Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/A Câmara Secreta/Capítulo 10

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Depois do episódio que foi praticamente um desastre (com os diabretes),agora o Professor Lockhart reconstitui as cenas de seus livros com uma ajuda bastante relutante. Hoje Harry é um lobisomem e seu papel é apenas ficar ao lado de Lockhart. Depois da aula, Hermione pede a Lockhart para assinar uma nota porque ela precisa de um livro da biblioteca, para estudar para um de seus trabalhos; ele assina rapidamente, depois se oferece para dar a Harry alguns conselhos de como ser um apanhador de Quadribol. Madam Pince (a bibliotecária) aceita relutante a nota assinada por Lockhart, e entrega a Hermione o livro “As Poções Mais Potentes”.

Logo depois, Hermione, Harry e Ron se reunem no banheiro da Murta, onde dificilmente serão incomodados. Hermione avisa que vai precisar de pele de Ararambóia e chifre de Bicórnio para a poção, ingredientes que não existem no armário de suprimentos dos alunos. A poção vai demorar por volta de um mês para ficar pronta, e Hermione, surpreendentemente, não só está se arriscando como também convencendo Harry e Ron a fazê-lo.

Logo antes do jogo contra a Slytherin começar, Wood assegura ao time, que eles podem ganhar da Slytherin mesmo com eles tendo as vassouras mais rápidas. Ele diz a Harry para fazer tudo o que puder para agarrar o Pomo. Já com o jogo em andamento, um Balaço errante imediatamente faz de Harry o alvo. A despeito dos maiores esforços de Fred e George para bloqueá-lo, o Balaço parece determinado a derrubar Harry da vassoura; enquanto o time todo é atacado pelo time da Slytherin, Harry diz a Fred e George para se concentrarem apenas no jogo, que ele consegue lidar com o Balaço. Malfoy, enquanto isso está tão ligado em zombar dos esforços frenéticos de Harry para fugir do balaço, que não vê o Pomo justo acima de sua cabeça. Harry o vê e parte para cima dele, mas quando ele alcança o Pomo dourado, o Balaço errante acerta em seu braço, quebrando-o. Harry agarra o Pomo com a outra mão, aterrissando com força no chão, intacto, depois desmaia. Ele recupera a consciência e vê Lockhart de pé olhando para ele. Prontamente Lockhart lança um “feitiço para emendar os ossos”, mas ao invés disso, ele remove todos os ossos do braço de Harry.

Na enfermaria, Madam Pomfrey fica furiosa; ela pode emendar os ossos facilmente, mas fazê-los crescer será um trabalho doloroso e longo. O time da Gryffindor chega para celebrar a vitória sobre a Slytherin mas Madam Pomfrey os manda embora bem rápido.

Mais tarde, na mesma noite, Harry é acordado por Dobby que passava uma esponja em sua testa. Dobby admite que fechou a barreira na Plataforma 9 e meio na Estação de King´s Cross, para impedir que Harry voltasse a escola, e também lançou um encanto no Balaço, esperando que Harry se machucasse o suficiente para ser mandado de volta para casa. Ele explica que um elfo doméstico só pode ser liberto caso seu Mestre lhe dê roupas, é por isso que ele usa uma fronha em farrapos. Ele também menciona que a Câmara Secreta já foi aberta antes, embora fique se castigando por ter revelado algo que não devia. Ouvindo um barulho, ele desaparece. O Professor Dumbledore e a Professora McGonagall entram trazendo um Colin Creevey petrificado. A máquina de fotografia de Colin está completamente derretida por dentro; Dumbledore diz que isso prova que a Câmara está aberta outra vez, mas a pergunta principal não é “Quem” e sim “Como?”

Análise[editar | editar código-fonte]

A incapacidade de Lockhart de fazer magia, está cada vez mais evidente. Agora, ao invés de ensinar os feitiços de defesa pessoal, Lockhart apenas reconstitui as cenas de seus livros, procurando evitar outro incidente como ocorreu com os Diabretes da Cornualha (capitulo 6). E ainda por cima ele é adepto da magia de cura, a tentativa de curar o braço de Harry teve como resultado uma lesão muito pior.

Ainda não se compreende como Hermione, tão lógica, pode rejeitar a sugestão de que Lockhart é incompetente. Na verdade, depois de Ron perguntar que tipo de professor seria tolo o suficiente para entregar a um aluno da segunda série, uma permissão para apanhar um livro da estante de Livros Restritos, que Hermione escolhe Lockhart para conseguir a permissão. É possível que apesar de sua admiração, ela agora consiga ver que ele não é tão brilhante como afirma? Será que ela acha que seria mais fácil enganar um professor novato, ao invés de um mais antigo em Hogwarts? Ou simplesmente, sabendo da vaidade dele, ela decide usar isso para conseguir o que deseja, embora mantenha alguma crença na competência do professor?

O balaço errante, inicialmente parece confirmar os avisos de Dobby, de que Harry corre perigo. Somente depois do jogo se descobre que foi o próprio Dobby quem enfeitiçou o Balaço, na esperança de convencer Harry a ir embora de Hogwarts; Dobby sabe que a Câmara foi aberta recentemente e que a vida de Harry está em perigo. Suas tentativas atrapalhadas de manter Harry longe de Hogwarts podem ser risíveis e infantis. Primeiro Dobby tentou fazer Harry acreditar que seus amigos não ligavam mais para ele, interceptando sua correspondência. Quando isso falhou, ele criou uma confusão absurda na casa dos Dursleys, embora nunca tivesse imaginado como terminaria: a coruja do Ministério da Magia e tio Vernon trancando Harry no quarto, e Ron e os gêmeos vindo resgatar Harry. Dobby bloqueando a barreira da plataforma da estação de trem também falhou, quando Harry e Ron pegaram o carro voador e foram para Hogwarts, e agora, sua última tentativa de machucar Harry o bastante para mandá-lo para casa também falhou. Todas essas tentativas parecem mal planejadas e executadas. Será que Dobby acha que os cuidados médicos dos Trouxas são melhores do que o tratamento em Hogwarts? Ou ele acha que tio Vernon e tia Petunia possuem alguma espécie de cura mágica em sua casa? Dobby parece não perceber que a casa de Harry não é seu lar, e que Hogwarts, não importa quão perigoso possa ser, é muito mais acolhedor do que a Rua dos Alfeneiros.

A partida de Quadribol é especialmente reveladora de outras maneiras. Aqui a Slytherin demonstra outra vez sua verdadeira natureza. Enquanto a Gryffindor treinou muito e duro para ganhar pelas suas habilidades e jogo limpo, a Slytherin se garante nas vassouras superiores que Lucius Malfoy deu para o time. Eles também usam o Balaço errante para tirar vantagem, marcando facilmente mais pontos enquanto a defesa da Gryffindor fica dividida entre se livrar tanto, do time da Slytherin como do balaço ameaçador que está atacando Harry. Qualquer outro time provavelmente teria pedido para parar a partida, até que o balaço errante fosse eliminado, e depois recomeçasse o jogo, mas Slytherin explora qualquer oportunidade. Draco, no entanto, ao invés de focar no trabalho como membro do time e ajudar sua Casa a vencer, ele fica apenas preocupado consigo mesmo e em zombar de Harry enquanto o balaço caça o garoto pelo campo, que não percebe o Pomo planando próximo à sua cabeça. Suspeitamos que o capitão do time da Slytherin deve ter sido duro com Draco, porque Harry ganhou o jogo devido à desatenção dele.

Embora tenha sido colocada bem no final do capitulo, numa posição importante, ficou fácil de deixar passar a afirmação de Dumbledore, que a questão mais importante sobre a reabertura da Câmara Secreta não é “Quem” e sim “Como”. Isso pode indicar para o leitor atento, que Dumbledore sabe a identidade do Herdeiro de Slytherin e só está imaginando de que maneira ele conseguiu reabrir a Câmara.

Perguntas[editar | editar código-fonte]

Revisão[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Hermione escolhe aquele banheiro em especial para preparar a Poção Polissuco?
  2. Por que Lockhart escolhe Harry para participar de suas demonstrações na classe?
  3. Conhecendo Lockhart como já conhecemos, por que ele insiste em “consertar” o braço quebrado de Harry?
  4. Quem enfeitiçou o Balaço para atacar Harry, e por que?

Estudos Adicionais[editar | editar código-fonte]

  1. Por que Hermione escolheu o Professor Lockhart para assinar a permissão para apanhar um livro restrito na biblioteca? Por que ele assinou?
  2. Por que Dobby diz a Harry que tem tentado de tudo para obrigá-lo a abandonar Hogwarts? Por que depois, ele se castiga por ter revelado isso?
  3. O que Dumbledore quer dizer com, não é importante saber “Quem” abriu a Câmara e sim “Como”?
  4. O que as atitudes do time da Slytherin dizem sobre a Casa Slytherin de modo geral?
  5. O que o desempenho de Draco como apanhador do time da Slytherin diz sobre ele?


Visão Completa[editar | editar código-fonte]

Spoiler[editar | editar código-fonte]

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Logo após afirmar que a Câmara Secreta foi aberta, Dumbledore comenta que a pergunta não é “Quem” e sim “Como”. Isso significa que Dumbledore não aceita a crença de que quem abriu a Câmara antes foi Hagrid, e que Tom Riddle o pegou no ato de abrir e o impediu. Se Dumbledore suspeita que Riddle abriu a Câmara há cinqüenta anos atrás, e acredita que ele a reabriu agora, talvez também tenha formulado teorias sobre os Horcruxes. Até que o Diário apareça, qualquer teoria seria algo a ser confirmado, embora que, algumas suspeitas vão ser reforçadas no próximo capítulo, quando será revelado que Harry é ofidioglota. Essa habilidade, extremamente rara de falar a língua das cobras é partilhada pela família de Voldemort, e Dumbledore adivinha corretamente que Harry não herdou essa habilidade de forma natural. Dumbledore, sem dúvida, lembra do ano anterior quando a sombra de Voldemort estava montada no Professor Quirrell, e pode estar imaginando se o Lorde das Trevas arranjou outra montaria, a despeito dos rumores que dizem que ele está na Albânia.

Parece que Dobby compreende melhor a verdadeira natureza do Diário do que Lucius Malfoy, que o enviou para a escola como uma arma. Vamos aprender que Hogwarts emprega muitas centenas de elfos domésticos, e a sociedade dos elfos domésticos certamente se comunica entre si. É possível que, mesmo que Dobby não saiba o que mora na Câmara Secreta, ele está pelo menos ciente de que Lucius forneceu os meios de reabri-la, cinqüenta anos depois da primeira abertura, quando um aluno morreu. Com certeza Dobby faz essas tentativas de impedir o retorno de Harry para Hogwarts, ou voltar para “casa” na Rua dos Alfeneiros, por temer pela vida dele.

Depois de revelar que tentou forçar Harry a deixar Hogwarts, e de ser rejeitado de maneira furiosa, Dobby não fará mais nenhuma tentativa. Dobby já sabe perfeitamente que tentar enganar Harry outra vez será em vão, ele será o primeiro suspeito e qualquer coisa que venha a fazer não vai funcionar.

Conexões[editar | editar código-fonte]

  • A poção que Madam Pomfrey prepara para fazer crescer os ossos do braço de Harry, “Esquelesce” aparece novamente em As Relíquias da Morte capitulo 24, onde é usada, aparentemente, como parte do tratamento de Grampo.