele encontra Ron e Hermione no banheiro da Murta Que Geme ainda preparando a Poção Polissuco. Harry conta a eles sobre a visita de Dobby; Ron comenta que se Dobby continuar tentando salvar a vida de Harry vai acabar matando o colega.

As novidades sobre a petrificação de Colin Creevey já haviam se espalhado e Ginny, que estuda na mesma sala de Colin está perturbada; há um animado comércio de talismãs e outros objetos supostamente protetores. Neville, embora seja sangue puro, acredita que é tão fraco em magia que isso faz dele um alvo e por isso compra vários talismãs.

Harry, Ron e Hermione decidem ficar na escola nas férias de Natal, depois de ouvirem que Draco também vai ficar. Mas a Poção Polissuco está longe de ficar pronta, e eles precisam invadir os depósitos secretos de Snape a procura de ingredientes. De maneira surpreendente, Hermione se oferece para roubá-los, caso Harry ou Ron causem alguma confusão para distrair a todos. Durante a aula seguinte de Poções, a um sinal de Hermione, Harry joga um dos fogos Filibusteiro dentro do caldeirão de Goyle, com a poção para fazer inchar, A poção de Goyle explodiu e respingou pela classe. Enquanto Snape administrava a poção para desinchar aos que foram atingidos, Hermione entrava de fininho no escritório de Snape e pegava a pele de Ararambóia e o chifre de Bicórnio. Hermione coloca os novos ingredientes na poção e avisa que vai ficar pronta em duas semanas.

Uma semana mais tarde, um aviso acabava de ser afixado na parede e já juntava gente em volta. Era sobre um Clube dos Duelos. Imaginando que poderia ser uma coisa útil, os três partem para o Grande Salão, mas encontram lá, o Professor Lockhart, que está apresentando o show ajudado pelo Professor Snape. Na primeira demonstração, o Professor Snape atira o Professor Lockhart do outro lado do salão usando o feitiço Expelliarmus. Lockhart então divide os alunos em pares; Harry fica junto com Malfoy, Ron com Seamus e Hermione com Millicent Bullstrode. A confusão se espalha: Malfoy enfeitiça Harry antes do sinal de começar, mas Harry responde; a varinha de Ron falha e erra o feitiço causando alguma coisa de mal a Seamus. Hermione e Millicent largaram suas varinhas e estavam lutando; Harry solta Hermione das mãos de Millicent. Lockhart sugere que apenas uma dupla suba no palco, e escolhe Neville e Justin Finch-Fletchley; Snape o atropela e chama Malfoy e Harry. Quando Malfoy conjura uma cobra que se arrasta na direção de Harry, Lockhart tenta eliminá-la e falha. Como ela está pronta para dar o bote em Justin, Harry grita para que ela deixe o menino em paz. Surpreendentemente, a cobra obedece. Justin foge do Grande Salão enquanto Snape destrói a cobra. Ron arrasta Harry para fora exclamando: “Eu não sabia que você era ofidioglota!” Um ofidioglota, Harry aprende, possui a rara habilidade de falar com as cobras, e Salazar Slytherin era famoso por isso e também é por isso que o símbolo da Casa Slytherin é uma serpente. Agora Harry fica imaginando se ele pode ser o Herdeiro de Slytherin.

No dia seguinte, Harry quer explicar tudo para Justin, mas Justin, acreditando que Harry é o Herdeiro de Slytherin, tratou de se esconder, com medo que Harry o petrificasse por ser nascido Trouxa. Ernie afirma que Harry estava falando a lingua das cobras e caçando a cobra na direção de Justin. Escutando isso, Harry vira as costas e dá um encontrão em Hagrid, que está a caminho do escritório de Dumbledore para informar que alguma coisa está matando seus galos.

Deixando Hagrid, Harry sobe as escadas e no corredor, cai por cima de um petrificado Justin Finch-Fletchley e fica olhando para um fumegante e aparentemente petrificado Nick Quase Sem Cabeça. As aranhas estão fugindo. Descobrindo Harry, Pirraça soa o alarme. A Professora McGonagall chega e manda que Ernie Macmillan leve Nick para a enfermaria enquanto o Professor Flitwick e a Professora Sinistra levam Justin. A Professora McGonagall acompanha Harry até o escritório do Professor Dumbledore's.

Análise[editar | editar código-fonte]

O Clube dos Duelos mostra que Gilderoy Lockhart continua a ser incapaz, ele não consegue bloquear um simples feitiço de Snape, controlar os duelos dos alunos ou eliminar a cobra que Draco conjurou. Agora, estamos nos perguntando se Gilderoy é um bruxo de verdade, ou apenas um sujeito muito bom em se promover. É curioso que Hermione ainda parece encantada com ele. Snape sabe bem que incapaz é Lockhart, claro, e Harry comenta que, se Snape olhasse para ele do modo que olhou para Lockhart, ele iria correr e se esconder.

Durante o Clube dos Duelos, a habilidade de Harry de falar com as cobras é revelada para toda a escola. Os leitores, no entanto, viram isso pela primeira vez quando Harry visitou o zoológico com os Dursleys no livro A Pedra Filosofal capitulo 2. Descobrimos aqui que essa é uma habilidade extremamente rara, ligada somente a Salazar Slytherin e seus descendentes. Uma vez que a escola teme que o Herdeiro de Slytherin esteja causando estragos, essa é uma grande preocupação. A prova de que há uma ligação entre Salazar Slytherin e Harry não poderia ser mais clara, e Harry, que pouco sabe a respeito de seus ancestrais, não consegue aceitar, nem para si mesmo, que ele pode ser o Herdeiro. O único fator atenuante é que Harry estava ausente durante as petrificações. Harry sabe disso mas não consegue provar.

Esse episódio todo faz com que Harry fique completamente confuso. O Chapéu Seletor tinha pensado em colocá-lo na Slytherin; Harry lembra perfeitamente, que a única razão pela qual o Chapéu não o colocou na Slytherin, foi porque ele pediu muito. É claro que o Chapéu percebeu a ligação com a Slytherin, que agora ficou evidente pela habilidade de Harry em falar a língua das cobras. Embora Harry ame a Gryffindor, será que ele foi colocado lá, mas não era o lugar certo? Essa incerteza, em maior ou menor grau, vai perseguir Harry até o final desse livro.

A posição antes inflexível de Hermione está mudando e vemos isso, quando ela assalta os armários de Snape. O desejo de Hermione quebrar regras, não é mais surpresa para os leitores, que já viram que ela está cada vez mais maleável entre o primeiro livro e esse. Isso, no entanto, ainda é um choque para Ron, que claramente continua a acreditar que Hermione é totalmente presa às regras, mesmo com tantas evidências em contrário.

O medo de Neville de se tornar um alvo, também pode ser justificado, embora ele seja um bruxo de sangue puro. A série de livros, cada vez mais acompanha a história da vida real, inclusive sobre os governantes totalitários, especialmente os alemães-nazistas. Mesmo dentro de sua própria sociedade, era prática comum afastar aqueles considerados “indesejáveis”, incluindo os idosos, enfermos, ou qualquer um com problemas físicos ou mentais, deixando apenas os mais fortes e mais saudáveis para transmitir seus genes “superiores” para a próxima geração. Se Voldemort algum dia recuperasse o poder, certamente que, além do “sangue estritamente puro’, ele só iria recrutar os mais fortes, mais brilhantes e os bruxos mais capazes magicamente, para sua nova ordem. Neville, e outros puro sangue “indignos”, poderiam se tornar vítimas desse tipo de regime.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Hermione precisou que Harry e Ron criassem uma confusão na aula de Snape? E deu certo?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Lockhart começou um Clube de Duelos? O que podemos falar do seu desempenho?
  2. Por que Harry ficou em dupla com Draco?
  3. Por que Ron pode duelar com uma varinha claramente quebrada?
  4. Como Harry pode não perceber que estava falando lingua de cobra?
  5. Neville está certo em achar que pode ser petrificado, mesmo sendo puro sangue? Explique.
  6. Como um fantasma pode ser petrificado?
  7. Por que Ginny fica tão nervosa ao saber que Colin foi petrificado?
  8. O que estará matando os galos de Hagrid e por que?
  9. Quais são as evidências pró e contra Harry ser descendente de Salazar Slytherin?
  10. Considere o que sabemos até aqui sobre as crenças de Salazar Slytherin e as de Voldemort. É possível que Voldemort possa ser o herdeiro de Slytherin?


Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Colin Creevey é o primeiro aluno a ser petrificado. O fato de ser colega de classe de Ginny é suficiente para que ela fique tão nervosa, mas, na verdade, ela está lentamente percebendo que pode ser a responsável. Além disso, ela não consegue lembrar o que estava fazendo quando tudo aconteceu e nem mesmo na ocasião anterior quando Mrs. Norris foi atacada. Não temos como saber isso nessa altura do livro; tudo o que sabemos é que Harry não estava presente em nenhuma das petrificações. O último ataque prova claramente sua inocência; mas isso não vai ficar assim.

O Professor Snape desarma o Professor Lockhart com o feitiço Expelliarmus. Não sabemos se Harry já havia aprendido esse feitiço antes, mas é a primeira vez que o vemos na série; pela sua demonstração, Snape pode sem querer, ter mostrado a Harry o feitiço mais importante de sua vida. O Feitiço de Desarmamento vai permitir a Harry derrotar Voldemort por duas vezes, uma vez no cemitério em Little Hangleton e, novamente no fim da Batalha de Hogwarts.

A luta entre Hermione e Millicent Bullstrode é muito útil para a trama, uma vez que é assim que ela pega o cabelo para usar na Poção Polissuco. Isso acaba se tornando um desastre para Hermione porque o cabelo não é de Millicent.

Harry observa novamente as aranhas fugindo do local onde o monstro da Câmara agiu pela última vez. Isso será uma pista muito importante para Hermione, que vai determinar que tipo de monstro é, mas não vai dar tempo de passar a informação para Harry e Ron. A morte dos galos de Hagrid também fazem parte do padrão.

Em As Relíquias da Morte capitulo 35, nós descobrimos que a habilidade de falar a língua das cobras, é devido à ligação com Slytherin; é uma ligação lateral, embora seja relacionada com o pedaço da alma de Voldemort que ficou agarrada em Harry e permanece com ele. Voldemort é, de fato, o ultimo herdeiro vivo de Slytherin, através do pai de sua mãe, Marvolo Gaunt. A autora confirmou numa entrevista posterior, que a habilidade de Harry em falar a língua das cobras desapareceu quando o pedaço da alma foi destruído, e ele não sentiu nenhuma falta desde então.

Mais tarde, Dumbledore acalma as dúvidas de Harry, mostrando que a espada que ele retirou do Chapéu Seletor, foi a Espada de Gryffindor.” Somente um verdadeiro Gryffindor poderia tê-la tirado do Chapéu.”


Dumbledore, com certeza sabe do pedaço da alma de Voldemort dentro de Harry, mas é uma coisa que ele acha que Harry não está preparado para saber ainda. Apenas no final do livro A Ordem da Fênix, capitulo 37 é que Dumbledore finalmente revela a profecia para Harry, que diz que ou ele ou Voldemort, um dos dois deve morrer. Dumbledore, no entanto, compreende que Harry terá que morrer para poder destruir o pedaço da alma que ele carrega; Dumbledore acredita, com certeza, corretamente, que com doze anos, Harry é muito novo para carregar um destino tão pesado. Dumbledore realmente, nunca revela a existência do pedaço de alma para Harry, ao invés disso ele passa essa obrigação para Snape antes de morrer. Ele cobra de Snape que esconda a existência disso até que Voldemort descubra que os Horcruxes estão sendo destruídos.


Conexões[editar | editar código-fonte]

  • No livro O Cálice de Fogo, capitulo 27, Snape percebe que uma certa quantidade de chifre de Bicórnio e pele de Ararambóia sumiram de seu armário particular, e ele sugere que Harry roubou. Harry não pode responder, porque ele sabe que foi Hermione quem roubou esses ingredientes dois anos antes. Mais tarde vamos saber em O Cálice de Fogo capitulo 35, que Barty Crouch Jr. esteve fazendo a Poção Polissuco para seu próprio disfarce. O roubo de que Snape está reclamando foi, de fato, uma atividade mais recente e não o que Hermione fez anteriormente.
  • Repare a confusão de Harry nesse capítulo; Harry diz à cobra para deixar Justin em paz, e fica confuso pela resposta do colega. Harry não consegue perceber que ele falou numa língua que podia ser qualquer coisa menos inglês, e não compreendeu que Justin não entendeu nada do que ele dizia para a cobra. A dificuldade de Harry para compreender a diferença entre inglês e língua de cobra (parseltongue) é o ponto chave desse livro, quando ele escuta a voz do monstro em diversos locais, mas não reconhece que o monstro não está falando inglês. A habilidade de Harry de falar com as cobras é vista pela primeira vez no livro A Pedra Filosofal capitulo 2, e não se sabe se Harry percebe que a cobra não está falando inglês. Essa confusão reaparece nesse livro no capitulo 16, quando Harry precisa falar a língua das cobras e acha dificuldade em mudar de idioma. Também isso volta a acontecer em As Relíquias da Morte capitulo 17.
  • O feitiço Expelliarmus apresentado, nesse capitulo, aos leitores e provavelmente também a Harry. O garoto descobre que esse é um feitiço extremamente útil, usando-o mais tarde para desarmar Malfoy e recuperar o diário de Riddle, e depois para desarmar Lockhart durante os capítulos finais do livro. Em O Prisioneiro de Azkaban, capitulo 19, Harry , Ron e Hermione vão usá-lo juntos, para desarmar Snape. Harry também usa o feitiço em Voldemort no livro O Cálice de Fogo capitulo 34, o que o permite fugir são e salvo; esse é o primeiro feitiço a ser ensinado à Armada de Dumbledore, no livro 5; vamos notar no livro 7, que esse se tornou o “feitiço assinatura” de Harry (sua marca registrada), e no final do livro será usado novamente para desarmar Voldemort.