Guia do hacker/Tipos de conversão

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Guia do hacker
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Guia do hacker

Em programação, quando seu código está pronto para ser executado, você precisa salvá-lo e convertê-lo para um arquivo executável, certo? E essa conversão pode ser feita por ‪compilação‬ ou ‪interpretação‬.

Se o método de conversão‬ traduz todo o código do programa primeiro, para depois ser executado, dizemos que o código foi ‪‎compilado‬, e o software‬ que se responsabiliza por fazer isso é o ‪compilador‬.

Isso é útil pois o programa pode ser executado várias e várias vezes, sem precisar de uma nova compilação para cada execução, o que o torna mais versátil. ‪Exemplos de linguagens compiladas‬: C, C++, Pascal, Visual Basic, etc.

Porém, se o método de conversão executa o código na medida em que ele é executado, dizemos que o código foi interpretado, e o software que se responsabiliza por fazer isso é o ‪‎interpretador‬. Programas intrepretados geralmente são mais lentos do que os ‪compilados‬, mas são bem mais flexíveis, permitindo que eles rodem em várias plataformas. Por isso são chamados de script. ‪Exemplos de linguagens interpretadas‬: PHP, Pere, Python, javascript, etc.

Linguagens como C e C++ são compiladas estaticamente, e seus códigos fontes são tranformados directamente em linguagem de máquina. Enquanto as linguagens mais modernas como java‬, C#, e python‬ têm seus códigos fontes transformados em uma linguagem que será interpretada pela máquina virtual da linguagem quando o programa for executado.


Até ao próximo capítulo.