Guia do Linux/Avançado/Apache/Sistema de Log do Apache

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Sistema de Log do Apache[editar | editar código-fonte]

O Apache é bem flexível na especificação do que será registrado em seus arquivos de log, possibilitando utilizar um arquivo de log único, diversos arquivos de logs registrando cada evento ocorrido no sistema (conexão, navegador, bloqueio de acesso, erros, etc) incluindo os campos que deseja em cada arquivo e a ordem dos campos em cada um deles. Enfim qualquer coisa pode ser especificada de forma que atenda as suas necessidades particulares de logging.

AgentLog[editar | editar código-fonte]

AgentLog arquivo/pipe: Indica o nome do arquivo que registrará o nome do navegador que está acessando a página (conteúdo do cabeçalho User-Agent). É possível usar o pipe "|" para direcionar os erros para um programa de formatação ou processamento. ATENÇÃO: Se um programa for usado como pipe, ele será executado sob o usuário que iniciou o apache. Revise o código fonte do programa para ter certeza que não contém falhas que possam comprometer a segurança de seu sistema. Exemplo: AgentLog /var/log/apache/agent.log

ErrorLog[editar | editar código-fonte]

ErrorLog arquivo/pipe - Especifica o arquivo que registrará as mensagens de erro do servidor Apache. É possível usar o pipe "|" para direcionar os erros para um programa de formatação ou processamento. Exemplo: ErrorLog /var/log/apache2/error.log

CustomLog[editar | editar código-fonte]

Permite especificar onde os logs serão gravados para os arquivos de logs personalizados. Esta diretiva também aceita apelidos definidos pela diretiva LogFormat. CustomLog [arquivo/pipe] [formato/nome] Onde:

  • arquivo/pipe
    Arquivo de log personalizado ou pipe.
    formato/nome
    Especifica o formato do arquivo de log (da mesma forma que o especificado na opção LogFormat). Deverá ser especificado entre "aspas" caso tiver espaços. Veja [#s-s-apache-log-logformat LogFormat, Seção 12.10.10] para detalhes.

Ao invés de especificar o formato, também é possível usar um apelido definido pela opção LogFormat ([#s-s-apache-log-logformat LogFormat, Seção 12.10.10]), neste caso os parâmetros definidos pelo LogFormat para "nome" serão atribuídos a diretiva CustomLog. Exemplos:

    • CustomLog /var/log/apache/common.log "%h %l %u %t \"%r\" %>s %b"
    • CustomLog /var/log/apache/common.log common

RefererLog[editar | editar código-fonte]

RefererLog [arquivo/pipe]: Indica que arquivo/pipe registrará os campos Referer do cabeçalho HTTP. Esta diretiva é mantida por compatibilidade com o servidor web NCSA 1.4. A configuração padrão do Apache usa uma diretiva alternativa para a especificação do referer que é a seguinte:

     LogFormat "%{Referer}i -> %U" referer
     CustomLog /var/log/apache/referer.log referer

Exemplo: RefererLog /var/log/apache/referer.log

RewriteLog[editar | editar código-fonte]

RewriteLog: [arquivo/pipe]: Indica o arquivo/pipe que registrará qualquer regravação de URL feita pelo Apache. OBS: Não é recomendável direcionar o nome de arquivo para /dev/null como forma de desativar este log, porque o módulo de regravação não cria a saída para um arquivo de log, ele cria a saída de log internamente. Isto somente deixará o servidor lento. Para desativar este registro, simplesmente remova/comente a diretiva RewriteLog ou use a opção RewriteLogLevel 0. Exemplo: RewriteLog "/usr/local/var/apache/logs/rewrite.log


RewriteLogLevel[editar | editar código-fonte]

RewriteLogLevel [num]: Especifica os detalhes que serão incluídos no registro da opção RewriteLog, os valores permitidos estão entre 0 e 9. Se for usado 0, o registro do RewriteLog é totalmente desativado (esta é a padrão). OBS: Qualquer valor acima de 2 deixa o servidor Web cada vez mais lento devido ao processamento e a quantidade de detalhes registrados no arquivo especificado por RewriteLog.

ScriptLog[editar | editar código-fonte]

ScriptLog [arquivo]: Especifica o nome do arquivo de log que receberá as mensagens de erros gerados por scripts CGI executados no servidor. Esta opção é controlada pelo módulos mod_cgi. Os arquivos de log serão abertos por um sub-processo rodando com as permissões do usuário especificado na diretiva "user". OBS: Esta opção somente é recomendada como depuradora de scripts CGI, não para uso contínuo em servidores ativos. Exemplo: ScriptLog /var/log/apache/cgiscripts.log


ScriptLogBuffer[editar | editar código-fonte]

ScriptLogBuffer: Especifica o tamanho do cabeçalho PUT ou POST gravado no arquivo especificado por ScriptLog. O valor padrão é 1024 bytes. Esta opção é controlada pelo módulos mod_cgi Exemplo: ScriptLogBuffer 512

ScriptLogLength[editar | editar código-fonte]

ScriptLogLength: [tamanho]: Especifica o tamanho máximo do arquivo de log gerado pela opção ScriptLog. O valor padrão é 10385760 bytes (10.3MB). Esta opção é controlada pelo módulos mod_cgi Exemplo: ScriptLogLength 1024480

LogFormat[editar | editar código-fonte]

LogFormat: Define os campos padrões do arquivo gerado pela opção TransferLog. O seu formato é o seguinte: LogFormat [formato] [nome] Quando o formato não é especificado, assume o valor padrão %h %l %u %t \"%r\" %s %b. A especificação do [nome] permite que você utilize o formato especificado em uma opção CustomLog ou outra diretiva LogFormat, facilitando a especificação do formato do log. Os seguintes formatos são válidos:

    • %b - Bytes enviados, excluindo cabeçalhos HTTP.
    • %f - Nome do arquivo.
    •  %{FOOBAR}e - O conteúdo da variável de ambiente FOOBAR.
    • %h - Máquina cliente.
    • %a - Endereço IP da máquina cliente.
    • %A - Endereço IP local. Muito útil em virtual hostings.
    •  %{Foobar}i - O conteúdo de Foobar: linhas de cabeçalho na requisição enviada ao servidor.
    • %l - O nome de login remoto enviado pelo identd (se fornecido).
    •  %{Foobar}n - O conteúdo de "FooBar" de outro módulo.
    •  %{Foobar}o: - O conteúdo de Foobar: linhas de cabeçalho na resposta.
    • %p - A porta do servidor servindo a requisição.
    • %P - A identificação do processo filho que serviu a requisição.
    • %r - A primeira linha da requisição.
    • %s - Status. Para requisições que foram redirecionadas. internamente. Este é o status de uma requisição *original*. Use %s para a última.
    • %t - Hora, no formato do arquivo de log (formato inglês padrão).
    •  %{format}t - Hora, no formato definido por strftime.
    • %T - O tempo necessário para servir a requisição, em segundos.
    • %u - Usuário remoto (através do auth, pode ser falso se o status de retorno (%s) for 401).
    • %U - O caminho da URL requisitada.
    • %v - O nome canônico definido por ServerName que serviu a requisição.
    • %V - O nome do servidor de acordo com a configuração de UseCanonicalName.

Exemplos:

      LogFormat "%h %l %u %t \"%r\" %>s %b \"%{Referer}i\" \"%{User-Agent}i\" %T %v" full
      LogFormat "%h %l %u %t \"%r\" %>s %b \"%{Referer}i\" \"%{User-Agent}i\" %P %T" debug
      LogFormat "%h %l %u %t \"%r\" %>s %b \"%{Referer}i\" \"%{User-Agent}i\"" combined
      LogFormat "%h %l %u %t \"%r\" %>s %b" common
      LogFormat "%{Referer}i -> %U" referer
      LogFormat "%{User-agent}i" agent

TransferLog[editar | editar código-fonte]

TransferLog [arquivo/pipe]: Indica o arquivo que armazenará as transferências entre o servidor http e o cliente. Ela cria o arquivo de log com o formato definido pela opção LogFormat mais recente (sem a especificação do nome associado a diretiva) ou o formato padrão CLF do log do Apache. Se omitido, o arquivo não será gerado Exemplo: TransferLog /var/log/apache/transferências.log OBS: Se esta não é uma opção muito utilizada na administração de seus sistemas, é recomendável o uso da diretiva CustomLog (veja [#s-s-apache-log-customlog CustomLog, Seção 12.10.3]) para evitar confusões futuras.

LogLevel[editar | editar código-fonte]

Define o nível de alerta das mensagens que serão gravadas no arquivo especificado pela diretiva ErrorLog. Quando não é especificado, assume o nível "error" como padrão. Abaixo os parâmetros aceitos em sua respectiva ordem de importância:

    • emerg - O sistema está inutilizável.
    • alert - A ação deve ser tomada imediatamente.
    • crit - Condições críticas.
    • error - Condições de erro.
    • warn - Condições de alerta.
    • notice - Condição normal mas significante.
    • info - Mensagens informativas.
    • debug - Mensagens do nível de depuração.

Note que os níveis são os mesmos usados pelo syslog. Quando um nível particular é especificado, as mensagens de todos os níveis de maior importância também serão registrados. Por exemplo, se o nível "info" for especificado, as mensagens com os níveis de "notice" e "warn" também serão registradas. É recomendado o uso de um nível de no mínimo crit.

Anonymous_LogEmail[editar | editar código-fonte]

Se estiver como "on" a senha digitada será registrada no arquivo especificado por ErrorLog. Esta diretiva é ativada por padrão. Exemplo: Anonymous_LogEmail off

CookieLog[editar | editar código-fonte]

Especifica o arquivo que será usado para registrar os cookies OBS1: Caso o caminho do arquivo não for especificado nas diretivas, será assumido DocumentRoot como diretório padrão. OBS2: Caso esteja usando o pipe, o dono do processo será o mesmo que iniciou o servidor WEB Apache. Tenha certeza do funcionamento do programa para não comprometer o seu sistema, e cuide para que ele não possa ser modificado indevidamente por outros usuários. Exemplo: CookieLog /var/log/apache/cookies.log

Relatório gráfico de acesso ao sistema[editar | editar código-fonte]

O programa webalizer poderá ser instalado para gerar um relatório gráfico com a estatísticas de visitas por ano/mes/dia/hora usando os dados do access.log. Outra interessante característica são as estatísticas de códigos http (veja [#s-s-apache-httpcodes Códigos HTTP, Seção 12.15]), onde é possível saber a quantidade de links quebrados existentes em nosso servidor (estes poderão ser detectados usando o pacote de análise de sites linbot). O webalizer também é compatível com os formatos de log do squid e proftpd. Na distribuição Debian ele pode ser instalado a partir do pacote webalizer e gera um relatório geral quando é executado sem opções.