Guia do Linux/Iniciante+Intermediário/Manutenção do sistema/defrag

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

defrag[editar | editar código-fonte]

Permite desfragmentar uma unidade de disco. A fragmentação é o armazenamento de arquivos em áreas não sequenciais (uma parte é armazenada no começo a outra no final, etc), isto diminui o desempenho da unidade de disco porque a leitura deverá ser interrompida e feita a movimentação da cabeça para outra região do disco onde o arquivo continua, por este motivo discos fragmentados tendem a fazer um grande barulho na leitura e o desempenho menor.

A desfragmentação normalmente é desnecessária no GNU/Linux porque o sistema de arquivos ext2 procura automaticamente o melhor local para armazenar o arquivo. Mesmo assim, é recomendável desfragmentar um sistema de arquivos assim que sua taxa de fragmentação subir acima de 10%. A taxa de fragmentação pode ser vista através do fsck.ext2. Após o fsck.ext2 ser executado é mostrada a taxa de fragmentação seguida de non-contiguos.

A ferramenta de desfragmentação usada no GNU/Linux é o defrag que vem com os seguintes programas:

  • e2defrag - Desfragmenta sistemas de arquivos Ext2.
  • defrag - Desfragmenta sistemas de arquivos Minix.
  • xdefrag - Desfragmenta sistemas de arquivos Xia.

O sistema de arquivos deve estar desmontado ao fazer a desfragmentação. Se quiser desfragmentar o sistema de arquivos raí­z (/), você precisará inicializar através de um disquete e executar um dos programas de desfragmentação apropriado ao seu sistema de arquivos. A checagem individual de fragmentação em arquivos pode ser feita com o programa frag.

ATENÇÃO: Retire cópias de segurança de sua unidade antes de fazer a desfragmentação. Se por qualquer motivo o programa de desfragmentação não puder ser completado, você poderá perder dados!

e2defrag [opções] [dispositivo]

Onde:

dispositivo
Partição, arquivo, disquete que contém o sistema de arquivos que será desfragmentado.
-d
Debug - serão mostrados detalhes do funcionamento
-n
Não mostra o mapa do disco na desfragmentação. É útil quando você inicializa por disquetes e recebe a mensagem "Failed do open term Linux" ao tentar executar o e2defrag.
-r
Modo somente leitura. O defrag simulará sua execução no sistema de arquivos mas não fará nenhuma gravação. Esta opção permite que o defrag seja usado com sistema de arquivos montado.
-s
Cria um sumário da fragmentação do sistema de arquivos e performance do desfragmentador.
-v
Mostra detalhes durante a desfragmentação do sistema de arquivos. Caso mais de uma opção -v seja usada, o ní­vel de detalhes será maior.
-i [arquivo]
Permite definir uma lista de prioridades em que um arquivo será gravado no disco, com isto é possí­vel determinar se um arquivo será gravado no começo ou final da unidade de disco. Esta lista é lida do [arquivo] e deve conter uma lista de prioridades de -100 a 100 para cada inodo do sistema de arquivos. Arquivos com prioridade alta serão gravados no começo do disco.

Todos os inodos terão prioridade igual a zero caso a opção -i não seja usada ou o inodo não seja especificado no [arquivo]. O [arquivo] deverá conter uma série de linhas com um número (inodo) ou um número prefixado por um sinal de igual seguido da prioridade.

-p [numero]
Define o [numero] de buffers que serão usados pela ferramenta de desfragmentação na realocação de dados, quanto mais buffers mais eficiente será o processo de realocação. O número depende de quantidade memória RAM e Swap você possui. Por padrão 512 buffers são usados correspondendo a 512Kb de buffer (em um sistema de arquivos de blocos com 1Kb).

Exemplo: e2defrag -n -v /dev/hdb4, e2defrag -r /dev/hda1