Epidemiologia/Coorte

Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto.
< Epidemiologia
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A coorte é um delineamento de estudo utilizado para realizar inferências causais, pois os sujeitos de pesquisa são avaliados ao longo do tempo. Também é utilizada para avaliar a história natural de doenças ou história natural da saúde.

Por meio da coorte é possível determinar a incidência ou risco de um desfecho.

Tipos de coorte[editar | editar código-fonte]

Existem dois tipos de coortes: prospectivas e retrospectivas.

Vantagens[editar | editar código-fonte]

  • Inferência causal
  • Medidas em Risco Relativo
  • Curvas de sobrevida


O risco relativo é a relação entre riscos. Por exemplo, é a proporção de doentes com relação aos expostos dividido pela proporção de doentes com relação aos não-expostos.

Doentes Não-doentes
Expostos A B
Não-expostos C D

Fórmula: RR = (A / (A + B)) / (C/(C+D)

Fórmula: OR = AD/BC

SDoC baseline - Survival curve of search results dwell time on Commons.png

As curvas de sobrevida possuem como desfecho o tempo que leva um evento acontecer, o qual consiste em uma variável binária (ex.: morte, tentativa de suicídio, suicídio). Um dos problemas que esse tipo de análise sofre é o seguimento perdido, representado como uma censura. Sem ela, as perdas de seguimento são consideradas como os eventos.

Para saber se duas curvas diferem são utilizados dois testes: Test de log-rank (Kaplan-Meier) e Hazard Ratio (Regressão de Cox).



Desvantagens[editar | editar código-fonte]

  • Custo elevado
  • Grande suscetibilidade a perdas de seguimento
  • Ruim para desfechos raros
  • Terceira variável confundidora


A terceira variável confundidora pode ser controlada por análise multivariável ou Regressão de Cox.